Blood on the Dance Floor: HIStory in the Mix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Blood on the Dance Floor: HIStory in the Mix
Álbum de remixes de Michael Jackson
Lançamento Maio de 1997
Gravação 1991-1997
Gênero(s) Industrial, hip hop, house, funk, pop,[1] new jack swing,[2] R&B, club/dance, dance-pop, urban contemporary, rock[3]
Duração 75:57
Gravadora(s) Epic
Produção Michael Jackson, Teddy Riley, Jimmy Jam, Terry Lewis, Dallas Austin, Bill Bottrell, David Foster, Janet Jackson e R. Kelly
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Michael Jackson
Último
Último
HIStory
(1995)
Invincible
(2001)
Próximo
Próximo
Cronologia de álbuns de remixes de Michael Jackson
Último
Último
The Remix Suite
(2009)
Próximo
Próximo


Blood on the Dance Floor: HIStory in the Mix é o primeiro álbum de remixes lançado por Michael Jackson pela Epic para divulgação da segunda fase de concertos da HIStory World Tour, em 1997. O coletânea incluía, além de oito remixes, cinco canções inéditas - gravadas para álbuns anteriores mas não incluídas nas seleções finais de faixas. "Superfly Sister" e a faixa título eram de 1991; "Morphine", "Ghosts" e "Is It Scary" de 1993. Michael revisou as faixas em estúdio no início daquele ano.

O álbum Blood On The Dance Floor passou despercebido nos Estados Unidos, onde o dance já começava a ser ofuscado pelo hip-hop. O fracasso comercial no país levantou dúvidas sobre a relevância de Jackson para o mercado mesmo dentro da Sony Music. Na Europa, a semi-coletânea foi sucesso absoluto, atingindo o topo das paradas em uma dezena de países.

O primeiro single distribuído às rádios foi a faixa-título do álbum, acompanhada por um videoclipe dirigido pelo próprio Michael Jackson com o auxílio do coreógrafo Vincent Paterson (de "In The Closet"). Na América, a recepção pouco calorosa fez com que a canção "Blood On The Dance Floor" fosse o único single promocional do álbum.

Na Europa, a canção alcançou o topo das paradas de sucesso em sete países, incluindo Espanha e Reino Unido. O bom desempenho resultou no lançamento de um segundo single às rádios, um remix da música "HIStory" produzido por Tony Moran. Michael Jackson estava em turnê e não compareceu às gravações do videoclipe. O compacto tinha como lado-b a faixa "Ghosts".

Blood On The Dance Floor vendeu mais de 6 milhões de cópias em todo o mundo . Os números, no entanto, eram muito inferiores aos patamares de venda mundiais de Jackson até o ano de 2001. Em 2009, as vendagens chegavam em 5.5 milhões. Após a morte do cantor - em 25 de junho de 2009 ultrapassaram a marca de 7 milhões de cópias. Desde 1997, era o álbum de remixes mais vendido da história, atualmente, continua com este posto.

Faixas[editar | editar código-fonte]

# Título Compositor(es) Duração
1. "Blood On The Dance Floor""   Michael Jackson, Teddy Riley 4:13
2. "Morphine"   Michael Jackson 6:28
3. "Superfly Sister"   Michael Jackson, Bryan Loren 6:27
4. "Ghosts"   Michael Jackson, Teddy Riley 5:08
5. "Is It Scary"   Michael Jackson, James Harris III, Terry Lewis 5:35
6. "Scream Louder (Flyte Tyme Remix)"   Michael Jackson, Janet Jackson, James Harris III, Terry Lewis 5:30
7. "Money (Fire Island Radio Edit)"   Michael Jackson 4:23
8. "2 Bad (Refugee Camp Mix)"   Michael Jackson, Bruce Swedien, Rene Moore, Dallas Austin 3:32
9. "Stranger In Moscow (Tee's In House Club Mix)"   Michael Jackson 6:54
10. "This Time Around (D.M. Radio Mix)"   Michael Jackson, Dallas Austin 4:05
11. "Earth Song (Hani's Club Experience)"   Michael Jackson 7:55
12. "You Are Not Alone (Classic Club Mix)"   R. Kelly 7:37
13. "HIStory (Tony Moran's History Lesson)"   Michael Jackson, James Harris III, Terry Lewis 8:01
Versão LP
# Título Duração
1. "Blood On The Dance Floor""   4:13
2. "Morphine"   6:28
3. "Superfly Sister"   6:27
4. "Ghosts"   5:08
5. "Is It Scary"   5:35
6. "Scream Louder (Flyte Tyme Remix)"   5:30
7. "Money (Fire Island Radio Edit)"   4:23
8. "2 Bad (Refugee Camp Mix)"   3:32
9. "Stranger In Moscow (Tee's In House Club Mix)"   6:54
10. "This Time Around (D.M. Mad Club Mix)"   10:21
11. "Earth Song (Hani's Club Experience)"   7:55
12. "You Are Not Alone (Classic Club Edit)"   4:23
13. "HIStory (Tony Moran's History Lesson)"   8:01

Desempenho de mercado[editar | editar código-fonte]

O Álbum[editar | editar código-fonte]

O álbum Blood On The Dance Floor apresentou desempenho irregular entre as diferentes listas de mais vendidos do mundo. Com Jackson ainda em turnê em 1997 e priorizando os mercados asiático e europeu, a semi-coletânea teve divulgação limitada àqueles países.

  1. 26 de maio de 1997 :: #02 :: 32 :: Alemanha;
  2. 9 de junho de 1997 :: #16 :: 05 :: Canadá;
  3. 7 de junho de 1997 :: #24 :: 09 :: Estados Unidos;
  4. 11 de junho de 1997 :: #03 :: 13 :: Finlândia;
  5. 2 de junho de 1997 :: #06 :: 11 :: Itália;
  6. 5 de junho de 1997 :: #12 :: 06 :: Japão;
  7. 30 de maio de 1997 :: #01 :: 13 :: Nova Zelândia (por 1 semanas);
  8. 24 de maio de 1997 :: #01 :: 22 :: Países Baixos (por 2 semanas);
  9. 24 de maio de 1997 :: #01 :: 16 :: Reino Unido (por 2 semanas);
  10. 25 de maio de 1997 :: #02 :: 22 :: Suíça;

Singles[editar | editar código-fonte]

Somente duas músicas de Blood On The Dance Floor foram lançadas como singles oficiais e distribuídas às rádios pelo mundo. Nos Estados Unidos, apenas a faixa-título foi lançada comercialmente.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

  1. 10 de maio de 1997 :: #42 :: 11 :: Blood On The Dance Floor;

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

  1. 3 de maio de 1997 :: #01 :: 10 :: Blood On The Dance Floor (por 1 semana);
  2. 19 de julho de 1997 :: #05 :: 08 :: HIStory / Ghosts;

Somente na Europa e em parte da Ásia foi lançado como single promocional "Is It Scary".

Obs.: na primeira coluna, a data de estréia do compacto na lista dos mais vendidos; na segunda, a posição máxima alcançada; na terceira, o número de semanas na lista; por fim o nome do compacto e, naqueles que atingiram a primeira posição, entre parênteses, quantas semanas estiveram no topo.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A intenção original de Michael Jackson era lançar Blood on the Dance Floor em fevereiro de 1997 como um EP promocional de cinco faixas inéditas somente para as rádios.
  • Em meados de 1997, Michael confessou em entrevista à revista Black & White que não gostava de remixes. "O que posso dizer é que eu não gosto deles", disse Jackson. "Eu não aprecio o fato de alguém mexer na minha canção e transformá-la em uma coisa completamente diferente".
  • A canção "Is It Scary" estava pronta para ser lançada em 1993 como trilha-sonora do filme "A Família Addams 2", de Barry Sonnenfeld com Anjelica Huston, Raul Julia e Joan Cusack. A faixa foi arquivada depois que Jackson foi acusado de ter abusado sexualmente de um menor naquele ano.
  • O remix de "2 Bad", produzido por Wyclef Jean especialmente para o álbum, contém um sample de "Beat It", sucesso de Thriller em 1983.
  • Michael queria que a canção "7 Digits", uma composição dele com o produtor Bryan Loren, fizesse parte de Blood on the Dance Floor. O problema é que, apesar da melodia completa, Michael não tinha tempo para finalizar a letra. No lugar, ele escolheu "Superfly Sister".
  • O grupo Boyz II Men faz segunda voz na canção "HIStory".
  • No Encarte, só contêm as letras das canções "Blood on the Dance Floor", "Stranger in Moscow" e "HIStory", as outras canções só possuem os créditos.
  • Jackson dedicou o álbum Blood On The Dance Floor ao cantor Elton John, que teria o ajudado a se livrar de um vício em analgésicos e antidepressivos. No encarte Michael agradece: "dedico para Elton John... "Blood on the Dance Floor"...Com profunda gratidão pelo seu apoio.
  • Algumas faixas de Blood On The Dance Floor foram censuradas em alguns países ou realmente se mantêm inéditas até hoje, pois foram cortadas do CD. No norte da África e em outros países de cultura islâmica do Oriente Médio, Michael teve sua arte censurada. De fato Blood on The Dance Floor é um álbum adulto, que fala explicitamente de drogas, sexo e outras coisas consideradas tabus em alguns países.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Christensen, Thor (20 de maio de 1997). "Jackson's new `Blood' generally thin Singer's work best when fresh on remix release". The Dallas Morning News.
  2. Violanti, Anthony (23 de maio de 1997). "Lost Soul...". The Buffalo News.
  3. Blood on the Dance Floor: History in the Mix. AllMusic. Página visitada em 27-4-2009.
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Michael Jackson é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.