Bob Corker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bob Corker
Senador dos Estados Unidos pelo Tennessee Tennessee
Período 3 de janeiro de 2007
até atualidade
Antecessor(a) Bill Frist
Presidente do Comitê do Senado para as Relações Exteriores
Período 3 de janeiro de 2015
até atualidade
Antecessor(a) Robert Menendez
71° Prefeito de Chattanooga
Período 16 de abril de 2001
até 18 de abril de 2005
Antecessor(a) Jon Kinsey
Sucessor(a) Ron Littlefield
Vida
Nascimento 24 de agosto de 1952 (64 anos)
Orangeburg, Carolina do Sul
Nacionalidade norte-americano
Dados pessoais
Alma mater Universidade do Tennessee
Esposa Elizabeth (1987-atualmente)
Partido Republicano
Website Bob Corker

Robert Phillips "Bob" Corker, Jr. (Orangeburg, 24 de agosto de 1952) é um político norte-americano senador pelo estado do Tennessee.[1]  Corker, um político do Partido Republicano, atualmente é o presidente do Comitê do Senado para as Relações Exteriores no 114° Congresso.[2]

Em 1978, Corker fundou uma construtora de sucesso, a qual ele vendeu em 1990. Ele concorreu na Eleição para Senador do Tennessee no congresso americano em 1994, mas foi derrotado pelo futuro líder da maioria do senado Bill Frist nas primárias republicanas. Nomeado pelo governador, Don Sundquist, Corker trabalhou como Comissário de Finanças e Administração do Estado do Tennessee de 1995 a 1996. Ele mais tarde adquiriu duas das maiores companhias de imóveis em Chattanooga, antes de ser eleito o 71° prefeito de Chattanooga em 2000; ele serviu por um mandato, de 2001 a 2005.[3]

Corker anunciou a sua candidatura na Eleição para Senador do Tennessee no congresso americano em 2006 depois que Frist, o incumbente por dois mandatos, anunciou a sua aposentadoria do senado. Corker derrotou o concorrente democrata, Harold Ford Jr. nas eleições gerais, com 51% dos votos.[4] Em 2012 Corker foi reeleito, derrotando o democrata Mark E. Clayton, com 65% a 30%.[5]

Juventude e família[editar | editar código-fonte]

Corker nasceu em Orangeburg, na Carolina do Sul,[6] filho de Jean J. (Hutto) e Robert Phillips "Phil" Corker. Sua família mudou-se para o Tennessee quando ele tinha 11 anos.[7] Ele se formou na Chattanooga High School em 1970 e conseguiu um Bachelor of Science em gerenciamento industrial da Universidade do Tennessee, de Knoxville em 1974. Corker é um membro da fraternidade Sigma Chi. O colega de quarto de Corker na fraternidade Sigma Chi foi o atual dono do Cleveland Browns, Jimmy Haslam,[8] cujo irmão é o atual governador do Tennessee, Bill Haslam.

Durante os seus vinte anos Corker participou de uma missão ao Haiti, a qual ele credita por inspirá-lo a ser mais ativo em sua comunidade. Após o seu retorno, Corker ajudou a fundar a Chattanooga Neighborhood Enterprise, uma organização sem fins lucrativos que mantém a educação de milhares de tenessianos desde a sua criação em 1986.[9][10][11]

Corker e sua esposa Elizabeth, com quem ele se casou em 10 de janeiro de 1987, têm duas filhas.[12]

Carreira empresarial[editar | editar código-fonte]

Em uma entrevista com Esquire, Corker disse que havia começado a trabalhar aos treze anos de idade, coletando lixo e guardando gelo. Mais tarde, ele trabalhou na Western Auto e como um construtor.[13][14] Após terminar a faculdade, ele fundou uma companhia de bem sucedida de construção, a Bencor, em 1978, de acordo com Corker essa companhia crescia 80% ao ano, também de acordo com Corker, na metade dos anos 1980, a companhia carregava projetos em dezoito estados.[14] Ele vendeu a companhia em 1990.[15]

Em 1999, Corker adquiriu duas das maiores companhias imobiliárias em Chattanooga: A Osborne Building Corporation e a Stone Fort Land Company.[16] Em 2006 ele vendeu as propriedades e espaços que formavam essas companhias para o empresário, Henry Luken.[17]

Em reconhecimento a sua carreira empresarial de sucesso, em 2005, a Universidade do Tennessee em Chattanooga o prêmiou em seu “Hall da Fama.”[18] Em 2008, a fortuna de Corker era estimada em mais de dezenove milhões.[19]

Campanha para o Senado em 1994[editar | editar código-fonte]

Corker concorreu para o senado dos Estados Unidos em 1994, terminado em segundo lugar nas primárias republicanas para o vencedor da eleição, Bill Frist. Durante as primárias, o gerente de campanha de Frist atacou Corker, chamando ele de "escória da lagoa". Apesar da retórica, Corker chegou em Nashville na manhã seguinte a primária e ofereceu sua assistência a campanha de Frist. Ele apoiou a campanha de Frist nas eleições gerais.[20] De 1995 a 1996, Corker foi o Comissário de Finanças e Administração do Estado do Tennessee, sendo nomeado pelo governador na época, Don Sundquist.[6]

Prefeito de Chattanooga[editar | editar código-fonte]

Extensão atual do Museu Hunter da Arte Americana

Corker serviu como prefeito de Chattanooga de 2001 a 2005. No cargo, ele implementou um sistema de bônus pelo mérito para professores. O sistema, iniciado em 2002, premia professores e diretores com bônus pela melhora no desempenho dos estudantes.[21] Dois anos após a implementação do sistema, um estudo publicado pelo The Tennessean mostrou que a porcentagem de alunos de terceira série que liam na média de leitura da série ou acima dela aumentou de 53% para 74%.[22] Entretanto, uma repórter do Education Sector, sugeriu que um treinamento dos professores tinha muito a ver com o desempenho dos alunos.[23]

Em 2003 Corker iniciou um programa chamado ChattanoogaRESULTS, que facilitava reuniões mensais com os administradores do serviço público para avaliar os seus desempenhos e abrir metas para melhorá-los. O programa foi mantido pelo sucessor de Corker, Ron Littlefield.[24] Corker deu o crédito a colaboração aumentada entre os departamentos pela diminuição no crime em Chattanooga. Os arquivos da cidade mostram uma redução de aproximadamente 26% nos crimes e de 50% nos crimes violentos entre 2001 e 2004.[25]

Corker também estava envolvido no desenvolvimento do Enterprise South Industrial Park em Chattanooga. Mais tarde, como um senado dos Estados Unidos, ele trabalhou com os oficiais locais e estaduais para recrutar a Volkswagen para abrir uma fábrica na cidade.[26] Também durante a sua administração, Corker trabalhou num projeto de renovação ribeirinha de cento e vinte milhões de dólares, que incluía a expansão do Museu Hunter, e a renovação do Creative Discovery Museum, uma expansão do Rio Chattanooga, e a adição de um novo prédio de água salgada no Aquário do Tennessee.[27]

Senador dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Eleição de 2006[editar | editar código-fonte]

Em 2004, Corker anunciou que ele concorreria a cadeira de senador deixada pelo senador Bill Frist, que havia declarado que não iria concorrer a reeleição. Nas primárias republicanas, Corker enfrentou dois congressistas, Ed Bryant and Van Hilleary. Ambos os oponentes concorreram como ultra-conservadores, denunciando Corker como um moderado e eventualmente o chamando de esquerdista.[28] Durante a sua campanha, Corker gastou 4,2 milhões de dólares em propaganda televisiva, especialmente na região oeste do estado, onde ele não era muito conhecido. Nas primárias em agosto, ele venceu com 48% dos votos; Bryant ficou com 34% e Hilleary com 17%.[29]

Na campanha das eleições gerais, o oponente democrata de Corker, Harold Ford, Jr., desafiou Corker a sete debates televisionados pelo estado. Em resposta, Corker disse que iria debater com Ford, mesmo que não concordasse em sete debates. Os dois candidatos acabaram participando de três debates televisionados, em Memphis no dia 7 de outubro, em Chattanooga no dia 10,[30] e em Nashville no dia 28.

A corrida entre Ford e Corker foi descrita como descrita como "uma das mais competitivas e maldosas" no país.[31] Em outubro de 2006, as pesquisas indicavam uma leve vantagem de Ford sobre Corker,[32] o Comitê Nacional Republicano criou uma propaganda controversa que atacava Ford. Na segunda propaganda de 30, frases de efeito de "gente das ruas" pronunciavam Ford errado mais duas tomadas de uma mulher branca animada se lembrando de ter encontrado Ford (que é afro-americano e solteiro na época) na "Festa de Playboy". A propaganda termina com essa mulher furtivamente convidando Ford a telefonar para ela.[31][33] O vídeo foi denunciado como racista por muitas pessoas, incluindo o ex-senador republicano e Secretário da Defesa, William Cohen, que chamou o vídeo de "um apelo muito sério ao sentimento racista." Ironicamente, Corker subiu nas pesquisas de opinião,[34] mas acabou vencendo a eleição com menos de três porcento de diferença. Ele foi o único novo senador republicano novo no 110° Congresso.[35] Corker tomou posse em 4 de janeiro de 2007.

Eleição de 2012[editar | editar código-fonte]

Em novembro de Novembro de 2012, Corker venceu a sua reeleição com 64.9% dos votos. Corker enfrentou o democrata conservador Mark E. Clayton, do Candado de Davidson, perto de Nashville, que recebeu 30.4% dos votos.[36] Clayton era desaprovado pelo próprio partido, uma liderança local pediu aos democratas que colocassem um candidato a escolha deles na corrida contra Corker; a razão dada foi a "associação de Clayton's com um grupo de ódio", uma aparente referência ao fato de Clayton ser o vice-presidente do Public Advocate, um grupo baseado em Washington, D.C, que é contra o homossexualismo.[37]

Mandato[editar | editar código-fonte]

Bob Corker tomando posse como senador.

Corker foi um dos membros originais da Gangue dos 10, que agora possui vinte membros, um grupo bipartidário (com políticos democratas e republicanos) que buscava uma reforma energética no país. O grupo buscava uma reforma que encorajaria decisões estaduais para a perfuração de petróleo nas plataformas continentais e autorizaria o investimento de bilhões de dólares para a conservação e na energia alternativa.[38]

Em junho de 2008, Corker estava entre os 36 senadores que votaram contra o encerramento dos debates para o progresso da America's Climate Security Act de 2007, um projeto para trabalhar na redução das emissões de gases poluentes nos Estados Unidos.[39] Mais cedo, Corker havia oferecido três emendas adicionais para o ato que tinham como foco o retorno da maior quantia de dinheiro possível para os consumidores americanos, em parte eliminado subsídios e compensações internacionais.[40] Dois anos depois, ele apoiou uma proposto no senado que expressava a desaprovação da regra submetida pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) para encontrar e identificar gases de efeito estufa como uma regulação no Clean Air Act.[41][42] Na primavera de 2011, ele foi o co-relator do Energy Tax Prevention Act, que teria feito com que o Clean Air Act proibisse a EPA de regular os gases de efeito estufa, e protegeria cidadãos e empresas de pagar custos mais altos que lhes são imputados pelas empresas obrigadas a respeitar as novas regulações. Corker disse que na época ele esperava que essa lei fosse uma alternativa as regulações administrativas da EPA, e que o congresso "determinaria uma política energética racional para o país, ao mesmo tempo que avançasse nas segurança energética, mantivesse políticas existentes para garantir água e ar puro.”[43]

Em 2008, Corker foi um dos apenas dezesseis senadores que se opôs ao Economic Stimulus Act de 2008,[44] criticando-o por ser um “estimulo político” para as campanhas eleitorais.[45] Ele mais tarde descreveu o pacote de estímulos que passou no congresso como "bobo".[46]

Em dezembro de 2008, Corker se opôs ao the resgate federal a fabricantes de automóveis norte-americanos falidas,[47] e expressou dúvida de que as companhias poderiam ser salvas.[48] Corker propôs que os fundos federais nas companhias fossem dados apenas se fossem acompanhados de cortes nos custos trabalhistas e de outras concessões da união.[49] As negociações sobre a proposta de Corker ruíram na noite de 11 de dezembro de 2008. A United Auto Workers, um sindicato de trabalhadores do setor automobilístico, que já havia aceitado uma série de cortes em seu contrato atual, tentou adiar quaisquer cortes adicionais até 2011, enquanto Corker pedia que os cortes entrassem em vigor em 2009.[50] Os republicanos culparam a UAW pelas falhas para chegar a um acordo, enquanto a UAW declarava que a proposta de tinha como destaque "trabalhadores e reformados por tratamento diferente e faz com que eles assumam todo o ônus da reestruturação."[51] Em 13 de dezembro de 2008, a Businessweek reportou que Corker foi "um dos responsáveis pela nova fábrica da Volkswagen em Chattanooga por um custo de quinhentos e setenta e sete mihões de dólares em incentivos fiscais" durante o seu mandato como prefeito de Chattanooga, levantando questões dobre as motivações de Corker durante as negociações.[52]

Em setembro de 2009, Corker se tornou um membro especial do Comitê do Senado para o Envelhecimento, substituindo o ex-senador, Mel Martinez.[53]

Em 20 de maio de 2010, apesar de seu papel inicial como negociador chave republicano na reforma financeira, Corker votou contra a Carta de Regulações Financeiras do Senado ("Restoring American Financial Stability Act", a versão do senado do que acabou se tornando o Dodd–Frank Wall Street Reform and Consumer Protection Act), que incluía provisões de maior escrutínio de derivados financeiros entre os maiores bancos americanos e instituições financeiras. Após a votação no senado, Corker expressou o seu descontentamento com a carta, destacando, entre outras coisas, que ela não iria incluir adequandamente as preocupações sobre a integridade da subscrição de empréstimos, ou a necessidade de endurecer as leis de falência, e prever uma liquidação ordenada.[54] A principal critica a reforma financeira feita por Corker em 10 de junho de 2010, foi feita na sessão do senado para tratar da regulação financeira foi que se a reforma fosse aprovada, a industria e os empregos seriam prejudicados.[55]

Corker se opõe aos limites das taxas de cartão de crédito impostas pelos bancos nas transações financeiras.[56] Corker foi um dos três republicanos que apoiaram a Nova Redução Estratégica da Ameaça das Armas (New START) no Comitê de Relações Exteriores do Senado em setembro de 2010.[57]

Em abril 2013, Corker foi um dos quarenta e seis senadores que votaram contra um projeto que iria expandir a verificação de antecedentes dos compradores de armas. Corker votou junto com quarenta republicanos e cinco democratas para impedir a aprovação da medida.[58]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Venda de pantanais protegidos[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a Osborne Enterprises, uma afiliada da companhia imobiliária do Grupo Corker, vendeu áreas pantanosas protegidas perto do sul do Riacho Chickamauga em Chattanooga para o Walmart por 4.6 milhões de dólares.[59] Em julho de 2003, o educador ambiental, Sandy Kurtz expediu uma ordem de restrição para impedir a construção do Walmart. Após um pouco tempo em vigor, a ordem foi anulada em 15 de julho de 2003. O Walmart foi inaugurado em maio 2004.[60]

O advogado Joe Prochaska, que representou Kurtz, serviu de 1992 a 1997 como um membro do comitê executivo do partido democrata no Condado de Davidson. Prochaska acusou Corker de vender a área pouco tempo depois da construção na área ser autorizada. Entretanto, registros públicos mostraram que a terra poderia ser usada para construção antes de Corker ter tomado posse como prefeito em abril de 2001. Como parte do projeto, o corpo de engenheiros aprovou que 2.5 acres do pantanal fossem usados para ampliar uma estrada de acesso, em troca da adição de mais onze acres de novas terras pantanosas na área próxima.[60] Os registros publicos não mostram envolvimento de Corker no processo de aprovação.[61]

Em 2006, durante a campanha de Corker para o senado dos Estados Unidos contra o democrata Harold Ford Jr., um segundo processo foi feito por Kurtz, sendo novamente representado por Prochaska, e pelo Conselho do Meio Ambiente do Tennessee.[60] O processo acusava a Walmart de "invadir" a área protegida e que isso também tinha sido feito pela companhia de Corker. O documento alegava que Corker não tinha interesse completamente distante da propriedade onde a Walmart foi construída ou na área natural na época que o acordo foi feito. A campanha de Corker destacou que um artigo publicado em 5 de março de 2003 no Chattanooga Times Free Press identificou publicamente o interesse de Corker no terreno, através da Osborne Enterprises, e que, como prefeito, uma confiança cega impediu Corker de se envolver em questões como essas que afetaram seu negócio.[60][61]

Em 13 de outubro de 2006, os advogados envolvidos no caso anunciaram um acordo de assentamento. Detalhes do acordo não foram anunciados, mas os registros do tribunal indicavam que uma parte do acordo indicavam uma porção das terras poderiam ser compradas pelo Conselho do Meio Ambiente do Tennessee em um período de 45 dias uma porção de 13 acres (53 mil m2) da terra em disputa que o conselho esperava dedicar para uso público.[62]

Blind Trust[editar | editar código-fonte]

Pouco tempo depois de assumir como prefeito, Corker voluntariamente colocou os seus negócios e ações imobiliárias do Condado de Hamilton em um blind trust para evitar "até a percepção de qualquer conflito". Corker declarou que a visibilidade de suas propriedades e o conhecimento público de que ele era i dono delas serviria como um obstáculo para as suas ações como prefeito.[63]

Em 11 de outubro de 2006, o Commercial Appeal reportou que o blind trust que Corker preparou para evitar conflitos de interesse enquanto era prefeito "não eram tão ocultos assim".[63][64] De acordo com e-mails descobertos pelo site (que estavam presumidamente perdidos):

Corker se encontrou frequentemente com funcionários de suas companhias privadas enquanto era prefeito de 2001 a 2005, e ele compartilhou dicas de negócios com os outros. Corker também teve ajuda em sua campanha para a prefeitura em 2001, onde um secretário de governo passou nas listas de votação e organizou reuniões com o dono de empresas imobiliárias milionário.[64]

Os e-mails mostravam que Corker se encontrava frequentemente com seus funcionários do Grupo Corker, que era parte do blind trust, enquanto ele era prefeito. Quando questionado sobre os e-mails divulgados, Corker disse que ele pensava que o blind trust tinha "funcionado muito bem" e que ele havia vendido a maior parte dos negócios para evitar conflitos de interesse no Senado.[64]

Desentendimentos com um acadêmico[editar | editar código-fonte]

Caminhando pelo Stringer’s Ridge perto de Chattanooga em 13 de novembro de 2016, o senador Corker se encontrou com um professor de faculdade chamado David G. Haskell, que estava caminhando pela trilha com três colegas. De acordo com o Blog de Haskell: ele se aproximou do senador e o saldou, e depois declarou que ficou envergonhado de ser cidadão de um estado onde o senador não denunciaria Donald Trump por "se gabar" de assédio sexual. Haskell disse que como tenessiano ficou indignado com o seu silêncio. De acordo com Haskell, Corker respondeu, “Se você não gostou disso, então deveria sair do estado.” Corker continuou, “são pessoas que não aceitam os resultados da eleição como você que dividem esse país. O que você fez por este estado?”[65]

Em um artigo do Tennessean, o gabinete de Corker declarou que Haskell tinha se aproximado agressivamente dele e com linguagem pejorativa. A porta-voz de Corker, Micah Johnson disse que Haskell abordou o senador agressivamente em "um diálogo profano e apontou um dedo para sua cara.", também disse que Haskell "estava com vergonha de viver em um estado onde a maioria dos cidadãos votam em Donald Trump" e que “O senador Corker calmamente sugeriu que o professor não era obrigado a viver no Tennessee se não o desejasse". Haskell foi um finalista do Prêmio Pulitzer em 2013 pelo seu livro The Forest Unseen: A Year’s Watch in Nature.[66]

Referências

  1. «Bob Corker : U.S. Senate». 11 de outubro de 2006. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  2. «United States Senate Committee on Foreign Relations». www.foreign.senate.gov. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  3. «GOP Luncheon with Senator Bob Corker». Rutherford County GOP (em inglês). 28 de julho de 2016 
  4. «General Election United States Senate» (PDF). 7 de novembro de 2006. Consultado em 08 de dezembro de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. «State of Tennessee General Election» (PDF). Consultado em 08 de dezembro de 2016  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. a b «CORKER, Robert (Bob) - Biographical Information». bioguide.congress.gov. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  7. «WebCite query result». www.webcitation.org. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  8. «Potential Cleveland Browns owner Jimmy Haslam uses hands-on business approach». cleveland.com 
  9. «Shelbyville Times-Gazette: Story: Corker returns to Haiti». 15 de junho de 2008. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  10. «Biography - - United States Senator Bob Corker». www.corker.senate.gov. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  11. «Fort Oglethorpe Press - Google News Archive Search». news.google.com. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  12. «Bob Corker U.S. Senate». bobcorker.com. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  13. «Inductees 2005». www.utc.edu. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  14. a b «A Senator's New Definition of Power». Esquire. 18 de outubro de 2010 
  15. «News From The Associated Press». hosted.ap.org. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  16. «Senator Bob Corker Meeting with Trump Monday, Fueling VP Speculation». TruthFeed (em inglês) 
  17. «Corker Selling Many Business Holdings To Henry Luken». Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  18. «Inductees 2005». www.utc.edu. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  19. «The 50 Richest Members of Congress - Roll Call». 22 de setembro de 2008. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  20. «Former foes praise Haslam at GOP rally». timesfreepress.com 
  21. «CNN.com - More teachers graded for their pay - September 9, 2002». edition.cnn.com. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  22. Torres, Ailene (15 de outubro de 2006). «"Wisdom of teachers' rejecting bonus is questioned"». The Tennessean. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  23. Silva, Elena (abril de 2008). «The Benwood Plan: A Lesson in Comprehensive Teacher Reform» (PDF). Education Sector Reports. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  24. «City Tallies Its Success On Goals». archive.is. 22 de fevereiro de 2013 
  25. «Corker Says City Has "Enormous Drop" In Crime Rate». Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  26. G. Chambers, Williams (16 de julho de 2008). «"Fahrvergnügen, y'all. VW picks Chattanooga".». The Tennessean. Consultado em 14 de dezembro de 2016 
  27. «USATODAY.com - Chattanooga: A riverfront transformed». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  28. «Unemployment Hitting Dixie» (PDF). Southern Political Report. 22 de dezembro de 2008. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  29. «Republican Primary United States Senate» (PDF). Tennessee Secretary of State. 3 de agosto de 2006. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  30. «Tennessee 2006 Senate Debate». www.ontheissues.org. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  31. a b «Rove Protégé Behind Racy Tennessee Ad» 
  32. «Rasmussen Reports™: The most comprehensive public opinion coverage ever provided for a mid-term election.». 12 de outubro de 2007. Consultado em 16 de dezembro de 2016 
  33. «Tennessee ad ignites internal GOP squabbling». msnbc.com. 25 de outubro de 2006 
  34. «Family ties could bind a political advancement». Boston.com 
  35. «CNN.com - Elections 2006». edition.cnn.com. Consultado em 16 de dezembro de 2016 
  36. «Tennessee Senate Race for 2012 - Tennessee Senate Candidates and Election Results». PoliGu.com 
  37. «Mark Clayton - Disavowed by Party». PoliGu.com - The Political Guide 
  38. «Klobuchar joins bipartisan energy group». Star Tribune 
  39. «Climate Security Act dies, failing to muster enough votes to move forward». Grist (em inglês). 6 de junho de 2008 
  40. «Corker Announces Amendments to Climate Security Legislation - News - - United States Senator Bob Corker». www.corker.senate.gov. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  41. «The Voter's Self Defense System». Project Vote Smart (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  42. «Corker Cosponsors, Votes for Murkowski Resolution - News - - United States Senator Bob Corker». www.corker.senate.gov. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  43. «Corker Cosponsors Bill Protecting Consumers and Businesses from Costly New Carbon Regulations - News - - United States Senator Bob Corker». www.corker.senate.gov. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  44. Baker, Jackson. «The McCain Effect». Memphis Flyer. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  45. «Washington: Sen. Corker stands firm on his positions». Timesfreepress. 23 de março de 2013. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  46. «Corker Decries Auto Industry Bailout, Other Federal Moves». Memphis Daily News. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  47. «Corker Disappointed In Initial Outline Of Auto Bailout Plan». Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  48. «The Associated Press: Carmakers' bailout pleas hit Senate skepticism». 8 de dezembro de 2008. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  49. «Tennessee: Corker outlines proposal for Big Three rescue package». Timesfreepress. 28 de março de 2012. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  50. Maynard, Micheline (12 de dezembro de 2008). «U.A.W. in Center of Dispute Over Bailout Failure». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  51. Labaton, Stephen; Herszenhorn, David M. (12 de dezembro de 2008). «White House Gives Nod to Automaker Aid». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  52. «Detroit: The Real Battle Is Politics - BusinessWeek». 13 de novembro de 2011. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  53. «Corker replaces Martinez as ranking member on Senate Aging Committee». McKnight's. 24 de setembro de 2009 
  54. «Congressional Record». www.congress.gov. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  55. «Corker Says Financial Regulation Bill Hurts Banks and Business - Nash…». archive.is. 15 de julho de 2012 
  56. Wyatt, Edward (8 de junho de 2011). «Senate Votes Against Delay of Debit Card Fee Limits». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  57. Staff, By the CNN Wire. «Key Senate committee passes nuclear arms treaty - CNN.com» 
  58. Silver, Nate. «Modeling the Senate's Vote on Gun Control». FiveThirtyEight. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  59. Pare, Mike (5 de março de 2003). «"Wal-Mart planned for Brainerd".». Chattanooga Times Free Press. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  60. a b c d «"Old lawsuit back to haunt Corker in race".». The Commercial Appeal. 20 de agosto de 2006. Consultado em 18 de dezembro de 2016 
  61. a b «"Land sale predates Corker as mayor".». The Commercial Appeal. 18 setembro de 2006. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  62. «NWF Lawsuit Impacts Tennessee Wetland». Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  63. a b Appeal, Marc Perrusquia Commercial (28 de março de 2008). «GOP's Corker Has Sen. Frist's Problem: His Blind Trust Wasn't Really Blind...». The Huffington Post. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  64. a b c «Simply Politics Post». Investors Hub. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  65. Haskell, David George (14 de novembro de 2016). «Senator Corker tells me: "If you don't like it, leave"». Ramble. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  66. «Corker, professor clash on hiking trail over Trump». The Tennessean 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bob Corker


Precedido por
Jon Kinse
71° prefeito de Chattanooga
16 de abril de 2001-18 de abril de 2005
Sucedido por
Ron Littlefield
Precedido por
Bill Frist
Senador dos Estados Unidos pelo Tennessee
3 de janeiro de 2007-atual
Sucedido por
"atual"