Buck Rogers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Buck Rogers (desambiguação).
Buck Rogers
Buck Rogers maneja por controle remoto uma esfera flutuante (março de 1929)
Outro(s) nome(s) Anthony "Buck" Rogers
Afiliações Wilma Deering
Dr. Elias Huer
Syndicate (s) John F. Dille Company (depois renomeado como National Newspaper Syndicate of America)
Criado por Philip Francis Nowlan
Primeira aparição Literatura:Armageddon 2419 A.D., Amazing Stories (agosto de 1928)
Histórias em quadrinhos: tira diária (07 de janeiro de 1929)
Interpretado por John Dille Jr., Buster Crabbe, Earl Hammond, Kem Dibbs, Robert Pastene eGil Gerard
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Buck Rogers é um personagem de pulps e histórias em quadrinhos, criado em 1928 como Anthony Rogers, herói de duas novelas de Philip Francis Nowlan publicadas na revista Amazing Stories. Rogers tornou-se mais conhecido por uma duradoura série de tiras de aventura publicadas em jornais. Ele também estrelou um seriado cinematográfico, duas séries de televisão, um jogo de computador e muitos outros formatos de mídia.

Buck Rogers tem sido creditado por levar às massas o conceito de exploração espacial, seguindo as pegadas de pioneiros da literatura como Júlio Verne,[1] [2] H.G. Wells e Edgar Rice Burroughs.[3]

Buck Rogers na capa da revista Amazing Stories, março de 1929.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O personagem apareceu pela primeira vez como Anthony Rogers, o personagem central da novela Armageddon 2419 A.D., publicada em agosto de 1928 na revista pulp Amazing Stories, a sequencia The Airlords of Han, foi publicada na edição de março 1929.


Philip Nowlan e o syndicate John F. Dille Company, mais tarde conhecido como o National Newspaper Syndicate, foram contratados para adaptar a novela para as tiras de jornal. Nowlan e Dille contrataram o cartunista Dick Calkins, Nowlan adaptou o primeiro episódio de Armageddon 2419 A.D., AD e mudou o nome do herói de Anthony Rogers para Buck Rogers. A tira diária foi publicada pela primeira vez em 7 de janeiro de 1929,[4] coincidentemente, este foi também a data em que a tira de Tarzan por Hal Foster estreou nos Estados Unidos (a tira havia estreado em novembro de 1928 na revista inglesa Tits-Bits).[5] Em 1930, o personagem começa a ser publicado em pranchas dominicais coloridas, ilustradas por Russell Keaton.[6] Keaton queria ilustrar outra tira escrita por Calkins, Skyroads, com isso, foi substituído por Rick Yager.

Em 1933, Nowlan e Calkins co-escrevram Buck Rogers in the 25th Century, uma novela que recontou a origem de Buck Rogers e também resumiu algumas das suas aventuras. Uma reedição deste trabalho foi incluído com a primeira edição de 1995 da novela Buck Rogers: A Life in the Future de Martin Caidin.

Autoria das primeiros tiras é extremamente difícil de determinar. As assinaturas nas partes inferiores das tiras não são precisos indicadores de autoria.

O sucesso da tira deu origem a Big Little Books e livros pop-up.[7] , a tira era popular o suficiente para inspirar outras séries como Flash Gordon de Alex Raymond,[8] , Don Dixon and the Hidden Empire (1935-1941),[9] Speed Spaulding (1940-1941), adaptação do romance When Worlds Collide (1933) de Philip Wylie e Edwin Balmer[10] e John Carter of Mars (1941-1943), a adaptação da série literária Barsoom de Edgar Rice Burroughs, criador de Tarzan.[11]

Murphy Anderson ilustrou a tira entre 1947 e 1949.[12] George Tuska começou a desenhar a tira em 1959 e permaneceu até o capítulo final da história em quadrinhos original, que foi publicado em 8 de Julho de 1967.

Na década de 1960, duas novelas de Nowlan foram combinadas pelo editor Donald A. Wollheim em um livro de bolso chamado Armageddon 2419 A.D.

A tira voltou a ser publicada em 1979 por Gray Morrow e Jim Lawrence, sendo renomeada Buck Rogers in the 25th Century em 1980. Cary Bates roteirizou as últimas tiras entre 1981 e 1983.


Revistas em quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos, tem havido muitas aparições Buck Rogers em revistas em quadrinhos, bem como sua própria série. Na década de 1930, Buck apareceu em 69 edições de Famous Funnies, em seguida, aparições 2 vezes em Vicks Comics, ambos publicados pela Eastern Color Printing. Em seguida, em 1940, Buck começou sua revistas intitulada Buck Rogers, que durou seis edições, novamente publicados pela Eastern Color Printing.


Em 1933, Whitman (uma selo da Western Publishing) produziu 12 edições da revista Buck Rogers. A Kelloggs Cereal Company produziu duas revistas de brinde de Buck Rogers, um publicada 1933 e outra em 1935. Em 1951, Toby Press lançou 3 edições de Buck Rogers, todas as republicações de tiras de jornal. Em 1955, uma empresa australiana chamada Atlas Productions produziu 5 edições de Buck Rogers in the 25th Century.

Gold Key Comics (outro selo da Western Publishing) publicou uma única edição de uma revista em quadrinhos de Buck Rogers, publicada em 1964.

A segunda série foi baseado na série de televisão 1979 e foi publicada entre 1979 e 1982, primeiro pela Gold Key, em seguida, ppela Whitman Publishing, continuando a numeração a partir da única edição 1964.A TSR, Inc. publicou uma série de 10 edições com base no jogo Buck Rogers XXVC de 1990 a 1991.

Em 2009, Dynamite Entertainment começou uma série mensal de quadrinhos de Buck Rogers, escrita por Scott Beatty e ilustrada por Carlos Rafael.[13] A primeira edição foi lançada em maio de 2009. A série teve 13 edições (# 0-12),[14] mais um anual, posteriormente, reunidos em duas edições encadernadas.


Em 2012, Hermes Press anunciou uma nova série de quadrinhos com arte de Howard Chaykin.[15] A série estreou em agosto de 2013.


Adaptações[editar | editar código-fonte]

Buster Crabbe, atleta campeão de natação e ator, intérprete de Buck Rogers no seriado de 1939, que levou o herói para a tela do cinema.
Filmes

Um filme de dez minutos de Buck Rogers estreou na World's Fair 1933-1934 de Chicago. John Dille Jr. (filho de John F. Dille) estrelou o filme, que foi chamado Buck Rogers in the 25th Century: An Interplanetary Battle with the Tiger Men of Mars.[16] Uma cópia do filme em 35 milímetros foi descoberta pela neta do cineasta, doado à arquivo de televisão e cinema da UCLA, ela agora está disponível no VCI Entertainment DVD 70th Anniversary.

Um curta-metragem live-action foi produzido em 1936, projetado para ser exibido em lojas de departamento para promover produtos Buck Rogers. Ele foi filmado no estúdio da empresa em Chicago, Illinois, dirigido por Dr. Harlan Tarbell. Os caracteres incluídos Buck Rogers, Wilma Deering, Dr. Huer, Killer Kane, Ardala, Rei Grallo dos homens-tigres de Marte e robôs.[17]



Frank Miller foi escalado para escrever e dirigir um novo filme com OddLot Entertainment, a produtora que trabalhou com Miller em The Spirit.[19] [20] No entanto, depois que The Spirit ter sido um fracasso de público e crítica, Miller saiu do projeto,[21] em 2015, foi anunciado durante a Comic-Con que o neto de John F. Dille, Flint Dille e Ed Neumeier estariam escrevendo um roteiro.[22]




Televisão
  • Buck Rogers - primeira serie de televisão de 1950 a 1951


Jogos
Buck Rogers XXVC

Em 1988, a TSR, Inc. criou um cenário de campanha baseado em Buck Rogers, chamada Buck Rogers XXVC. Muitos produtos foram produzidos que foram criados neste universo, incluindo histórias em quadrinhos, romances, jogos de RPG e vídeo games. Nos RPGs, os personagens eram aliados de Buck Rogers e NEO (New Earth Organisation) em sua luta contra a RAM (uma empresa russa-americana com base em Marte).


  • Buck Rogers: Battle for the 25th Century - jogo de tabuleiro criado por Jeff Grub e publicado pela TSR, Inc. em 1988.
  • Buck Rogers, the XXVth Century - um RPG, por Michael Alyn Pondsmith, publicado em 1990 por TSR.
  • High Adventure Cliffhangers Buck Rogers Adventure Game - um RPG por Jeff Grubb e Steven Schend também publicado pela TSR em 1993, mas sem relação com o anterior.
Vídeo game

Adaptados a partir dos jogos da TSR:

  • Buck Rogers Planèt of Zoom - lançado em 1982 pela SEGA
  • Buck Rogers: Countdown to Doomsday - um RPG eletrônico lançado pela , Strategic Simulations, Inc. em 1990.
  • Buck Rogers: Matrix Cubed - sequência de Buck Rogers: Countdown to Doomsday lançado em 1992
Livros

Vários arcos de história das tiras de jornal foram adaptados para Big Little Books e livros pop-up.

Dez romances criados no universo XXVC foram publicados, a partir de 1989:

  • Arrival (antologia) por Flint Dille, Abigail Irvine, Melinda Seabrooke (M.S.) Murdock, Jerry Oltion, Ulrike O'Reilly & Robert Sheckley (TSR, Mar 1989, ISBN 0-88038-582-0)

The Martian Wars Trilogy

The Inner Planets Trilogy

Invaders of Charon Trilogy

  • The Genesis Web por Ellen C. & Theodore M. Brennan (C.M. Brennan) (TSR, Maio de 1992, ISBN 1-56076-093-1)
  • Nomads of the Sky por William H. Keith, Jr. (TSR, Outubro de 1992, ISBN 1-56076-098-2)
  • Warlords of Jupiter por William H. Keith, Jr. (TSR, Fevereiro de 1993, ISBN 1-56076-576-3)


Sequências autorizadas de Armageddon 2419 A.D. foram escritos na década de 1980 por outros autores que trabalham a partir de um esboço co-escrito por Larry Niven e Jerry Pournelle e vagamente amarrados com o seu best-seller 1977 Lucifer's Hammer. A primeira sequência começa c. 2476 dC, quando um viúvo e rabugento Anthony Rogers de 86 anos é misteriosamente rejuvenescido durante um ressurgimento dos presumidos extintos Han, agora chamados de Pr'lan. Os romances incluem:


Numerosos romancistas reinventaram ou adaptaram o mito de Buck Rogers ao longo dos anos, incluindo:

Brinquedos[editar | editar código-fonte]

Os primeiros brinquedos de Buck Rogers apareceram em 1933, quatro anos após a tira de jornal estrear e um ano após o programa de rádio ter ido ao ar. Alguns marcam este como a base de merchandising de licenciamento de personagem, em que não só foi o nome e a imagem do personagem foram estampados em muitos produtos não relacionados, mas também em muitos itens de mercadoria original ou diretamente inspirados por aquele personagem. Dos muitos brinquedos associados com Buck Rogers, nenhum é mais estreitamente identificado com a franquia do que as armas de raio de mesmo nome.[3]

Sátira[editar | editar código-fonte]

Buck Rogers é satirizado na série Duck Dogers no século 24½, protagonizada por Patolino.

Referências

  1. Gian Danton. A divulgação científica nos quadrinhos: análise do caso Watchmen
  2. Alexandre Lobão. (2012). "Tecnologia e Futurologia nas Histórias em Quadrinhos". Conhecimento Prático Literatura (45). Editora Escala.
  3. a b Kathia Natalie Gomes. (2005). "Fantasia espacial de conquista". Scientific American Brasil Exploradores do Futuro - Isaac Asimov (3). Editora Duetto. ISSN 1808-6543.
  4. Dewey Cassell, Aaron Sultan, Mike Gartland (2005). The Art of George Tuska TwoMorrows Publishing [S.l.] p. 103. 9781893905405. 
  5. Sérgio Codespoti (10 de julho de 2014). «Pesquisar quadrinhos: uma tarefa ingrata e desanimadora». Universo HQ. 
  6. Gerard Jones. Homens do Amanhã - geeks, gângsteres e o nascimento dos gibis. [S.l.]: Conrad Editora, 2006. 85-7616-160-5
  7. Garyn G. Roberts, "Buck Rogers", in Ray B. Browne and Pat Browne (.ed) The Guide To United States Popular Culture. Bowling Green, OH : Bowling Green State University Popular Press, 2001. ISBN 0879728213 (p.120)
  8. Doug Murray, "Birth of a Legend", in Alex Raymond and Don Moore, Flash Gordon : On the Planet Mongo: Sundays 1934-37. London : Titan Books, 2012. ISBN 9780857681546 (10-15 p.).
  9. Peter Poplaski, "Introduction" to Flash Gordon Volume One: Mongo, the Planet of Doomby Alex Raymond, edited by Al Williamson. Princeton, Wisconsin. Kitchen Sink Press, 1990. ISBN 0878161147 (6 p.)
  10. Ron Goulart, "The 30s -- Boomtime for SF Heroes". Starlog, janeiro de 1981 (31–35 p.).
  11. Wolfgang J Fuchs and Reinhold Reitberger Comics; Anatomy Of A Mass Medium. Boston, Little, Brown, 1972 (254 p.)
  12. Sérgio Codespoti (26/10/2015). «Faleceu Murphy Anderson, desenhista da Era de Prata». Universo HQ. 
  13. Dynamite dá detalhes da nova HQ de Buck Rogers
  14. Scott Beatty On the End of “Buck Rogers”
  15. Thiago Colás (15/05/2013). «Detalhes do Buck Rogers de Howard Chaykin». HQManiacs. 
  16. Buck Rogers e Guilherme Tell Vão Para o Cinema
  17. Lesser, Robert. A Celebration of Comic Art and Memorabilia (1975) ISBN 0-8015-1456-8
  18. Edson Negromonte. (1995). "Buck Rogers". Herói Gold (46). São Paulo: Acme/Nova Sampa.
  19. "Frank Miller Helming "Buck Rogers", Superhero Hype!
  20. "Buck Rogers" Blasts Off Into 3-D Space, Deadline.com
  21. Did The Spirit Kill Buck Rogers? - IGN
  22. Buck is back! Spaceman Rogers to hit the big screen in new film adaptation of original novel by Transformers screenwriter
  • Strickler, Dave. Syndicated Comic Strips and Artists, 1924-1995: The Complete Index. Cambria, CA: Comics Access, 1995. ISBN 0-9700077-0-1.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) personagem de Banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.