Castelo de Aljustrel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a Igreja de Nossa Sra do Castelo em Sesimbra, veja Igreja de Nossa Senhora do Castelo (Sesimbra).
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde março de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.


Castelo de Aljustrel
Igreja de Nossa Senhora do Castelo - Aljustrel - Portugal (9401675406).jpg
Igreja de Nossa Senhora do Castelo, em 2013.
Mapa de Portugal - Distritos plain.png
Construção (Período islâmico)
Estilo
Conservação Mau
Homologação
(IGESPAR)
IIP
(DL 26-A/92 de 1 de Junho de 1992)
Aberto ao público Sim
Site IHRU, SIPA29537
Site IGESPAR73261
Castelo de Aljustrel
Localização do castelo

O Castelo de Aljustrel é uma estrutura histórica na vila e concelho de Aljustrel, no distrito de Beja, em Portugal. Do castelo restam apenas algumas ruínas e a Igreja de Nossa Senhora do Castelo, um dos principais marcos da vila.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A pesquisa arqueológica indica que ocupação humana do sítio do Castelo de Aljustrel remonta à pré-história (c. 5.000 anos AP), durante a Idade do Cobre. Adquiriu importância à época da Invasão romana da Península Ibérica, graças à exploração dos minérios de cobre, prata e ouro na região, cujo centro era a povoação de Vipasca. Posteriormente, quando da ocupação Muçulmana, a povoação existente recebeu o nome de Al-lustre, sendo defendida, a partir do século X por uma fortificação erguida em taipa.

O castelo medieval[editar | editar código-fonte]

À época da Reconquista cristã da Península Ibérica, a povoação e seu castelo foram conquistados pelos cavaleiros da Ordem de Santiago da Espada, sob o comando de D. Paio Peres Correia (1234). Como reconhecimento pelos serviços prestados dilatando e defendendo as fronteiras ao sul do país, o rei D. Sancho II (1223-1248) fez a doação dos territórios dos atuais Concelhos de Aljustrel, Beja, Ferreira do Alentejo, Castro Verde, Odemira, Ourique e Santiago do Cacém aquela Ordem de Cavalaria.

O seu sucessor, D. Afonso III (1248-1279) outorgou Carta de Foral a Aljustrel (1252), confirmado por D. Manuel (1495-1521) (Foral Novo, 1510).

Do século XIX aos nossos dias[editar | editar código-fonte]

No século XIX, com a reestruturação dos Concelhos (1855), Aljustrel absorveu o antigo Concelho de Messejana.

Recentemente classificados como Imóvel de Interesse Público (Decreto 26-A/92, de 1 de Junho de 1992), os vestígios do castelo consistem em pequenos troços das fundações em alvenaria de pedra e das muralhas em taipa (a noroeste e sudeste), e em troços de muralhas de taipa, de origem islâmica, na face exposta a nordeste. O muro que fecha a escadaria monumental foi assente, em parte, nas estruturas do castelo, evidenciando-se ainda os troços de uma provável torre a sudeste.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Castelos de Portugal :: Distrito de Beja

Aljustrel :: Alvito :: Beja :: Cola :: Mértola :: Messejana :: Montel :: Moura :: Noudar :: Odemira :: Serpa :: Vidigueira

Ver também: Fortalezas de Portugal