Claudio Fonteles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cláudio Lemos Fonteles)
Ir para: navegação, pesquisa
Claudio Fonteles
Procurador-geral da República do Brasil
Período 30 de junho de 2003
até 29 de junho de 2005
Nomeação por Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) Geraldo Brindeiro
Sucessor(a) Antonio Fernando de Souza
Dados pessoais
Nascimento 11 de outubro de 1946 (70 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Alma mater Universidade de Brasília
Religião Católico romano

Claudio Lemos Fonteles (Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1946) é um jurista brasileiro. Foi o procurador-geral da República do Brasil entre 30 de junho de 2003 e 29 de junho de 2005.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Formação acadêmica e docência[editar | editar código-fonte]

Claudio Fonteles graduou-se em direito pela Universidade de Brasília (UnB) em 1969, e na mesma universidade concluiu o mestrado em 1983.[1]

Exerceu o magistério por quase 40 anos, primeiro como professor de inglês no ensino fundamental (1966-68), depois como professor de direito penal e direito processual penal (1971-2002), na UnB, no UniCeub, na Escola Superior da Magistratura do Distrito Federal e na Fundação Escola Superior do Ministério Público do DF e Territórios.[1] Também lecionou a doutrina social da Igreja no curso de teologia da Arquidiocese de Brasília.[2]

Ministério Público Federal[editar | editar código-fonte]

Sua primeira passagem pelo Ministério Público foi como assessor jurídico. Em 1973, tornou-se membro da instituição ao ser aprovado no concurso público para o cargo de procurador da República.[2]

Indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a função de procurador-geral da República, tomou posse no dia 30 de junho de 2003 e desempenou um mandato de dois anos.[1]

Aposentou-se do Ministério Público em 15 de agosto de 2008.[1]

Política[editar | editar código-fonte]

Em sua juventude, Fonteles atuou politicamente como secundarista e universitário, tendo sido membro da Ação Popular, movimento estudantil ligado à esquerda católica que comandou a União Nacional dos Estudantes na década de 60[1] e explodiu no primeiro semestre de 1966 sete bombas em Recife, culminando no atentado ao Aeroporto Guararapes, que resultou na morte de 2 pessoas e ferimento graves em outras 13 vítimas.

Após sua aposentadoria como subprocurador-geral da República, Fonteles integrou a Comissão Nacional da Verdade de maio de 2012 a 17 de junho de 2013, quando renunciou ao cargo. Foi o segundo coordenador da Comissão, de setembro de 2012 a fevereiro de 2013.[2]

Referências

  1. a b c d e f Biografia de Cláudio Fonteles, na página do Ministério Público Federal
  2. a b c «Claudio Fonteles». Comissão Nacional da Verdade. Consultado em 11 de novembro de 2014 


Precedido por
Geraldo Brindeiro
Procurador-Geral da República do Brasil
2003 — 2005
Sucedido por
Antonio Fernando de Souza
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.