Classe Deutschland (cruzadores)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Classe Deutschland
Lützow ONI.jpg
Desenho de reconhecimento do Lützow, ex-Deutschland
Origem República de Weimar  Alemanha
Operador(es) Reichsmarine
Kriegsmarine
Construtor(es) Deutsche Werke
Reichsmarinewerft
Data de encomenda novembro de 1928
Sucedida por Classe Admiral Hipper
Período de construção 1929–1936
Em serviço 1933–1945
Planejados 3
Construídos 3
Características gerais
Tipo Cruzador pesado
Deslocamento 14 290 t
Comprimento 186 m
Boca 21,7 m
Calado 7,25 m
Propulsão 8 motores a diesel
2 hélices
Autonomia 26 nós (48 km/h)
Armamento 6 canhões de 280 mm
8 canhões de 150 mm
3 canhões antiaéreos de 88 mm
8 tubos de torpedo de 533 mm
Blindagem Cinturão: 80 mm
Torres de artilharia: 140 mm
Convés: 45 mm
Aeronaves 2 hidroaviões Arado Ar 196
Tripulação/Equipagem 1070

A Classe Deutschland[1] foi uma série de três Panzerschiffe (navios blindados), considerado um modelo de cruzador de batalha fortemente armado, construído pela Reichsmarine. Eram praticamente iguais e foram todos lançados entre 1931 e 1934 e serviram na Kriegsmarine durante a Segunda Guerra Mundial.

Construção[editar | editar código-fonte]

Foram construídos mais ou menos de acordo com as restrições impostas pelo Tratado de Versalhes. A classe foi definida após o primeiro navio ser concluído (Deutschland). Mais dois navios foram construídos neste modelo, o Admiral Scheer e o Admiral Graf Spee.

Ao final da Primeira Guerra Mundial, os países vencedores, haviam punido a Alemanha com o cumprimento do Tratado de Versalhes, que a obrigava a manter e construir navios somente dentro do limite de tonelagens permitidos pelo mesmo. Isto fazia com que a Marinha Alemã ficasse dentro de parâmetros estabelecidos, não representando risco para as demais nações.

Naquela época, os maiores navios de guerra tinham um deslocamento de cerca de 30.000 toneladas e levavam canhões de 318mm, 356mm e até de 406mm. As condições impostas a Alemanha a pelo Tratado limitava além do peso, o armamento que não poderia ultrapassar duas torres por navio com três canhões de no máximo 280 mm(11 pol.).

Por outro lado a Marinha Alemã havia desenvolvido métodos inovadores, tais como, a substituição de rebites por solda elétrica, o que diminuía substancialmente o peso do navio, pois, não necessitava das cintas de rebitação(placas de aço sobrepostas). Desta forma ela podia compensar esta diminuição de peso com a adição de outros elementos. Surgiam desta forma os famosos "couraçados de bolso", que tinham limitação de 11.000 ton. Porém o Admiral Graf Spee quebrou a tolerância, ficando com um peso de 16.200 ton ( totalmente carregado).

Além disso, possuíam de maneira inovadora oito motores movidos a diesel, que fugia da configuração convencional, que na época utilizava caldeiras. Contavam também com Radar Eletrônico e instrumentos de direcionamento de tiro.

A Marinha Britânica os definiu como encouraçados de bolso,[2] em referência ao poder de fogo limitado aos navios de pequeno porte. Eles eram na prática consideravelmente menores do que um encouraçado verdadeiro, suas armaduras e armas eram muito inferiores aos de encouraçados e cruzadores, entretanto, nas modificações impostas na construção, mostraram que poderiam enfrentar qualquer cruzador de sua época.

Estes eram um pouco maior dos que os navios americanos da Classe Pensilvânia superficialmente semelhante encouraçados contemporâneos.

Destinos[editar | editar código-fonte]

  • Deutschland : Em 15 de Dezembro de 1939, em Wilhelmshaven, foi re-batizado como Cruzador Pesado Lützow. Sobrevive a guerra, porém é condenado a servir como navio experimental de testes balísticos, sendo afundado em 20 de Julho de 1947.
  • Graff Spee : Afundado em 17 de Dezembro de 1939, após a Batalha do Rio da Prata, no Atlântico Sul, próximo ao porto de Montevidéo, Uruguai.
  • Admiral Scheer : Fez várias incursões no Atlântico Norte e Oceano Índico operando como navio corsário, nas rotas de suprimentos dos aliados. Em 1945, ele foi atacado pela Força Aérea Real (RAF),sofrendo pesados danos. Foi obrigado a se dirigir a Kiel, para reparos, porém, acabou virando e afundou.

Referências

  1. Nesta classe de navios a proposta da Alemanha seria de fabricar 5 unidades, mas somente 3 foram efetivamente terminadas e lançadas ao mar: o Deutschland, Admiral Scheer e o Admiral Graf Spee. Coleção 70º da Segunda Guerra Mundial- Abril, 2010 - Fascículo 07
  2. Observação diminutiva de um navio de guerra que caberia no bolso, daí o nome.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bush, Fritz Otto - A Tragédia de Cabo Norte, Coleção Blitzkrieg
  • Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial - Abril, 2009
  • Eugen, Millington-Drake. A Batalha do Rio da Prata, Flamboyant - 1967
  • Georges Blond. A Guerra no Ártico, Flamboyant - 1966


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Classe Deutschland (cruzadores)