Kriegsmarine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Kriegsmarine
War Ensign of Germany 1938-1945.svg
Bandeira de Guerra
País Alemanha Nazi
Corporação Marinha de Guerra
Subordinação Wehrmacht
Criação 1935
Extinção Maio de 1945
História
Guerras/batalhas Guerra Civil Espanhola
Segunda Guerra Mundial
Insígnias
Jaque Flag of German Reich (1935–1945).svg
Comando
Comandantes
notáveis
Erich Raeder
Karl Dönitz
Hans-Georg von Friedeburg

A Kriegsmarine (Pronúncia em alemão: [ˈkʁiːksmaˌʁiːnə], Marinha de Guerra) foi a designação da Marinha alemã entre 1935 e 1945, durante o regime nazi. Veio substituir a Kaiserliche Marine da Primeira Guerra Mundial e a Reichsmarine do período de entre-guerras. A Kriegsmarine foi um dos três ramos oficiais da Wehrmacht, as forças armadas da Alemanha Nazi.

A Kriegsmarine teve um desenvolvimento muito rápido durante o rearmamento alemão na década de 1930 (o Tratado de Versalhes tinha imposto limitações à dimensão da marinha alemã). Os navios da Kriegsmarine tinham sido mobilizados para as águas em redor da Espanha durante a Guerra Civil Espanhola, under the guise of enforcing non-intervention, mas, na realidade, para apoiar o lado franquista da guerra.

Em Janeiro de 1939, foi ordenado o Plano Z, cujo objectivo era igualar a força da Marinha Real Britânica em 1944. No entanto, quando a Segunda Guerra Mundial teve início em Setembro de 1939, o Plano Z foi substituído pela construção de submarinos (U-Boot) e pelo reforço das forças aéreas e terrestres.

O Comandante-Supremo da Kriegsmarine (tal como de todas as forças armadas durante o regime nazi) era Adolf Hitler, que exercia a sua autoridade através do Oberkommando der Marine.

Os elementos mais famosos da Kriegsmarine eram os U-Boot, muitos dos quais foram construídos após o Plan Z ter siso abandonado no início da Segunda Guerra. A táctica de rudeltaktik, em que vários grupos de submarinos atacavam os comboios de navios britânicos, foi muito utilizada na primeira metada da Batalha do Atlântico, mas foi abandonada na segunda metade. Juntamente com os U-Boot, outros navios eram utilizados para atacar os navios Aliados nos primeiros anos da guerra, sendo os mais famosos o Admiral Graf Spee, o Admiral Scheer e o Bismarck. Contudo, a adopção de comboios de escolta, em especial no Atlântico, reduziu a eficácia dos ataques alemães aos navios Aliados.

Depois da Segunda Guerra Mundial, a frota restante da Kriegsmarine foi dividida pelas forças Aliadas e foi utilizada para várias funções, incluindo a limpeza de minas marítimas.

A marinha encontrava-se principalmente envolvida nas ações da invasão da Noruega em Abril de 1940 e na Batalha do Atlântico. Entre outras operações menores estava o afundamento do HMS Royal Oak, HMS Glorious, Bismarck, HMS Hood, Scharnhorst e Cap Arcona. Muitas dos navios de guerra e couraçados alemães foram mantidos perto da costa e em muitos casos nos portos, devido ao medo da perda dos mesmos em combate, sendo utilizados intensamente para fornecerem fogo de artilharia ao longo da costa do Báltico, para proteção das forças terrestres alemãs que encontravam-se em retirada.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.