Cocal do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Cocal do Sul
  Município do Brasil  
Igreja na área urbana do município
Igreja na área urbana do município
Símbolos
Brasão de armas de Cocal do Sul
Brasão de armas
Hino
Gentílico cocalense[1]
Localização
Localização de Cocal do Sul em Santa Catarina
Localização de Cocal do Sul em Santa Catarina
Mapa de Cocal do Sul
Coordenadas 28° 36' 03" S 49° 19' 33" O
País Brasil
Unidade federativa Santa Catarina
Municípios limítrofes Criciúma, Siderópolis, Urussanga, Morro da Fumaça
Distância até a capital 203 km
História
Fundação 26 de setembro de 1991 (29 anos)
Aniversário 26 de setembro
Administração
Prefeito(a) Ademir Magagnin (PP, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 71,210 km²
População total (Censo IBGE/2010[3]) 15 269 hab.
Densidade 214,4 hab./km²
Clima Mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 19,2°C.
Altitude 58 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,78 alto
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 285 171,492 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 18 884,28

Cocal do Sul é um município brasileiro do Estado de Santa Catarina. Localiza-se a uma latitude 28º36'04" sul e a uma longitude 49º19'33" oeste, estando a uma altitude de 58 metros. Sua população estimada em 2011 era de 15.269 habitantes. A principal atividade industrial do município fica por conta da indústria cerâmica, pois é onde localiza-se uma das empresas mais famosas de todo o Brasil. Possui uma área de 78,547 km². Cocal do Sul era o centro do núcleo colonial italiano Acioli de Vasconcelos, que recebeu imigrantes, principalmente italianos e poloneses, desde o seu início em 1885. Tem duas escolas estaduais Professor Padre Shuler e Professora Francisca Martins de Oliveira Burigo.

Os principais rios são: Cocal e Tigre, em cujos transcursos ocorrem algumas quedas d'água. O rio Tigre é responsável pelo abastecimento de água da cidade. O solo divide-se em arenoso e argiloso e as rochas existentes em maior abundância são as magmáticas (granito).

Histórico da cidade Cocal do Sul possui um passado histórico de 135 anos. Sua colonização está absolutamente ligada à chegada dos primeiros colonos a muitos outros lugares do Sul Catarinense. Ela ocorreu por volta de 1880, quando inúmeras famílias oriundas da Itália, Polônia e Rússia se instalaram entre os municípios de Urussanga e Criciúma. A vila de Cocal viria a se formar logo após, em 1885, com a comunidade pertencente ao núcleo Accioly de Vasconcelos, nome dado em homenagem ao inspetor de terras e colonização. As primeiras famílias que chegaram foram Cechinel, Possamai e Smânia.

Cocal passou a ser distrito em 02 de janeiro de 1904, por meio da resolução 15 da Câmara de Vereadores de Urussanga. Neste tempo, Cocal contou com 10 vereadores eleitos para a Câmara de Urussanga: Fernando de Fáveri, Paulino Búrigo, Lino Búrigo, Acy Nunes Naspoline, Venícios Búrigo, José Jolmar Gali, Hilário Hernesto de Fáveri, Valentim Rosso, Adair Pagnan, José Ferminio Morona de Freitas e Nelson da Silva.

Na década de 80, o Distrito Cocal chegou a um nível de crescimento e desenvolvimento acentuado. Diante de uma nova realidade, a localidade por meio de lideranças políticas ergueu a bandeira de emancipação. Tornou-se município em 26 de setembro de 1991. Cerca de 90% dos quase cinco mil votantes compareceram as urnas para darem o sim da emancipação. O primeiro prefeito foi Ítalo Rafael Zaccaron, em seguida passou a ser administrado por Jarvis Gaidzinski, José Aldo Furlan, Jarvis Gaidzinski Filho, Nilso Bortolatto e atualmente Ademir Magagnin.

Coqueiros deram nome à localidade


O nome Rio Cocal foi a primeira denominação dada à localidade. Ela partiu dos próprios colonizadores que notaram a existência do principal rio que banha Cocal. A margem era repleta de coqueiros nativos que se espalhavam por toda a redondeza. O nome do município só passou a ser chamado de Cocal do Sul, visto que no estado do Piauí outra cidade levava a mesma denominação. Dando preferência de preservação a este.

Os primeiros colonizadores

A colonização ocorreu, em sua maioria, de famílias oriundas da região do Vêneto, norte da Itália. As famílias que aqui chegaram foram: Cechinel (conhecida como Pauli), Possamai (como Mura) e Smânia. Logo após chegaram dentre as famílias mais conhecidas: Benetton, Bettiol, Bortolatto, Búrigo, Castelan, Cerimbelli, Cechinel, Casagrande, Crestani, Costa, Cechinel (Sabionaro), Cechinel (Bót), Da Rolt, de Fáveri, Dalló, Da Jori, Da Soler, Dal Pont, De Pelegrin, Fontana, Feltrin, Farasson, Furlan, Ferro, Galatto, Galli, Guglielmi, Guollo, Meneghel, Menegon, Munaretto, Motta, Peruchi, Pavei, Possa, Peraro, Possamai Della, Peruck, Rosso, Paspini, Ronsoni, Sartor, Scarpatto, Scandolera, Soligo, Zanatta, Zilli, Zunchetti.

Com relação às famílias polonesas e russas, pode-se destacar: Bocianowski, Kanareck, Cizeski, Slowinski, Bank, Furmanski, Smielewski, Slachta e Biela. Hoje a presença de alemães, também é significativa.

Criação do Município Antes de ser município, Cocal do Sul era Distrito de Urussanga. Na década de 80, o Distrito Cocal chegou a um nível de crescimento e desenvolvimento acentuado. Diante de uma nova realidade, a localidade por meio de lideranças políticas ergueu a bandeira de emancipação. Tornou-se município em 26 de setembro de 1991, por meio da Lei Estadual nº 8.352. Cerca de 90% dos quase cinco mil votantes compareceram às urnas para darem o sim da emancipação.


A comissão de emancipação foi formada pelos senhores Hylário Ernesto de Fáveri (Presidente), e os membros Lédio Scarpatto, Walmor Mário Guollo (secretário), Padre Lindolfo Lueckmann, Venicius Búrigo, Ítalo Rafael Zaccaron, José Ferminio Morona de Freitas (Vice-Presidente), Zênio Cesar Galli, Hesmezenrik Giordani Nunes (secretário Executivo), Vitalino Delavedova, Vandemar José Bettiol, (segundo tesoureiro), Norberto Búrigo, Enio Ricardo Búrigo, Valentim da Maria Rosso, Paulo Jayme Galli, João Carlos Ghislandi, Adair Pagnan (tesoureiro), Jahir Zanatta, Claudino Guollo e Edmar João Galli (segundo secretário).

Após a criação do Município foi realizada a primeira eleição para escolha de Prefeito e Vereadores, no dia 03 de outubro de 1992.

O primeiro prefeito de Cocal do Sul foi Ítalo Rafael Zaccaron, em seguida passou a ser administrado por Jarvis Gaidzinski, José Aldo Furlan, Jarvis Gaidzinski Filho, Nilso Bortolatto e atualmente Ademir Magagnin.

Aspectos Econômicos

Cocal do Sul teve por muito tempo a sua base voltada para a agricultura. Os colonos plantavam para o próprio sustento. E o excedente era utilizado para troca de mercadorias, como: mandioca, trigo, cana-de-açúcar, feijão, arroz e café. Com o passar do tempo, a maior parte dessas culturas foi abandonada e hoje prevalece o gado de corte, milho e arroz.

A primeira indústria surgiu em 1883. Era um moinho para fazer a farinha utilizada para a preparação da polenta. Ele pertencia a Pauli Cechinel.

Depois vieram outras indústrias, como serrarias, alambiques e engenhos de açúcar grosso. Logo após, a localidade investia na Cerâmica Cocal. Sociedade constituída de 215 sócios. Em 1959, aos 47 anos, Maximiliano Gaidzinski, um dos sócios da Cerâmica de Santa Catarina (Cesaca), investe suas economias na compra da Cerâmica Cocal, conhecida hoje, como Eliane Revestimentos Cerâmicos. O empreendedor assumiu a fábrica com as atividades paralisadas e 74 funcionários. Ele batizou o empreendimento com o nome da filha caçula, Eliane, que a partir daí identificaria todos os produtos feitos pela empresa.

Seu “Milo, como era conhecido, trouxe crescimento acelerado para o município. A empresa gerou um número expressivo de empregos na época e muitas famílias de outras cidades se instalaram em Cocal do Sul para trabalhar na fábrica.


Eliane movimenta a economia em Cocal do Sul

A principal força econômica em Cocal do Sul é a Eliane Revestimentos Cerâmicos. A empresa é responsável por 90% da arrecadação do município. Ela possui o maior conglomerado industrial de revestimentos cerâmicos do Continente Americano e é uma das 10 maiores indústrias mundiais do setor. A Cerâmica foi fundada em 1960, em Cocal do Sul, SC, onde fica a sede administrativa e quatro das 11 unidades fabris, incluindo uma unidade produtora de argamassas e rejuntes, a Eliane Argamassas.

A Eliane é uma empresa brasileira dedicada à fabricação e comercialização de revestimentos cerâmicos para os mercados interno e externo. A produção, que em 2004 passou dos 38 milhões de metros quadrados, é efetuada nas fábricas cerâmicas distribuídas pelo país, onde trabalham cerca de 2.400 profissionais. A rede de agentes de vendas no Brasil e no mundo totaliza 200 profissionais.Desses 1000 funcionários são de Cocal do Sul.

Ela foi a primeira a fabricar Porcellanato no Brasil, em 1996, pelo menos cinco anos à frente dos concorrentes. A empresa é a única indústria cerâmica do país a manter uma instituição de ensino técnico e gratuito de Segundo Grau.

A Eliane é líder nacional em produção e comercialização de revestimentos cerâmicos. A Empresa é a maior exportadora brasileira de revestimentos cerâmicos, respondendo por quase 20% do faturamento das exportações do país no segmento no ano passado.

Além da Eliane, parte das empresas instaladas no município é fruto da terceirização dos trabalhos promovidos pela cerâmica. A cidade tem, em média, 130 industrias. São fábricas de produtos de metal, alimentício, moveis, minerais não metálicos, madeira, gráficas, químicos, construção, reciclagem entre outros.

O comércio é bem diversificado. O município conta com cerca de 230 empresas comerciais. Os segmentos são variados. Lojas de roupas, calçados, sapatarias, objetos pessoais, domésticos, produtos alimentícios, bebidas, papelarias, peças assessórios para automóveis, agropecuária, entre outros.

Cultura As manifestações culturais em Cocal dos primórdios tiveram forte influência da religião católica. Comemorava-se muitos feriados e dias santos. Tradição mantida até hoje.

Cocal do Sul conserva a tradição da cultura italiana, tanto na diversão quanto na alimentação e esporte. As famílias descendentes guardam costumes herdados do século passado, começando pela gastronomia. É comum à mesa os pratos de polenta, macarronada, galinha caipira ensopada, queijo e salame.

O canto italiano também é cultuado. Existem corais que são destaques na região, como o Serenata d`Amore (vozes femininas), grupo Frateli Furlan e Nativita.

No esporte, os jogos de mora e bocha possuem grandes adeptos e admiração. A mora, por exemplo, já foi levada para as escolas e um torneio regional é realizado durante a programação da Cocalfest, em setembro. Já a bocha é disputada frequentemente nas diferentes comunidades do município e é uma das categorias dos Jogos Interbairros.

Para ajudar a conservar a história dos colonizadores e manter raízes, o município também conta com o Círculo Italiano de Cocal do Sul. Ele foi fundado em 02 de junho de 2001. O Circulo é mantido por um grupo de associados descendentes de italiano.

Religiões

Cocal do Sul possui dezenas de igrejas e seguimentos religiosos. A principal delas é a Igreja Católica. A matriz esta localizada na Av. Dr. Polidoro Santiago e tem como pároco o padre Cesar Budny. Além da matriz, a paróquia possui nove capelas distribuídas pelas comunidades no município e cidades vizinhas. No dia 08 de Setembro, a Igreja Católica comemora o dia da Padroeira Nossa Senhora da Natividade, a qual é considerada uma das maiores festas religiosas da cidade.


Capelas

- Rio Comprudente (Nossa Senhora do Caravaggio)

- Rio Perso (Nossa Senhora do Rosário e Fátima)

- Rio Galo (Nossa Senhora da Glória)

- Linha Batista (São Cassimiro) - território de Criciúma, mas pertecente a paróquia de Cocal do Sul

- Linha Ferreira Pontes (São Domingos)

- Mina Fluorita (Nossa Senhora Aparecida) - território de Morro da Fumaça, mas pertecente a paróquia de Cocal do Sul

- Estação Cocal (Santa Catarina) - - território de Morro da Fumaça, mas pertecente a paróquia de Cocal do Sul

-Jardim Elizabeth (Sagrado Coração de Jesus)

- Jardim Itália (Nossa Senhora Aparecida)



Igrejas Evangélicas

Atualmente, o município possui inúmeras igrejas evangélicas. A maior delas é a Assembleia de Deus, localizada na rua Angelo Peruchi, nº 50, Centro e outras duas congregações nos Bairros Cristo Rei e Jardim Elizabeth. A igreja é presidida pelo Pastor Joelson Rodrigues.


Principais Igrejas Evangélicas

- Igreja Universal do Reino de Deus, localizada na Av. Polidoro Santiago

- Salão do Reino da Testemunha de Jeová, localizada na Rua Luiz Cechinel, no bairro Guanabara

- Igreja Quadrangular, localizada na rua Alfredo Del Priori, no Boa Vista e presidida pelo Pastor Sandro Orlandin

- Igreja Bettel, localizada na Avenida Ferdinando Furlan, no bairro Jardim Elizabeth.

- Igreja da Graça, localizada na rua Maximiliano Gaidzinsk no bairro Centro e presidida pelo Pastor Marildo da Graça.


Indicadores Econômicos

IDH: 0,78

PIB: 468.493.675,00

FPM: 1

ICMS: 0,3072064

IDMS:0,732


Meios de Comunicação

O município conta com agência de correios, Central de Telefonia Móvel e Fixa, Rádio Comunitária 87,9, dois jornais semanais: “Jornal Atual” e Jornal “Cocal Notícias”, além do Portal Cocal.

Referências

  1. Histórico de Cocal do Sul no site do IBGE
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 15 de fevereiro de 2014 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cocal do Sul
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.