Darijo Srna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Darijo Srna
Darijo Srna
Srna em 2009
Informações pessoais
Nome completo Darijo Srna
Data de nasc. 1 de maio de 1982 (40 anos)
Local de nasc. Metković, Iugoslávia
Nacionalidade croata
Altura 1,78 m
destro
Apelido Bambi[1]
Informações profissionais
Equipa atual Shakhtar Donetsk
Posição ex-lateral-direito ou ala
Função diretor executivo
Clubes de juventude

1997–1999
1999–2000
GOŠK Gabela
Neretva Metković
Hajduk Split
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1999–2003
2003–2018
2018–2019
Hajduk Split
Shakhtar Donetsk
Cagliari
jogos (golos)
Seleção nacional
1998
1999–2000
2000–2001
2000–2001
2001–2004
2002–2016
Croácia Sub-15
Croácia Sub-17
Croácia Sub-19
Croácia Sub-20
Croácia Sub-21
Croácia
Times/Equipas que treinou
2019–2020
2020–
Shakhtar Donetsk (auxiliar técnico)
Shakhtar Donetsk (diretor executivo)

Darijo Srna (Metković, 1 de maio de 1982) é um ex-futebolista croata que atuava como lateral-direito ou ala. Atualmente é diretor executivo do Shakhtar Donetsk.[2]

De origem bosníaca, Srna é conhecido por ser um dos maiores ídolos do próprio Shakhtar Donetsk, onde atuou por 15 anos e sempre carregou a braçadeira de capitão. Dentro de campo, tinha como principais características o fato de ser bastante versátil, podendo atuar nas duas laterais ou até mesmo mais avançado, como um ala. Preciso na bola parada, possuía um bom cruzamento e marcou muitos gols de falta. Foi o cobrador oficial de infrações da Seleção Croata durante os 14 anos de sua passagem pela Seleção.[3]

Seu sobrenome em croata significa veado, tendo inclusive uma tatuagem do personagem Bambi na panturrilha esquerda.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Hajduk Split[editar | editar código-fonte]

Srna começou sua carreira em 1999, no modesto Hajduk Split, da Croácia, onde logo ganhou destaque. Após quatro temporadas na equipe, foi vendido para o Shakhtar Donetsk em julho de 2003.[5]

Shakhtar Donetsk[editar | editar código-fonte]

No clube ucraniano, Srna contabiliza mais de 520 partidas oficias, sendo o recordista de jogos pelo clube, além do jogador mais campeão da história do Shakhtar. Dentre as conquistas estão 19 títulos oficiais, entre eles a Copa da UEFA de 2008–09 e o pentacampeonato seguido do campeonato ucraniano.[6]

Após 15 anos, Srna deixou o Shakhtar após o fim de seu contrato, tendo o time aposentado sua camisa de número 33, que o lateral utilizou por toda sua passagem no clube ucraniano.[7]

Cagliari[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de junho de 2018, o Cagliari anunciou sua contratação por um ano, com opção de renovação por mais uma temporada.[8]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Anunciou sua aposentadoria como jogador profissional no dia 21 de junho de 2019, após ter disputado apenas uma temporada pelo Cagliari. Logo em seguida anunciou que voltaria ao Shakhtar Donetsk, como membro da comissão técnica de Luis Castro.[9] Posteriormente, virou membro da diretoria do clube.[10]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Srna atuando pela Seleção Croata em 2012

A primeira competição oficial de Srna pela Croácia foi a Euro 2004. Como reserva, recebeu a camisa 8 e participou de dois jogos, afundando junto com o time na campanha que acumulou dois empates, contra Suíça e França, e uma derrota para a Inglaterra.[11]

Ainda em 2004, tornou-se titular com a chegada do treinador Zlatko Kranjčar na campanha das eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2006. Srna marcou dois gols decisivos naquele ano: um no dia 8 de setembro e outro no dia 8 de outubro, ambos de falta e contra a Suécia, nas partidas realizadas em Zagreb e Gotemburgo, respectivamente. Assim, a Croácia classificou-se para a Copa do Mundo FIFA de 2006.[12]

No torneio, o lateral teve atuação apagada no primeiro jogo contra o Brasil, além de ter perdido um pênalti contra o Japão, defendido pelo goleiro Yoshikatsu Kawaguchi. Srna anotou um gol no empate de 2 a 2 contra a Austrália, pela última partida da fase de grupos, mas não pôde evitar a eliminação croata do mundial.[13]

Srna foi dispensado da Seleção em setembro de 2006 pelo técnico Slaven Bilić, por conta de ter ficado em uma boate até tarde da noite com os colegas Boško Balaban e Ivica Olić, também afastados. O fato ocorreu antes de uma partida pelas eliminatórias da Euro 2008.[14] Eventualmente, foi reconvocado, tendo brilhado no jogo contra a Macedônia, na qual entrou no decorrer do jogo, quando o time perdia por 1 a 0, fez um gol de falta e emendou um cruzamento para Eduardo da Silva marcar a dois minutos do fim.[15] Srna foi eleito o responsável pela virada, e recuperou assim sua vaga de titular.[16] Ele ainda participou das Euros de 2008, 2012 e 2016, além da Copa do Mundo FIFA de 2014.

Em 6 de fevereiro de 2013, em amistoso contra a Romênia, Srna completou sua centésima partida com a camisa da Seleção Croata.[17]

Três anos depois, na Euro 2016, Srna recebeu a notícia da morte de seu pai após o jogo contra a Turquia, indo ao velório em sua cidade natal, Metković.[18] No entanto, o jogador retornou antes do jogo seguinte, contra a República Tcheca, porque era o desejo de seu pai vê-lo jogando a competição, pois ele se aposentaria da seleção ao fim do torneio. Após a execução do hino croata no pré-jogo, o jogador chorou de emoção devido à perda recente do pai.[19] Despediu-se da Seleção no dia 25 de junho, após a eliminação croata nas oitavas de final contra Portugal.[20] No total, o lateral atuou em 134 partidas e marcou 22 gols pela Seleção Croata.[21]

Caso de doping[editar | editar código-fonte]

Em 22 de setembro de 2017, nove dias após uma partida contra o Napoli, pela fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA[22], Srna resolveu suspender sua carreira após ser pego no exame anti-doping realizado pelo Centro Anti-Doping da Ucrânia com uma amostra do dia 22 de março de 2017. Inicialmente, a substância indicada no exame não foi revelada[23], mas posteriormente foi descoberto que se tratava do hormônio desidroepiandrosterona. A punição dada pela pelo Centro Anti-doping Ucraniano foi de 17 meses, mas nem o atleta nem o Shakhtar se mostraram interessados em recorrer, e o próprio jogador demonstrou interesse em continuar com sua carreira.[24]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Hajduk Split
Shakhtar Donetsk

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Capitão da Croácia treina de meião baixo e exibe Bambi tatuado na perna». UOL. 9 de junho de 2014. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  2. «Darijo Srna, ex-jogador e atual diretor-desportivo do Shakhtar Donetsk: "Liguei ao senhor Ceferin e chorei ao telefone"». Expresso. 2 de março de 2022 
  3. Darino Sena (9 de junho de 2014). «A Copa Tática: Meio-Campo de Respeito». Jornal Correio. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  4. «Capitão da Croácia tem tatuagem de Bambi na perna direita». Terra. 9 de junho de 2014. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  5. Leandro Stein (16 de janeiro de 2017). «Srna recusou proposta do Barça e seguiu fiel a sua história no Shakhtar: "Escutei meu coração"». Trivela. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  6. Leandro Stein (14 de abril de 2016). «A trajetória que Srna construiu no Shakhtar inspira a máxima admiração». Trivela. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  7. «Shakhtar Donetsk aposentará camisa 33 de Darijo Srna». A BOLA. 22 de junho de 2018. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  8. «Srna deixa Paulo Fonseca e vai jogar em Itália». Maisfutebol. 22 de junho de 2018. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  9. Bruno Bonsanti (21 de junho de 2019). «Oito evidências de que, além de ter sido grande jogador, Srna é ainda melhor como pessoa». Trivela. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  10. «"Chorei no telefone"; Diretor do Shakhtar revela como presidente da Uefa ajudou brasileiros a sair de Kiev». Bolavip Brasil. Consultado em 3 de março de 2022 
  11. «Darijo Srna» (em inglês). BBC Sport. 26 de maio de 2004. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  12. «Darijo Srna - Copa do Mundo 2006». UOL. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  13. «Croácia luta, mas empate com Austrália acaba com sonho». UOL. 22 de junho de 2006. Consultado em 3 de março de 2022 
  14. «Srna, Balaban i Olić zbog odlaska na narodnjake suspendirani za Moskvu!» (em croata). Jutarnji list. 3 de setembro de 2006. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  15. «CROATIA 2-1 MACEDONIA» (em inglês). Daily Mirror. 26 de março de 2007. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  16. «Elenco Eurocopa de 2016». Torcedores.com. 10 de junho de 2016. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  17. «A carreira de Darijo Srna na Croácia». UEFA.com. 6 de fevereiro de 2013. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  18. «Dario Srna regressa à Croácia para assistir ao funeral do pai». Diário de Notícias. 13 de junho de 2016. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  19. «Euro-2016: jogador da Croácia que perdeu o pai chora durante o hino». VEJA. 17 de junho de 2016. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  20. «Portugal acerta contra-ataque e vence Croácia na prorrogação». Terra. 25 de junho de 2016. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  21. Francisco De Laurentiis (26 de junho de 2016). «Após perder o pai em meio à Euro, capitão da Croácia anuncia aposentadoria da seleção». ESPN Brasil. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  22. «Napoli head east for Shakhtar opener» (em inglês). UEFA.com. 6 de setembro de 2017. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  23. «Ídolo do Shakhtar, Srna é flagrado em exame antidoping e suspende carreira». GloboEsporte.com. 22 de setembro de 2017. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  24. Vadim Furmanov (24 de fevereiro de 2018). «The Darijo Srna Doping Case Explained» (em inglês). Futbolgrad. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  25. «The 100 best footballers in the world - interactive» (em inglês). The Guardian. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]