Duque de Cambridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Coat of Arms of William, Duke of Cambridge.svg
Duque de Cambridge
Pariato  Inglaterra
Criação Carlos II de Inglaterra
1660
Ordem Nobreza Titulada
Tipo Hereditário
1.º Titular Carlos, Duque de Cambridge
Linhagem Casa de Hanôver
Actual Titular Guilherme, Duque de Cambridge
Títulos Subsidiários Barão Carrickfergus
Conde de Strathearn
Herdeiro Jorge de Cambridge
Solar Palácio de Kensington

Duque de Cambridge é um título de nobreza do Pariato da Grã-Bretanha (relacionado com a cidade de Cambridge[1]) conferido a membros da família real britânica por várias vezes.[2] Este foi pela primeira vez usado por Carlos II de Inglaterra (1660-1661), filho mais velho de Carlos I de Inglaterra, mas só foi formalmente criado para Adolfo, 1º Duque de Cambridge.[2]

Desde o dia de seu casamento que este título é usado pelo neto da rainha Isabel II do Reino Unido, Príncipe William e sua mulher Catarina.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A primeira criação foi oficialmente reconhecida no Pariato da Inglaterra em 1664, quando Jaime Stuart, filho do duque de York por sua primeira esposa, recebeu o título. Jaime morreu jovem e sem herdeiros, e o título foi extinto. Este último foi novamente concedido a Edgar Stuart, outro filho do duque de York e sua primeira esposa. Edgar também morreu jovem e o título voltou a ser extinto.

O filho mais velho do Duque de York com a sua segunda esposa, Carlos Stuart (1677), também foi denominado duque de Cambridge, mas morreu cerca de um mês de idade, não vivendo o suficiente para ser ascendido ao pariato.

Em 1706 o ducado foi concedido a Jorge Augusto, filho de Jorge Luís, Príncipe hereditário de Hanôver e Duque de Brunswick-Lüneburg, que mais tarde se tornaria Jorge I da Grã-Bretanha.

Quando Jorge Augusto ascendeu ao trono como Jorge II da Grã-Bretanha, o ducado foi incorporado a coroa. O título foi criado em 1801 no Pariato do Reino Unido para o príncipe Adolfo, o sétimo filho de Jorge III.[2] Após a morte de seu único filho sem um herdeiro legítimo, o título ficou extinto.

O ducado tornou-se vago em 1904, quando o Príncipe Jorge morreu sem deixar herdeiros legítimos.

O neto do primeiro duque (através de uma linha feminina), Adolfo, 2º Duque de Teck, a pedido da rainha Maria de Teck, recebeu o título de Marquês de Cambridge em 1917, quando aboliu seus títulos alemães e adaptou para ele o sobrenome "Cambridge ". Após a morte do segundo Marquês, que não deixou herdeiros masculinos, o título extinguiu-se.

Em 1999, com o casamento do Príncipe Eduardo, filho mais novo da rainha Isabel II, os especialistas haviam sugerido que ela deveria recriar o Ducado de Cambridge ou de Sussex para o seu filho caçula, entrementes a Rainha Isabel II quebrou a tradição e para o Príncipe Eduardo foi recriado o título histórico de Conde de Wessex.

Em 29 de abril de 2011, a rainha Isabel II recriou o título para o Príncipe William Arthur Philip Louis, juntamente com os títulos de Conde de Strathearn e Barão Carrickfergus.[2]

Duques de Cambridge[editar | editar código-fonte]

  • Carlos Stuart, Duque de Cambridge (1660-1661), filho mais velho de Jaime, duque de York (mais tarde, Jaime II e VII ), morreu na infância ter sido apenas um estilo Duke.

Primeira criação (1664)[editar | editar código-fonte]

  • Jaime Stuart, primeiro duque de Cambridge (1.663-1.667), segundo filho de Jaime, duque de York (mais tarde, Jaime II e VII), morreu na infância.

Segunda criação (1667)[editar | editar código-fonte]

  • Edgar Stuart, primeiro duque de Cambridge (1667-1671), quarto filho de Jaime, duque de York (mais tarde, Jaime II e VII), morreu na infância.
  • Carlos Stuart, Duque de Cambridge (1677), quinto filho de Jaime, duque de York (mais tarde, Jaime II e VII), morreu na infância ter sido apenas um estilo Duque.

Terceira Criação (1706)[editar | editar código-fonte]

  • Jorge, Príncipe de Hanôver, oficialmente primeiro Duque de Cambridge (1683-1760), único filho de Jorge, eleitor de Hanôver (mais tarde Jorge I), mais tarde tornou-se duque de Cornualha , Príncipe de Gales e depois Rei (como Jorge II) em 1727 , altura em que todas as suas honras britânicas se fundiram na coroa.

Quarta Criação (1801)[editar | editar código-fonte]

Quinta criação (2011)[editar | editar código-fonte]

Coincidentemente, o príncipe William é bisneto do príncipe Adolfo, Duque de Cambridge, cuja filha princesa Maria Adelaide de Cambridge casou-se com Francisco, Duque de Teck. A filha de Adelaide e Francisco – Maria de Teck - se tornou a rainha consorte de Jorge V, a mãe de Jorge VI , e a avó de Elizabeth II e sua irmã Princesa Margaret .

Além disso, através de sua mãe, a falecida Diana, Princesa de Gales , o príncipe William está relacionada com os quatro primeiros Duques de Cambridge como um descendente direto do rei Jaime II e VII .

Marqueses de Cambridge (1917)[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b John Morrill. «Why Duke and Duchess of Cambridge, not Oxford?» (em inglês). Guardian. Consultado em 23 de fevereiro de 2012. 
  2. a b c d News. «Royal wedding: history behind Duke of Cambridge title» (em inglês). Telegraph. Consultado em 23 de fevereiro de 2012.