Estado Islâmico do Afeganistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
دولت اسلامی افغانستان
Estado Islâmico do Afeganistão
Flag of Afghanistan (1978-1980).svg
1992 – 1996 Flag of Taliban.svg
 
Flag of Afghanistan.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Afeganistão
Localização do Afeganistão
Continente Ásia
Região Ásia Central
País  Afeganistão
Capital Cabul
Língua oficial Pachto
Persa
Governo República islâmica
Presidente
 • 1992-2001 Sibghatullah Mojaddedi
História
 • 1992 Fundação
 • 1996 Dissolução

O Estado Islâmico do Afeganistão[1] (em persa: دولت اسلامی افغانستان, Dowlat-e Eslami-ye Afghanestan) foi o nome oficial do Afeganistão após a queda do regime comunista, a República Democrática do Afeganistão, em 1992. O país, durante a vigência deste regime, atravessou o período mais confuso da sua história: em 1993 houve pelo menos três governos em Cabul e as bandeiras oficiais do país, embora algumas diferiram apenas em alguns detalhes, foram intermináveis.

Após desarmar os civis (armados pelas organizações de massa do antigo regime) e concentrar as armas nas milícias dos senhores da guerra, o Estado Islâmico foi caracterizado pelas lutas contínuas e a fragmentação do país, bem como pela proliferação do cultivo e do tráfico de ópio, pela prostituição[2] , pela destruição cultural, e até tráfico de órgãos dos pobres locais (que eram vendidos no exterior).[3]

Em 1996, o país foi renomeado para Emirado Islâmico do Afeganistão pelo Talibã, após tomar o controle da maioria do país, que foi, no entanto, reconhecido apenas pela Arábia Saudita e Paquistão. A Frente Unida (Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão - FIUSA), conhecida no Ocidente como Aliança do Norte, foi criada pelo Estado Islâmico do Afeganistão no mesmo ano. Em geral, a existência do Estado Islâmico do Afeganistão tem sido caracterizada por uma grotesca guerra civil entre as diferentes facções dos Mujahidins e as ideologias políticas mais diversas, e que durante a invasão soviética estavam unidas apenas pelo ódio aos comunistas. O Estado Islâmico foi expulso de Cabul, mas continuou a ser o representante legítimo do Afeganistão nas Nações Unidas até 2001, quando se tornou a República Islâmica do Afeganistão e uma administração interina afegã assumiu o controle do Afeganistão com ajuda dos estadunidenses e da OTAN.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Directorate of Intelligence (2001). CIA -- The World Factbook -- Afghanistan (mirror). Página visitada em 2012-06-06. "note - the self-proclaimed Taliban government refers to the country as Islamic Emirate of Afghanistan"
  2. Prostitution Under the rule of Taliban
  3. Los talibán, implicados en el tráfico de órganos infantiles