Estado Islâmico do Afeganistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o ramo do Estado Islâmico do Iraque e do Levante no Afeganistão, veja Estado Islâmico de Coraçone.


دولت اسلامی افغانستان
Estado Islâmico do Afeganistão
Flag of Afghanistan (1978-1980).svg
1992 – 2002 Flag of Taliban.svg
 
Flag of Afghanistan (2002-2004).svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Afeganistão
Localização do Afeganistão
Continente Ásia
Região Ásia Central
País  Afeganistão
Capital Cabul
Língua oficial Pachto
Persa
Governo República islâmica
Presidente
 • 1992-2001 Sibghatullah Mojaddedi
História
 • 1992 Fundação
 • 2002 Dissolução

O Estado Islâmico do Afeganistão[1] (em farsi: دولت اسلامی افغانستان, Dowlat-e Eslami-ye Afghanestan) foi o Afeganistão após a queda do regime comunista, a República Democrática do Afeganistão, em 1992. O país, durante a vigência deste regime, atravessou o período mais confuso da sua história: em 1993 houve pelo menos três governos em Cabul e as bandeiras oficiais do país, embora algumas diferiram apenas em alguns detalhes, foram intermináveis.

Após desarmar os civis (armados pelas organizações de massa do antigo regime) e concentrar as armas nas milícias dos senhores da guerra, o Estado Islâmico foi caracterizado pelas lutas contínuas e a fragmentação do país, bem como pela proliferação do cultivo e do tráfico de ópio, pela prostituição,[2] pela destruição cultural, e até tráfico de órgãos dos pobres locais (que eram vendidos no exterior).[3]

Em 1996, o país foi renomeado para Emirado Islâmico do Afeganistão pelo Talibã, após tomar o controle da maioria do país, que foi, no entanto, reconhecido apenas pela Arábia Saudita e Paquistão. A Frente Unida (Frente Islâmica Unida para a Salvação do Afeganistão - FIUSA), conhecida no Ocidente como Aliança do Norte, foi criada pelo Estado Islâmico do Afeganistão no mesmo ano. Em geral, a existência do Estado Islâmico do Afeganistão tem sido caracterizada por uma grotesca guerra civil entre as diferentes facções dos Mujahidins e as ideologias políticas mais diversas, e que durante a invasão soviética estavam unidas apenas pelo ódio aos comunistas. O Estado Islâmico foi expulso de Cabul, mas continuou a ser o representante legítimo do Afeganistão nas Nações Unidas até 2001, quando se tornou a República Islâmica do Afeganistão e uma administração interina afegã assumiu o controle do Afeganistão com ajuda dos estadunidenses e da OTAN.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Directorate of Intelligence (2001). «CIA -- The World Factbook -- Afghanistan» (mirror). Consultado em 6 de junho de 2012. note - the self-proclaimed Taliban government refers to the country as Islamic Emirate of Afghanistan 
  2. Prostitution Under the rule of Taliban
  3. Los talibán, implicados en el tráfico de órganos infantiles