For Your Eyes Only

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
For Your Eyes Only
007 - Missão Ultrassecreta[1], ou
007, Missão Ultrassecreta[2]
 (PRT)
007 - Somente para Seus Olhos[3][4] (BRA)
 Reino Unido/ Estados Unidos
1981 •  cor •  127 min 
Direção John Glen
Produção Albert R. Broccoli
Roteiro Richard Maibaum
Michael G. Wilson
Elenco Roger Moore
Carole Bouquet
Chaim Topol
Lynn-Holly Johnson
Julian Glover
Género ação
Música Bill Conti
Direção de fotografia Alan Hume
Direção de arte John Fenner
Figurino Elizabeth Waller
Edição John Grover
Companhia(s) produtora(s) EON Productions
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
United Artists
Lançamento Estados Unidos 2 de Julho de 1981
Brasil 13 de Julho de 1981
Idioma inglês
Orçamento US$ 28 milhões
Receita US$ 195,3 milhões
Cronologia
Moonraker (1979)
Octopussy (1983)

For Your Eyes Only é um filme anglo-norte-americano de acção, aventura e espionagem de 1981, o 12.º filme da série de James Bond e o 5.º com Roger Moore no papel do agente.

O filme foi realizado por John Glen e produzido por Albert R. Broccoli, com o argumento escrito por Michael G. Wilson e Richard Maibaum.

Bond tem como missão recuperar um sistema de mísseis chamado ATAC (Comunicador de Ataque Automático) que, em mãos erradas, pode pôr em risco todo a frota de submarinos britânicos com mísseis Polaris.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Durante o prólogo, Bond visita o túmulo da sua ex-mulher Tracy, morta por Blofeld no filme On Her Majesty's Secret Service. Um helicóptero aterra no qual entra o agente após receber uma mensagem de M. Porém, Blofeld passa a controlar remotamente o helicóptero. O agente consegue neutralizar o sinal e, com a parte inferior do helicóptero, colhe a cadeira de rodas de Blofeld e lança-o para uma chaminé industrial o eliminando. Essa morte de Blofed vale para linha do tempo original , já que no reboot criado com a saga Daniel Craig como James Bond Ernst Stavro Blofeld está vivo e vai aparecer em Spectre (filme)

Pouco depois, um barco-espião britânico disfarçado de pesqueiro com um sistema de localização automática chamado ATAC, cuja função é a comunicação entre as frotas britânicas e os submarinos com mísseis Polaris, é afundado no Mar Jónico após uma mina se agarrar nas redes. Para recuperar o sistema, o governo de Sua Majestada contacta um oceanógrafo chamado Timothy Havelock, que antes de poder transmitir a situação, é assassinado por um assassino de aluguel cubano, Hector Gonzales. A filha de Timothy, Melina, sobrevive e jura vingança. O ministério da Defesa e o Governo ordenam a Bond a recuperação do sistema ATAC. É-lhe explicado que o sistema tem muito interesse por parte de outras potências para o controlo dos submarinos. O agente vai atrás de Gonzales, em Espanha, onde é capturado por este na sua mansão. Porém, Melina mata o assassino com sua besta. Melina e 007 fogem da mansão pelos campos à volta desta.

De regresso à Inglaterra, Bond pede a ajuda a Q para reconstruir uma pessoa que vira na mansão de Gonzales e reconhece que é Emile Locque. Bond vai para a Itália, onde o empresário grego Aristotle Kristatos diz que Locque trabalha para um contrabandista chamado Milos Columbo.

O agente parte à procura de Columbo e entra em confronto com ele. Columbo diz-lhe que afinal Locque é um homem contratado por Kristatos, e que o empresário é aliado da KGB e quer recuperar o ATAC para dar aos soviéticos. O agente, juntamente com Columbo, infiltram-se uma fábrica de Kristatos que esconde ópio onde encontram Locque. Locque tenta fugir no seu automóvel e no fim da perseguição é preso num penhasco. Bond mata Locque dando um pontapé contra seu carro, que acaba por cair.

Bond, Melina e Columbo descobrem que Kristatos está no monastério grego de São Cirilo, situado no alto de uma montanha. Com a ajuda dos homens de Columbo, Bond escala até o templo de modo a poder fazer descer uma cesta de transporte entre o alto e a base. Com os homens Columbo na cesta, Bond activa o sistema e fá-los subir.

Segue uma luta, na qual Bond recupera o sistema ATAC e convence Melina a não matar Kristatos depois deste se render. Kristatos tenta matar o agente com uma arma escondida, sendo assim espetado com uma faca por Columbo. O general Gogol chega de helicópetro para receber o ATAC mas Bond atira-o num penhasco acabando por se destruir. Bond justifica dizendo:

"Détente, camarada. Você não tem, eu não tenho".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Para atuar no filme, o elenco inclui:

For Your Eyes Only é o único filme da franquia original sem a participação de M, devido á morte de Bernard Lee em 1981. Bill Tanner e Frederick Gray comandam Bond em seu lugar, justificando que M estava de licença.[5]

Produção[editar | editar código-fonte]

No verão de 1979, a série atinge o seu clímax com Moonraker e muitos fãs perguntam o que sucederá a partir daquela data. A resposta seria Trazer James Bond de regresso à Terra.[6]

Broccoli afirma que é necessário fazer Bond entrar no mundo dos anos 1980 e os diretores da série anterior, Terence Young , Guy Hamilton , Lewis Gilbert e Peter Hunt não puderam dirigir porque o estúdio não tinha condições de contratá-los e John Glen é promovido para realizar o filme[7]. Richard Maibaum baseia-se em dois contos da colecção For Your Eyes Only: um com o mesmo nome e outro chamado Risico e também em alguns trechos de Live and Let Die. Os argumentistas decidem fazer regressar Bond ao passado com certos aspectos dos anteriores filmes bem como a morte de Tracy em On Her Majesty's Secret Service. Com Ken Adam indisponível, os responsáveis regressem a Peter Lamont para a direcção artística.[8][9]

O filme também foi um esforço deliberado para trazer a série de mais de volta à realidade, após o sucesso de Moonraker em 1979[10]. o co-escritor Michael G. Wilson ressaltou: "Se fomos pelo caminho do Moonraker coisas seria apenas ficar mais bizarro, então precisávamos voltar ao básico "[11]. Para esse fim, a história que surgiu era mais simples, não uma em que o mundo estivesse em risco, mas retornando a série a um thriller da Guerra Fria; Bond também confiava mais em sua inteligência do que em dispositivos para sobreviver. Glen decidiu representá-lo simbolicamente com uma cena em que o Lótus de Bond se explode e força 007 a confiar no mais humilde Citroën 2CV de Melina.[12]

Casting[editar | editar código-fonte]

Roger Moore assinou originalmente um contrato de três filmes com a Eon Productions, que cobria suas três primeiras participações em The Spy Who Loved Me.[13] Posteriormente a isso, o ator negociou contratos filme por filme. incerteza em torno de seu envolvimento em For Your Eyes Only , considerando sua idade, levou a que outros atores fossem considerados para assumir.[14] Timothy Dalton foi fortemente considerado, mas Dalton recusou, pois não gostava da direção que a série estava tomando na época.[15][16][17] Quando Moore descobriu que Broccoli e Saltzman eram atores de teste de tela sem o seu conhecimento, ele anunciou no Daily Mail que não voltaria para interpretar Bond. No entanto, os produtores o convenceram a retornar apenas duas semanas depois.[18]

Bernard Lee morreu de câncer em 16 de janeiro de 1981, após o início das filmagens em For Your Eyes Only , mas antes que pudesse filmar suas cenas como M , o chefe do MI6, como havia feito nos onze filmes anteriores da série. Por respeito, nenhum novo ator foi contratado para assumir o papel, já que Broccoli se recusou a reformular o personagem e, em vez disso, o roteiro foi reescrito para que o personagem estivesse de licença, permitindo que o chefe da equipe Bill Tanner assumisse o papel como chefe interino do MI6 e instruindo Bond ao lado do Ministro da Defesa.[19]

Chaim Topol foi escalado por sugestão da esposa de Broccoli, Dana, enquanto Julian Glover se juntou ao elenco porque os produtores acharam que ele era estiloso - Glover foi até considerado para interpretar Bond em algum momento, mas Michael G. Wilson afirmou que "quando pensamos nisso pela primeira vez ele era muito jovem, e na época de For Your Eyes Only ele era muito velho ". Carole Bouquet foi uma sugestão do publicitário da United Artists, Jerry Juroe, e depois que Glen e Broccoli a viram em That Obscure Object of Desire , eles foram a Roma para convidar Bouquet para o papel de Melina.[20]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens inciam-se a 2 de Setembro de 1980 no Mar do Norte e continua a 15 de Setembro na Grécia onde é filmada a mansão espanhola do assassino Gonzales.[21] Em outubro, as filmagens foram para outras locações gregas, incluindo Meteora e Achilleion . Em novembro, a unidade principal mudou-se para a Inglaterra, que incluiu trabalho interior em Pinewood, enquanto a segunda unidade filmou cenas subaquáticas nas Bahamas . Em 1 ° de janeiro de 1981, a produção foi transferida para Cortina d'Ampezzo, na Itália, onde as filmagens terminaram em fevereiro. Como não estava nevando em Cortina d'Ampezzo no momento das filmagens, os produtores tiveram que pagar por caminhões para trazer a neve das montanhas próximas, que foi então despejada nas ruas da cidade.[22]

A 6 de Outubro de 1980 Glen prepara uma das maiores cenas de pancadaria de James Bond com os grande rolos cheios de ópio. A 15 de Outubro, realiza-se a cena em que Bond mata a sangue-frio ao dar um pontapé no carro da personagem Locque. Este comportamento manter-se-ia nos seguintes filmes com Timothy Dalton. As cenas do Monastério de São Cirílio foram filmadas nos mosteiros de Metéora, envolvendo política dado que os habitantes locais não queriam as câmaras nos locais. A justiça grega deciciu que o controle daquelas terras é dos poderes locais possibilitando assim as filmagens.[23]

De regresso a Londres Glen realiza a cena do prólogo em que Bond está num helicóptero controlado por Blofeld através de um sistema remoto. Depois do ano novo, a equipa parte para os alpes italianos para filmar a perseguição com o esqui e as motos e as cenas entre Moore e Lynn-Holly Johnson.[24]

Locações[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Bill Conti compôs a trilha sonora[26] e a música-tema "For Your Eyes Only" foi composta por Conti e o letrista Michael Leeson, e interpretada por Sheena Easton[8]. A canção tornou-se um sucesso nas paradas e fora indicada ao Oscar e o Globo de Ouro.[27]

Easton tornou-se a única artista a participar da sequência de créditos, porque o artista Maurice Binder gostou da sua aparência e resolveu incluir a cantora nos créditos.[28]

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

For Your Eyes Only foi estreado no Odeon Leicester Square em Londres em 24 de junho de 1981[29] , estabelecendo um recorde de estréia para qualquer filme em qualquer cinema no Reino Unido com uma receita bruta de £ 14.998 (£ 57.909 em 2019 libras ). O filme foi lançado no Reino Unido no mesmo dia. For Your Eyes Only teve sua estreia na América do Norte no Canadá e nos Estados Unidos na sexta-feira, 26 de junho, em aproximadamente 1.100 cinemas.[30]

O filme é estreado a 24 de Junho de 1981 obtendo lucros na ordem dos 195 milhões de dólares ao redor do mundo.[31] Dada a sua abordagem mais séria comparada aos filmes anteriores de Moore, é frequentemente citado por fãs como um dos melhores da série.[32][33]

Criticas na epóca[editar | editar código-fonte]

Derek Malcolm no The Guardian não gostou do filme, dizendo que era "muito longo ... e muito chato entre as cenas de ação", embora admitisse que as cenas de ação eram de alta qualidade. De acordo com Malcolm, Bond "habita uma terra de fantasia de violência mais ou menos sem sangue, sexo sem virilha e ingenuidade mascarada como sofisticação superior", com Moore interpretando-o como se estivesse em um "atordoamento bem lubrificado".[34]

David Robinson , escrevendo no The Times, lamentou o fato de que "as partes dramáticas entre as peças do set não contam muito". Como outros críticos da época, seu elogio foi mais direcionado às equipes de dublês; eles estavam "melhores do que nunca neste aqui"[35]. O crítico de cinema da revista Time Out foi breve e enérgico: "sem enredo e diálogo pobre, e Moore realmente tem idade suficiente para ser tio daquelas garotas."[36]

Para a imprensa americana, Gary Arnold no The Washington Post achou que o filme era "inegavelmente agradável aos olhos" e acrescentou "talvez muito fácil para evitar que a mente divague e as pálpebras caiam". Arnold também criticou os grandes cenários, chamando-os de "mais pesados ​​do que sensacionais" e que "não havia equivalente aos destaques de ação clássicos que podem ser lembrados prontamente de" From Russia, With Love "ou" You Only Live Twice "ou" The Spy Who Loved Me "ou" Moonraker . "Este é um Bond esperando por algo inspirado para empurrá-lo para o topo."[37] No New York Times, o crítico do Vincent Canby disse que " For Your Eyes Only não é o melhor da série por um longo tiro", embora ele tenha dito que o filme é "entretenimento habilidoso" com um tom que é "consistentemente cômico até quando o material não é."[38]

Criticas atuais[editar | editar código-fonte]

A opinião sobre o For Your Eyes Only melhorou com o passar do tempo, embora algumas críticas ainda sejam misturadas com positivas: em janeiro de 2019 , o filme tinha 73% de classificação 'fresco' do Rotten Tomatoes[39] , sendo classificado décimo primeiro entre os 24 filmes de Bond. Ian Nathan of Empire dá ao filme apenas duas das cinco estrelas possíveis, observando que o filme "ainda se classifica como um dos Bonds mais esquecíveis já registrados."[40] Em 2006, IGN escolheu For Your Eyes Only como o sexto melhor filme de Bond, alegando que é "um bom conto de espionagem à moda antiga", uma colocação compartilhada por Norman Wilner do MSN , que o considerou "o único Filme de Moore que parece remontar ao apogeu de Connery "[41], e a Entertainment Weekly escolheu-o como o décimo melhor em 2008, dizendo que era um" retorno ao Bond low-tech e discreto [com] ... alguns de as melhores acrobacias desde os primeiros dias [42]". Em outubro de 2008, a Time Out reeditou uma crítica de For Your Eyes Only e observou que o filme é "admirável em intenções", mas "parece um pouco sobressalente", em grande parte porque o enredo foi "despojado dos sinos. e assobios que marcam a franquia "[43].

Referências

  1. 007 - Missão Ultrassecreta no SapoMag (Portugal)
  2. «007, Missão Ultrassecreta». no CineCartaz (Portugal) 
  3. «007 - Somente para Seus Olhos». no AdoroCinema 
  4. 007 - Somente para Seus Olhos no CinePlayers (Brasil)]
  5. Pfeiffer, Lee (1998). The essential Bond : the authorized guide to the world of 007. Dave Worrall. London: Boxtree. OCLC 40536825 
  6. Rothman, Lily (25 de setembro de 2012). «'Moonraker' Was Made Because of 'Star Wars' | James Bond, Declassified: 50 Things You Didn't Know About 007». Time (em inglês). ISSN 0040-781X. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  7. Field, Matthew; Chowdhury, Ajay (2015). Some kind of hero: 007 : the remarkable story of the James Bond films (em English). [S.l.: s.n.] OCLC 930556527 
  8. a b Benson, Raymond (1988). The James Bond beside companion. London: Boxtree. OCLC 59864570 
  9. Benson, Raymond (1988). The James Bond beside companion. London: Boxtree. OCLC 59864570 
  10. Cork, John; Stutz, Collin (2007). Enciclopédia de James Bond . Londres: Dorling Kindersley . ISBN 978-1-4053-3427-3
  11. «In defence of disco». Routledge. 8 de julho de 2005: 159–168. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  12. «In defence of disco». Routledge. 8 de julho de 2005: 159–168. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  13. Barnes, Alan (1997). Kiss kiss bang bang : the unofficial James Bond film companion. Marcus Hearn. London: Batsford. OCLC 38848057 
  14. Varela García, Carlos (2006). «Os delitos de incendio forestal». Consello da Cultura Galega. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  15. «MI6 :: For Your Eyes Only (1981) :: James Bond 007». web.archive.org. 23 de agosto de 2017. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  16. «For Your Eyes Only recap: just when Bond show his soft side, out come the guns | Film | The Guardian». web.archive.org. 23 de agosto de 2017. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  17. «For Your Eyes Only». web.archive.org. 19 de julho de 2017. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  18. ROGER MOORE CABE PARA FORA. (1980, 08 de julho). Los Angeles Times
  19. Pfeiffer, Lee (1998). The essential Bond : the authorized guide to the world of 007. Dave Worrall. London: Boxtree. OCLC 40536825 
  20. John Glen, For Your Eyes Only - Ultimate Edition
  21. «MR. KISS KISS BANG BANG! For Your Eyes Only and its special effects. (page 4 of 4)». web.archive.org. 16 de março de 2005. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  22. Bond em Cortina . For Your Eyes Only - Ultimate Edition, Disco 2: MGM Home Entertainment.
  23. Interior para seus olhos apenas . For Your Eyes Only - Ultimate Edition, Disco 2: MGM Home Entertainment.
  24. Inside For Your Eyes Only - An Original Documentary do DVD de Edição Especial 007 - Missão Ultra-Secreta de n.º de registo 197/2000 da Inspecção-Geral das Actividades - Portugal.
  25. "Locações Exóticas", For Your Eyes Only Ultimate Edition Disco 2
  26. For Your Eyes Only [Original Motion Picture Soundtrack] - Bill Conti | Songs, Reviews, Credits | AllMusic (em inglês), consultado em 1 de dezembro de 2021 
  27. «Browse Results - Golden Globe Awards Official Website». web.archive.org. 1 de fevereiro de 2014. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  28. "Silhouettes - the James Bond Titles", You Only Live Twice Ultimate Edition Disco 2
  29. "Estreias". The Illustrated London News . 27 de junho de 1981.
  30. "DATELINE: Londres, 26 de junho". PR Newswire . 26 de junho de 1981.
  31. «For Your Eyes Only». The Numbers. Nash Information Service. Consultado em 31 de janeiro de 2008 
  32. «James Bond's Top 20». IGN. 17 de novembro de 2006 
  33. Norman Wilner. «Rating the Spy Game». MSN 
  34. Malcolm, Derek (25 de junho de 1981). "O vagão de Bond continua". The Guardian.
  35. Robinson, David (26 de junho de 1981). "Visão inimitável de Bergman das relações humanas". The Times .
  36. «For Your Eyes Only Review. Movie Reviews - Film - Time Out London». web.archive.org. 17 de outubro de 2012. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  37. Arnold, Gary (26 de junho de 1981). " ' Somente seus olhos': suave, mas ausente". The Washington Post .
  38. «BOND IN 'FOR YOUR EYES ONLY' - NYTimes.com». web.archive.org. 16 de junho de 2013. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  39. For Your Eyes Only (em inglês), consultado em 1 de dezembro de 2021 
  40. «Empire's For Your Eyes Only Movie Review». web.archive.org. 20 de outubro de 2012. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  41. «Rating the Spy Game - Norman Wilner Article». web.archive.org. 19 de janeiro de 2008. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  42. «The best, and worst, Bond films | A View to a Kill | Movie News | News + Notes | Entertainment Weekly». web.archive.org. 29 de setembro de 2008. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  43. «'For Your Eyes Only' revisited with Time Out Film - Time Out London». web.archive.org. 10 de março de 2012. Consultado em 1 de dezembro de 2021