Grande Prêmio do Japão de 1990

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio do Japão
de Fórmula 1 de 1990
Suzuka circuit map (1987-2002).svg
Sexto GP do Japão realizado em Suzuka
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 21 de outubro de 1990
Nome oficial XVI Fuji Television Japanese Grand Prix
Local Circuito de Suzuka, Suzuka, Prefeitura de Mie, Região de Kansai, Ilha de Honshu, Japão
Total 53 voltas / 310.527 km
Condições do tempo Ensolarado
Pole
Piloto
Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda
Tempo 1:36.996
Volta mais rápida
Piloto
Itália Riccardo Patrese Williams-Renault
Tempo 1:44.233 (na volta 40)
Pódio
Primeiro
Brasil Nelson Piquet Benetton-Ford
Segundo
Brasil Roberto Moreno Benetton-Ford
Terceiro
Japão Aguri Suzuki Lola-Lamborghini

Resultados do Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 realizado em Suzuka à 21 de outubro de 1990.[1] Foi a décima quinta e penúltima etapa da temporada e teve como vencedor o brasileiro Nelson Piquet em dobradinha com o seu companheiro de equipe, Roberto Moreno.[2] Em terceiro lugar chegou o japonês Aguri Suzuki e assim formou-se o último pódio não europeu na história da categoria, marca vigente ainda em 2019.[nota 1]

Esta corrida entrou para a história devido à colisão entre o piloto brasileiro Ayrton Senna e o francês Alain Prost com repercussões no campeonato, pois no instante em que saíram da pista, Ayrton Senna conquistou o bicampeonato mundial de pilotos numa reviravolta em relação ao Grande Prêmio do Japão de 1989 quando Prost garantiu o título ao causar um acidente numa disputa com Senna. Ao fim da contenda a Benetton foi agraciada com a vitória do tricampeão Nelson Piquet e o segundo lugar de Roberto Moreno, que levaram os modelos B190 à primeira dobradinha da história do time e a última entre pilotos brasileiros.[3] Por fim o japonês Aguri Suzuki conseguiu o melhor resultado de sua carreira e também da equipe Larrousse, ao chegar em terceiro com o chassis Lola LC90.[4]

Mesmo fora da prova após o acidente de Ayrton Senna e a saída de Gerhard Berger, a McLaren conquistou o mundial de construtores pelo terceiro ano consecutivo quando a Ferrari de Nigel Mansell abandonou a corrida após 26 voltas por falhas no semieixo.

Bastidores e anúncios[editar | editar código-fonte]

Houve muitos anúncios antes da corrida, a começar pela Brabham que usaria motores Yamaha em 1991 enquanto a Footwork assinou com a Porsche e manteve Alex Caffi e Michele Alboreto como seus pilotos. No sentido inverso Life e Eurobrun abandonaram a categoria. Aliás, Roberto Moreno saiu desta última equipe e juntou-se à Benetton como substituto de Alessandro Nannini,[2] cuja carreira terminou por causa de um acidente de helicóptero em 12 de outubro, quase duas semanas após o Grande Prêmio da Espanha.[5] Outra substituição relacionada a Jerez foi o retorno de Johnny Herbert às pistas em lugar de Martin Donnelly na Lotus, pois o norte-irlandês bateu a mais de 250km/h em um incidente pavoroso e encerrou precocemente a carreira.[6]

Desfalque sem solução foi o de Jean Alesi que não correu devido a uma lesão no pescoço durante o treino de sexta-feira. Como a sua posição no grid não foi atribuída a outro competidor, esta foi a terceira corrida consecutiva a ter apenas vinte e cinco participantes em vez dos habituais vinte e seis.[7]

Por fim o britânico Nigel Mansell anunciou seu retorno à Williams num contrato de dois anos sob as garantias de Frank Williams, Patrick Head e da Renault segundo as quais seria o "número um" do time e guiaria um bólido capaz de fazê-lo campeão mundial.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Todo o trabalho da McLaren era conquistar a primeira fila do grid. A da Ferrari também. Ambas queriam garantir um jogo de equipe para facilitar a disparada de Senna ou Prost rumo ao título. Nenhuma das duas conseguiu: Senna fez uma pole milagrosa, com um segundo de vantagem sobre Prost, enquanto Mansell ficou à frente de Gerhard Berger. O brasileiro Roberto Moreno, que substituiu o italiano Alessandro Nannini na Benneton, dizia antes da largada: "Essa é uma briga em que o primeiro vai para a história e o segundo para o esquecimento".

O tão esperado duelo entre Senna e Prost não passou de oitocentos metros. Senna, ainda com o sentimento de injustiça cometido contra ele em 1989, e largando do lado sujo da pista, mesmo sendo pole position, jogou deliberadamente o seu carro contra a Ferrari de Prost na primeira curva, garantindo assim o bicampeonato. Tinha 78 pontos contra 67 do francês, faltando apenas disputar a corrida da Austrália. E aquele 21 de outubro não poderia ser mais brasileiro: Nelson Piquet venceu a corrida e Roberto Moreno foi o segundo. E Moreno não caiu no esquecimento porque ganhou a sugestiva manchete da revista Autosport inglesa: "From Zero to Hero".

Treinos classificatórios[editar | editar código-fonte]

1º treino classificatório
Pos. Piloto Chassi/Motor Tempo
1 28 Áustria Gerhard Berger McLaren-Honda 1:38.374
2 1 França Alain Prost Ferrari 1:38.684
3 27 Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda 1:38.828
4 2 Reino Unido Nigel Mansell Ferrari 1:38.969
5 5 Bélgica Thierry Boutsen Williams-Renault 1:39.577
6 4 França Jean Alesi Tyrrell-Ford 1:40.052
7 6 Itália Riccardo Patrese Williams-Renault 1:40.355
8 23 Itália Pierluigi Martini Minardi-Ford 1:40.899
9 20 Brasil Nelson Piquet Benetton-Ford 1:41.041
10 3 Japão Satoru Nakajima Tyrrell-Ford 1:41.208
11 30 Japão Aguri Suzuki Lola-Lamborghini 1:41.442
12 11 Reino Unido Derek Warwick Lotus-Lamborghini 1:41.482
13 16 Itália Ivan Capelli Leyton House-Judd 1:41.657
14 19 Brasil Roberto Moreno Benetton-Ford 1:41.719
15 15 Brasil Maurício Gugelmin Leyton House-Judd 1:42.049
16 29 França Eric Bernard Lola-Lamborghini 1:42.141
17 8 Itália Stefano Modena Brabham-Judd 1:42.617
18 24 Itália Gianni Morbidelli Minardi-Ford 1:42.858
19 12 Reino Unido Johnny Herbert Lotus-Lamborghini 1:43.111
20 7 Austrália David Brabham Brabham-Judd 1:43.156
21 10 Itália Alex Caffi Arrows-Ford 1:43.270
22 9 Itália Michele Alboreto Arrows-Ford 1:43.304
23 25 Itália Nicola Larini Ligier-Ford 1:43.396
24 22 Itália Andrea de Cesaris Dallara-Ford 1:43.601
25 14 França Olivier Grouillard Osella-Ford 1:43.993
26 26 França Philippe Alliot Ligier-Ford 1:44.106
27 17 Itália Gabriele Tarquini AGS-Ford 1:44.281
28 18 França Yannick Dalmas AGS-Ford 1:44.410
29 21 Itália Emanuele Pirro Dallara-Ford -
30 31 Bélgica Bertrand Gachot Coloni-Ford -
2º treino classificatório
Pos. Piloto Chassi/Motor Tempo
1 27 Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda 1:36.996
2 1 França Alain Prost Ferrari 1:37.228
3 2 Reino Unido Nigel Mansell Ferrari 1:37.719
4 28 Áustria Gerhard Berger McLaren-Honda 1:38.118
5 5 Bélgica Thierry Boutsen Williams-Renault 1:39.577
6 20 Brasil Nelson Piquet Benetton-Ford 1:40.049
7 19 Brasil Roberto Moreno Benetton-Ford 1:40.579
8 6 Itália Riccardo Patrese Williams-Renault 1:40.664
9 30 Japão Aguri Suzuki Lola-Lamborghini 1:40.888
10 11 Reino Unido Derek Warwick Lotus-Lamborghini 1:41.024
11 16 Itália Ivan Capelli Leyton House-Judd 1:41.033
12 3 Japão Satoru Nakajima Tyrrell-Ford 1:41.078
13 12 Reino Unido Johnny Herbert Lotus-Lamborghini 1:41.558
14 15 Brasil Maurício Gugelmin Leyton House-Judd 1:41.698
15 29 França Eric Bernard Lola-Lamborghini 1:41.709
16 23 Itália Pierluigi Martini Minardi-Ford 1:41.964
17 25 Itália Nicola Larini Ligier-Ford 1:42.339
18 21 Itália Emanuele Pirro Dallara-Ford 1:42.361
19 24 Itália Gianni Morbidelli Minardi-Ford 1:42.364
20 26 França Philippe Alliot Ligier-Ford 1:42.593
21 9 Itália Michele Alboreto Arrows-Ford 1:43.610
22 22 Itália Andrea de Cesaris Dallara-Ford 1:43.647
23 14 França Olivier Grouillard Osella-Ford 1:43.782
24 10 Itália Alex Caffi Arrows-Ford 1:43.887
25 31 Bélgica Bertrand Gachot Coloni-Ford 1:45.393
26 18 França Yannick Dalmas AGS-Ford 1:46.326
27 8 Itália Stefano Modena Brabham-Judd -
28 7 Austrália David Brabham Brabham-Judd -
29 17 Itália Gabriele Tarquini AGS-Ford -
DNS 4 França Jean Alesi Tyrrell-Ford [7][nota 2]
Não classificados
Pos. Piloto Chassi/Motor Tempo
27 17 Itália Gabriele Tarquini AGS-Ford 1:44.281
28 18 França Yannick Dalmas AGS-Ford 1:44.410
29 31 Bélgica Bertrand Gachot Coloni-Ford 1:45.393
30 4 França Jean Alesi Tyrrell-Ford DNS

Grid de largada e classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Grid de largada
Pos. Piloto Chassi/Motor Tempo
1 27 Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda 1:36.996
2 1 França Alain Prost Ferrari 1:37.228
3 2 Reino Unido Nigel Mansell Ferrari 1:37.719
4 28 Áustria Gerhard Berger McLaren-Honda 1:38.118
5 5 Bélgica Thierry Boutsen Williams-Renault 1:39.577
6 20 Brasil Nelson Piquet Benetton-Ford 1:40.049
7 6 Itália Riccardo Patrese Williams-Renault 1:40.355
8 19 Brasil Roberto Moreno Benetton-Ford 1:40.579
9 30 Japão Aguri Suzuki Lola-Lamborghini 1:40.888
10 23 Itália Pierluigi Martini Minardi-Ford 1:40.899
11 11 Reino Unido Derek Warwick Lotus-Lamborghini 1:41.024
12 16 Itália Ivan Capelli Leyton House-Judd 1:41.033
13 3 Japão Satoru Nakajima Tyrrell-Ford 1:41.078
14 12 Reino Unido Johnny Herbert Lotus-Lamborghini 1:41.558
15 15 Brasil Maurício Gugelmin Leyton House-Judd 1:41.698
16 29 França Eric Bernard Lola-Lamborghini 1:41.709
17 25 Itália Nicola Larini Ligier-Ford 1:42.339
18 21 Itália Emanuele Pirro Dallara-Ford 1:42.361
19 24 Itália Gianni Morbidelli Minardi-Ford 1:42.364
20 26 França Philippe Alliot Ligier-Ford 1:42.593
21 8 Itália Stefano Modena Brabham-Judd 1:42.617
22 7 Austrália David Brabham Brabham-Judd 1:43.156
23 10 Itália Alex Caffi Arrows-Ford 1:43.270
24 9 Itália Michele Alboreto Arrows-Ford 1:43.304
25 22 Itália Andrea de Cesaris Dallara-Ford 1:43.601
26 14 França Olivier Grouillard Osella-Ford 1:43.782
Classificação da prova
Pos. Piloto Chassi/Motor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 20 Brasil Nelson Piquet Benetton-Ford 53 1:34'36.824 6 9
2 19 Brasil Roberto Moreno Benetton-Ford 53 + 7.223 8 6
3 30 Japão Aguri Suzuki Lola-Lamborghini 53 + 22.469 9 4
4 6 Itália Riccardo Patrese Williams-Renault 53 + 36.258 7 3
5 5 Bélgica Thierry Boutsen Williams-Renault 53 + 46.884 5 2
6 3 Japão Satoru Nakajima Tyrrell-Ford 53 + 1'12.350 13 1
7 25 Itália Nicola Larini Ligier-Ford 52 + 1 volta 17
8 23 Itália Pierluigi Martini Minardi-Ford 52 + 1 volta 10
9 10 Itália Alex Caffi Arrows-Ford 52 + 1 volta 23
10 26 França Philippe Alliot Ligier-Ford 52 + 1 volta 20
Ret 11 Reino Unido Derek Warwick Lotus-Lamborghini 38 Câmbio 11
Ret 12 Reino Unido Johnny Herbert Lotus-Lamborghini 31 Motor 14
Ret 9 Itália Michele Alboreto Arrows-Ford 28 Motor 24
Ret 2 Reino Unido Nigel Mansell Ferrari 26 Transmissão 3
Ret 21 Itália Emanuele Pirro Dallara-Ford 24 Alterador 18
Ret 29 França Eric Bernard Lola-Lamborghini 24 Motor 16
Ret 24 Itália Gianni Morbidelli Minardi-Ford 18 Rodada 19
Ret 16 Itália Ivan Capelli Leyton House-Judd 16 Ignição 12
Ret 22 Itália Andrea de Cesaris Dallara-Ford 13 Rodada 25
Ret 15 Brasil Mauricio Gugelmin Leyton House-Judd 5 Motor 15
Ret 7 Austrália David Brabham Brabham-Judd 5 Embreagem 22
Ret 28 Áustria Gerhard Berger McLaren-Honda 1 Rodada 4
Ret 27 Brasil Ayrton Senna McLaren-Honda 0 Colisão 1
Ret 1 França Alain Prost Ferrari 0 Colisão 2
Ret 8 Itália Stefano Modena Brabham-Judd 0 Colisão 21
DNS 4 França Jean Alesi Tyrrell-Ford - Acidente - [7][nota 2]
DNQ 14 França Olivier Grouillard Osella-Ford Não qualificado
DNQ 17 Itália Gabriele Tarquini AGS-Ford Não qualificado
DNQ 18 França Yannick Dalmas AGS-Ford Não qualificado
DNQ 31 Bélgica Bertrand Gachot Coloni-Ford Não qualificado

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas e os campeões da temporada surgem grafados em negrito. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por ano não havendo descartes no mundial de construtores.

Trívia[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Voltas na liderança: Gerhard Berger 1 volta (1), Nigel Mansell 25 voltas (2-26), Nelson Piquet 27 voltas (27-53).
  2. a b Vítima de um acidente nos treinos de sexta-feira, o francês Jean Alesi sofreu uma torção que o deixou com fortes dores no pescoço, razão pela qual a Tyrrell não o deixou participar do Grande Prêmio do Japão.

Referências

  1. «1990 Japanese Grand Prix - race result». Consultado em 18 de abril de 2019 
  2. a b Fred Sabino (14 de outubro de 2018). «Os 60 anos de Roberto Pupo Moreno: relembre momentos marcantes do piloto brasileiro». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 19 de abril de 2019 
  3. Fred Sabino (14 de outubro de 2018). «Benetton encerrou trajetória de 16 temporadas e 260 corridas no GP do Japão de 2001». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 19 de abril de 2019 
  4. Mário Andrada e Silva (22 de outubro de 1990). «Senna. Caderno de Esportes – pág. D-1». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de abril de 2019 
  5. Fred Sabino (7 de julho de 2019). «Alessandro Nannini faz 60 anos; italiano venceu um GP e deixou F1 após queda de helicóptero». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 7 de julho de 2019 
  6. Fred Sabino (14 de outubro de 2018). «Johnny Herbert, o piloto que estreou e abandonou a Fórmula 1 carregado». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 19 de abril de 2019 
  7. a b c Ruth de Aquino (22 de outubro de 1990). «Jean Alesi nem largou. Caderno de Esportes – pág. 02». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 19 de abril de 2019 
Precedido por
Grande Prêmio da Espanha de 1990
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1990
Sucedido por
Grande Prêmio da Austrália de 1990
Precedido por
Grande Prêmio do Japão de 1989
Grande Prêmio do Japão
16ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio do Japão de 1991