Alex Caffi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alex Caffi
Caffi na Footwork, sua última equipe na F-1, em 1991.
Informações pessoais
Nome completo Alessandro Caffi
Nacionalidade Italiano(a)
Nascimento 18 de março de 1964 (53 anos)
Rovato
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1986-1991
Equipes 5 (Osella, Scuderia Italia, Arrows, Footwork e *Andrea Moda)
GPs disputados 76 (56 largadas)
Títulos 0 (16º em1990)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 6
Pole positions 0
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP Itália GP da Itália de 1986
Último GP Austrália GP da Austrália de 1991

Alessandro Caffi (Rovato, 18 de março de 1964) é um piloto italiano de automobilismo. Participou de 75 grandes-prêmios, sendo seu primeiro em 7 de setembro de 1986. Em 2006, correu na Grand Prix Masters, categoria que reunia pilotos de Fórmula 1 aposentados.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Caffi passou três anos na Fórmula 3 italiana, de 1984 a 1986, terminando em terceiro no ano de 1986. Em 1986, começou a dirigir pela Osella terminando em 11º lugar, o Grande Prêmio da Itália.

O pequeno time italiano estava impressionado com seu modo de dirigir, e assinou contrato com ele para a temporada de 1987. O motor Alfa Romeo não era competitivo, nem mesmo confiável. Caffi nunca terminou uma corrida, porém clasificou-se na 12ª posição para o GP de San Marino. Porém, o italiano atraiu a atenção das pessoas, por sua atitude e perícia em um carro tão ruim (notavelmente qualificando-se na 16ª posição para o Grande Prêmio de Mônaco).

Ele se mudou para a Scuderia Italia, correndo com um chassis Dallara, em 1988, e consegue o 7º lugar no Grande Prêmio de Portugal. No campeonato de 1989, a equipe comprou seu segundo carro, e tendo como companheiro de equipe e compatriota, o experiente Andrea De Cesaris, e trocando para pneus Pirelli. Caffi, impressionado com a performance dos novos pneus, termina o Grande Prêmio de Mônaco em 4º lugar (seu melhor resultado na categoria), e estava na 2ª posição no Grande Prêmio dos Estados Unidos, até De Cesaris retirá-lo da corrida. A segunda metade da temporada não foi tão boa, porque a Pirelli tentava encontrar pneus de corridas consistentes, mas Caffi se destacou por largar na 3ª posição no Grande Prêmio da Hungria (terminando em 7º lugar por causa da borracha italiana).

Caffi foi notado como um talento promissor, e sondado pela Arrows para 1990. O time planejava ser campeão no ano seguinte com o novo Porsche V12 e com o veterano Michele Alboreto como líder do time, enquanto esse campeonato era para ser um ano de testes. Caffi se machucou num acidente ciclístico na pré-temporada, não participando da primeira corrida da temporada, em Phoenix, nos Estados Unidos, vaga ocupada pelo alemão Bernd Schneider. Na segunda prova, o GP do Brasil, Caffi finalmente estrearia na sua nova equipe, o GP de San Marino, mas ele não se classificaria para o grid de largada; no GP de Mônaco, ele terminou em 5º lugar e os primeiros e únicos 2 pontos para a equipe; no GP de Portugal, o piloto sofreria um acidente sério batendo forte na área de proteção da curva 2 da pista. O piloto italiano disputava a 9ª posição com o japonês Aguri Suzuki nas últimas 10 voltas da prova; novamente seria substituído novamente por Schneider na prova seguinte, o GP da Espanha, em Jerez; em Suzuka, no Japão, ele retornaria e terminou a prova em 9º lugar; na última etapa, em Adelaide, na Austrália, o piloto ficava novamente fora do grid.

O ano de 1991 chegou e foi um desastre. O motor Porsche V12 estava muito pesado e seriamente sem potência, e Caffi não se classificou para as quatro primeiras corridas. Nos treinos para o Grande Prêmio de Mônaco, ele teve um acidente sério com o seu Footwork batendo forte de frente no início do "S" da piscina. Com a batida, ele quebrou a mandíbula. Impedido de pilotar nas provas seguintes, a Footwork chamou o sueco Stefan Johansson. Caffi retornou para o GP da Alemanha em Hockenheim (quando a equipe substituiu o motor alemão para o Ford no restante da temporada), mas o piloto nem passou da pré-classificação; a pré-classificação que o italiano também amargaria nas cinco provas seguidas. Ele finalmente classificou-se para o Grande Prêmio do Japão, terminando em 10º lugar, mas Aguri Suzuki havia sido anunciado para o ano de 1992. Caffi ficou sem carro para aquela temporada.

Após uma breve carreira nas competições de carros de turismo italiana e espanhola, Caffi começou a correr com carros esportivos, correndo em GTs, ISRS e ALMS.

Atualmente Alex Caffi negocia sua participação na Fórmula Truck brasileira e disputou o GP de Caruaru no agreste pernambucano pela equipe Dakarmotors, com o caminhão de número #21.

Todos os Resultados de Alex Caffi na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

(legenda)

Ano Nome Oficial da Equipe Chassis Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Pontos Posição
1992 Andrea Moda Formula Moda C4B Judd GV V10 G AFS
EXC
- -
Moda S921 MEX
DNP
1991 Footwork Grand Prix
International
Footwork A11C Porsche 3512 V12 G EUA
NQ
BRA
NQ
0 NC
(33º)
Footwork FA12 SMR
NQ
MON
NQ
Footwork FA12C Ford Cosworth
DFR V8
ALE
NPQ
HUN
NPQ
BEL
NQ
ITA
NPQ
POR
NPQ
ESP
NPQ
JAP
10º
AUS
15º
1990 Footwork Arrows Racing Arrows A11B Ford Cosworth
DFR V8
G BRA
Ret
SMR
NQ
MON
CAN
MEX
NQ
FRA
Ret
GBR
ALE
HUN
BEL
10º
ITA
POR
13º
JAP
AUS
NQ
2 16º
1989 BMS Scuderia Italia Dallara F189 Ford Cosworth
DFR V8
P BRA
NPQ
SMR
MON
MEX
13º
EUA
Ret
CAN
FRA
Ret
GBR
NPQ
ALE
Ret
HUN
BEL
Ret
ITA
11º
POR
Ret
ESP
Ret
JAP
AUS
Ret
4 19º
1988 BMS Scuderia Italia Dallara 3087 Ford Cosworth
DFV V8
G BRA
NQ
0 NC
(19º)
Dallara F188 Ford Cosworth
DFZ V8
SMR
Ret
MON
Ret
MEX
Ret
CAN
NQ
EUA
FRA
12º
GBR
11º
ALE
15º
HUN
Ret
BEL
ITA
Ret
POR
ESP
10º
JAP
Ret
AUS
Ret
1987 Osella Squadra Corse Osella FA1I Alfa Romeo 890T
V8 Turbo
G BRA
Ret
SMR
12º
BEL
Ret
MON
Ret
EUA
Ret
FRA
Ret
GBR
Ret
ALE
Ret
HUN
Ret
AUT
Ret
ITA
Ret
POR
Ret
ESP
NQ
MEX
Ret
JAP
Ret
AUS
NQ
0 NC
(27º)
1986 Osella Squadra Corse Osella FA1F Alfa Romeo 890T
V8 Turbo
P ITA
11º
0 NC
(30º)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]