Héctor Germán Oesterheld

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Héctor Germán Oesterheld
Nascimento 23 de julho de 1919
Buenos Aires
Morte 1978 (58–59 anos)
Mar del Plata
Cidadania Argentina
Cônjuge Elsa Sánchez de Oesterheld
Filho(s) Diana Oesterheld
Ocupação artista de banda desenhada, jornalista, roteirista, escritor, geólogo, divulgador científico

Héctor Germán Oesterheld (23 de julho de 1919 - desaparecido e dado como morto em 1977) foi um escritor de quadrinhos argentino, filho do alemão Fernando Oesterheld e de Elvira Ana Puyol. Escreveu numerosos relatos breves de ficção científica e romances, e publicou em revistas como "Misterix", "Hora Cero" e "Frontera", sendo suas series mais conhecidas Sargento Kirk, Bull Rocket e O Eternauta, considerada sua obra-prima.[1]

As primeiras obras de Oesterheld, na década de 1950 e princípio dos anos 60, contém críticas sutis ao capitalismo, ao colonialismo e imperialismo. A medida que transcorre a década seu compromisso político aumenta e sua ideologia se torna mais definida: realiza junto a Alberto e Enrique Breccia uma biografia em quadrinhos de Che Guevara, Vida del Che, publicada em 1968 (três meses após seu assassinato); a qual foi apreendida e destruída pelos censores da ditadura civil-militar que governava à época​. Logo após completa uma nova versão mais politicamente carregada de O Eternauta em 1969, desenhada por Alberto Breccia.

Seu compromisso político aumenta ainda mais durante a década de 1970, o qual se refletia tanto em sua decisão de unir-se ao grupo guerrilheiro Montoneros como nos roteiros de suas últimas obras, destacando-se particularmente o caso de O Eternauta II (de novo ilustrada por Solano López),a qual devia finalizar enquanto se ocultava na clandestinidade. Em 1977 foi sequestrado pelas forças armadas durante a última ditadura civil-militar argentina e foi visto pela última vez em um centro clandestino de detenção. Desde então passou a formar parte da lista de detidos-desaparecidos vítimas do terrorismo de Estado na Argentina.[2]

O legado de Oesterheld é amplo: é um dos artistas de trajetória mais extensa das histórias em quadrinhos argentinos, sua influência se estende a artistas de novas gerações e diversos meios, e é considerado informalmente como um dos "pais" do quadrinho argentino moderno.

Obra[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho se destaca por seus personagens submetidos a ambientes sombrios, que lutam pela justiça, embora sem cair no maniqueísmo.


Podemos distinguir três etapas:

  • Primeira etapa
    • Alan e Crazy, com desenhos de Eugenio Zoppi.
    • Rae Kitt, com desenhos de Hugo Pratt.
    • Bull Rocket, com desenhos de Paul Campamani, Francisco Solano López e outros.
    • El sargento Kirk, criado com Hugo Pratt para a revista Misterix, publicada pela Editorial Abril en 1952. Faroeste protagonizado por um sargento que deserta do exército para defender os índios.
    • Tarpón, com desenhos de Daniel Haupt.
    • Uma-Uma, com desenhos de Francisco Solano López
    • Indio Suárez, com desenhos de Carlos Freixas e Carlos Cruz.
  • Ediciones Frontera
    • Ticomderonga (1957), com desenhos de Hugo Pratt e Gisela Dexter. Guerra.
    • Rolo, el marciano adoptivo (1957), com Francisco Solano López. Ficção científica.
    • Nahuel Barron (1957), com desenhos de Carlos Roume.
    • Ernie Pike (1957), com desenhos de Hugo Pratt, Eugênio Colonnese, Francisco Solano López, Alberto Breccia e outros. Guerra.
    • El Eternauta (1957-1959), a mais popular de suas obras, desenhada por Solano López. História de ficção científica publicada originalmente na revista "Hora Cero", onde o autor narra seu encontro com um viajante do tempo.
    • Cayena (1958), com desenhos de Daniel Haupt.
    • Dr. Morgue (1959), com desenhos de Alberto Breccia.
    • Buster Pike (1959), com desenhos de Julio Schiaffino. Historias do irmão de Ernie Pike.
    • Randall, com desenhos de Arturo del Castillo. Faroeste.
    • Lacke Piedras, com desenhos de Carlos Cruz. marinheiros.
    • Tipp Kenya, com desenhos de Carlos Roume. Sobre um caçador na África.
    • Verdugo Ranch, com desenhos de Ivo Pavone. Faroeste.
    • Patria vieja (1958), com desenhos de Carlos Roume e Juan Arancio.
    • Hueso clavado, com desenhos de Ivo Pavone. Faroeste humor.
    • Leonero Brent, com desenhos de Jorge Moliterni. Faroeste.
    • Rul de luna, com desenhos de Francisco Solano López e Horianski. Ficção científica com crianças.
    • Capitán Lázaro, com desenhos de Enrique Cristóbal. Espiões na Segunda Guerra Mundial.
    • Pichi, com desenhos de Carlos Roume. Aventuras de um cachorro.
    • Sherlock Time, com desenhos de Alberto Breccia.
    • Tom de la pradera, com desenhos de García Seijas. Faroeste.
    • Lord Crack, com desenhos de Hugo Pratt, Bertolini, Moliterni e Flores
    • Amapola negra, com desenhos de Solano López.
    • Joe Zonda, com desenhos de Solano López e Julio Schiaffino.
    • Pereyra, taxista (1960), com desenhos de Leopoldo Durañona.
    • Mortimer, com desenhos de Rubén Sosa. Faroeste.
    • Doc Carson, com desenhos de Carlos Vogt. Faroeste.
    • Cachas de oro (1961), com desenhos de Carlos Vogt.
    • Santos Bravo, com desenhos de Arancio.
    • Historias de la ciudad grande, com desenhos de Leandro Sesarego, Ángel A. Fernández e García Seijas.
    • Paul Neutrón (1962), com desenhos de Schaffino.
  • Terceira etapa
    • Capitán Caribe (1961), com desenhos de Dino Battaglia. Piratas.
    • "Remake" de El Eternauta (1969), com desenhos de Alberto Breccia.
    • Mort Cinder (1962), com desenhos de Alberto Breccia.
    • León Loco (1963), com desenhos de García Seijas.
    • Lord Pampa, com desenhos de Solano López.
    • Watami, com desenhos de Moliterni. Faroeste.
    • Artemio, el taxista de Buenos Aires', com desenhos de Néstor Olivera e Pablo Zahlut.
    • Tres pela ley, com desenhos de Marchionne e José Massaroli.
    • Argón el justiciero, com desenhos de Vogt.
    • Brigada Madeleine, com desenhos de Gómez Sierra.
    • Aakón, com desenhos de Ángel A. Fernández e José Massaroli.
    • Kabul de Bengala, com desenhos de Horacio Altuna.
    • Roland el Corsario, com desenhos de José Luis García López e outros.
    • Marvo Luna, com desenhos de Solano López.
    • Russ comgo, com desenhos de Carlos Clement.
    • Nekrodamus (1975), com desenhos de Horacio Lalia. Sobre un cazador de monstruos.
    • Loco Sexton, com desenhos de Arturo del Castillo. Faroeste.
    • La guerra de los Antartes (1970), com desenhos de León Napoo e Gustavo Trigo.
    • Herida Mortal (1963), com desenhos de Durañona.
    • Watami (1976), com desenhos de Jorge Moliterni.
    • Vida del Che (1968), com desenhos de Alberto e Enrique Breccia, biografia de Che Guevara para o mercado chileno.
    • Evita, vida e obra de Eva Perón (1970), com desenhos de Alberto Breccia, biografia de Eva Perón. Não publicado na época, foi republicado pela Doedytores em 2002
    • Segunda parte de El Eternauta (1976), com desenhos de de Solano López, mais comprometidas que a primeira, como a história se passa em uma futura Argentina governada por uma terrível ditadura.

de


Referências

  1. TEMPO, O (26 de abril de 2013). «A saga de um herói coletivo». Magazine 
  2. «Nunca más». www.desaparecidos.org. Consultado em 4 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Héctor Germán Oesterheld
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.