Harald zur Hausen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Harald zur Hausen
Harald zur Hausen em 2010
Nascimento 11 de março de 1936 (86 anos)
Gelsenkirchen
Residência Alemanha
Prêmios Deutscher Krebspreis (1986), Deutsche Krebshilfe Preis (2006), Prêmio William B. Coley (2006), Medalha Johann Georg Zimmermann (2007), Prêmio Internacional da Fundação Gairdner (2008), Nobel de Fisiologia ou Medicina (2008), Hall da Fama da Pesquisa Alemã (2010)
Instituições Centro de Pesquisa do Câncer da Alemanha
Campo(s) medicina

Harald zur Hausen (Gelsenkirchen, 11 de março de 1936) é um médico alemão. Pelo seu estudo sobre o vírus do papiloma humano foi galardoado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2008.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Realizou pesquisas sobre o câncer do colo do útero, onde descobriu o papel do vírus do papiloma humano, pelo qual recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em 2008, juntamente com Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier.  Zur Hausen estudou  nas universidades de Bonn, Hamburgo e Düsseldorf e obteve seu doutorado em 1960.

Ele então trabalhou como médico assistente e dois anos depois ingressou no Instituto de Microbiologia da Universidade de Düsseldorf como assistente científico. Após três anos e meio, mudou-se para a Filadélfia, EUA, e trabalhou nos laboratórios virais do Hospital Infantil e como professor assistente na Universidade da Pensilvânia. Em 1969 tornou-se professor titular na Universidade de Würzburg, onde trabalhou no Instituto de Virologia. Em 1972 mudou-se para a recém-fundada Universidade de Erlangen-Nüremburg, e em 1977 mudou-se para a Universidade de Freiburg (Breisgau).[2][3][4]

De 1983 a 2003 zur Hausen foi presidente e membro do conselho científico do Centro de Pesquisa do Câncer da Alemanha (DKFZ). É também editor-chefe do International Journal of Cancer.

Seu campo específico de pesquisa foi a origem do câncer causado por infecções virais. Em 1976 publicou a hipótese de que o papilomavírus humano desempenhava um papel importante na causa do câncer do colo do útero. Seu trabalho científico, juntamente com o da epidemiologista colombiana Nubia Muñoz, levou ao desenvolvimento de uma vacina contra esse vírus que chegou ao mercado em 2006.

Recebeu o Prêmio Internacional da Fundação Gairdner em 2008, por suas contribuições à ciência médica, e o Prêmio Nobel de Medicina no mesmo ano, juntamente com Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier.[2][3][4]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Infections Causing Human Cancer (2006) (Print ISBN 978-3-527-31056-2; Online ISBN 978-3-527-60931-4)
  • Cornwall, Claudia M. Catching cancer : the quest for its viral and bacterial causes. Lanham: Rowman & Littlefield Publishers, 2013.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Três europeus levam Nobel de Medicina - Abril.com». www.abril.com.br. Consultado em 15 de setembro de 2009 
  2. a b elEconomista.es (6 de outubro de 2008). «Harald Zi Hausen, Françoise Barré Sinoussi y Luc Montagnier ganan el Nobel de Medicina - EcoDiario.es». ecodiario.eleconomista.es (em espanhol). Consultado em 12 de março de 2022 
  3. a b «Katalog der Deutschen Nationalbibliothek». portal.dnb.de (em alemão). Consultado em 12 de março de 2022 
  4. a b «Ein Krebsforscher eckt an». Tages-Anzeiger (em alemão). ISSN 1422-9994. Consultado em 12 de março de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Literatura de e sobre Harald zur Hausen (em alemão) no catálogo da Biblioteca Nacional da Alemanha


Precedido por
Mario Capecchi, Martin Evans e Oliver Smithies
Nobel de Fisiologia ou Medicina
2008
com Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier
Sucedido por
Elizabeth Blackburn, Carol Greider e Jack Szostak


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.