I Want to Break Free

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"I Want To Break Free"
Single de Queen
do álbum The Works
Lado B "Machines (or Back to Humans)"
Lançamento 2 de abril de 1984
Gravação 1983
Gênero(s)
Duração 3:20
Gravadora(s) EMI-Capitol
Composição John Deacon
Cronologia de singles de Queen
"Radio Ga Ga"
(1984)
"It's a Hard Life"
(1984)

"I Want to Break Free" é um single da banda britânica de rock Queen, lançado em abril de 1984.[3] A canção teve três versões: a divulgada no álbum, e as versões encurtada e estendida, que diferem em suas durações. A canção foi executada em praticamente todos os shows do Queen desde que foi lançada, incluindo o The Freddie Mercury Tribute Concert, de 1992.

A música é amplamente conhecida por seu clipe, no qual os integrantes da banda estão vestidos e caracterizados como mulheres, uma ideia proposta pelo baterista Roger Taylor, como forma de parodiar o seriado Coronation Street. Mercury também usava roupas de mulher em alguns apresentações ao vivo da canção em referência ao clipe. A segunda parte do vídeo inclui uma composição ensaiada e executada com o Royal Ballet e coreografado por Wayne Eagling.[3] A paródia foi aclamada no Reino Unido, porém considerada controversa nos Estados Unidos e banida pela MTV e outras emissoras, devido à cultura conservadora do país.[4] Após o seu lançamento em 1984, o single foi bem recebido por toda a Europa e América do Sul. Embora tenha chegado apenas na quadragésima quinta posição nos Estados Unidos, alcançou a terceira posição nas paradas do Reino Unido e vendeu mais de duzentas mil cópias.[5]

John Deacon escreveu a canção como um desabafo a respeito de sua timidez, no qual o impedia de, por exemplo, atuar nos vocais da banda (Deacon foi o único integrante da banda a não cantar nenhuma música do Queen como vocalista). Ao mesmo tempo, o compositor relacionou questões acerca da solidão e autossuficiência. Entretanto, devido a alguns de seus versos e, endossado com o clipe, "I Want to Break Free" foi interpretada erroneamente por muitos como uma música relacionada à temática LGBT.

Composição[editar | editar código-fonte]

A canção foi escrita em 1983 por John Deacon e lançado no início do mês de abril, em 1984.[6] O tema principal da música está em seu título, no qual se repete ao longo dos versos. O amor também está presente, pelo fato do eu lírico declarar que se apaixonou uma vez, e que não consegue superar o ocorrido em contraste à sua solidão. Há três versões da canção: a divulgada no álbum, a versão editada e curta no single e estendida, com a inclusão de uma parte instrumental com sintetizadores. O solo da música é erroneamente interpretado como tendo sido feito por Brian May em uma guitarra, mas o próprio autor da música (John Deacon) impôs que não queria um solo de guitarra na música, o solo, na verdade, foi tocado por Fred Mandel em um sintetizador, apenas ao vivo o solo é tocado por Brian May.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Banda
Músicos convidados

Referências

  1. Dome, Malcolm (29 de agosto de 2016). «Queen albums ranked from worst to best». Classic Rock. Consultado em 19 de março de 2021 
  2. Nolan, Paul (19 de maio de 2005). «Live At The Point Depot». Hot Press. Consultado em 2 de novembro de 2018. Arquivado do original em 2 de novembro de 2018 
  3. a b «I Want to Break Free - Queen». Allmusic. Consultado em 25 de dezembro de 2014 
  4. «Queen – Days of Our Lives». BBC. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  5. https://www.bpi.co.uk/bpi-awards/
  6. Sky, Chapter 3
Ícone de esboço Este artigo sobre um single de Queen é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.