Crazy Little Thing Called Love

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"Crazy Little Thing Called Love"
Single de Queen
do álbum The Game
Lado B "We Will Rock You" (ao vivo)
Lançamento 5 de outubro de 1979
Formato(s) Vinil
Gravação 1979
Gênero(s) Rockabilly[1][2][3]
Duração 2:42
Gravadora(s) EMI, Elektra
Composição Freddie Mercury
Produção Queen e Reinhold Mack
Cronologia de singles de Queen
"Love of My Life" (ao vivo)
(1979)
"Save Me"
(1980)
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Crazy Little Thing Called Love" é uma canção da banda de rock britânica Queen, escrita por Freddie Mercury. Foi a terceira música mais tocada nas rádios brasileiras em 1980. Escrita por Mercury em 1979, ela apareceu no álbum The Game e também na compilação Greatest Hits. A música alcançou a segunda posição na UK Singles Chart em 1989, e a primeira posição na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos, em 23 de Fevereiro de 1980, permanecendo por quatro semanas consecutivas.[4][5] Ela também ficou no topo da ARIA Charts australiana por sete semanas.[6]

Mercury compôs "Crazy Little Thing Called Love" no violão, tocando o ritmo durante apresentações ao vivo, sendo a primeira vez que tocou em concertos.[7] Queen tocou a música ao vivo entre 1979 e 1986, e uma performance ao vivo da música foi gravada nos álbuns Queen Rock Montreal e Queen at Wembley.[8][9] A música foi tocada ao vivo em 20 de abril de 1992, durante o The Freddie Mercury Tribute Concert, realizada por Robert Plant junto do Queen.[10] O estilo da canção foi descrito pelo autor Karl Coryat como rockabilly em seu livro de 1999 intitulado The Bass Player Book.[11]

Composição[editar | editar código-fonte]

A canção segue o estilo rockabilly[12] e foi feita em homenagem a Elvis Presley,[13] um dos principais divulgadores do gênero.

A banda só gravaria outra canção do gênero (Man On The Prowl) no álbum The Works de 1984.[14]

Freddie Mercury relatou no Melody Maker, em 2 de Maio de 1981, que ele compôs "Crazy Little Thing Called Love" no violão em apenas cinco ou dez minutos.

Escrita por Mercury como um tributo à Elvis Presley, o baterista do Queen, Roger Taylor, disse numa entrevista que Mercury a escreveu em 10 minutos enquanto descansava em um banho no Bayerischer Hof Hotel em Munique, durante uma de suas extensivas sessões de gravação.[16] Mercury a levou para o estúdio pouco depois de escrevê-la, e a apresentou para Roger Taylor e John Deacon.[7][17] Os três a gravaram em Munique, no Musicland Studios. A canção inteira teria sido gravada em menos de meia hora (apesar do produtor dizer que levou seis horas).[18] A canção foi marcada por Mercury tocar violão pela primeira vez em concertos, por exemplo no Live Aid, em 1985.[7][19]

Sucessões em tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Precedido por
"Please Don't Go" por KC and the Sunshine Band
Single número um
Canadian "RPM" Singles Chart

23 de fevereiro de 1980 – 1 de março de 1980
Sucedido por
"Coward of the County" por Kenny Rogers
Precedido por
"Do That to Me One More Time" por Captain & Tennille
Single número um - Billboard Hot 100
23 de fevereiro de 1980 – 15 de março de 1980
Sucedido por
"Another Brick in the Wall (Part II)" por Pink Floyd
Precedido por
"Please Don't Go" por KC and the Sunshine Band
Single número um - Australian Kent Music Report
1 de março de 1980 – 12 de abril de 1980
Sucedido por
"I Got You" por Split Enz

Versão de Dwight Yoakam[editar | editar código-fonte]

"Crazy Little Thing Called Love"
Single de Dwight Yoakam
do álbum Last Chance for a Thousand Years: Dwight Yoakam's Greatest Hits from the 90's
Lado B "Let's Work Tegether"/"Doin' What I Did"
Lançamento 19 de maio de 1979
Formato(s) Vinil
Gravação 1979
Gênero(s) Country
Duração 2:42
Gravadora(s) Estados Unidos EMI, Reprise
Composição Freddie Mercury
Produção Pete Anderson
Cronologia de singles de Dwight Yoakam
These Arms
(1998)
Thinking About Leaving (1999)

O cantor de música country norte-americano Dwight Yoakam incluiu um cover da canção em seu álbum de 1999, Last Chance for a Thousand Years: Dwight Yoakam's Greatest Hits from the 90's. A versão de Yoakam foi lançada como single. Ele estreou no número 65 no quadro de "Hot Country Singles & Tracks" da Billboard dos Estados Unidos para a semana de 1 de maio de 1999 e atingiu o pico no número 12 nas paradas de singles do país dos Estados Unidos nesse mesmo ano. Também foi usado em um comercial de televisão para o varejista de vestuário Gap no momento do lançamento do álbum. O videoclipe foi dirigido por Yoakam. Esta versão aparece no filme The Break-Up (2006), estrelado por Vince Vaughn e Jennifer Aniston.

Outras versões cover[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Crouse, Richard (1998). Who Wrote The Book Of Love?. [S.l.]: Doubleday Canada. ISBN 978-0385257329. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  2. Bogdanov, Vladimir (2003). All Music Guide to Country: The Definitive Guide to Country Music. [S.l.]: Backbeat Books. p. 368. ISBN 978-0879307608 
  3. Bret, David (2014). Freddie Mercury: An Intimate Biography. [S.l.]: Lulu.com. p. 88. ISBN 978-1291811087 
  4. Whitburn, Joel (2006). The Billboard Book of Top 40 Hits. Billboard Books
  5. Roberts, David (2006). British Hit Singles & Albums. Londres: Guinness World Records Limited
  6. David Kent (1993) (doc). Australian Chart Book 1970–1992. Australian Chart Book, St Ives, N.S.W
  7. a b c Lights! Action! Sound! It's That Crazy Little Thing Called Queen Circus Magazine. Retrieved 29 June 2011
  8. «Queen Rock Montreal». Allmusic. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  9. «Live At Wembley 1986». Ultimate Queen. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  10. «The Freddie Mercury Tribute Concert: Crazy Little Thing Called Love». Ultimate Queen. Consultado em 2 de novembro de 2018 
  11. Coryat, Karl (1999). The Bass Player Book. São Francisco: Backbeat Books. p. 59 
  12. Jeremy Simmonds (2008). The Encyclopedia of Dead Rock Stars: Heroin, Handguns, and Ham Sandwiches. [S.l.]: Chicago Review Press. 281 páginas. ISBN 9781556527548 
  13. Antonio Méndez. GUÍA DEL POP Y EL ROCK 70. ALOHA POPROCK 2a Edición. [S.l.]: Editorial Visión Libros. 244 páginas. ISBN 9788498215700 
  14. Musician, Edições 68-74, Amordian Press, 1984
  15. Melody Maker 2 May 1981
  16. ROGER SPEAKS: COLOGNE AUDIO PRESS KIT Arquivado 2012-07-21 na Archive.today BrianMay.com. Retrieved 29 June 2011
  17. Billboard 18 Jul 1980 p.33. Billboard.
  18. «Interview with Reinhold Mack, Esq.». iZotope 
  19. Crazy Little Thing Called Love UltimateQueen.
  20. Doug Stone. «Chipmunk Punk – The Chipmunks | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  21. Stephen Thomas Erlewine. «Tributo a Queen: Los Grandes del Rock en Espanol – Various Artists | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  22. Charlotte Dillon. «American Girl – Juice Newton | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  23. Aaron Latham (11 de fevereiro de 2003). «Michael Bublé – Michael Bublé | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  24. Stephen Thomas Erlewine (3 de junho de 2003). «Jump, Jive an' Wail: The Best of the Brian Setzer Orchestra 1994–2000 – The Brian Setzer Orchestra,Brian Setzer | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  25. McFly – Room On The 3rd Floor. discogs.com
  26. J. Scott McClintock (9 de agosto de 2005). «Killer Queen: A Tribute to Queen – Various Artists | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  27. Maroon 5 AllMusic
  28. «Relaxing Bossa Lounge [Multimusic] – Various Artists | Songs, Reviews, Credits». AllMusic 
  29. «Drake Bell—Ready Steady Go!». AllMusic 
Ícone de esboço Este artigo sobre um single de Queen é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.