Bohemian Rhapsody (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bohemian Rhapsody
 Reino Unido
 Estados Unidos

134 min 
Direção Bryan Singer
Dexter Fletcher
Produção Graham King
Jim Beach
Robert De Niro
Peter Oberth
Brian May
Roger Taylor
Roteiro Anthony McCarten
Elenco Rami Malek
Lucy Boynton
Gwilym Lee
Ben Hardy
Joseph Mazzello
Aidan Gillen
Tom Hollander
Allen Leech
Mike Myers
Música John Ottman
Cinematografia Newton Thomas Sigel
Edição John Ottman
Companhia(s) produtora(s) 20th Century Fox
New Regency
GK Films
TriBeCa Productions
Queen Films
Distribuição 20th Century Fox
Lançamento Reino Unido 24 de outubro de 2018
Estados Unidos 2 de novembro de 2018
Brasil 1 de novembro de 2018
Portugal 31 de outubro de 2018[1]
Idioma Inglês
Orçamento US$ 52 milhões[2]
Receita US$ $311 199 463[2]

Bohemian Rhapsody é um filme de drama biográfico produzido por Graham King e Robert De Niro, e escrito por Justin Haythe[3] e Anthony McCarten.[4] Ele se concentra em um período de 15 anos, desde a formação da banda britânica de rock Queen, seu vocalista Freddie Mercury até sua apresentação no Live Aid, em 1985, seis anos antes da morte de Mercury. O elenco principal é formado por Rami Malek, Ben Hardy, Gwilym Lee, Joseph Mazzello, Allen Leech e Lucy Boynton.

As filmagens principais começaram em Londres em setembro de 2017, sob a direção de Bryan Singer. Em dezembro de 2017, depois de meses de filmagens, Singer foi demitido por estar ausente da produção em múltiplas ocasiões e em desarmonia com o elenco e a equipe. Pouco depois, Dexter Fletcher foi contratado para terminar a filmagem e pós-produção. As filmagens principais foram concluídas em janeiro de 2018. O filme foi lançado nos Estados Unidos, pela 20th Century Fox, em 2 de novembro de 2018 e arrecadou mais de US$ 141 milhões.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Em 1970, Farrokh Bulsara, um estudante britânico de ascendência parse e carregador de malas no aeroporto de Heathrow, em Londres, assiste à atuação de uma banda local chamada Smile. Depois do espetáculo, conhece o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor e oferece-se para ser o novo vocalista da banda, após o baixista e vocalista Tim Staffell os ter abandonado para se juntar aos Humpy Bong. Com a entrada do baixista John Deacon, os quatro elementos da banda – agora conhecida como Queen – tocam em bares e pequenos recintos por toda a Inglaterra até que decidem vender a carrinha para produzir o seu álbum de estreia. Pouco depois, assinam um contrato com a EMI Records. Ao mesmo tempo, Farrokh altera o seu nome para Freddie Mercury e pede Mary Austin em casamento. No entanto, durante uma turnê aos EUA, Freddie começa a questionar a sua orientação sexual.

Em 1975, os Queen gravam o seu quarto álbum, A Night at the Opera, mas abandonam a EMI quando o seu executivo, Ray Foster, se recusa a ter uma música de seis minutos, "Bohemian Rhapsody", lançada como primeiro single do álbum. Freddie cede a música ao DJ Kenny Everett, da Capital Radio, que a estreia na rádio. Apesar das críticas, "Bohemian Rhapsody" torna-se um grande sucesso. Logo após a turnê mundial, Freddie e Mary separam-se quando ele lhe revela que é bissexual. Freddie inicia uma relação amorosa com o seu manager, Paul Prenter.

O sucesso da banda continua pela década de 1980, mas surgem tensões entre os seus membros sobre a direção que a sua música estava a seguir e sobre as mudanças de comportamento de Freddie. Depois de uma festa extravagante em sua casa, Freddie apaixona-se por Jim Hutton, um dos empregados de serviço à festa. Mas Jim diz a Freddie para o procurar só quando se encontrasse com o seu eu interior. Na conferência de imprensa da banda de promoção do seu álbum Hot Space, em 1982, Freddie é incessantemente bombardeado com perguntas sobre sua vida pessoal e a sua sexualidade. A relação de Freddie com os seus colegas da banda azeda quando ele anuncia ter assinado um contrato de 4 milhões de dólares com a CBS Records para uma carreira a solo. Em 1984, muda-se para Munique para trabalhar no seu primeiro álbum a solo, Mr. Bad Guy, e envolve-se em consecutivas orgias gays com Paul. Em uma noite, Mary, grávida, faz-lhe uma inesperada visita e pede-lhe que volte para a banda, uma vez que lhes foi dada a possibilidade de poderem participar no Live Aid, um enorme concerto de beneficência no Estádio de Wembley, organizado por Bob Geldof. Ao saber que Paul lhe tinha ocultado informações sobre o Live Aid, Freddie termina a relação. Em resposta, Paul releva à imprensa todos os segredos sobre o comportamento sexual de Freddie. Com a expansão da AIDS por todo o mundo, Freddie faz secretamente um check-up médico e descobre que também tinha contraído a doença.

Freddie regressa a Londres para pedir perdão aos seus companheiros de banda e ao novo manager, Jim Beach. Todos acabam por se reconciliar e, à última hora, é-lhes dada a possibilidade de participarem no Live Aid. Durante um dos ensaios, Freddie revela aos seus colegas de banda que tinha contraído AIDS. No próprio dia do Live Aid, Freddie encontra-se com Hutton e depois com a sua família, conciliando-se com a máxima do zoroastrismo repetida por seu pai: "bons pensamentos, boas palavras, boas ações". A performance do Queen no Live Aid revela-se um estrondoso sucesso, ajudando a aumentar os donativos durante o evento.

Após a morte de Freddie, vítima de AIDS, em 1991, Beach e os restantes membros da banda criam o Mercury Phoenix Trust para ajudar a combater a propagação da doença no mundo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Desde que Bohemian Rhapsody foi anunciado pela primeira vez em 2010, o filme passou por uma série de mudanças no elenco e equipe de produção, alimentando rumores e especulações sobre se o filme alguma vez chegaria a ser realizado. Em uma entrevista da BBC, publicada 17 de setembro de 2010, o guitarrista do Queen, Brian May falou sobre um próximo projeto de filme sobre a história da banda. De acordo com a entrevista, Sacha Baron Cohen, havia sido escolhido para interpretar Freddie Mercury com Graham King como co-produtor. King, foi produtor executivo do filme biográfico de Muhammad Ali, Ali. Peter Morgan, roteirista de The Queen e Frost/Nixon, iria escrever o roteiro.[6]

Divergências criativas e saída de Sacha Baron Cohen[editar | editar código-fonte]

Em uma entrevista com o Daily Record publicada em 27 de abril de 2011, May confirmou que a produção seguia em frente. Aprovava o elenco de Cohen, mas tinha algumas dúvidas sobre a possível direção que o projeto podia tomar. A banda estava preocupada em evitar qualquer dano ao legado de Mercury.[7] Em julho de 2013, Cohen deixou o projeto devido a divergências criativas. Supostamente, ele tinha a intenção de produzir um filme mais adulto, enquanto que a banda queria uma abordagem mais familiar.[8] May confirmou mais tarde, em 2013, que Cohen tinha deixado o projeto sem problemas de maior. Comentários feitos por May e Roger Taylor sugeriram que Cohen, que era muito conhecido como comediante e piadista (em grande parte devido aos seus personagens, Ali G e Borat), e que sua presença no filme seria uma distração.[9]

Como convidado no The Howard Stern Show, em março de 2016, Cohen falou sobre os desentendimentos com os membros da banda sobre o assunto e eventos do filme, em especial, se a história devia continuar após a morte de Mercury em 1991. Ele também mencionou desentendimentos artísticos com a banda sobre a composição da equipe de produção, referindo-se especificamente a Morgan, David Fincher e Tom Hooper.[10]

Ben Whishaw no elenco[editar | editar código-fonte]

Após a saída de Cohen, em dezembro de 2013, Ben Whishaw foi mencionado como um possível substituto para interpretar Freddie Mercury. Também neste momento, Dexter Fletcher foi escolhido como o diretor do filme.[11] Fletcher se afastou do projeto no início do ano seguinte, em meio a relatos de diferenças criativas com King.[12] Em uma entrevista à revista Time Out, no verão de 2014, Whishaw sugeriu que o filme não estava progredindo bem e que tinha problemas de script.[13] Logo depois, Whishaw, saiu do projeto.[14] Em 2015, circularam rumores que Cohen tinha voltado ao projeto e que Whishaw também poderia regressar.[15]

A entrada de Bryan Singer e Rami Malek no elenco[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2015, Mike Fleming de Deadline.com informou que Anthony McCarten (roteirista de A Teoria de Tudo) se tinha juntado ao projeto. Fleming também confirmou os rumores que diziam que o filme teria o título de Bohemian Rhapsody, a música mais famosa da banda. Um ano mais tarde, a 4 de novembro de 2016, Fleming informou que Bryan Singer (diretor de Os Suspeitos) estava em negociações para assumir a direção de Bohemian Rhapsody. Fleming também revelou que Rami Malek tinha sido escolhido para interpretar Mercury e que Bohemian Rhapsody seria controlado pela 20th Century Fox e pela New Regency.[16] foi relatado em outros lugares, em 2015 que Johnny Flynn foi devido interpretar Roger Taylor, e que Gemma Arterton iria interpretar a parceira de Mercury, Mary Austin.[17]

Aparecendo no The Late Show with Stephen Colbert, em 8 de Maio de 2017, Malek confirmou que ele tinha realizado gravações em Abbey Road Studios e tinha consultado diretamente com Taylor e May no apartamento de Taylor.[18] Em Maio de 2017, a revista Entertainment Weekly informou que Taylor e May eram os produtores musicais do filme.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Rami Malek foi anunciado como Freddie Mercury, em novembro de 2016.[19] Outros membros do elenco foram anunciadas em agosto de 2017, incluindo Ben Hardy como o baterista Roger Taylor, Gwilym Lee como o guitarrista Brian May, Joseph Mazzello como o baixista John Deacon,[20] e Allen Leech como Paul Prenter, manager pessoal de Mercury.[21]

No mês seguinte, Lucy Boynton se juntou ao elenco do filme para interpretar Mary Austin, o grande amor da vida de Mercury[22] e Aaron McCusker, foi contratado para interpretar Jim Hutton, o mais prolífico namorado de Mercury.[23] Naquele mês, Mike Myers se juntou ao elenco[24] e Aidan Gillen e Tom Hollander foram contratados como John Reid e Jim Beach, respectivamente, primeiro e segundo managers do Queen.[25]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A pré-produção começou em julho de 2017, no Reino Unido, com as filmagens começando em Londres, em setembro de 2017.[26] Uma réplica exata do Live Aid, festival feito no Estádio de Wembley, foi recriado no Aeroporto Bovingdon perto de Hemel Hempstead, onde foi criado para ensaios em 7 de setembro de 2017.[27]

Saída de Bryan Singer[editar | editar código-fonte]

Em 1 de dezembro de 2017, O Hollywood Reporter informou que a 20th Century Fox havia interrompido temporariamente a produção, devido à inesperada "indisponibilidade" do diretor Bryan Singer, com fontes dizendo que Singer não tinha retornado ao set após a semana do Dia de Ação de Graças, deixando os produtores nervosos sobre o estado da produção e começou discussões sobre a possibilidade de o substituir, no ponto em que o diretor de fotografia Newton Thomas Sigel tinha intervido e dirigido durante a  não-apresentação de Singer.[28] a ausência de Singer, supostamente, devido a "problemas de saúde, questão relativa a Bryan e sua família"[29] no entanto, outras fontes afirmaram que a estrela Rami Malek e a equipe tinha se cansado do comportamento de Singer, supostamente chegando tarde no set e repetidamente confrontando com Malek.[30] Em 4 de dezembro de 2017, o Singer foi demitido como diretor, com cerca de duas semanas restantes nas filmagens principais.[31] a 20th Century Fox rescindido com o Bad Hat Harry Productions, acordo com o estúdio.

Dexter Fletcher[editar | editar código-fonte]

Em 6 de dezembro de 2017, Dexter Fletcher foi anunciado como substituto de Singer. Em 15 de dezembro de 2017, as gravações do filme foram retomadas em Londres, depois de substituir Bryan Singer com Dexter Fletcher como diretor.

Em 16 de janeiro de 2018, Brian May postou uma foto na sua conta no Instagram. Em 26 de janeiro de 2018, Joseph Mazzello postou duas fotos na sua conta no Instagram com Rami Malek e disse: "Não posso acreditar que está quase acabando. Foi tão incrível, amizades forjadas no Bohemian Rhapsody e, claro, essa que foi forjada há 11 anos e só foi solidificada por esta experiência incrível. Até à próxima, Rami Malek".

Em 29 de janeiro de 2018, as filmagens terminaram como vários membros do elenco publicaram nas redes sociais. Mazzello escreveu no Twitter o seguinte: "Eu estou envolvido com Bohemian Rhapsody. Estou triste. Cada momento foi um prazer. Cada dia era uma bênção. Uma das grandes experiências da minha vida. Obrigado a todos que fizeram parte dela". Gwilym Lee também escreveu o seguinte em sua conta no Twitter: "Estou envolvido com #BohemianRhapsody! Que viagem! A mais incrível equipe e elenco extremamente talentoso - esse foi um projeto muito especial. Espero que fizemos justiça com @QueenWillRock e com o legado de Freddie. Não consigo esperar para que todos vejam!".

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

O guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor, ambos do Queen, serão os produtores musicais do filme.

Data de lançamento[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado nos Estados Unidos pela 20th Century Fox a 2 de novembro de 2018 e no Reino Unido no dia 24 de outubro de 2018. No dia 1 de novembro de 2018 foi lançado no Brasil e em Portugal.

Referências

  1. «Bohemian Estreia Pt (2018)». Consultado em 5 de novembro de 2018. 
  2. a b «Bohemian Rhapsody (2018)». Box Office Mojo. Consultado em 29 de outubro de 2018. 
  3. McNary, Dave (7 de Dezembro de 2017). «'Bohemian Rhapsody' Finds New Director After Bryan Singer's Firing». Variety. Consultado em 7 de Dezembro de 2017. 
  4. Weintraub, Steve (1 de Dezembro de 2017). «Darkest Hour' Screenwriter Anthony McCarten on Humanizing an Icon like Winston Churchill». Collider.com. Consultado em 4 de Dezembro de 2017. 
  5. «Mr Robot star Rami Malek to play Freddie Mercury in Queen biopic». theguardian.com. 4 de Novembro de 2016. Consultado em 4 de Novembro de 2016. 
  6. «Sacha Baron Cohen to play Freddie Mercury». BBC News. 17 de Setembro de 2010. Consultado em 22 de Setembro de 2010. 
  7. «Sacha Baron Cohen is perfect to play Freddie Mercury but we can't mess up his legacy, says Brian May». dailyrecord. 27 de Abril de 2011. Consultado em 27 de Setembro de 2014. 
  8. Finke, Nikke (22 de Julho de 2013). «Sacha Baron Cohen Exits Freddie Mercury Biopic Over Creative Differences With Queen». Deadline.com. Consultado em 22 de Julho de 2013. 
  9. «BRIAN MAY SPEAKS ON QUEEN BIOPIC PROBLEMS». ultimateclassicrock.com. 27 de Setembro de 2014 
  10. «Sacha Baron Cohen Says David Fincher Eyed Queen Biopic, Producers Wanted Freddie Mercury To Die Mid-Movie». indiewire.com. 8 de Março de 2016. Consultado em 8 de Março de 2016. 
  11. «Ben Whishaw joins Freddie Mercury biopic». BBC News. 10 de Dezembro de 2013. Consultado em 10 de Dezembro de 2013. 
  12. «Dexter Fletcher Drops Out Of Freddie Mercury Biopic». Yahoo News. 14 de Março de 2014. Consultado em 14 de Março de 2014. 
  13. «Ben Whishaw says Freddie Mercury film is on hold». The Daily Telegraph. 6 de Agosto de 2014. Consultado em 6 de Agosto de 2014. 
  14. «Sacha Baron Cohen rejoins troubled Freddie Mercury biopic». The Daily Telegraph. 28 de Março de 2015. Consultado em 28 de Março de 2015. 
  15. Fleming Jr., Mike (18 de Novembro de 2015). «Theory Of Everything's Anthony McCarten Scripting Freddie Mercury Pic For GK Films; Ben Whishaw In The Wings?». Deadline.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016. 
  16. Fleming Jr., Mike (4 de Novembro de 2016). «Queen Movie Amping Up With Bryan Singer & Rami Malek As Freddie Mercury». Deadline.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016. 
  17. «Freddie Mercury biopic starring Ben Whishaw 'will start shooting in June 2016'». NME. 19 de Novembro de 2015. Consultado em 19 de Novembro de 2015. 
  18. «Rami Malek on playing Freddie Mercury: 'I could have my Beyoncé moment'». Entertainment Weekly. 9 de Maio de 2017. Consultado em 9 de Maio de 2017. 
  19. «'Mr. Robot' Star Rami Malek to Play Freddie Mercury in Queen Biopic». Variety. 4 de Novembro de 2016. Consultado em 5 de Novembro de 2016. 
  20. Busch, Anita (21 de Agosto de 2017). «Queen Pic 'Bohemian Rhapsody' Finds Bandmates In Ben Hardy, Gwilym Lee & Joe Mazzello». Deadline.com. Consultado em 21 de Agosto de 2017. 
  21. Busch, Anita (30 de Agosto de 2017). «Allen Leech Joins 'Bohemian Rhapsody' As Paul Prenter, Freddy Mercury's Judas». Deadline.com. Consultado em 30 de Agosto de 2017. 
  22. Pedersen, Erik (6 de Setembro de 2017). «'Bohemian Rhapsody': Lucy Boynton Joins Queen Pic As Mary Austin». Deadline.com. Consultado em 6 de Setembro de 2017. 
  23. Busch, Anita (22 de Setembro de 2017). «'Bohemian Rhapsody': Aaron McCusker Cast As Freddie Mercury Boyfriend Jim Hutton». Deadline.com. Consultado em 22 de Setembro de 2017. 
  24. Fleming Jr., Mike (11 de Setembro de 2017). «Mike Myers Comes Full Circle With 'Bohemian Rhapsody'». Deadline.com. Consultado em 11 de Setembro de 2017. 
  25. Galuppo, Mia (26 de Setembro de 2017). «Aidan Gillen, Tom Hollander Join Cast of Queen Biopic 'Bohemian Rhapsody'». The Hollywood Reporter. Consultado em 26 de Setembro de 2017. 
  26. Tartaglione, Nancy (16 de Julho de 2017). «Queen Pic 'Bohemian Rhapsody' Tunes Up For Fall Start With Bryan Singer, Rami Malek». Deadline.com. Consultado em 25 de Agosto de 2017. 
  27. «Live Aid 1985 set transported to field for Freddie Mercury biopic». Daily Mail. Consultado em 4 de Outubro de 2017. 
  28. «Fox Halts Production on Queen Biopic Due to Bryan Singer Absence». The Hollywood Reporter. Consultado em 1 de Dezembro de 2017. 
  29. «Bryan Singer: Illness forces director to stop work on Freddie Mercury film». BBC News. Consultado em 1 de Dezembro de 2017. 
  30. «Fox Halts Production on Bryan Singer's Queen Biopic Bohemian Rhapsody». Screenrant.com. Consultado em 1 de Dezembro de 2017. 
  31. «Bryan Singer Fired From Directing Queen Biopic After On-Set Chaos (Exclusive)». The Hollywood Reporter. 4 de Dezembro de 2017. Consultado em 4 de Dezembro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]