Oscar de melhor som

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Oscar de
Melhor Som
Apresentação Academia de Artes e Ciências Cinematográficas
País  Estados Unidos
Primeira cerimónia 1930
Detentor Mark Taylor e Stuart Wilson, por 1917
Sítio oficial

O Óscar de Melhor Som é um Óscar que reconhece a melhor ou mais eufônica mixagem, gravação, design de som e edição de som. Geralmente é concedido aos misturadores de som de produção, misturadores de regravação e editores de som supervisores do filme vencedor. Nas listas abaixo, o vencedor do prêmio de cada ano é mostrado primeiro, seguido pelos outros indicados. Antes do Oscar 2021, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição de Som eram categorias distintas.[1]

Para o segundo e terceiro anos desta categoria (ou seja, o Oscar 1932 e o Oscar 1933), apenas os nomes das empresas de cinema foram listados. Paramount Publix Studio Sound Department venceu em ambos os anos.

Década de 1930[editar | editar código-fonte]

Década de 1940[editar | editar código-fonte]

Década de 1950[editar | editar código-fonte]

Década de 1960[editar | editar código-fonte]

Década de 1970[editar | editar código-fonte]

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

  • 2011: InceptionLora Hirschberg, Ed Novick e Gary Rizzo
    • The King's Speech – Paul Hamblin, Martin Jensen e John Midgley
    • Salt – Jeffrey J. Haboush, Scott Millan, Greg P. Russell e William Sarokin
    • The Social Network – Ren Klyce, David Parker, Michael Semanick e Mark Weingarten
    • True Grit – Craig Berkey, Peter Kurland, Skip Lievsay e Greg Orloff
  • 2013: Les MisérablesSimon Hayes, Andy Nelson e Mark Paterson
    • Argo – Jose Antonio Garcia, John T. Reitz e Gregg Rudloff
    • Life of Pi – Ron Bartlett, Doug Hemphill e Drew Kunin
    • Lincoln – Ron Judkins, Andy Nelson e Gary Rydstrom
    • Skyfall – Scott Millan, Greg P. Russell e Stuart Wilson
  • 2015: WhiplashThomas Curley, Criag Mann e Ben Wilkins
    • American Sniper – Walt Martin (indicação póstuma), John Reitz e Gregg Rudloff
    • Birdman – Frank A. Montaño, Jon Taylor e Thomas Varga
    • Interstellar – Gregg Landaker, Gary A. Rizzo e Mark Weingarten
    • Unbroken – David Lee, Frank A. Montaño e Jon Taylor

Década de 2020[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

(em inglês)