Oscar 2004

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oscar 2004
76th Academy Awards
Pôster oficial da cerimônia.
Data 29 de fevereiro de 2004
Organização Academia de Artes e Ciências Cinematográficas
Apresentação Billy Crystal[1][2]
Local Teatro Dolby
Hollywood, Los Angeles, Califórnia
País  Estados Unidos
Destaques
Maior número de prêmios The Lord of the Rings: The Return of the King (11)
Maior número de indicações The Lord of the Rings: The Return of the King (11)
Melhor filme The Lord of the Rings: The Return of the King
Cobertura televisiva
Estação ABC
Duração 3 horas, 45 minutos[3][4]
Produtor Joe Roth[5]
Diretor Louis J. Horvitz[3]
Oscar 2003 Oscar 2005

A 76.ª cerimônia do Oscar ou Oscar 2004 (no original: 76th Academy Awards), apresentada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS), homenageou os melhores filmes, atores e técnicos de 2003. Aconteceu em 29 de fevereiro de 2004 no Teatro Dolby, Hollywood, em Los Angeles, às 17h30min no horário local. Durante a cerimônia, foram distribuídos os prêmios da Academia em vinte e quatro categorias, e a transmissão ao vivo foi realizada pela rede televisiva estadunidense American Broadcasting Company (ABC), com produção de Joe Roth e direção de Louis J. Horvitz. O ator Billy Crystal foi o anfitrião do evento pela oitava vez, que havia apresentado pela primeira vez o Oscar 1990 e pela última, até então, o Oscar 2000.[6] Duas semanas antes, em uma cerimônia no hotel Langham Huntington, em Pasadena, Califórnia, realizada em 14 de fevereiro, o Oscar Científico ou Técnico foi entregue sob apresentação de Jennifer Garner.[7]

The Lord of the Rings: The Return of the King venceu todas as onze categorias a que foi indicado, sendo o filme mais premiado, ao lado de Ben-Hur (1959) e Titanic (1997), com a conquista de melhor filme e melhor diretor para Peter Jackson.[8] Destacaram-se também Master and Commander: The Far Side of the World e Mystic River, condecorados com duas estatuetas cada. A apresentação televisionada contabilizou 44 milhões de telespectadores nos Estados Unidos, tornando-se a atração mais assistida dos últimos quatro anos. Esta edição se popularizou no Brasil pela presença de Cidade de Deus, produção nacional, indicada a quatro categorias: melhor diretor para Fernando Meirelles, melhor roteiro adaptado para Bráulio Mantovani, melhor fotografia para César Charlone e melhor edição para Daniel Rezende. Além deste, o mundo lusófono marcou presença na categoria de melhor curta-metragem de animação, pela direção do brasileiro Carlos Saldanha em Gone Nutty, e de melhor fotografia com o trabalho do português Eduardo Serra em Girl with a Pearl Earring.

Indicados e vencedores[editar | editar código-fonte]

Os indicados ao Oscar 2004 foram anunciados em 24 de janeiro de 2004, às 5h38min no horário local, no Samuel Goldwyn Theater em Beverly Hills, por Frank Pierson, presidente da Academia, e pela atriz Sigourney Weaver.[9][10] O filme The Lord of the Rings: The Return of the King se sobrepôs com indicação em onze categorias; Master and Commander: The Far Side of the World, em seguida, recebeu dez. O brasileiro Cidade de Deus repercutiu no mundo lusófono, indicado a quatro categorias.[11]

Os vencedores foram anunciados durante a cerimônia de premiação em 29 de fevereiro de 2004. Vencedor de todas as onze categorias indicadas, The Lord of the Rings: The Return of the King se equiparou a Ben-Hur e Titanic como a obra cinematográfica mais premiada no Oscar,[12] além de superar Gigi (1958) e The Last Emperor (1987), os quais conquistaram todas as nomeações (9) em seus respectivos anos.[13][14] A indicação de Sofia Coppola à melhor direção a tornou a primeira mulher americana e terceira mulher em geral nesta categoria;[15] sua vitória em melhor roteiro original fez dela a segunda pessoa da terceira geração de uma família (Carmine Coppola e Francis Ford Coppola) a conquistar o Oscar.[16] Aos treze anos, Keisha Castle-Hughes tornava-se a candidata mais jovem na categoria de melhor atriz,[17] superada por Quvenzhané Wallis, indicada com nove, dez anos mais tarde.[18]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Vista-keditbookmarks.png Indica o vencedor dentro de cada categoria.[19]

Vista-keditbookmarks.png The Lord of the Rings: The Return of the KingBarrie M. Osborne, Peter Jackson e Fran Walsh Vista-keditbookmarks.pngPeter JacksonThe Lord of the Rings: The Return of the King
Vista-keditbookmarks.pngSean PennMystic River como Jimmy Markum Vista-keditbookmarks.pngCharlize TheronMonster como Aileen Wuornos
Vista-keditbookmarks.pngTim RobbinsMystic River como Dave Boyle Vista-keditbookmarks.pngRenée ZellwegerCold Mountain como Ruby Thewes
Vista-keditbookmarks.pngLost in TranslationSofia Coppola Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingPeter Jackson, Fran Walsh e Philippa Boyens por The Return of the King de J. R. R. Tolkien
Vista-keditbookmarks.pngFinding NemoAndrew Stanton Vista-keditbookmarks.pngLes Invasions barbares ( Canadá) – Denys Arcand
Vista-keditbookmarks.pngThe Fog of WarErrol Morris e Michael Williams Vista-keditbookmarks.pngChernobyl HeartMaryann DeLeo
Vista-keditbookmarks.pngTwo SoldiersAaron Schneider e Andrew J. Sacks Vista-keditbookmarks.pngHarvie KrumpetAdam Elliot
Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingHoward Shore Vista-keditbookmarks.png"Into the West" por The Lord of the Rings: The Return of the KingFran Walsh, Howard Shore e Annie Lennox
Vista-keditbookmarks.pngMaster and Commander: The Far Side of the WorldRichard King Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingChristopher Boyes, Michael Semanick, Michael Hedges e Hammond Peek
Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingGrant Major, Dan Hennah e Alan Lee Vista-keditbookmarks.pngMaster and Commander: The Far Side of the WorldRussell Boyd
Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingRichard Taylor e Peter King Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingNgila Dickson e Richard Taylor
Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingJamie Selkirk Vista-keditbookmarks.pngThe Lord of the Rings: The Return of the KingJim Rygiel, Randall William Cook, Alex Funke e Joe Letteri

Prêmios honorários[editar | editar código-fonte]

  • Blake Edwards — "Em reconhecimento à sua escrita, direção e produção de um trabalho extraordinário para o cinema".[20]

Filmes com mais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Os dezesseis filmes a seguir receberam múltiplas indicações:

Indicações Filme
11
The Lord of the Rings: The Return of the King
10
Master and Commander: The Far Side of the World
7 Cold Mountain
Seabiscuit
6
Mystic River
5
Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl
4 Cidade de Deus
Finding Nemo
The Last Samurai
Lost in Translation
3 Girl with a Pearl Earring
House of Sand and Fog
In America
2 Les Invasions barbares
Les triplettes de Belleville
21 Grams

Os três filmes a seguir receberam múltiplos prêmios:

Vitórias Filme
11
The Lord of the Rings: The Return of the King
2 Master and Commander: The Far Side of the World
Mystic River

Apresentadores e performances[editar | editar código-fonte]

As seguintes personalidades apresentaram categorias ou realizaram números individuais:[3][21]

Apresentadores (em ordem de aparição)[editar | editar código-fonte]

Nome Função
Andy Geller Anunciou o início da cerimônia
Connery, SeanSean Connery Apresentou a montagem da abertura
Zeta-Jones, CatherineCatherine Zeta-Jones Apresentou a categoria de melhor atriz coadjuvante
McKellen, IanIan McKellen Apresentou o segmento do filme The Lord of the Rings: The Return of the King
Jolie, AngelinaAngelina Jolie Apresentou a categoria de melhor direção de arte
Williams, RobinRobin Williams Apresentou a categoria de melhor filme em animação
Zellweger, RenéeRenée Zellweger Apresentou a categoria de melhor figurino
Cage, NicolasNicolas Cage Apresentou o segmento do filme Master and Commander: The Far Side of the World
Cooper, ChrisChris Cooper Apresentou a categoria de melhor atriz coadjuvante
Hanks, TomTom Hanks Apresentou o tributo em homenagem a Bob Hope
Stiller, BenBen Stiller e
Owen Wilson
Apresentaram as categorias de melhor curta-metragem e melhor curta-metragem em animação
Tyler, LivLiv Tyler Introduziu as performances de "You Will Be My Ain True Love", "The Scarlet Tide" e "Into the West"
Smith, Jada PinkettJada Pinkett Smith e
Will Smith
Apresentaram a categoria de melhores efeitos visuais
Garner, JenniferJennifer Garner Apresentou o Oscar Científico ou Técnico e o Gordon E. Sawyer Award
Carrey, JimJim Carrey Apresentou o Oscar Honorário a Blake Edwards
Murray, BillBill Murray Apresentou o segmento do filme Lost in Translation
Johansson, ScarlettScarlett Johansson Apresentou a categoria de melhor maquiagem e penteados
Bullock, SandraSandra Bullock e
John Travolta
Apresentaram as categorias de melhor edição de som e melhor mixagem de som
Roberts, JuliaJulia Roberts Apresentou o tributo em homenagem a Katharine Hepburn
Winfrey, OprahOprah Winfrey Apresentou o segmento do filme Mystic River
Cusack, JohnJohn Cusack e
Diane Lane
Apresentaram a categoria de melhor documentário de curta-metragem
Baldwin, AlecAlec Baldwin e
Naomi Watts
Apresentaram a categoria de melhor documentário de longa-metragem
Pierson, FrankFrank Pierson Apresentou o tributo In Memoriam
Collins, PhilPhil Collins e
Sting
Apresentaram a categoria de melhor trilha sonora
Brosnan, PiercePierce Brosnan e
Julianne Moore
Apresentaram a categoria de melhor edição
Lee Curtis, JamieJamie Lee Curtis Introduziu as performances de "A Kiss at the End of the Rainbow" e "Belleville Rendez-vous"
Black, JackJack Black e
Will Ferrell
Apresentaram a categoria de melhor canção
Theron, CharlizeCharlize Theron Apresentou a categoria de melhor filme estrangeiro
Law, JudeJude Law e
Uma Thurman
Apresentaram a categoria de melhor fotografia
Ford Coppola, FrancisFrancis Ford Coppola e
Sofia Coppola
Apresentaram a categoria de melhor roteiro adaptado
Maguire, TobeyTobey Maguire Apresentou o segmento do filme Seabiscuit
Robbins, TimTim Robbins e
Susan Sarandon
Apresentaram a categoria de melhor roteiro original
Cruise, TomTom Cruise Apresentou a categoria de melhor diretor
Brody, AdrienAdrien Brody Apresentou a categoria de melhor atriz
Kidman, NicoleNicole Kidman Apresentou a categoria de melhor ator
Spielberg, StevenSteven Spielberg Apresentou a categoria de melhor filme

Performances (em ordem de aparição)[editar | editar código-fonte]

Nome Função Performance
Shaiman, MarcMarc Shaiman e
Harold Wheeler
Arranjo musical Orquestra
Crystal, BillyBilly Crystal Anfitrião Números de abertura:
Mystic River (à sintonia de "Ol' Man River" de Show Boat),
Lost in Translation (à sintonia de "Maria" de West Side Story),
The Lord of the Rings: The Return of the King (à sintonia de "My Favorite Things" de The Sound of Music),
Seabiscuit (à sintonia de "Goldfinger" de Goldfinger) e
Master and Commander: The Far Side of the World (à sintonia de "Come Fly with Me" de Frank Sinatra)[22]
Krauss, AlisonAlison Krauss e
Sting
Performance "You Will Be My Ain True Love" de Cold Mountain
Costello, ElvisElvis Costello e
Allison Krauss
Performance "The Scarlet Tide" de Cold Mountain
Lennox, AnnieAnnie Lennox Performance "Into the West" de The Lord of the Rings: The Return of the King
Levy, EugeneEugene Levy e
Catherine O'Hara[a]
Performance "A Kiss at the End of the Rainbow" de A Mighty Wind
Bonifassi, BéatriceBéatrice Bonifassi
Benoît Charest[23]
Performance "Belleville Rendez-vous" de Les triplettes de Belleville
Black, JackJack Black e
Will Ferrell
Performance Paródia de "Get Off the Stage" durante a apresentação de melhor canção original[24]

Cerimônia[editar | editar código-fonte]

O ator Billy Crystal foi o anfitrião do Oscar 2004.

Em decorrência da baixa audiência da cerimônia anterior, a Academia procurou realizar várias mudanças e contratar um novo produtor para o Oscar 2004. A principal modificação foi adiantar a data da premiação: nos anos anteriores, geralmente ocorria no final de março ou início de abril; aqui, decidiram marcá-la para o último dia de fevereiro.[25] O diretor de comunicações da AMPAS, John Pavlik, explicou que o propósito de mudar a transmissão para um mês antes era "facilitar e reforçar a cobertura televisiva e proteger o status do Oscar como o evento de premiação preeminente do país".[26] Alguns especialistas da indústria cinematográfica especularam que efetivar a cerimônia em fevereiro foi implementada também para aplacar intensa campanha diante da distribuição dos filmes indicados, geralmente lançados nessa temporada.[27] Assim, era a primeira vez que o evento ocorreria em fevereiro desde o Oscar 1942.[28]

Em agosto de 2003, a Academia contratou o produtor de cinema Joe Roth para supervisionar a produção da cerimônia. No mês seguinte, o recém-contrato convidou o veterano anfitrião Billy Crystal para assumir a apresentação da premiação para oitava vez.[29] Para despertar o interesse do público, Roth produziu três trailers para a promoção do evento, destacando três sucessos pop à época ("Hollywood", da Madonna; "Hey Ya!", do OutKast e "Get the Party Started", de Pink) e momentos marcantes de cerimônias anteriores, ao lado dos slogans "Expected the unexpected" ("Espere o inesperado") e "It's Oscar night" ("É a noite do Oscar").[30] Esses promocionais foram exibidos em diversas salas de cinema, canais a cabo e em lojas da locadora Blockbuster Inc. em vários países.[31] Ainda, a Academia permitiu que a apresentadora Oprah Winfrey cobrisse a preparação da cerimônia em seu talk show homônimo.[31]

O monólogo de abertura de Billy Crystal ironizou as diferenças entre o panorama político de 1991, quando foi anfitrião da cerimônia pela primeira vez, e de 2004: "As coisas eram tão diferenças. Vocês sabem o quão diferente era? George W. Bush era presidente e estávamos no fim da Guerra do Golfo com o Iraque". Em uma apresentação pré-gravada, Crystal zomba da pirataria CAMrip, tipo de cópia de filmes feita com uma câmera na sala de cinema; em seguida, o anfitrião encontra um envelope com o anel de Sauron e parodia a personagem Gollum, referência ao filme mais indicado da edição, The Lord of the Rings: The Return of the King. Crystal também executou canções de obras clássicas para cada um dos indicados à categoria principal: para Mystic River, "Ol' Man River" de Show Boat; para Lost in Translation, "Maria" de West Side Story; para Seabiscuit, "Goldfinger" do filme homônimo; para Master and Commander: The Far Side of the World de "Come Fly with Me" da película de mesmo nome e para The Lord of the Rings: The Return of the King, "My Favorite Things" de The Sound of Music.[22]

Proibição de screeners[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2003, a Motion Picture Association of America (MPAA) baniu distribuições screeners, cópias de filmes geralmente enviadas aos críticos e jurados de prêmios, pois estavam receosos que pudessem servir à pirataria.[32] Muitos estúdios independentes e cineastas jovens, no entanto, se opuseram a essa decisão, acusando que prejudicaria filmes menores de serem indicados às premiações, principalmente o Oscar, já que a forma screener facilitava atrair a atenção dos membros da Academia.[32] No mês seguinte, a AMPAS e a MPAA chegaram a um acordo em que os votantes receberiam as cópias com a condição de mantê-las fora do alcance de pessoas não afiliadas à organização.[33] Em dezembro de 2003, um juiz federal de Nova Iorque anulou a proibição de acordo com a lei antitruste dos Estados Unidos.[34][35]

Bilheteria dos filmes indicados[editar | editar código-fonte]

Na semana do anúncio dos indicados, em 27 de janeiro de 2004, o valor bruto somado pelas cinco obras na categoria principal era de US$ 638 milhões, média de US$ 127 milhões por filme.[36] The Lord of the Rings: The Return of the King assegurou a maior bilheteria entre os aparentes no Oscar 2004, totalizando US$ 338.3 milhões em recibos de mercado doméstico.[36] Em seguida, aparecem Seabiscuit (US$120.2 milhões); Master and Commander: The Far Side of the World (US$85.3 milhões); Mystic River (US$59.1 milhões) e, finalmente, Lost in Translation (US$34.8 milhões).[36]

Dos cinquenta filmes mais lucrativos do ano de 2003, dez obras indicadas à cerimônia aparecem na lista: Finding Nemo (1.º); The Lord of the Rings: The Return of the King (2.º); Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl (3.º); Seabiscuit (16.º); Something's Gotta Give (21.º); The Last Samurai (23.º); Master and Commander: The Far Side of the World (31.º); Brother Bear (32.º); Cold Mountain (37.º) e Mystic River (46.º).[37]

Implementação do atraso de transmissão[editar | editar código-fonte]

Após o escândalo do Super Bowl XXXVIII, em que a cantora Janet Jackson teve o seio exposto no intervalo das atrações, a rede ABC implementou o atraso de transmissão de cinco segundos[38][39] para garantir que nenhum material ao vivo repercutisse algum imprevisto de natureza imprópria.[40] No entanto, o presidente da AMPAS, Frank Pierson, protestou contra essa decisão em uma declaração escrita: "Mesmo que haja um breve atraso, [essa medida] introduz uma forma de censura na televisão — não diretamente de controle governamental —, mas indica que membros da emissora sabem o que o governo tolera ou proíbe".[41] Em resposta, o produtor da edição reiterou que a censura só seria aplicada a palavras de baixo calão e não a discursos políticos.[42]

Avaliação em retrospecto[editar | editar código-fonte]

A cerimônia recebeu avaliações diversas de jornalistas norte-americanos. O crítico de televisão do Chicago Tribune, Steve Johnson, lamentou que "o show perdeu o sentido familiar e foi decepcionantemente 'correto'" e reiterou o desagrado com o atraso de transmissão de cinco segundos implementado pela rede.[43] Tom Shales, do The Washington Post, ironizou que o evento "foi tão divertido como assistir à solidificação do Jell-O" e acrescentou que "a falta de surpresas nos prêmios contribuiu para uma atmosfera sem graça durante a transmissão".[44] O colunista Tim Goodman, do San Francisco Chronicle, comentou: "o Oscar 2004 arrastou-se sem muito drama ou comédia, sugando a vida do evento, mesmo enquanto fazia justiça à obra-prima que é The Lord of the Rings: The Return of the King".[45]

Outros meios de comunicação, por outro lado, mostraram-se mais satisfeitos com o evento. Ken Tucker, da Entertainment Weekly, elogiou a posição anfitriã de Billy Crystal: "localizou o meio intermediário perfeito entre a idoneidade aduladora de Steve Martin e a seriedade de Whoopi Goldberg". Sobre a cerimônia em si, disse que "conseguiu fazer o que Hollywood não fez: nos convencer de que este foi um ótimo ano para o cinema".[46] O crítico de cinema Andrew Sarris, do New York Observer, escreveu que "[esta] foi a edição mais engraçada e menos tediosa de sua memória" e exaltou a produção de Joe Roth.[47] USA Today expôs nas palavras de Robert Bianco que, "apesar da falta de suspense devido à varredura de The Lord of the Rings, Crystal conseguiu tirar boas risadas durante a noite [...] a cerimônia foi mais glamourosa e otimista que a edição passada, com ritmo decente".[48]

Recepção e audiência[editar | editar código-fonte]

Em seu país de origem, a transmissão da ABC atraiu uma média de 43,56 milhões de telespectadores no decorrer do evento, índice 26% maior que a audiência do Oscar 2003.[49] Estima-se que 73,89 milhões de pessoas assistiram parcial ou integralmente à cerimônia. Pelo Nielsen Ratings, também obteve números superiores à edição anterior, com 26,68% dos televisores sintonizados na rede, total de 41,84 pontos.[50] Além disso, apenas entre os espectadores de 18 a 49 anos, contabilizou 38,79 pontos. Os valores conquistados resultaram na maior audiência desde o Oscar 2000.[51]

No Brasil, a cobertura foi realizada pela TNT e pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) com tradução simultânea para o português, às 22h no horário de Brasília.[52] Para promover a cerimônia e a intensa repercussão pela indicação de Cidade de Deus, o SBT exibiu no Cine Belas Artes durante todo o mês filmes já reconhecidos pela premiação: The Hurricane, The Exorcist, Fargo e The Accused.[53] Na rede aberta brasileira, a apresentadora Maria Cândida conduziu a transmissão ao lado dos comentários do crítico e jornalista Rubens Ewald Filho,[54] e a repórter Paoula Abou-Jaoude ficou responsável pela entrevista com os indicados no dia do evento.[55][56] O Oscar 2004 rendeu ao SBT média de 9 pontos e picos de 13, fixando-se na segunda colocação segundo o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE), atrás da exibição do Fantástico e do Big Brother Brasil 4, da Rede Globo.[57]

Em julho de 2004, a apresentação do evento recebeu nove indicações ao Emmy Award, inclusive à categoria de melhor especial de variedades, música ou comédia.[58] Dois meses depois, na noite da premiação, conquistou a estatueta de melhor diretor em especial de variedades para Louis J. Horvitz.[59][60]

In Memoriam[editar | editar código-fonte]

O tributo anual In Memoriam foi apresentado pelo presidente da Academia, Frank Pierson. Em homenagem aos artistas falecidos no ano anterior, a montagem exibida apresentou um trecho de "The Love of the Princess", canção composta para o filme The Thief of Bagdad por Miklós Rózsa (Ben-Hur, Spellbound, Quo Vadis, King of Kings e El Cid).[61]

Um tributo separado a Bob Hope, comediante, ator e veterano anfitrião do Oscar, foi apresentado por Tom Hanks.[62] Mais tarde, a atriz Julia Roberts apresentou um à atriz Katharine Hepburn.[63]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Billy Crystal will MC Oscars». The Guardian. Guardian Media Group. 25 de setembro de 2003. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2013 
  2. Leviste, Lanz (12 de março de 2004). «The King sweeps the Oscars». The Philippine Star. PhilStar Daily, Inc. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2014 
  3. a b c Lowry, Brian (29 de fevereiro de 2004). «Review: "The 76th Annual Academy Awards"». PMC. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2013 
  4. Levin, Gary (1 de março de 2004). «Oscar back to form with 43.5M viewers». USA Today. Gannett Company. Consultado em 15 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2013 
  5. Lubrano, Alfred (25 de setembro de 2003). «Lord of the Oscars: Billy Crystal's back». Philadelphia Media Network. The Philadelphia Inquirer. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2014 
  6. Munoz, Lorenza (25 de setembro de 2003). «Crystal returns to familiar role». Los Angeles Times. Tribune Company. Consultado em 26 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 10 de outubro de 2013 
  7. Susman, Gary (29 de janeiro de 2004). «Garnering Prizes». Entertainment Weekly. Time Warner. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2013 
  8. Morales, Tatiana (13 de fevereiro de 2009). «Peter Jackson, Lord Of The Oscars». CBS News. CBS Corporation. Consultado em 24 de julho de 2013. 
  9. Susman, Gary (27 de janeiro de 2004). «Three-'Ring' Circus». Entertainment Weekly. Time Warner. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2013 
  10. Fernandez, Maria Elena; Greg Braxton (28 de janeiro de 2004). «Dawn's early rite». Los Angeles Times. Tribune Company. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 4 de outubro de 2013 
  11. Teixeira, Rodrigo (15 de fevereiro de 2004). «Reforço na torcida por 'Cidade de Deus'». Zero Hora. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  12. Smith, Neil (1 de março de 2004). «Rings joins Oscar's big winners». BBC News. BBC. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 4 de novembro de 2013 
  13. «"Lord of the Rings" Wins 11 Oscars». ABC News. The Walt Disney Company. 1 de março de 2004. Consultado em 9 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2014 
  14. Crow, Kim; Barbara Vancheri (1 de março de 2004). «Third "Ring" movie wins 11 Oscars». Pittsburgh Post-Gazette. Crain Communications. Consultado em 9 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  15. Klein, Joshua (3 de fevereiro de 2004). «Coppola feeling `Lost in Translation'». Chicago Tribune. Tribune Company. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  16. Ryzik, Melina (11 de janeiro de 2013). «Oscar's First Family? Depends on How You Count». The New York Times. The New York Times Company. Consultado em 25 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 30 de maio de 2013 
  17. Wloszczyna, Susan (13 de setembro de 2009). «'Luck' may be changing for Caro, grown-up Castle-Hughes». USA Today. Gannett Company. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014 
  18. McNary, Dave (29 de fevereiro de 2004). «A 'River' of dreams for Penn, Robbins». Variety. PMC. Consultado em 16 de agosto de 2013.. Cópia arquivada em 4 de março de 2014 
  19. «The 76th Academy Awards (2004) Nominees and Winners». AMPAS. Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Consultado em 20 de novembro de 2011.. Cópia arquivada em 8 de julho de 2014 
  20. Kehr, Dave (15 de fevereiro de 2004). «Oscar Films; Anatomy of a Blake Edwards Splat». The New York Times. The New York Times Company. Consultado em 9 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 24 de outubro de 2014 
  21. Clark, Mike; Susan Wloszczyna (23 de fevereiro de 2009). «Oscar showtime: This year vs. others». USA Today. Gannett Company. Consultado em 6 de junho de 2013.. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2013 
  22. a b Burlingame, Jon (12 de março de 2004). «Rings Trilogy Composer Howard Shore wins 2 for 2 at the Oscars». The Film Music Society. Consultado em 29 de janeiro de 2014.. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2004 
  23. Dunlevy, T'Cha (3 de fevereiro de 2005). «Au revoir Oscar, welcome back guitar». The Gazette. Postmedia Network. Consultado em 24 de julho de 2013.. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  24. «Will Ferrell and Jack Black had a memorable 2004 Oscars moment». Entertainment Weekly. Time Warner. 1 de março de 2004. Consultado em 24 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 3 de outubro de 2013 
  25. «Save the date: Next year's Oscars move to February». Chicago Tribune. Tribune Company. 27 de março de 2003. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  26. Lyman, Rick (5 de agosto de 2002). «Oscars to Arrive A Month Earlier Starting in 2004». The New York Times. The New York Times Company. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  27. «Decisison 2004». Newsweek. The Daily Beast. 12 de março de 2003. Consultado em 19 de julho de 2013. 
  28. Sheehan, Paul (27 de fevereiro de 2011). «Live Blog: The 83rd Annual Academy Awards». Gold Derby. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  29. Grossberg, Josh (24 de setembro de 2003). «Oscar Brings Back Billy Crystal». E!. NBCUniversal. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  30. Pond 2005, p. 357
  31. a b Pond 2005, p. 356
  32. a b Pond 2005, p. 358
  33. Friedman, Roger (22 de fevereiro de 2003). «TV's 'Ed' Won't Sing for Charity». Fox News. 21st Century Fox. Consultado em 29 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  34. Waxman, Sharon (9 de dezembro de 2003). «While They Can, Studios Rush to Send Videos to Oscar Voters». The New York Times. The New York Times Company. Cópia arquivada em 17 de julho de 2016 
  35. Pond 2005, p. 359
  36. a b c «2003 Academy Award Nominations and Winner for Best Picture». Box Office Mojo. Amazon.com. Consultado em 24 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  37. «2003 Domestic Grosses». Box Office Mojo. Amazon.com. Consultado em 18 de fevereiro de 2014.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  38. Mattos, Laura (6 de fevereiro de 2004). «Estados Unidos deve censurar o Oscar; SBT promete exibir sem cortes». Folha de S. Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  39. «Oscar terá 5 segundos de atraso na televisão». O Globo. 12 de fevereiro de 2004. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  40. Carey, Matt (5 de fevereiro de 2004). «ABC to impose delay on Oscar telecast». CNN. Time Warner. Consultado em 25 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  41. Cadorette, Guylaine (11 de fevereiro de 2004). «Academy Miffed about Oscar Tape Delay, Black Eye for the Nerdy Guy, DJ Rick Dees Ends Morning Radio Show, More...». Hollywood.com. Hollywood.com, LLC. Consultado em 19 de julho de 2013. 
  42. Susman, Gary (11 de fevereiro de 2004). «Snippy Response». Entertainment Weekly. Time Warner. Consultado em 19 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  43. Johnson, Steve (1 de março de 2004). «Crystal's no ball in tepid Oscar show». Chicago Tribune. Tribune Company. Consultado em 9 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de abril de 2015 
  44. Shales, Tom (1 de março de 2004). «A Clean and Boring Sweep». The Washington Post. The Washington Post Company. Consultado em 22 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 13 de abril de 2015 
  45. Goodman, Tim (1 de março de 2004). «Unlike 'Lord of the Rings,' this year's Oscars were a yawner – with good ads». San Francisco Chronicle. Hearst Corporation. Consultado em 29 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de abril de 2015 
  46. Tucker, Ken (12 de março de 2004). «The Show». Entertainment Weekly. Time Warner. Consultado em 9 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  47. Pond 2005, p. 384
  48. Bianco, Robert (1 de março de 2004). «Crystal's return enlivens predictable show». USA Today. Gannett Company. Consultado em 8 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2014 
  49. Gorman, Bill (8 de março de 2010). «Academy Awards Averages 41.3 Million Viewers; Most Since 2005». TV by the Numbers. Tribune Company. Consultado em 12 de março de 2010.. Cópia arquivada em 10 de março de 2010 
  50. «Academy Awards ratings» (PDF). Television Bureau of Advertising. Consultado em 27 de junho de 2013.. Arquivado do original (PDF) em 15 de maio de 2013 
  51. McDaniel, Mike (2 de março de 2004). «Significant ratings rise for Oscars». Houston Chronicle. Hearst Corporation. Consultado em 24 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2013 
  52. Pereira, Eliane (26 de janeiro de 2004). «Cinema na TV». Meio & Mensagem. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  53. Castro, Daniel (5 de fevereiro de 2004). «Promoção». Folha de S. Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  54. del Ré, Adriana (28 de fevereiro de 2004). «Na TV, opções são SBT e TNT». Estado de S. Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  55. Castro, Adriana (29 de fevereiro de 2004). «SBT toma café da manhã com os indicados ao Oscar». Folha de S. Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  56. Teixeira, Rodrigo (29 de fevereiro de 2004). «Torcida com um belo reforço». Zero Hora. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  57. Castro, Adriana (2 de março de 2004). «Ranking». Folha de S. Paulo. Consultado em 30 de janeiro de 2018. 
  58. «Primetime Emmy Award database». Academy of Television Arts and Sciences. ATAS. Consultado em 24 de junho de 2013.. Cópia arquivada em 22 de junho de 2013 
  59. «The complete list of winners». Los Angeles Times. Tribune Company. 20 de setembro de 2004. Consultado em 15 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2013 
  60. «2004 Emmy Winners». The New York Times. The New York Times Company. 20 de setembro de 2004. Consultado em 25 de julho de 2013.. Cópia arquivada em 10 de junho de 2015 
  61. Pond 2005, p. 379
  62. Ebert 2004, p. 778
  63. «Rings scores Oscars clean sweep». BBC News. BBC. 1 de março de 2004. Consultado em 1 de abril de 2010.. Cópia arquivada em 19 de fevereiro de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]