Mad Max: Estrada da Fúria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mad Max: Fury Road
Mad Max: Estrada da Fúria (PT/BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
 Austrália

2015 •  cor •  120 min 
Direção George Miller
Produção Doug Mitchell
George Miller
P. J. Voeten
Roteiro George Miller
Brendan McCarthy
Nico Lathouris
Elenco Tom Hardy
Charlize Theron
Nicholas Hoult
Hugh Keays-Byrne
Rosie Huntington-Whiteley
Riley Keough
Zoë Kravitz
Abbey Lee
Courtney Eaton
Gênero Ação e ficção científica
Música Junkie XL
Direção de arte Colin Gibson
Direção de fotografia John Seale
Figurino Jenny Beavan
Edição Margaret Sixel
Companhia(s) produtora(s) Kennedy Miller Mitchell
Village Roadshow Pictures
Distribuição Warner Bros. Pictures
Lançamento Estados Unidos 7 de maio de 2015
(TCL Chinese Theatre)
Brasil 14 de maio de 2015
Portugal 14 de maio de 2015
Idioma Inglês
Orçamento US$ 150 milhões[1]
Receita US$ 378.858.340[1]
Cronologia
Mad Max Beyond Thunderdome
(1985)
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Mad Max: Fury Road (no Brasil e em Portugal, Mad Max: Estrada da Fúria) é um filme estadunidense de ação e ficção científica de 2015 dirigido por George Miller e escrito por Miller, Brendan McCarthy e Nico Lathouris. É o quarto título da franquia Mad Max, se passando em um vasto deserto de um futuro pós-apocalíptico onde gasolina e água são bens valiosos. Ele segue a história de Max Rockatansky, que se junta a Imperatriz Furiosa para fugir do líder cultista Immortan Joe e seu exército dentro de um caminhão tanque. O filme é estrelado por Tom Hardy, Charlize Theron, Nicholas Hoult, Hugh Keays-Byrne, Rosie Huntington-Whiteley, Riley Keough, Zoë Kravitz, Abbey Lee e Courtney Eaton.

Mad Max: Fury Road teve estreia no TCL Chinese Theatre, Hollywood, em 7 de maio de 2015.[2] Também foi mostrado no 68º Festival de Cinema de Cannes, em 14 de maio, mas fora da competição oficial.[3][4] A estreia mundial foi em 15 de maio de 2015.[2]

De acordo com o site de análises agregadas Metacritic, Mad Max: Fury Road recebeu "aclamação universal" por parte da crítica, descrito pela revista Forbes como "uma obra-prima do cinema de ação".

O filme foi classificado por muitos críticos como o melhor filme de 2015 e é considerado um dos melhores filmes de ação já realizados, aclamado pelo seu roteiro, sequências de ação, fotografia, coreografia, direção e elenco. Estrada da Fúria ganhou diversos prêmios de críticos, recebeu 10 nomeações Oscar incluindo Melhor Filme e Diretor para George Miller. Ganhou 6: Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Direção de Arte, Melhor Maquiagem e Penteados, Melhor Figurino, Melhor Edição.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Perseguido pelo seu turbulento passado, Max Rockatansky (Tom Hardy) acredita que a melhor forma de sobreviver é não depender de mais ninguém além de si próprio. Ainda assim, acaba por se juntar a um grupo de rebeldes que atravessa a Wasteland, numa máquina de guerra conduzida por uma Imperatriz de elite, Furiosa (Charlize Theron). Este bando está em fuga de uma Cidadela tiranizada por Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne), a quem algo insubstituível foi roubado. Desesperado com a sua perda, o Senhor da Guerra reúne o seu exército e inicia uma impiedosa perseguição aos rebeldes e a mais implacável Guerra na Estrada de sempre.[5]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Os planos para o quarto filme de "série" Mad Max, por 25 anos sofreu dificuldades financeiras para ser iniciado, Mel Gibson estava interessado em voltar para o filme, mas perdeu o interesse depois de 2000. Em 2003 George Miller (cineasta) anunciou que o roteiro para o quarto filme tinha sido escrito, e que a pré-produção estava nos estágios iniciais.

Em novembro de 2006, George Miller declarou que tinha a intenção de fazer Mad Max: Fury Road, e pensava em fazer o filme sem Mel Gibson, dizendo: "Há uma grande esperança, a última coisa que eu queria, era fazer um outro Mad Max, mas esse roteiro esta ótimo, e eu estou completamente seguro." O roteiro do filme foi co-escrito com um culto criador de quadrinhos britânico Brendan McCarthy, que também desenhou muitos dos novos personagens e veículos.

Em 2007 Miller novamente confirmou sua intenção de fazer outro Mad Max na Aurora film maker initiative, no entanto, ele afirmou que pensou em Mel Gibson, porém imaginava que ele recusaria por causa da idade. Em 5 de março de 2009, foi anunciado que um filme de animação estava em pré-produção e estaria tomando grande parte do enredo de Fury Road. Embora Mel Gibson não estaria no filme, Miller estava procurando um "caminho diferente", um "renascimento" da franquia. Miller citou o filme como uma inspiração para o que ele pretendia fazer com a franquia. Em 2009 Miller anunciou que a filmagem começaria em 2011, acabando com as especulações. No mesmo ano, o ator britânico Tom Hardy estava em negociações para assumir a liderança do papel, também foi anunciado que Charlize Theron desempenharia um papel importante no filme. Em junho de 2010, Hardy anunciou em Friday Night com Jonathan Ross que ele iria interpretar o papel principal em uma nova versão de Mad Max.

Em julho de 2010, Miller anunciou que tinha planos para filmar dois filmes da franquia. Em novembro de 2011, as filmagens foram transferidas de Broken Hill a Namíbia, após as fortes chuvas inesperadas que transformou o deserto lá em uma paisagem exuberante de flores silvestres, inadequadas para o visual do filme.

Em uma entrevista em julho de 2014 no San Diego Comic-Con, Miller disse que projetou o filme em storyboard antes de escrever o roteiro, trabalhando com cinco artistas de storyboard. Saiu como cerca de 3.500 painéis, quase o mesmo número de enquadramento, como no filme acabado. Ele queria que o filme fosse quase uma perseguição contínua, com relativamente poucos diálogos, para ter o visual em primeiro lugar e consequentemente, poder contar a história do filme apenas pelo storyboard.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens começaram em julho de 2012 na Namíbia, mais de 18 meses depois. Em fevereiro de 2013, a conservação costa da Namíbia e do grupo de gestão acusou os produtores de danificar peças do Namib Desert, colocando em risco um número de espécies de plantas e animais. Em setembro de 2013, foi anunciado que o filme sofreria refilmagens a partir de novembro de 2013. Em 20 de novembro de 2013, foi anunciado que o filme seria lançado em 15 de maio de 2015.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Mad Max: Fury Road foi aclamado pela crítica.[6] O Rotten Tomatoes dá ao filme um índice de aprovação de 97%. O consenso do site diz: "Com emocionante ação e uma quantidade surpreendente de peso narrativo, Mad Max: Fury Road traz a franquia pós-apocalíptica de George Miller rugindo vigorosamente de volta à vida."[7] No Metacritic, que atribui uma classificação normalizada, o filme tem uma pontuação de 90 em 100 com base em 51 críticos, significando "aclamação universal".[8]

Robbie Collin do The Daily Telegraph deu ao filme um total de cinco estrelas e elogiou o filme por sua atuação, roteiro, coreografia, acrobacias, humor e sentido de chamar o filme de uma "sequência espiritual" e uma "erupção de loucura."[9] Escrevendo para o The Guardian dando ao filme quatro de cinco estrelas, Peter Bradshaw diz que o filme é "Grand Theft Auto renovado por Hieronymus Bosch" e comentou: "Exuberantemente enlouquecido, rasgo voador cacofônico, e inteiramente por cima, George Miller reavivou sua franquia Mad Max punk-western como um bizarro comboio de perseguição de suspense de ação no deserto pós-apocalíptico."[10] Scott Mendelson da Forbes deu ao filme 10/10 e opinou, "Mad Max: Fury Road é um filme notável e glorioso, e não apenas um dos grandes filmes de ação de nosso tempo, mas também um grande e oportuno filme, ponto."[11] Scott Collura do IGN deu ao filme 9.2/10, equivalente à classificação 'Surpreendente', e diz "Acrobacias acima da média, design e personagens excêntricos é tudo importante para Fury Road... mas é o sentido único de autenticidade do filme, quer ser algo mais que apenas um filme de ação, isso é o mais impressionante." Elogiou Tom Hardy e Charlize Theron nos papéis de Max e Furiosa, respectivamente.[12] Daniel Gelb do Allmovie deu 4.5/5 e refere que "é um magnifico ataque aos nossos sentidos, e que ficará sem dúvida nos mais altos anais dos clássicos de acção."[13] David Ehrlich do Time Out deu 5/5 e refere que "Fury Road orienta esta franquia macho numa brilhante nova direção, forjando um retrato mítico sobre a necessidade de uma regra feminina num mundo onde os homens precisam ser salvos de si mesmos. É por isso que Max é um herói durável: ele sabe quando guiar pelo pôr do sol. E desta vez ele deixa uma geração de cinema blockbuster asfixiada com o seu pó".[14] O The New York Times escreveu "Miller lembrou-nos que os blockbusters têm todo o potencial não apenas para ser arte, mas radicalmente visionários – mesmo sendo o quarto da série. Que belo dia, realmente."[15] Tim Evans da Sky deu 4/5 estrelas e diz que Fury Road é a "viagem cinematográfica do ano." e conclui que "enquanto os filmes Marvel, são filmes de ação simplistas para crianças, Miller pode mais do que equipará-los com emoções viscerais reais, juntamente com personagens com quem você vai ficar afeiçoado... ou então com quem definitivamente não irá querer partilhar o carro."[16] Justin Craig da Fox News diz que "George Miller envergonhou todos os grandes filmes de acção com enorme orçamento da ultima década. Mad Max: Fury Road reescreveu o livro inteiro. Obrigatório ver.[17]

Premios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 2016[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Oscar 2016
Ano Categoria Resultado
2016 Melhor Filme Indicado
Melhor Diretor Indicado
Melhor Edição de Som Venceu
Melhor Mixagem de Som Venceu
Melhor Direção de Arte Venceu
Melhor Fotografia Indicado
Melhor Maquiagem e Penteados Venceu
Melhor Figurino Venceu
Melhor Edição Venceu
Melhores Efeitos Visuais Indicado

Globo de Ouro 2016[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Prémios Globo de Ouro de 2016
Ano Categoria Resultado
2016 Melhor Filme Drama Indicado
Melhor Diretor Indicado

BAFTA 2016[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: British Academy Film Awards
Ano Categoria Resultado
2016 Melhor Fotografia Indicado
Melhor Figurino Venceu
Melhor Som Indicado
Melhor Edição Venceu
Melhores Efeitos Visuais Indicado
Melhor Direção de Arte Venceu
Melhor Maquiagem Venceu

Directors Guild of America Award 2016[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Directors Guild of America Award
Ano Categoria Resultado
2016 Melhor Diretor em Longa Indicado

Sequências[editar | editar código-fonte]

Miller e McCarthy revelaram que enquanto estavam escrevendo Fury Road descobriram que tinham material suficiente para dois argumentos adicionais. Um deles, Mad Max: Furiosa, já está completo, e Miller espera começar a filmar depois do lançamento de Fury Road.[18] Em Março de 2015, numa entrevista à revista Esquire, Tom Hardy disse que estava ligado a mais quatro filmes Mad Max depois de Mad Max: Fury Road.[19] Em Maio de 2015, Miller disse à Wired que "Se este [Mad Max: Fury Road] for bem sucedido, tenho mais duas histórias para contar."[20] Mais tarde em maio, Miller revela que os planos para a sequela tinham mudado e que se iria chamar Mad Max: The Wasteland.[21][22] Também anunciou que os próximos filmes seriam prequelas e que o ator Hugh Keays-Byrne faria de novo o papel de Immortan Joe.[23]

Referências

  1. a b «Mad Max: Fury Road». Box Office Mojo. Consultado em 9 de agosto de 2015 
  2. a b Molinet, Jason (8 de maio de 2015). «Mel Gibson surprises Tom Hardy at 'Mad Max: Fury Road' Hollywood premiere». NY Daily News. Consultado em 8 de maio de 2015 
  3. «2015 Official Selection». Cannes. Consultado em 16 de abril de 2015 
  4. Jordan Mintzer (16 de abril de 2015). «Cannes Film Festival unveils star-studded lineup for 68th edition». Cable News Network. Consultado em 8 de maio de 2015  |obra= e |website= redundantes (ajuda)
  5. «Mad Max: Estrada da Fúria». Cinemas NOS. Consultado em 7 de maio de 2015 
  6. «Mad Max: Fury Road thrills critics». BBC News. (BBC). 11 de maio de 2015. Consultado em 12 de maio de 2015 
  7. «Mad Max: Fury Road (2015)». Rotten Tomatoes (em inglês). Flixter. Consultado em 11 de maio de 2015 
  8. «Mad Max: Fury Road Reviews». Metacritic (em inglês). CBS Interactive. Consultado em 11 de maio de 2015 
  9. Robbie Collin (11 de maio de 2015). «Mad Max: Fury Road review: 'a Krakatoan eruption of craziness'» (em inglês). The Telegraph. Consultado em 11 de maio de 2015 
  10. Peter Bradshaw (11 de maio de 2015). «Mad Max: Fury Road review – Tom Hardy is a macho Mr Bean in brilliantly pimped reboot». The Guardian (em inglês). The Guardian Inc. Consultado em 11 de maio de 2015 
  11. Scott Mendelson (11 de maio de 2015). «Review: 'Mad Max: Fury Road' Is An Action Movie Masterpiece» (em inglês). Forbes. Consultado em 11 de maio de 2015 
  12. Scott Collura (11 de maio de 2015). «Mad Max: Fury Road Review». IGN. Consultado em 11 de maio de 2015 
  13. Daniel Gelb (15 de maio de 2015). «Mad Max: Fury Road—The AllMovie Review». Allmovie. Consultado em 20 de maio de 2015 
  14. David Ehrlich (11 de maio de 2015). «Mad Max: Fury Road». Time Out. Consultado em 12 de maio de 2015 
  15. «Review: Dazzling 'Mad Max: Fury Road' Is a Can't Miss Thrill». The New York Times. (The New York Times Company). Associated Press. 11 de maio de 2015. Consultado em 13 de maio de 2015 
  16. Evans, Tim (Maio de 2015). «Mad Max: Fury Road». Sky Movies. Sky. Consultado em 12 de maio de 2015 
  17. Justin Craig (14 de maio de 2015). «'Mad Max' review: Blistering, vicious non-stop drive through hell». Fox News. Consultado em 20 de maio de 2015 
  18. Turner, Brook (25 de novembro de 2011). «George Miller's new script». Fairfax Media. Consultado em 8 de abril de 2015. Cópia arquivada em 7 de abril de 2014 
  19. Miranda Collinge (30 de março de 2015). «Tom Hardy Is Esquire's May Cover Star». Esquire. Consultado em 3 de abril de 2015 
  20. Logan Hill (11 de maio de 2015). «MAD MAX: WHAT IT TAKES TO MAKE THE MOST INTENSE MOVIE EVER». Wired. Condé Nast. Consultado em 12 de maio de 2015 
  21. Lussier, Germain (18 de maio de 2015). «George Miller Gives 'Mad Max: Fury Road' Sequel a Title». Film. Consultado em 19 de maio de 2015. Cópia arquivada em 19 de maio de 2015 
  22. McNary, Dave (18 de maio de 2015). «George Miller Promises 'More Max,' Starting With 'Mad Max: The Wasteland'». Variety. Penske Media Corporation. Consultado em 19 de maio de 2015. Cópia arquivada em 19 de maio de 2015 
  23. Hwine, Rachel (18 de maio de 2015). «Exclusive: Next Two MAD MAX Films Will Be Prequels». Nerdist. Consultado em 19 de maio de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]