Itaporanga d'Ajuda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Itaporanga D'Ajuda
Casa da Cultura de Itaporanga d'Ajuda

Casa da Cultura de Itaporanga d'Ajuda
Bandeira de Itaporanga D'Ajuda
Brasão de Itaporanga D'Ajuda
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de março
Fundação 28 de março de 1854
Gentílico itaporanguense
Prefeito(a) Gracinha[1] (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itaporanga D'Ajuda
Localização de Itaporanga D'Ajuda em Sergipe
Itaporanga D'Ajuda está localizado em: Brasil
Itaporanga D'Ajuda
Localização de Itaporanga D'Ajuda no Brasil
10° 59' 52" S 37° 18' 39" O10° 59' 52" S 37° 18' 39" O
Unidade federativa  Sergipe
Mesorregião Leste Sergipano IBGE/2008[2]
Microrregião Estância IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes São Cristóvão, Lagarto, Estância, Salgado, Aracaju, Areia Branca, Campo do Brito, Itabaiana
Distância até a capital 29 km
Características geográficas
Área 757,283 km² [3]
População 32 496 hab. IBGE/2013[4]
Densidade 42,91 hab./km²
Altitude 9 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,561 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 447 992,820 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 14 723,05 IBGE/2010[6]
Página oficial

Itaporanga d'Ajuda é um município brasileiro do estado de Sergipe. Localiza-se na microrregião de Estância.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Itaporanga" é um termo de origem tupi que significa "pedra bonita", pela junção de itá (pedra) e poranga (bonita).[7] "D'Ajuda" é uma referência à padroeira da cidade, Nossa Senhora da Ajuda.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta do ano 1000, a maior parte do atual litoral brasileiro foi invadida por povos de língua tupi procedentes da Amazônia. Esses povos expulsaram os habitantes anteriores, falantes de línguas do tronco linguístico macro-jê, para o interior. No século 16, quando os primeiros exploradores europeus chegaram ao atual litoral sergipano, encontram-no habitado por um desses povos tupis: os tupinambás.[8]

Mais especificamente, os tupinambás da região de Itaporanga d'Ajuda eram liderados, nessa época, pelo chefe Surubi. Na segunda metade do século 16, o padre jesuíta Gaspar Lourenço fundou uma aldeia de catequese, a Povoação de Santo Inácio, na margem direita do rio Vaza-Barris. No ano seguinte, porém, a aldeia foi extinta por causa de lutas entre os tupinambás e os portugueses. A partir de 1590, a região passou a pertencer à cidade de São Cristóvão e as suas terras começaram a ser doadas sob a forma de sesmarias. Devido à hostilidade indígena, no entanto, houve pouca ocupação portuguesa, à exceção da região de Santo Antônio dos Campos do Tejupeba, onde havia uma missão jesuítica. Em 1753, Francisco de Sá Souto Maior começou a ocupar as terras da região e montou o engenho Itaporanga. Os índios se refugiaram na aldeia de Água Azeda. No final desse século, já existiam dez engenhos na região. Sua produção era escoada através de portos no rio Vaza-Barris. Em 30 de janeiro de 1845, a região foi transformada em freguesia sob a invocação de Nossa Senhora da Ajuda. Em 10 de maio de 1854, passou a vila com o nome de Itaporanga. Em 28 de março de 1938, passou à condição de cidade. Em 1944, para evitar a duplicidade de nome com outras cidades homônimas, mudou seu nome para Irapiranga. Em 1º de janeiro de 1949, mudou seu nome para Itaporanga d'Ajuda e adquiriu a condição de comarca.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se às margens do rio Vaza-Barris a uma latitude 10º59'53" sul e a uma longitude 37º18'38" oeste, estando a uma altitude de 9 metros. Sua população em 2010 era de 30 419 habitantes.

Povoados[editar | editar código-fonte]

O município possui vários povoados com suas sedes, sendo, no final do dia e fins de semana, um local de lazer para as crianças e conversas entre os moradores. Nestes locais, também se encontram posto de saúde, açougue, igreja, clubes, antigos postos telefônicos desativados, bares, campos de futebol e bancos em alvenaria. Esta característica é encontrada em quase todos os grandes povoados do município, como Sapé, Tapera, Caueira, Nova Descoberta, Minante, Duro, Colônia Sapé, Gravatá, Moita Formosa, Telha, Chan, Tinga, Campos, Água Bonita, Salvador, Ipanema, entre outros.

Acesso[editar | editar código-fonte]

Ponte Joel Silveira.
Rodoviário
  • BR-101 – sentido Sul/Norte
  • SE-100 – estrada que liga a capital Aracaju a Praia da Caueira. Em 2010, foi inaugurada a ponte Joel Silveira, com 1 080 metros. Com essa ponte, a viagem até Salvador será encurtada em até 70 quilômetros. Após a construção da ponte em Indiaroba, será criada a Linha Verde entre essas duas capitais.
  • SE-265 - Rodovia Arnaldo Garcez - Liga Itaporanga a Lagarto, passando pelos povoados Sapé, Gravatá e povoado Brasília, já no município de Lagarto.

As empresas de ônibus que atuam no município são: São Pedro, que liga Aracaju, na modalidade suburbana, com tarifa de R$ 2,60, além da Coopertalse e Coopetaju. São Geraldo, Gontijo, Nacional, Itapemirim, entre outras, ligam Itaporanga a várias capitais do país, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Palmas, entre outras.

Aéreo

Aeroporto Internacional de Aracaju - Santa Maria, em Aracaju, a 30 quilômetros de distância.

Ferroviário

A cidade é cortada por uma linha férrea que, há muitos anos, já foi utilizada para o transporte de passageiros, mas que, nos dias atuais, é subutilizada para transporte de produtos químicos da Petrobras e da Vale do Rio Doce.

Itaporanguenses notórios[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prefeito eleitos no Sergipe. Página visitada em 22/01/2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Título não preenchido, favor adicionar. IBGE Cidades. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (s/d). Página visitada em 12/10/2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 26 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2006-2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 01 mar. 2013.
  7. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  8. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]