Joaquim de Sousa Mursa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joaquim de Sousa Mursa
Nascimento 1833
Morte 21 de outubro de 1893 (60 anos)
Cidadania Brasil
Constituição brasileira de 1891, página da assinatura de Joaquim de Sousa Mursa (vigésima quarta assinatura). Acervo Arquivo Nacional

Joaquim de Sousa Mursa (Pelotas, Rio Grande do Sul, 1833Rio de Janeiro, 21 de outubro de 1893) foi um militar e político brasileiro.

Mursa seguiu carreira militar e percorreu todos os postos ate o de coronel. Ele era formado em engenharia na Escola Politécnica do Rio de Janeiro, em 1857, com bacharelado em Ciências Físicas e Matemáticas. Estudou metalurgia e geologia na Escola de Minas de Freiberg, na Alemanha, em 1860 e 1861. Mursa foi diretor da Fábrica de Ferro de Ipanema entre 1865 e 1890. Na sua gestão produziu milhares de toneladas de ferro, reformou fornos e ampliou instalações[1].

Depois da Proclamação da República, assumiu o governo do estado de São Paulo no triunvirato, no qual atuavam também Prudente de Morais e Francisco Rangel Pestana. Mais tarde foi eleito deputado da assembléia constituinte, representando o partido republicano.

Casou com Laura Clementina Mursa, com quem teve dois filhos, Ulrico e Guido.[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • João Dunshee de Abranches: Governos e Congressos da Republica, Vol. I-II. 1918.
  • Galeria Nacional: Vultos Proeminentes da Historia Brasileira. 1931.

Referências

  1. Dupre, Leandro (14 de outubro de 1886). «Memória sobre a Fábrica de Ferro de São João do Ipanema». Revista de Engenharia número 147, 1886, p. 217. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 
  2. Jornal Gazeta de Noticias, 22 de Outubro de 1893 link


Precedido por
José Vieira Couto de Magalhães
Junta Governativa Paulista de 1889
1889
Sucedido por
Prudente de Morais


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.