Luísa Maria da Bélgica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luísa
Princesa da Bélgica
 
Cônjuge Fernando Filipe de Saxe-Coburgo-Gota
Descendência Leopoldo
Doroteia
Casa Real Saxe-Coburgo-Gota
Nome completo
Luísa Maria Amélia
Nascimento 18 de fevereiro de 1858
Bruxelas, Bélgica
Morte 1 de março de 1924 (66 anos)
Wiesbaden, Alemanha
Pai Leopoldo II da Bélgica
Mãe Maria Henriqueta da Áustria

Luísa Maria Amélia da Bélgica (Bruxelas, 18 de fevereiro de 1858Wiesbaden, 1º de março de 1924) foi a filha mais velha do rei Leopoldo II da Bélgica e de sua consorte, Maria Henriqueta da Áustria.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Casamento e escândalos[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de fevereiro de 1875, Luísa desposou seu primo Fernando Filipe de Saxe-Coburgo-Gota. Eles tiveram dois filhos:

É dito que, antes do casamento, Luísa já havia tido flertes com vários homens, entre eles Fernando I da Bulgária (irmão de seu futuro marido), o príncipe Rodolfo de Habsburgo (seu cunhado) e o arquiduque Luís Vítor (irmão caçula do imperador).

Em 1895, Luísa envolveu-se romanticamente com Géza Mattachich (1868-1923), enteado do conde Oskar Keglevich von Buzin. Géza era um tenente do regimento croata do exército do Império Austro-Húngaro. Eles se conheceram em Prater, em Viena.

Em janeiro de 1897, a princesa escandalizou Viena ao deixar seu marido permanentemente e fugir com Mattachich, levando sua filha com ela. Eles viajaram a Paris, Cannes, ao sul da França e a outros locais da Europa. O relacionamento com o filho piorou porque ele achava que as ações de Luísa tinham arruinado suas chances de herdar algo do avó materno. Aconselhada por seu noivo, a filha de Luísa logo a deixou.

Em 1898, Fernando Filipe e Mattachich lutaram um duelo em Viena, primeiro com armas e depois com espadas, no qual o príncipe foi ferido.[1][necessário esclarecer]

Luísa e seu marido finalmente se divorciaram em Gota, no dia 15 de janeiro de 1906, quase oito anos depois que a princesa iniciou os procedimentos de divórcio.

Vida posterior[editar | editar código-fonte]

Sem o apoio do pai, do ex-marido ou dos filhos, os gastos de Luísa fizeram-na afundar em dívidas. Embora fosse filha do rei mais rico de sua época, ela foi forçada a alegar falência depois que se soube que Mattachich tinha forjado a assinatura da irmã de Luísa, a princesa Estefânia, para comprar joias de 2.500.000 dólares.[necessário esclarecer]

Como consequência do episódio, Luísa foi internada em maio de 1898 e Mattachich, sentenciado a quatro anos de prisão. Quando sua sentença terminou, ele ajudou-a a fugir do asilo e passaram o resto de seus anos em Paris. Depois da morte de Mattachich, ela recebeu um lugar para morar da rainha Isabel, esposa de seu primo Alberto I.

Referências