Luciano Bivar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luciano Bivar
Deputado Federal por Pernambuco
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade

13 de junho de 2017
até 10 de abril de 2018

1º de fevereiro de 1999
até 31 de janeiro de 2003

Vice-presidente da Câmara dos Deputados do Brasil
Período 1º de fevereiro de 2019
até 3 de fevereiro de 2021
Antecessor(a) André Fufuca
Sucessor(a) André de Paula
Presidente Nacional do PSL
Período 16 de novembro de 2018
até atualidade
Antecessor(a) Antonio de Rueda
Período 2 de junho de 1998
até 7 de março de 2018
Antecessor(a) Cargo criado
Sucessor(a) Gustavo Bebianno
Dados pessoais
Nascimento 29 de novembro de 1944 (76 anos)
Recife, PE
Partido PL (1990-1997)
PSL (1997-presente)
Profissão empresário

Luciano Caldas Bivar (Recife, 29 de novembro de 1944) é um político e empresário brasileiro, atualmente deputado federal por Pernambuco.[1]

É o presidente nacional do Partido Social Liberal (PSL), legenda pela qual foi candidato à presidência da República nas eleições de 2006 e que elegeu Jair Bolsonaro nas eleições de 2018.

Foi dirigente do Sport Club do Recife.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Milton de Lyra Bivar e Hermínia Caldas Bivar, Luciano Bivar nasceu na capital pernambucana em 1944. Em 1973 casou-se com Catarina Pontual de Petribú.

Bacharel em Direito, com pós-graduação em Educação Financeira (Northwestern University, Illinois, EUA) e Direito Comparado (Unicap, Recife), Bivar atua como empresário segurador.[2]

Luciano Bivar foi eleito deputado federal por Pernambuco em 1998 pelo Partido Social Liberal (PSL), partido que presidiu ininterruptamente entre 1998 e 2018. Integrou as Comissões Permanentes de Constituição, Justiça e Cidadania, Finanças e Tributação, Viação e Transportes e as Comissões Especiais de criação do Imposto Único Federal (IUF), da Agência Nacional de Aviação Civil e da Previdência Complementar.[carece de fontes?]

Sua plataforma baseou na implantação do Imposto Único Federal (IUf). O candidato julga ser esta a melhor opção para a justiça fiscal e tributária no Brasil. Como parlamentar Luciano Bivar defendeu os partidos pequenos na reforma política. Além da política, é autor dos livros Burotocracia: a invisível, Atuação Parlamentar 1999-2002, Imposto Único Federal, 1 por todos, A Verdadeira Reforma Eleitoral, Atuação Parlamentar, Passagem para a vida (ficção), Cuba – num retrato sem retoques, Brasil Alerta: Psicoses Socialistas, Por que perdi o Campeonato (depoimentos sobre a sua atuação como dirigente[3] do Sport Club do Recife).[carece de fontes?]

Retornou em 13 de julho de 2017 à Câmara dos Deputados, após a nomeação de Kaio Maniçoba (PMDB) para a secretaria de Habitação de Pernambuco, pelo governador Paulo Câmara. Pediu afastamento no dia 10 de abril de 2018.[4]

Atualmente é deputado federal por Pernambuco após ser eleito nas Eleições gerais brasileiras de 2018 para o mandato 2019-2022.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Em março de 2013, admitiu que subornou membros da Confederação Brasileira de Futebol para que o volante Leomar, jogador do Sport, fosse convocado pelo então técnico Emerson Leão - que antes de treinar a Canarinha foi técnico do Sport.[5][6][7][8][9] Em 11 de março de 2013, o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) Paulo Schmitt pediu abertura de inquérito para que Bivar seja investigado por tal afirmação. Para Schmitt, afinal, "Não pode ficar o dito pelo não dito".[10] Em 2018 ele escreveu um livro defendendo aborto e corte no gasto militar mesmo sendo aliado de Bolsonaro.[11]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «BIVAR, Luciano». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  2. «Presidente do PSL, Luciano Bivar lança livro de romance com toques de erotismo». Diario de Pernambuco. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  3. Stein, Leandro. «O que o seu clube fez durante a Ditadura». Trivela. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  4. «Kaio Maniçoba é empossado secretário de Habitação». Folha - PE. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  5. «Luciano Bivar revela que já "empurrou" jogador na Seleção Brasileira». SuperEsportes. Consultado em 8 de março de 2013 
  6. «Presidente do Sport diz que pagou para jogador ser convocado para seleção». ESPN.com.br. Consultado em 8 de março de 2013. Arquivado do original em 10 de março de 2013 
  7. «Bivar diz que pagou para "empurrar" Leomar na Seleção; Leão nega». Terra. Consultado em 8 de março de 2013 
  8. «Luciano Bivar revela que pagou "comissão" para Leomar ser convocado para a seleção, em 2001». Jornal do Commercio. Consultado em 8 de março de 2013 
  9. «Presidente do Sport revela que pagou para Leomar ir para Seleção». Esporte Interativo. Consultado em 8 de março de 2013. Arquivado do original em 10 de março de 2013 
  10. STJD irá investigar denúncia de Luciano Bivar
  11. Conteúdo, Estadão (30 de julho de 2018). «Fundador do partido de Bolsonaro defende aborto». O Popular. Consultado em 3 de novembro de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.