Majoron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Majoron
Composição: Partícula elementar
Família: bóson
Grupo: bóson goldstone
Estado: hipotética
Símbolo(s): J
Teorizada: Y. Chikashige, R. N. Mohapatra, e R. D. Peccei
Descoberta: não observado
Massa: desconhecida
Carga elétrica: 0
Spin: [1]

Em física de partículas, majorons (nomeado a partir de Ettore Majorana) são partículas hipotéticas do tipo bóson goldstone que foram teorizados para mediar a violação de massa do neutrino de número B-L em certas colisões de alta energia como:

e
 + e
 → W
 + W
 + J

Onde dois elétrons colidem para formas dois bósons W e o Majoron J. A simetria U(1)B-L é assumida para ser global então o majoron não é "comido" e espontaneamente quebrado. Majorons foram originalmente formulados em quatro dimensões por Y. Chikashige, R. N. Mohapatra e R. D. Peccei para entender as massas de neutrinos por mecanismo seesaw e são buscados em processos de decaimento beta duplo. Eles têm extensões teóricas dessa ideia na supersimetria, nas teorias supersimétricas envolvendo dimensões extra compactadas. Por propagarem pela extra dimensão especial o número de majorons detectáveis em eventos de criação variam de acordo. Matematicamente, majorons podem ser modelados por permiti-los a se propagarem por materiais enquanto outras forças do modelo padrão estão fixadas em um ponto Orbifold.


Referências

  1. Lattanzi, M. (2008). «Decaying Majoron Dark Matter and Neutrino Masses». AIP Conference Proceedings. 966 (1): 163–169. arXiv:0802.3155Acessível livremente. doi:10.1063/1.2836988 

Leitura posterior[editar | editar código-fonte]