Gluino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um gluino () é uma s-partícula hipotética do glúon. De acordo com os físicos teóricos da supersimetria, os gluinos devem ser produzidos em aceleradores de partículas como o Grande Colisor de Hádrons por forma da produção de par, se eles existirem.[1]

Nas teorias supersimétricas, gluinos são férmions de Majorana e interage através da força nuclear forte como um octeto de cor.[nota 1][2] Gluinos possuem lépton igual a 0, bárion igual a 0 e spin igual a 12.

Gluinos decaem por meio de interações fortes em um squark e um quark. Então, quase que instantaneamente, o squark decai num outro quark e na partícula elementar supersimétrica mais leve possível. Isto significa que o rastro de um gluino num colisor de hádrons seriam quatro jatos e alguma energia faltante.[3]

Entretanto, se gluinos são mais leves que squarks, três partículas de decaimento de um gluino a um neutralino e um par quark–antiquark é cinematicamente acessível através de um único squark.[4]

Referências

  1. «Gluino». www.chemeurope.com. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  2. «What does gluino mean?». www.definitions.net (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  3. ATLAS Collaboration (6 de junho de 2018). «Search for squarks and gluinos in final states with jets and missing transverse momentum using 36 fb$^{-1}$ of $\sqrt{s}$=13 TeV $pp$ collision data with the ATLAS detector». Physical Review D (11). 112001 páginas. ISSN 2470-0010. doi:10.1103/PhysRevD.97.112001. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  4. January 2021, Paul Sutter-Astrophysicist 11. «Where are all the squarks and gluinos?». livescience.com (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 

Notas

  1. Como existem oito glúons de diferentes combinações de cores, existem oito gluinos de diferentes combinações também.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]