Pseudosuchia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPseudosuchia
Ocorrência: Triássico InferiorHoloceno
250–0 Ma
Suchia
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Clado: Archosauria
Clado: Pseudosuchia
Zittel, 1887
Subgrupos
Sinónimos
  • Crocodylotarsi Benton & Clark, 1988

Pseudosuchia (Falso crocodilo) é o nome dado originalmente a um grupo de répteis pré-históricos do período Triássico. O nome tem sido interpretada de maneiras variadas na literatura científica. A definição mais utilizada na literatura recente é a da linhagem dos arcossauros que inclui os crocodilianos e todas as espécies extintas mais próximas dos crocodilianos do que das aves.[1][2]

História taxonômica[editar | editar código-fonte]

O nome Pseudosuchia foi inventado por Karl Alfred von Zittel entre 1887-1890 para incluir três táxons (dois aetossauros e Dyoplax) que eram superficialmente semelhantes aos crocodilos, mas não eram realmente de crocodilo. Daí o nome "Falso crocodilo".

Em livros didáticos dos meados do século XX como Paleontologia de Vertebrados de Romer e Evolução dos Vertebrados de Colbert o Pseudosuchia constituem uma das subordens da Thecodontia. O Aetossauro de Zittel foi colocado em sua própria subordem. Para os pseudosúquios típicos, Colbert usa o exemplo de pequenos arcossauros de construção leve, como Ornithosuchus e Hesperosuchus, sendo que ambos estavam sendo reconstruídos como bípedes terópodes (comprimento de cerca de 1 metro) em miniatura. Estes pequenos animais mais tarde foram considerados os ancestrais de todos os arcossauros. O nome também se tornou uma espécie de táxon lixeira para todos os tecodontes que não se encaixavam nas outras três subordens. Mesmo os Sharovipteryx e Longisquama foram considerados como pseudosúquios.

Sob o sistema de cladística, Gauthier e Padian (1985 e 1986) se tornaram os primeiros a estabelecer este nome em um contexto filogenético, usando-o como um taxon monofilético baseado no tronco dos ancestrais dos crocodilos e seus descendentes. Isso fez com que o nome Pseudosuchia ficasse um tanto irônico, porque os crocodilos verdadeiros são agora incluídos. A definições filogenética de Pseudosuchia incluem "crocodilos e todos os arcossauros mais próximos dos crocodilos do que das aves" (Gauthier e Padian), "crocodilos existentes e todos os arcossauros extintos que estão próximos dos crocodilos do que dos pássaros" (Gauthier 1986), e mais recentemente " clado mais inclusivo dentro do Archosauria que inclui Crocodylia mas não Aves " (Senter 2005). Como um táxon tronco com base no Pseudosuchia é o táxon irmão de um outro grupo, o Avemetatarsalia. Avemetatarsalia são arcossauros da linhagem das aves, incluindo pterossauros, dinossauros não avianos e todas as aves modernas.

Uma definição diferente foi sugerida por Benton e Clark, 1988: o táxon nó da base, incluindo o Rauisuchidae e o aetossauros. No entanto, as relações entre os dois grupos e outros arcossauros é controversa, e por isso este clado pode ser inválido.

Paul Sereno rejeita a Pseudosuchia e nem sempre é aplicada por ele, seu Crurotarsi é mais frequentemente usado (outro sinônimo parcial é o de Benton e o Crocodylotarsi de Clark). Crurotarsi, é definido como um taxon nodo-base, contando com a inclusão de grupos como Phytosauria, Aetossauros e Crocodylomorpha. Pseudosuchia e Crurotarsi foram considerados sinônimos parciais porque o último clado engloba todos os arcossauros crocodilos em análises filogenéticas.[3] No entanto, algumas análises como a de Nesbitt (2011) colocam o grupo crurotarsi, Phytosauria, fora do Pseudosuchia. Como a definição de Crurotarsi depende dos phytossauros, a sua colocação fora do Pseudosuchia (portanto da Archosauria) significa que o clado Crurotarsi inclui tanto pseudosuquianos e avemetatarsalianos.[1]

Notas e Referências

  1. a b Nesbitt, S.J. (2011). «The early evolution of archosaurs: relationships and the origin of major clades» (PDF). Bulletin of the American Museum of Natural History. 352: 1–292. doi:10.1206/352.1 
  2. «Archosauria - Encyclopedia of Life». eol.org. Consultado em 14 de abril de 2019 
  3. Brochu, C.A. (1997). «Synonymy, redundancy, and the name of the crocodile stem-group». Journal of Vertebrate Paleontology. 17 (2): 448–449 
  • Benton, MJ & JM Clark (1988), Archosaur phylogeny and the relationships of the Crocodilia in MJ Benton (ed.), The Phylogeny and Classification of the Tetrapods 1: 295-338. Oxford, The Systematics Association
  • Gauthier, J., 1986. Saurischian monophyly and the origin of birds. In: K. Padian, ed. The Origin of Birds and the Evolution of Flight. Memoirs California Academy of Sciences 8. pp. 1–55
  • Gauthier, J. and K. Padian, 1985. Phylogenetic, functional, and aerodynamic analyses of the origin of birds and their flight. pp. 185–197 In: M.K. Hecht, J.H. Ostrom, G. Viohl and P. Wellnhofer, eds. The Beginnings of Birds: proceedings of the international Archaeopteryx conference; 1984; Eichstätt, Germany. Eichstätt: Freunde des Jura-Museums. pp. 185–197.
  • Senter, P. 2005. Phylogenetic taxonomy and the names of the major archosaurian (Reptilia) clades. PaleoBios, v. 25, n. 2, p. 1-7.
  • Sereno, P. C. 2005. Stem Archosauria—TaxonSearch [version 1.0, 7 November 2005]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]