Rádio Assunção Cearense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rádio Assunção Cearense
{{{alt}}}
Rádio Assunção Cearense Ltda.
País Brasil
Frequência(s) AM 620 kHz
Sede Fortaleza, CE
Fundação 11 de fevereiro de 1962 (56 anos)
Fundador Arquidiocese de Fortaleza
Pertence a Moésio Loiola
José Maria de Melo
Afiliações Rádio Bandeirantes
Afiliações anteriores Rede Cearense de Notícias (1996-2000)
Rádio Globo (2006-2012)
Idioma Português
Prefixo ZYH 590
Nome(s) anterior(es) RCN Sat Assunção (1996-2000)
Rádio Globo Fortaleza (2006-2012)
Página oficial www.620am.com.br

Rádio Assunção Cearense (tendo como nome completo Rádio Nossa Senhora da Assunção; também chamada de Rádio Assunção) é uma emissora de rádio brasileira sediada em Fortaleza, capital do estado do Ceará. Opera no dial AM, na frequência 620 kHz e é afiliada a Rádio Bandeirantes, sendo fundada pela Arquidiocese de Fortaleza em 11 de fevereiro de 1962.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Rádio Assunção Cearense foi inaugurada em 11 de fevereiro de 1962 pela Arquidiocese de Fortaleza, sob superintendência do Padre Francisco Pinheiro Landim, numa cerimônia realizada pelo Arcebispo de Fortaleza Dom Antônio de Almeida Lustosa.[2] A rádio foi nomeada Rádio Nossa Senhora da Assunção, mas para facilitar a comunicação no ar, teve seu nome reduzido. Em seu início, a programação da emissora era predominantemente religiosa, sendo a primeira na região com este tipo de programação.[1] Em junho do mesmo ano, é concedida à rádio autorização para transmissão em ondas tropicais[3], facilitando uma expansão do sinal para o interior do Ceará e estados da região Nordeste.[4]

Com o Golpe de Estado no Brasil em 1964, a direção comercial da emissora passou a ser comandada por Geraldo Fontenele, que mudou a programação da rádio e passou a transmitir uma grade direcionada ao jornalismo e ao esporte - este último através da contratação do radialista Gomes Farias. Na época, o governo cortou verbas de incentivos e cancelou diversas concessões de emissoras concorrentes. Em 1966, Landim deixa a superintendência da rádio e o cargo é assumido pelo Padre Geraldo Campos, permanecendo até 1969 com a entrada do radialista José Cabral de Araújo, que realizou uma série de mudanças no setor esportivo. Em 1973, vários radialistas e funcionários deixam a Assunção e são contratados pela Rádio Verdes Mares, provocando uma mudança na programação da emissora que passa a incorporar uma programação musical. Paraplégico, Cabral de Araújo deixa a rádio em outubro de 1973 por problemas de saúde, sendo Geraldo Fontenele seu substituto.[4]

Assumindo a Arquidiocese de Fortaleza em agosto de 1973, Dom Aloísio Lorscheider anuncia em outubro de 1981 que a emissora seria vendida. A negociação foi concluída em dezembro do mesmo ano, junto com a venda do jornal O Nordeste, o Palácio São José e o Banco Popular, todos de propriedade da Arquidiocese. O radialista Moésio Loiola e seu irmão José Maria de Melo assumem como proprietários da Assunção e a mesma volta a ter parte de sua programação conteúdo de cunho religioso.[2] A partir de 1996, a emissora passa a ser a matriz da Rede Cearense de Notícias (RCN Sat), em uma parceria que durou até 2000, quando sua programação é arrendada à Comunidade Católica Shalom.[1] O contrato se encerrou em 10 de maio de 2006 e a rádio permaneceu sem programas até 3 de junho do mesmo ano, quando passou a retransmitir a Rádio Globo e ser nomeada Rádio Globo Fortaleza.[4][1]

Em junho de 2012, a direção da emissora anuncia que não irá renovar o contrato de afiliação com a Rádio Globo e que iria investir em programação local.[5] A programação da Rádio Globo deixou de ser transmitida em 19 de julho de 2012 e a emissora retornou com o nome Assunção Cearense.[6] No mesmo dia, passou a transmitir a programação da Rádio Bandeirantes, da qual retransmite o Primeira Hora e as jornadas esportivas quando não há times cearenses em campo.[7][8]

Referências

  1. a b c d PINHEIRO, A.; LIMA, N.; MARQUES, P. (2010). «Panorama do Rádio em Fortaleza» (PDF). Fortaleza. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (em português brasileiro): 1-15. Consultado em 1º de agosto de 2016. 
  2. a b NETO, M. J. T. S. (2008). «"A VIDA DO ALVINEGRO": UM CASO DE RÁDIO ESPORTIVO APAIXONADO» (PDF). Fortaleza (em português brasileiro): 1-62. Consultado em 1º de agosto de 2016. 
  3. Alfredo Nasser (26 de junho de 1962). «Decreto nº 1269 de 25/06/1962 / CM - Conselho de Ministros (D.O.U. 26/06/1962)». Diário Oficial da União. Diário das Leis. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  4. a b c Leila Nobre (8 de maio de 2010). «Rádio Assunção Cearense». Fortaleza Nobre. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  5. Carlos Massaro (8 de junho de 2012). «Exclusivo: Rádio Globo deixa Fortaleza no final do mês». Tudo Rádio. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  6. Carlos Massaro (19 de julho de 2012). «Rádio Globo deixa Fortaleza e Assunção AM já está no ar». Tudo Rádio. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  7. Ribamar Xavier (19 de julho de 2012). «Gomes Faria sofre acidente automobilístico, mas passa bem». Esporte e Mídia. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  8. Carlos Massaro (6 de novembro de 2013). «Rádio Globo deixa Fortaleza no dia 30 e CBN será transmitida em AM e FM». Tudo Rádio. Consultado em 1 de agosto de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]