Arquidiocese de Fortaleza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arquidiocese de Fortaleza
Archidiœcesis Fortalexiensis
Catedral Metropolitana na VII Caminhada com Maria
Localização
País Brasil
Estatísticas
Área 15,217 km²
Informação
Rito Romano
Criação da diocese 6 de junho de 1854 (166 anos) por Papa Pio IX
Elevação a arquidiocese 10 de novembro de 1915 (104 anos) por Papa Bento XV
Catedral Catedral Metropolitana de Fortaleza
Padroeiro São José
Governo da arquidiocese
Arcebispo José Antônio Aparecido Tosi Marques
Bispo auxiliar Rosalvo Cordeiro de Lima
Valdemir Vicente de Andrade
Júlio César Souza de Jesus
Vigário-geral Mons. João Jorge Corrêa Filho

Mons. Virgínio Asêncio Serpa

Bispo auxiliar emérito Adalberto Paulo da Silva, OFMCap
Geraldo Nascimento, OFMCap
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
(Região Nordeste 1)
Contatos
Endereço Av. Dom Manuel, 3
Página oficial https://www.arquidiocesedefortaleza.org.br
dados em catholic-hierarchy.org

A Arquidiocese de Fortaleza (Archidioecesis Fortalexiensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica no estado do Ceará.[1] Congrega 137 paróquias e 8 áreas pastorais.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A diocese do Ceará foi canonicamente erigida pelo Papa Pio IX em 1854 através da bula pontifícia "Animarum Salute" a época o território da nova diocese, desmembrada da Arquidiocese de Olinda e Recife contava com cerca de 650.000 habitantes. A realidade da nova diocese concretizou-se somente em 1860, após longas disputas entre a Santa Sé e o governo imperial brasileiro.

O primeiro bispo da diocese do Ceará foi Dom Luís Antônio dos Santos, tomando posse em 1861. Em 10 de Outubro de 1864, Dom Luís Antônio dos Santos, funda o Seminário Episcopal da Prainha junto ao complexo da Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Outeiro da Prainha.

Já em 1884 o Papa Leão XIII nomeou como segundo bispo do Ceará, Dom Joaquim José Vieira, foi Dom Joaquim que no ano de 1889 iniciou os trabalhos de investigação ao Padre Cícero Romão Batista na região da então vila de Juazeiro do Norte. Dom Joaquim deixou o governo da arquidiocese de Fortaleza em 1912.

Em 8 de dezembro de 1912 tomou posse como terceiro bispo diocesano do Ceará, o então já bispo auxiliar, Dom Manoel da Silva Gomes. Sob o pastoreio de Dom Manoel, é que em 1914 são criadas as dioceses de Sobral e a Crato, fazendo com que o Papa Bento XV em 10 de novembro se 1915, através da bula "Catholicae Religionis Bonum" elevasse canonicamente a Arquidiocese de Fortaleza, designando seu primeiro arcebispo Dom Manoel da Silva Gomes. Dom Manoel trouxe ainda inúmeras congregações religiosas masculinas e femininas para trabalhar na nova arquidiocese e criou dez novas paróquias, e em 1938 foi desmembrada a Diocese de Limoeiro do Norte, quando deixou o governo da arquidiocese.

Em 5 de novembro de 1941 para suceder Dom Manoel, o Papa Pio XII nomeou Dom Antônio de Almeida Lustosa, S.D.B., arcebispo metropolitano de Fortaleza. Dom Lustosa chegou a Fortaleza em um tempo de grandes mudanças estruturais e de grandes dificuldades, entre elas aa vítimas da seca e o numeroso fluxo de pessoas que chegavam em Fortaleza em busca de melhores condições de vida, originárias do interior do estado. Assim, Dom Antônio de Almeida Lustosa, escreveu vários escritos sobre a realidade da seca e insistiu junto ao governo da época por ações em favor dos mais pobres, Dom Lustosa deixou a arquidiocese após 22 anos de pastoreio em 1963, havendo criado 34 paróquias, sendo que em 1961 foi desmembrada a Diocese de Iguatu. Hoje na Santa Sé junto da arquidiocese de Fortaleza, tramita o seu processo de beatificação, dada sua fama de santidade.

Em meados de 1963, enquanto realizava-se o Concílio Vaticano II, o Papa João XXIII, nomeou a Dom José de Medeiros Delgado arcebispo de Fortaleza, transferindo-o da Arquidiocese de São Luís do Maranhão. No pastoreio de Dom Delgado implantou-se as reformas frutos do Concílio Vaticano II, entre elas a venda do então Palácio arquiepiscopal, a fundação do Seminário Cardeal Frings e o fechamento do Seminário da Prainha em 1967. Fundou no prédio do antigo seminário da Prainha o Instituto Superior de Ciências da Religião (ISCRE), para a formação de leigos. No pastoreio de Dom Delgado foram erigidas onze novas paróquias, sendo que desmembrou-se em 1964 a Diocese de Crateús, e em 1971 as dioceses de Quixadá, Itapipoca, como também desmembrou-se da diocese de Sobral a nova diocese de Tianguá.

Em 26 de março de 1973, o Papa Paulo VI nomeou a Dom Aloísio Lorscheider, O.F.M., arcebispo de Fortaleza. Dom Aloísio encontra em Fortaleza uma realidade diferente de todas as outras que havia desenvolvido no sul do país. Dedicou particular atenção ao clero, no qual procurou desenvolver um profundo sentido de comunhão eclesial e um singular impulso apostólico.

Em 24 de maio de 1976, durante o Consistório Ordinário Público, Dom Aloísio Lorscheider foi criado Cardeal da Santa Igreja pelo Papa Paulo VI que o concedeu o título de Cardeal-presbítero de São Pedro “in Montorio". O Cardeal Lorscheider tomou parte em dois conclaves, o primeiro em Agosto de 1978 culminando na eleição de João Paulo I e o segundo em Outubro de 1978 resultando na eleição de João Paulo II.

Dom Aloísio criou os primeiros planos de pastoral da arquidiocese de Fortaleza, morou na periferia junto dos mais pobres e incentivou ao máximo as pastorais sociais. Um outro marco no pastoreio de Dom Aloísio foi a dedicação da Catedral de Fortaleza, em 22 de Dezembro de 1978, após 40 anos de construção, com capacidade de abrigar 5.000 pessoas. Em 1980, Dom Aloísio então cardeal arcebispo de Fortaleza, acolheu a visita apostólica do João Paulo II por ocasião do 10° Congresso Eucarístico Nacional. Episódio marcante de seu pastoreio e para a vida da arquidiocese de Fortaleza que recebeu junto ao seu povo o sucessor de Pedro.

Ao final de seu ministério em Fortaleza, o Cardral Lorscheider havia criado onze paróquias, contou com quatro bispos auxiliares, desenvolveu inúmeros conselhos e planos de pastorais, fundou em 1987 o seminário São José de Filosofia, buscando promover as vocações, fez inúmeras visitas pastorais as paróquias e áreas missionárias, e empreendeu inúmeros trabalhos em favor dos mais pobres e marginalizados. Em 1995 após 22 anos de trabalhos em Fortaleza, foi tranaferido para a Arquidiocese de Aparecida.

Em 29 de Maio de 1996, João Paulo II, nomeou a Dom Frei Cláudio Hummes, O.F.M. como arcebispo metropolitano de Fortaleza. Durante seu curto pastoreio em Fortaleza, Dom Cláudio realizou uma assembleia de pastoral e criou duas novas paróquias. Foi nomeado em 15 de Abril de 1998 arcebispo dd São Paulo.

Assim, é que as portas do terceiro milênio cristão, em 13 de Janeiro de 1999, João Paulo II nomeou Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques como o sexto arcebispo metropolitano de Fortaleza, vindo a tomar posse solenemente em 24 de Março de 1999, exercendo ainda atualmente o ministério a frente da arquidiocese.

A arquidiocese de Fortaleza comemorou solenemente em 2003 o jubileu de 150 anos da criação da Diocese do Ceará.

Ainda, em 2015 comemorou o jubileu centenário pela elevação como arquidiocese, a celebração jubilar teve lugar no condomínio espiritual o uirapuru e foi presidida pelo Núncio apostólico Dom Giovanni d'Aniello, junto dos bispos das nove dioceses do Ceará e de todo o clero.

Atualmente a arquidiocese tem grandes desafios frente a evangelização, a população somente na capital ultrapassa 2.600.000 segundo o IBGE.

[2][3]

Bispos e arcebispos[editar | editar código-fonte]

Administração local:[1]

Nome Período Notas
Bispos
Dom Luis Antônio dos Santos 1860-1881 Nomeado Arcebispo de Salvador
Dom Joaquim José Vieira 1883-1912 Renunciou
Dom Manoel da Silva Gomes 1912-1915
Arcebispos
Dom Manoel da Silva Gomes 1915-1941
Dom Antônio de Almeida Lustosa, S.D.B. 1941-1963
Dom José de Medeiros Delgado 1963-1973
Dom Frei Aloísio Cardeal Lorscheider, O.F.M. 1973-1995 Nomeado Arcebispo de Aparecida
Dom Frei Cláudio Hummes, O.F.M. 1996-1998 Nomeado Arcebispo de São Paulo
Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques 1999-atual
Bispo-Coadjutor
Dom Manuel Antônio de Oliveira Lopes 1908-1910 Nomeado Bispo de Alagoas
Bispo-Auxiliares
Dom Manoel da Silva Gomes 1911-1912 Elevado a Bispo
Dom Eliseu Simões Mendes 1950-1953 Nomeado Bispo de Mossoró
Dom Expedito Eduardo de Oliveira 1953-1959 Nomeado Bispo de Patos
Dom Raimundo de Castro e Silva 1957-1991
Dom Gérard-Paul-Louis-Marie de Milleville, C.S.Sp. 1967-1984 Antes arcebispo de Conakry
Dom Miguel Fenelon Câmara Filho 1970-1974 Nomeado Arcebispo-coadjutor de Maceió
Dom Manuel Edmilson da Cruz 1974-1994 Nomeado Bispo de Limoeiro do Norte
Dom Frei Geraldo Nascimento, O.F.M.Cap. 1982-1997 Bispo Auxiliar Emérito
Dom Frei Adalberto Paulo da Silva, O.F.M.Cap. 1995-2004 Bispo Auxiliar Emérito
Dom Plínio José Luz da Silva 2001-2003 Nomeado Bispo de Picos
Dom Sérgio da Rocha 2001-2007 Nomeado Arcebispo-coadjutor de Teresina
Dom José Luiz Ferreira Salles, C.Ss.R. 2006-2012 Nomeado Bispo de Pesqueira
Dom Rosalvo Cordeiro de Lima 2011- Bispo Auxiliar Atual
Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos 2012-2015 Nomeado Bispo de Sobral.
Dom Júlio César Souza de Jesus 2018 - Bispo Auxiliar Atual
Dom Valdemir Vicente Andrade Santos 2018 - Bispo Auxiliar Atual

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Cheney, David M. (2019). «Archdiocese of Fortaleza». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 18 de julho de 2019. Cópia arquivada em 22 de março de 2019 
  2. «História». Arquidiocese de Fortaleza. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  3. «Achdiocese of Fortaleza» (em inglês). Consultado em 27 de novembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira do Vaticano Circunscrições eclesiásticas católicas do Brasil — Regional Nordeste I (Ceará) Bandeira do Ceará

Província Eclesiástica de Fortaleza
Crateús | Crato | Iguatu | Itapipoca | Limoeiro do Norte | Quixadá | Sobral | Tianguá


Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.