Susan Sontag

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Susan Sontag
Susan Sontag por Juan Bastos
Nascimento 16 de janeiro de 1933
Nova Iorque, Estados Unidos da América
Morte 28 de dezembro de 2004 (71 anos)
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Cônjuge Philip Rieff (1950-1958, 1 filho: David Rieff)
Ocupação Escritor, crítica de arte e ativista
Prémios National Book Critics Circle Award (1977)

National Book Award - Ficção (2000)
Prémio Jerusalém (2001)
Prémio Princesa das Astúrias (2003)

Magnum opus Ensaios sobre fotografia

Susan Sontag (16 de janeiro de 1933, Nova Iorque28 de dezembro de 2004) foi uma escritora, crítica de arte e ativista dos Estados Unidos.

Graduou-se na Universidade de Harvard e destacou-se por sua defesa dos direitos humanos. Publicou vários livros, entre eles Styles of Radical Will, The Way We Live Now, Against Interpretation e In America, pelo qual recebeu em 2000 um dos mais importantes prémios do seu país, o National Book Award.

Publicou artigos em revistas como The New Yorker e The New York Review of Books e no jornal The New York Times.

Num de seus últimos artigos, publicado em maio de 2004 no jornal The New York Times, Sontag afirmou que "a história recordará a Guerra do Iraque pelas fotografias e vídeos das torturas cometidas pelos soldados americanos na prisão de Abu Ghraib. Ela faleceu aos 71 anos de idade de síndrome mielodisplásica seguida de uma leucemia mielóide aguda em 28 de Dezembro de 2004.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sontag nasceu com o nome Susan Rosenblatt na cidade de Nova Iorque, filha do judeu norte-americano Jack Rosenblatt e sua esposa, Mildred Jacobsen.

Sontag tornou-se consciente da sua atração por mulheres no início da adolescência, e escreveu no seu diário aos 15 anos, "so now I feel I have lesbian tendencies (how reluctantly I write this)." Aos 16, teve o seu primeiro encontro sexual com uma mulher: "Perhaps I was drunk, after all, because it was so beautiful when H began making love to me .... It had been 4:00 before we had gotten to bed ... I became fully conscious that I desired her, she knew it, too...."[1][2]

Aos 17 casa com Philip Rieff em Chicago após um namoro de dez dias. O filósofo Herbert Marcuse viveu com Sontag e Rieff durante um ano enquanto escrevia Eros and Civilization.[3] Sontag e Rieff estiveram casados oito anos, durante os quais ela trabalhou no ensaio Freud: The Mind of the Moralist que seria atribuído unicamente a Philip Rieff como acordo no divórcio que ocorreu entre ambos em 1958.[4] O casal teve um filho, David Rieff, que seria mais tarde editor da obra da mãe Farrar, Straus and Giroux, e escritor ele próprio.

Na década de 1970, Sontag esteve romanticamente envolvida com Nicole Stéphane (1923-2007), uma herdeira da família de banqueiros Rothschild que se tornou actriz.[5] Sontag mais tarde assumiu uma relação com a fotógrafa Annie Leibovitz, de quem esteve sempre próxima nos últimos anos de vida; também teve casos com a coreógrafa Lucinda Childs, a escritora Maria Irene Fornes, e outras mulheres.[6]

A mãe de Susan Sontag morreu de câncer de pulmão no Havaí, em 1986. Susan Sontag morreu em Nova York em 28 de dezembro de 2004, aos 71 anos, de complicações de síndrome mielodisplásica, que evoluiu para leucemia mielóide aguda. Sontag está enterrada no cemitério de Montparnasse, em Paris.

Sua última doença foi registrada por David Rieff, seu filho.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ficção[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título no Brasil Título em Portugal
1963 The Benefactor
1967 Death Kit
1977 I, etcetera (contos)
1991 The Way We Live Now Assim vivemos agora[7]
1992 The Volcano Lover O amante do vulcão[8] O amante do vulcão
1999 In America Na América[8] Na América

Não ficção[editar | editar código-fonte]

Ensaios[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título no Brasil Título em Portugal
1966 Against Interpretation Contra a interpretação[9]
1969 Styles of Radical Will A vontade radical[10]
1980 Under the Sign of Saturn Sob o signo de Saturno[9]
2001 Where the Stress Falls Questão de ênfase

Monografias[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título no Brasil Título em Portugal
1977 On Photography Ensaios sobre a fotografia (Arbor, edição original)[9]
Sobre fotografia (Companhia das Letras, reedição)
Ensaios sobre fotografia
1978 Illness as Metaphor A doença como metáfora (Graal, edição original)[9]
Doença como metáfora (Companhia das Letras, reedição)[nota 1]
A doença como metáfora[nota 1]
1988 AIDS and Its Metaphors AIDS e suas metáforas[nota 1] A Sida e as suas metáforas[nota 1]
2003 Regarding the Pain of Others Diante da dor dos outros[11]
2007 At the Same Time: Essays & Speeches Ao mesmo tempo Ao mesmo tempo

Outros[editar | editar código-fonte]

Ano Título original Título no Brasil Título em Portugal
2008 Reborn: Journals and Notebooks 1947–1963 Diários (1947–63) Renascer: diários e apontamentos 1947–1963
2012 As Consciousness Is Harnessed to Flesh: Journals and Notebooks, 1964–1980

Notas

  1. a b c d Tanto no Brasil quanto em Portugal, Illness as Metaphor e AIDS and Its Metaphors foram relançados na década de 2000 em edição conjunta.

Referências

  1. Susan Sontag: 'It was so beautiful when H began making love to me', Paul Bignell, The Independent on Sunday, 16 November 2008
  2. Reborn: Early Diaries, 1947-1964, published by Penguin, January 2009
  3. See C. Rollyson and L. Paddock, Susan Sontag: The Making of an Icon', W. W. Norton, 2000, p.38'.
  4. Ver Susan Sontag, Reborn: Journals and Notebooks 1947-1963, ed. D. Rieff, Farrar, Straus and Giroux, 2008, p.144.
  5. Leo Lerman, "The Grand Surprise: The Journals of Leo Lerman", NY: Knopf, 2007, page 413
  6. Susan Sontag (10 de setembro de 2006). «On Self». The New York Times Magazine. Consultado em 23 de fevereiro de 2008 
  7. Stycer, Maurício (24 de novembro de 1995). caderno "Ilustrada". «Sontag ensina a superar o medo da Aids». São Paulo. Folha de S. Paulo. 75 (24341): 5/11. ISSN 1414-5723. Consultado em 8 de abril de 2015 
  8. a b Moura, Rodrigo (6 de outubro de 2001). caderno "Ilustrada". «Na ribalta da América». São Paulo. Folha de S. Paulo. 81 (26484): E1. ISSN 1414-5723. Consultado em 8 de abril de 2015 
  9. a b c d caderno "Livros". «Sontag encontra a vergonha na casa de Mann». São Paulo. Folha de S. Paulo. 68 (21759): H4. 29 de outubro de 1988. ISSN 1414-5723. Consultado em 8 de abril de 2015 
  10. Kehl, Maria Rita (11 de outubro de 2009). caderno "Mais!". «Linda, leve e solta». São Paulo. Folha de S. Paulo. 89 (29411). 7 páginas. ISSN 1414-5723. Consultado em 8 de abril de 2015 
  11. Moura, Flávio (24 de agosto de 2003). caderno "Ilustrada". «Susan Sontag vê a dor». São Paulo. Folha de S. Paulo. 83 (27171): E4. ISSN 1414-5723. Consultado em 8 de abril de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Susan Sontag