The Legend of Zelda: Four Swords Adventures

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Legend of Zelda:
Four Swords Adventures
Desenvolvedora(s) Nintendo EAD Group No. 3
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Toshiaki Suzuki
Produtor(es)
Escritor(es)
  • Aya Kyogoku
  • Daiji Imai
Compositor(es)
Plataforma(s) Nintendo GameCube
Série The Legend of Zelda
Data(s) de lançamento
  • JP 18 de Março de 2004
  • AN 7 de Junho de 2004
  • EU 7 de Janeiro de 2005
  • AU 7 de Abril de 2005
Gênero(s) Action-adventure
Modos de jogo Um jogador, multijogador

The Legend of Zelda: Four Swords Adventures, lançado como The Legend of Zelda: Four Swords+[1] (ゼルダの伝説 4つの剣+, Zeruda no Densetsu: Yottsu no Tsurugi+?) no Japão, é o décimo primeira obra da série The Legend of Zelda da Nintendo. Ele foi lançado para o console de jogos eletrônicos Nintendo GameCube no Japão em 18 de Março de 2004; na América do Norte em 7 de junho de 2004; na Europa, em 7 de janeiro de 2005; e na Austrália, no dia 7 de abril, 2005. O console portátil Game Boy Advance pode ser usado como um controle ao usar o Nintendo GameCube – Game Boy Advance link cable fornecido com o jogo na América do Norte e Europa. O jogo é a único da série que não pode ser jogado na atual geração de consoles da Nintendo.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O principal modo de Four Swords Adventures é "Hyrulean Adventure", uma adaptação episódica, cooperativa de multijogador da jogabilidade convencional de The Legend of Zelda. "Shadow Battle" é um modo de batalha multijogador competitivo. "Navi Trackers", presente apenas na versão japonesa do jogo (e brevemente apresentado na E3 antes do lançamento nos EUA), é uma corrida de rally.[2]

Hyrulean Adventure[editar | editar código-fonte]

Hyrulean Adventure é a campanha principal de Four Swords Adventures, e pode ser jogado de um a quatro jogadores. Ele consiste em oito mundos, cada um com três estágios e uma batalha de chefe. Os gráficos são semelhantes aos da versão do Game Boy Advance, mas os mapas são estáticos, em vez de gerados aleatoriamente, a visão de cima para baixo é tirada de The Legend of Zelda: a Link to the Past, e a jogabilidade inclui efeitos a partir de Wind Waker. Os gráficos também incluem melhoria nos efeitos atmosféricos, tais como sombras de nuvens, que lentamente se move através do chão, refração, tempestades de poeira e neblina. A música é baseada em A Link to the Past, mas com rearranjos.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

O jogo começa com a terra de Hyrule em um estado de medo por causa de acontecimentos estranhos que ocorreram recentemente. Em uma noite de tempestade, a Princesa Zelda e as donzelas do santuário têm medo de a razão para esses eventos ser do selo de Vaati estar enfraquecendo. Ela convoca Link e o leva para o castelo para que ele possa protegê-la e as outras donzelas enquanto eles abrem o portal para o Four Sword Sanctuary. Quando o fazem, no entanto, uma figura sombria surge do portal. Esta figura foi Shadow Link, que depois sequestrou as donzelas do santuário e as selou em cristais. Link segue-o para o santuário, onde ele recupera a Four Sword para destruir este doppelganger. A Four Sword é uma espada mágica que divide o possuidor em três clones de si mesmo. Vaati é mais uma vez solto e causa estragos no pacífico reino.[3]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

The Legend of Zelda: Four Swords Adventures pode ser jogado em um Game Boy Advance.

Na E3 De 2003, a Nintendo apresentou dois jogos de Zelda que fariam uso da conectividade do Game Boy Advance, Four Swords e Tetra's Trackers.[4][5] Em dezembro do mesmo ano, foi anunciado que ambos os jogos estariam juntos em um único disco, Four Swords +, além de um terceiro, Shadow Battle.[6] Four Swords Adventures foi lançado no Japão com Hyrule Adventure, Shadow Battle, e Navi's Trackers como três jogos individuais agrupados juntos. Mais tarde, foi anunciado em 7 de junho de 2004, no entanto, que Hyrule Adventures e Navi's Trackers seriam vendidos como dois títulos separados nos Estados Unidos, enquanto o status de varejo de Shadow Battle ainda era desconhecida.[7] Esta decisão foi posteriormente alterada para o pacote de Hyrule Adventure e Shadow Battle, e não lançar o Navi's Trackers nos Estados Unidos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Em 2006, a Nintendo Power qualificou Four Swords Adventures como o 48º melhor jogo feito em um sistema Nintendo.[8] Ele recebeu uma pontuação 86 de 100 com base em 55 análises do Metacritic,[9] e uma pontuação média de 85%, com base em 67 avaliações de Game Rankings.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «The Legend of Zelda: Four Swords+ box art». Nintendo Co., Ltd. (via WebCite). 18 March 2004. Consultado em 16 August 2010. 
  2. a b Nintendo. The Legend of Zelda: Four Sword Adventures manual Nintendo [S.l.] 
  3. The Legend of Zelda: Four Swords Adventures. Nintendo. (Nintendo). GameCube. (2004-06-07)
  4. Bryn Williams (2003-05-14). «The Legend of Zelda: Four Swords». GameSpy. Consultado em 2008-04-18. 
  5. Bryn Williams (2003-05-14). «The Legend of Zelda: Tetra's Trackers». GameSpy. Consultado em 2008-04-18. 
  6. «Nintendo bundles Zelda: Four Swords up». GameSpot. 2003-12-08. Consultado em 2008-04-18. 
  7. Bryn Williams (2004-06-07). «The Legend of Zelda: Four Swords + (GCN)». GameSpy. Consultado em 2008-04-18. 
  8. «NP Top 200». Nintendo Power [S.l.: s.n.] (199): 43. January 2006. 
  9. «The Legend of Zelda: Four Swords Adventures». Metacritic. 
  10. «Zelda: Four Swords — GC». Game Rankings. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]