The Legend of Zelda: Spirit Tracks

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, (inglês) e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
The Legend of Zelda: Spirit Tracks
Capa europeia, mesma arte da capa japonesa
Desenvolvedora(s) Nintendo Entertainment Analysis & Development
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Daiki Iwamoto
Produtor(es) Eiji Aonuma
Projetista(s) Koji Takahashi
Koji Kitagawa
Programador(es) Shiro Mouri
Masahiro Nitta
Artista(s) Naoya Hasegawa
Yuri Adachi
Compositor(es) Toru Minegishi
Manaka Tominaga
Asuka Ota
Plataforma(s) Nintendo DS
Série The Legend of Zelda
Data(s) de lançamento
  • AN 7 de dezembro de 2009
  • EU 11 de dezembro de 2009
  • JP 23 de dezembro de 2009
Gênero(s) Ação-aventura
Modos de jogo Um jogador
Multijogador
The Legend of Zelda:
Phantom Hourglass
The Legend of Zelda:
Skyward Sword

The Legend of Zelda: Spirit Tracks (ゼルダの伝説 大地の汽笛, Zeruda no Densetsu Daichi no Kiteki?)[1] é um jogo eletrônico da série The Legend of Zelda disponível apenas para Nintendo DS.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Tanto The Legend of Zelda: Phantom Hourglass, quanto The Legend of Zelda: Spirit Tracks, ficaram conhecidos por aproveitar o máximo as funções do portatil Nintendo DS, usando a Stylus para quase todas as funções. Para andar deve-se mover a Stylus, na direção pretendida, para atacar é preciso desenhar círculos, linhas ou tocar no inimigo, entre outras funções. As várias ferramentas, como o Boomerang, estão de volta, e dessa vez com itens novos foram incluídos, como o chicote, a "Chave Magica de Areia" e o "Ventilador" que permite afastar fumaça e fazer funcionar outras hélices, soprando o microfone do console.

História[editar | editar código-fonte]

Cem anos depois dos acontecimentos de The Legend of Zelda: Phantom Hourglass,o descendente de Link se prepara para ser nomeado maquinista pela Princesa Zelda. Logo após a cerimônia, Zelda pede a Link que vá ao seu quarto, pois quer conversar com ele sobre algo muito sério. Chegando lá, Zelda conta a Link que algo ruim está para acontecer, e que eles precisam urgentemente fugir do castelo para chegar até a Spirit Tower (Torre dos Espíritos). Link e Zelda conseguem fugir do castelo, mas são parados por Cole, o falso conselheiro real e Byrne,seu capanga. Os dois derrotam Link e Cole força o espírito de Zelda a se retirar do corpo, deixando-a vulnerável. Todos apagam e, quando acordam, não veem o corpo de Zelda, Cole e nem Byrne. E então o espírito de Zelda aparece para Link e eles continuam a viagem até a Spirit Tower. Chegando lá,encontram Anjean, guardiã da Torre, que os ajuda na busca de Cole e o corpo de Zelda.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Link: Na maioria dos jogos (como em Spirit Tracks) Link é um jovem garoto de 7 a 12 anos, mas em alguns títulos da série ele é um rapaz de 17 a 19 anos. O objetivo principal de Link normalmente é salvar Hyrule e a Princesa Zelda do antagonista da série Ganondorf, mas em alguns dos jogos sua história é completamente diferente(Um bom exemplo é Majora's Mask, em que Link deve salvar a terra de Termina antes que a lua caia na terra e destrua o mundo).

Zelda: Apesar de estar no título do jogo, o personagem jogável é Link, que geralmente tem como missão resgatar a própria Zelda do vilão Ganon. Em The Legend of Zelda: Ocarina of Time (Ocarina do Tempo) para o Nintendo 64, em um momento ela se disfarça de Sheik, um garoto sobrevivente dos Sheikahs, uma raça extinta, para tentar fugir das garras do vilão Ganondorf. Zelda aparece já no primeiro jogo da série The Legend Of Zelda (NES) onde precisa ser salva por Link. Ela se transformou em uma das personagens femininas mais conhecidas dos videogames: assim como Samus Aran, Peach e Daisy, Zelda faz milhares de fãs em todo mundo. Aparece também em jogos como Super Smash Bros. Melee (Game Cube) e Brawl (Wii)

Referências

  1. «E3で新たなソーシャルエンターテインメント体験を紹介» (em japonês). Nintendo. 2 de junho de 2009. Consultado em 4 de junho de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]