Três de Maio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o dia do calendário gregoriano, veja 3 de maio.
Município de Três de Maio
"Cidade jardim"
Bandeira de Três de Maio
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 3 de maio
Fundação 15 de dezembro de 1954 (63 anos)
Gentílico três-maiense
CEP 98910-000
Prefeito(a) Altair Copatti (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Três de Maio
Localização de Três de Maio no Rio Grande do Sul
Três de Maio está localizado em: Brasil
Três de Maio
Localização de Três de Maio no Brasil
27° 46' 22" S 54° 14' 24" O27° 46' 22" S 54° 14' 24" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Santa Rosa IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Tucunduva, Horizontina, Nova Candelária, Boa Vista do Buricá, São José do Inhacorá, Alegria, Independência, Giruá e Santa Rosa
Distância até a capital 480 km
Características geográficas
Área 422,198 km² [2]
População 23 726 hab. IBGE Cidade/2010[3]
Densidade 56,2 hab./km²
Altitude 343 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,759 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 407 787,555 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 17 037,29 IBGE/2008[5]
Página oficial

Três de Maio é um município brasileiro estabelecido na faixa noroeste do estado do Rio Grande do Sul, pertencente a denominada Grande Santa Rosa, microrregião na qual apresenta grande relevância, sendo o segundo município mais populoso da mesma, mantendo-se apenas detrás de Santa Rosa. O município em sua extensão urbana é intitulado Cidade Jardim, haja vista a ornamentação das principais vias urbanas, continuamente adornados com canteiros de flores que estão sob incumbência e esforço do poder público municipal. Em sua região é aceito como referência em diferentes âmbitos, dando maior realce à esfera educacional e ao ramo industrial, que vem progressivamente se ampliando e se diversificando.

Geografia e Economia[editar | editar código-fonte]

Conforme o último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no ano de 2010, o município de Três de Maio dispõe de uma população de 23.726 habitantes, entretanto, no ano de 2016, a estimativa populacional é de cerca de 24.497, constantando-se assim um acréscimo de um pouco mais de 3% na população em um período de 6 anos, a despeito do desenvolvimento do município, cuja emancipação ocorreu em 1954, desmembrando-se desta maneira do município de Santa Rosa, do qual porta no presente momento, grande insubordinação, já que Três de Maio, desfruta de serviços qualificados e capacitados.

Três de Maio apresenta em seu estruturamento populacional, diferentes congregações étnicas, sendo que as de maior presença na constituição populacional são a alemã, italiana e polonesa, na devida ordem. Entre a população três-maiense é corriqueiro o emprego do dialeto alemão, frequente em diferentes municípios gaúchos que vivenciaram a colonização alemã e que concebem o Rio Grande do Sul, uma agregação de milhares de enunciadores do dialeto há mais de 200 anos de história. Como decorrência de tamanha interferência do dialeto alemão na conversação em inúmeros municípios, a Assembleia Legislativa de maneira uniforme, votou em 2012 pela admissão do dialeto alemão rio-grandense como parte do patrimônio cultural imaterial, sendo este o dialeto alemão de maior expressão no Brasil, assim comprometendo-se em sua perpetuação e conservação, já que constitui uma língua em ameaça de extinção. Um dos respaldos da cultura alemã no município de Três Maio verifica-se no âmbito musical, através de interpretes/cantores de canções executadas na língua alemã. Exemplo destes artistas é Lúcia Luft, cantora três-maiense que acompanha em seus shows, além da língua, a indumentária germânica. Destes cerca de 24.000 habitantes, em torno de 75% residem na área urbana, sendo que o percentual restante auxilia na ocupação dos mais de 422 quilômetros quadrados apossados pelo município, que no presente momento encontra-se fragmentado em 6 unidades territoriais, a unidade sede, na qual se localiza a área urbana do município, e outros 5 distritos que em ordem populacional são: Consolata, Progresso, Manchinha, Quaraim e Entrada da Barrinha. O município pode ser julgado como densamente povoado, sendo que se pressupõe que cerca de 75 habitantes ocupem cada quilômetro quadrado. Três de Maio possui 8 municípios limítrofes, tendo em conta a ampla extensão territorial. Ao norte, o município vizinha-se com Horizontina e Tucunduva. Ao sul e a sudeste, delimita-se com Independência e Alegria, respectivamente. A leste, Três de Maio demarca sua divisa com Nova Candelária, Boa Vista do Buricá e São José do Inhacorá, todos estes por intermédio do Rio Buricá, cuja bacia hidrográfica é de grande relevância para o município assim como no âmbito regional. Já a oeste, o Rio Santa Rosa estabelece os limites do município com Santa Rosa e Giruá.

A sede do município está estabelecida em uma altitude de 343 metros acima do nível do mar, sendo que esta contagem exprime a distância vertical estimada entre determinado ponto e o nível médio do Oceano. Enquanto a altitude se estende em 150 metros, ocorre uma decaída em torno de 1ºC na temperatura. Por intermédio destes dados podemos verificar um variante preciso entre a temperatura do municípios em comparação com os municípios litorâneos. Ademais de haver significativo afastamento do município ao Litoral, a sede municipal não está assentada próxima a grandes rios, sendo este outro agente que induz a uma maior altitude, representativa do clima subtropical, que alberga regiões com latitude a meio-termo de 30º a 50º. Durante o inverno, as temperaturas habitualmente mantêm-se entre 0ºC e 15º. Já no verão, as temperaturas transcendem os 20ºC, podendo alcançar 35ºC. Assim podemos constatar que mesmo com particularidades do clima temperado, este clima não dispõe de temperaturas inferiores a 0ºC regularmente. O clima é um dos motivivadores do desassossego da população três-maiense, tendo por exemplo as fortes chuvas e vendavais que depredam o município anualmente, sendo que os ventos nesta região podem atingir velocidade apensa aos 90km/h. Isto concebe o Noroeste gaúcho como uma das regiões de maior incidência de tempestades no espaço global, somente permanecendo na retaguarda de algumas regiões dos Estados Unidos, onde há grande assuidade de furacões.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) refere-se a uma medida que contrapõe diferentes países para classificar seu nível ou estágio de desenvolvimento humano. Para tal propósito, habitua-se a categorizar os países em desenvolvidos, em desenvolvimento e subdesenvolvidos. O mesmo índice é empregue para julgar a educação, renda e longevidade dos municípios. O Rio Grande do Sul apresenta como IDH, 0,746, o que projeta a média estadual, sendo que Três de Maio apresenta IDH superior a média estadual. O IDH do município é de 0,759, estando estabelecido na 71ª posição no ranking estadual. O IDH do município é categorizado como alto. O índice intrínseco a renda é de 0,756, enquanto que na esfera educacional, o índice é de 0,694, sendo apontado como médio. Já na questão da renda, o índice ascende para 0,834, sendo apontado como muito alto. O Produto Interno Bruto (PIB) reproduz a soma em valores monetários de todos os meios, recursos e serviços gerados em determinada região e duração. Três de Maio está assentado na 90º colocação estadual no tocante ao PIB, sendo este de R$466.665,00. Já o PIB per capita, o qual exprime o Produto Interno Bruto fracionado pelo número de habitantes de determinado local, é, conforme o Censo gerado no ano de 2010, de cerca de US$3466,00.

Como elemento constituinte da economia três-maiense, habitua-se a abordar a indústria junto ao comércio como prática de grande relevância no município. Para a elaboração dos produtos é indispensável o fornecimento de matéria-prima, que geralmente já se encontra no município, por intermédio da agricultura e da pecuária. A soja, o trigo e o milho são exemplos de produtos que a agricultura três-maiense proporciona para o setor industrial, enquanto que a pecuária concede leite, carne, couro animal e outros fornimentos. Entretanto, a bacia leiteira do município deve ser salientada como auxiliadora na consolidação do Rio Grande do Sul como 2ª maior bacia leiteira do Brasil, somente atrás de Minas Gerais. Em sua maioria, o setor industrial está aglomerado na área urbana do município, todavia, algumas poucas indústrias, estas em sua maioria de pequeno porte, constatam-se na zona rural, como olarias, manufatura de confecções, preparo de laticínios a partir do leite, indústria madeireira e moveleira, entre outras. No âmbito comercial, tem-se concedido um grande incitamento à agricultura familiar, através da qual é permitida a compra de mercadorias pela população urbana da população rural, como leite, ovos, hortaliças, legumes e frutas. Verifica-se no município, uma quantidade entre 80 a 100 empresas no setor industrial, mais de 400 empresas no âmbito comercial, assim como de empresas prestadoras de serviços. A pecuária é significante no município, onde são criados animais como: suínos, bovinos, ovelhas, aves, caprinos, equinos e abelhas. Da mesma maneira que na agricultura, o pecuarista encara adversidades em sua ocupação a exemplo de fenômenos meteorológicos, enfermidades, impasses no transporte e imposição de preços justos aos produtos. A pecuária três-maiense pode ser avaliada como insatisfatória para o abate, tendo em vista que há a necessidade de compra de rebanho bovino e suínos em outros suínos em outros municípios para perfazer as demandas dos matadouros. Desde o ano de 2010, ocorre no Parque Municipal de Exposições do município, a denominada Expoterneira, empreendida para asseverar o potencial leiteiro da região Noroeste.

A agricultura é mais relevante atividade rural exercida no município, sendo a área rural cultivada no município em sua integridade de 65.211 hectares, conforme referências concedidas no ano de 2010, sendo que 75% destas apresentam até 20 hectares, que em valores absolutos representam 3.313 propriedades. 1.019 propriedades portam área entre 20 e 50 hectares, configurando 22% do total de 4.394 propriedades presentes no município. São 4 propriedades que dispõem de área entre 100 e 200 hectares, representado 0,9% destas, enquanto que os 0,6% restantes constituem as 3 propriedades que detêm entre 200 e 500 hectares.

Formação Histórica[editar | editar código-fonte]

O espaço que no presente momento institui o município de Três de Maio é um constituinte da Província das Missões a datar de 1682, quando então dirigido pelos jesuítas. Esta conjuntura perseverou até meados de 1750, quando então ocorreu a subscrição do Tratado de Madrid entre Portugal e Espanha, sendo que a região onde está estabelecido o município passou a assentar-se na área de comando português. Com a assinatura do tratado foi executável por portugueses e espanhóis, a evacuação dos jesuítas, o que ocorreu por volta de 1757 com o controle de milicianos espanhóis na região. A reconquista das Missões verificou-se novamente em torno de 1801 por José Borges de Canto e Manuel dos Santos Pedroso, que as incorporaram de maneira irrevogável ao território rio-grandense. Houve um amplo crescimento e prosperidade entre as populações que estavam assentadas na região missioneira, o que concebeu a pertinência de Três de Maio aos seguintes municípios: Rio Pardo, entre 1809 e 1819, Cachoeira do Sul, entre 1819 e 1834 e Cruz Alta a datar de 1834. Decorridos quase quarenta anos, precisamente em 1873, o controle do município passou a ser incumbido a Santo Ângelo, que naquele momento era centro de um vasto município do qual gradativamente se emanciparam: Palmeira das Missões, São Borja, São Luiz Gonzaga, Ijuí e Santa Rosa. Em 1913, chega onde no presente momento está assentada a sede do município de Três de Maio, o primeiro imigrante a residir acompanhado de sua família naquele local, que era habitado fundamentalmente por índios e caboclos, sendo que Marino Geraldi provinha do município de Tubarão, Santa Catarina. A mudança encaminhou-se de trem até o município de Ijuí, local em que os poucos bens e a família prosseguiram viagem por intermédio de uma carroça até a localidade de Esquina Schultz, atual município de Independência. A partir deste local, o transporte foi efetuado através de cavalos cargueiros. Marino surge no local juntamente com sua esposa Joaquina Filipina Wiebbeling e seus sete filhos: Eulália, Luís, Zafério, Ancelmo, Júlia, Bernardo e Xavier, abrigando-se em seus primeiros meses no local, em um mocambo de chão vermelho, contornado por pau roliço e coberto com capim, o qual foi comprado do índio José Bernardo, do qual também foi proporcionado uma pequena área de cultivo e alguns poucos animais. José Bernardo acaba deslocando-se com o propósito de residir na localidade de Caneleira, atual município de Horizontina. Marino e sua família residiram na atual Rua Padre Cacique, estabelecida no Centro de Três de Maio, onde no presente momento está situada a rótula desta com a Avenida Avaí. Já em Três de Maio, o casal teve mais duas filhas: Glória e Carlota. Sobretudo a partir de 1915, através da demarcação de terras, exercidas pelos assessores do engenheiro Frederico Jorge Logemann, outros imigrantes deslocaram-se ao local, que se pluralizou de maneira efêmera por intermédio da comercialização dos lotes de terra da colonização. Estes imigrantes emanavam, em sua maior parcela, das denominadas Colônias Velhas estabelecidas em municípios como: Cachoeira do Sul, Montenegro, Lajeado e Estrela. Podemos mencionar entre as famílias precursoras no município: Rossi, Girardi, Benatti, Bonfanti, Stunf, Nass, Briesch, Hamann, Stajack, Jacob, Kamm, Scherer, Knappe, Bless, Pohl, Metzka, Frank, Kochewitz, Willig, Veronese, Rehbein, Logemann, Martini, Cereser, Dockhorn, Schaeffer, Nagel, dentre outros. Estes colonizadores, em sua maior parcela, arranjavam terras escuras para sua estada, mais precisamente, na faixa estabelecida próxima ao Rio Buricá, já que receavam o chão vermelho. Por este motivo, inúmeros colonizadores estabeleceram-se próximo a localidade de Flor de Maio e sua circunvizinhança, concebendo a constituição da primeira secção Santa Rosa. Neste mesmo momento, o denominado Buricá era o sétimo distrito do município de Santo Ângelo, em correspondência ao Ato Nº 104, de 10 de junho de 1916. Verifica-se que nos primórdios da colonização, nem todas as comercializações efetuadas no município eram registradas de maneira concomitante. No ano de 1923, Casemiro Kochewitz concedeu determinada área para a instauração da sede da Igreja Católica, de maneira quase que simultânea ao feito de Frederico Jorge Logemann, que também ofertou determinada área, neste momento, para a instauração da Igreja Evangélica, cuja pretensão era de edificar uma igreja e uma escola. Neste momento, podemos constatar que a disposição dos colonizadores voltava-se para o lugarejo onde hoje está estabelecido o Centro de Três de Maio e não mais para os arredores de Flor de Maio, como ocorria anteriormente. Neste mesmo período, ocorreu a concessão de terras por Emilio Tesche para a instalação de um cemitério pelas comunidades: evangélica e luterana que se encontravam no município, enquanto que Antônio Cereser concedeu um terreno à direita deste para a instauração do cemitério destinado à comunidade Católica. Posteriormente, houve a demanda pela expansão da área do cemitério, a qual foi reparada com a exigência de que a referida área se conservasse arborizada.

Posterior aos grandes fluxos imigratórios e ao desenvolvimento de diferentes atividades no local, a exemplo da agricultura, ocorre o aparecimento de casas comerciais no então vilarejo, sendo estas geralmente desenvolvidas através de madeira. É de grande relevância mencionar nomes daqueles que foram pioneiros em seu ofício no atual município de Três de Maio, a exemplo de: Frederico Willig como ferreiro, Casemiro Kochewitz, Antônio Cereser e Frederico Frank como comerciantes, Pedro Krewer como açougueiro, Ernesto Mullenschlader como médico, Arlindo Ruschel como dentista, Amália Drews como agente postal, Amandio Araújo como juiz de casamentos, Walter Kreher como proprietário de indústria de bebidas e caramelos, Humberto Spilari como ourives, Luiz Giacomelli como advogado, Alma Schaeffer como costureira, Germano Kreutler como primeiro pastor da Igreja Evangélica a residir no município, Padre Gambetti como pároco católico, Augusto Muller e Germano Reimann como mecânicos, Carlos Lupz como padeiro, Albino Schunke como farmacêutico, Pedro Giacomelli como alfaiate, Alberto Martens como proprietário de hotel, Eugênio Schaeffer como funileiro, Emiliano Cassol como carpinteiro, José Gresele como sapateiro, Albino Veronese como telefonista, Ricardo Rusch e Carlos Verri como barbeiros, Rodolfo Nass como motorista de carro de aluguel, Maria Pinzon como parteira, Germano Dockhorn como motorista de caminhão de carga, Jorge Reimann como oleiro e Emilio Boesk como marceneiro. No ano de 1931, o então vilarejo 14 de Julho, adquiriu sua independência do município de Santo Ângelo, compondo um novo município, Santa Rosa. Buricá passou a ser o segundo distrito do município de Santa Rosa, passando a ser intitulado Santa Rosa-Buricá, em decorrência de seu posicionamento entre os rios: Santa Rosa e Buricá, que no presente momento constituem os rios de maior significância nos diferentes âmbitos ao município. Major Antônio Joaquim Rodrigues foi o primeiro subprefeito do lugarejo, enquanto que Vilarim Rodrigues foi o primeiro escrivão. Os pioneiros na colonização do município eram descendentes de alemães, italianos, poloneses e russos em sua generalidade.

A primeira residência de madeira edificada no vilarejo era posse de Casemiro Kochewitz, enquanto que a segunda residência, também desenvolvida através de madeira era de Frederico Jorge Logemann e estava estabelecida no atual entroncamento entre as avenidas: Uruguai e Santa Rosa. Já a primeira residência de alvenaria e que ainda se encontra no Centro de Três de Maio era propriedade de Leopoldo Vontobel. Em meados de 1940, a população de Buricá já somava 10.670 indivíduos, sendo que precisamente 707 destes residiam no vilarejo. Houve a partir deste momento, inúmeras investidas dos moradores do local com o propósito de exercer um melhoramento nas condições de vida, a exemplo da educação e saneamento básico, sendo estes serviços que deveriam ser ofertados de maneira satisfatória a toda a população. Entretanto, as campanhas emancipacionistas somente se estabelecem a datar de 1948, que após inconstantes lutas que provinham dos líderes emancipacionistas, auferiram o sucesso do movimento no ano de 1954, quando no mês de dezembro, a emancipação concretiza-se oficialmente através da Lei 2526 de 15 de dezembro de 1954. Todavia, a instalação político-administrativa do novo município somente foi possível em 28 de fevereiro de 1955 com a posse do primeiro prefeito, Walter Ullmann. Três surge da integração dos subsequentes distritos: Três de Maio, até então pertencente a Santa Rosa, Ivagaci, até então pertencente a Três Passos, assim como Independência e São José do Inhacorá, até então pertencentes a Santo Ângelo. O aniversário do município somente é celebrado no dia 03 de maio, em decorrência do nome do município, o qual supostamente é uma homenagem a Nely Dane Logemann, visto que esta era a data de seu aniversário.

Administração Municipal[editar | editar código-fonte]

O prefeito municipal reproduz o Poder Executivo, enquanto que os vereadores configuram o Poder Legislativo. O prefeito dispõe da coadjuvação de auxiliares diretos, os secretários. Ademais, há a assistência no interior da sede do Poder Executivo, de funcionários que se encarregam dos serviços gerais. O atual prefeito municipal é Altair Francisco Copatti, eleito pela terceira vez, em decorrência de sua popularidade enquanto médico atuante no município e sempre almejando a saúde e o bem-estar da população. Eliane Teresinha Zucatto Fischer é a vice-prefeita do município, tendo sido eleita a primeira mulher vice-prefeita quando integrou a chapa de Olívio José Casali nas Eleições de 2012. As Eleições de 2012 foram memoráveis para a História do município, sendo que Olívio José Casali e Altair Francisco Copatti concorreram ao pleito municipal, o que ocasionou na conquista de Casali em uma diferença histórica de 29 votos. Em toda sua história, o município de Três de Maio possuiu sete prefeitos, sendo Walter Ullmann, o primeiro deles, o que esclarece a designação da sede do Poder Executivo como Palácio Municipal Walter Ullmann.  O primeiro vice-prefeito foi Avelino Hass, sendo que juntamente com Ullmann, a chapa permaneceu até o dia 31 de dezembro de 1959 no gerenciamento do Poder Executivo. Abaixo podemos verificar a lista com os nomes de todos os prefeitos e vice-prefeitos que constituíram o Poder Executivo municipal.

- Prefeito: Walter Ullmann (1955-1959)        Vice-Prefeito: Avelino Hass        

- Prefeito: Germano Dockhorn (1960-1963) Vice-Prefeito: Rudolfo Rucker

- Prefeito: Ceslau Sawitzki (1964-1969) Vice-Prefeito: Ervino Edwino Mensch

- Prefeito: Walter Ullmann (ARENA) (1970-1973) Vice-Prefeito: Oswaldo Fleck

- Prefeito: Ceslau Sawitzki (MDB) (1974-1977) Vice-Prefeito: Edison Franco

- Prefeito: Olívio José Casali (ARENA) (1978-1983) Vice-Prefeito: Dorildo Goelzer

- Prefeito: Ceslau Sawitzki (PMDB) (1984-1988) Vice-Prefeito: Henrique Becker Filho

- Prefeito: Olívio José Casali (PDS) (1989-1992) Vice-Prefeito: Pedro Paulo Fischer

- Prefeito: Pedro Paulo Fischer (PDT) (1993-1996) Vice-Prefeito: Mário Pires Machado

10º - Prefeito: Luiz José Lena (PPB) (1997-2000) Vice-Prefeito: Vilarim de Abreu (PMDB)

11º - Prefeito: Altair Francisco Copatti (PT) (2001-2004) Vice-Prefeito: Fernando Vanin Trage (PT)

12º - Prefeito: Altair Francisco Copatti (PT) (2005-2008) Vice-Prefeito: Alceu Inácio Stein (PTB)

13º - Prefeito: Olívio José Casali (PP) (2009-2012) Vice-Prefeito: João Mella Neto (PPS)

14º - Prefeito: Olívio José Casali (PP) (2013-2016) Vice-Prefeito: Eliane Terezinha Zucatto Fischer (PDT)

15º - Prefeito: Altair Francisco Copatti (PT) (2017-2020) Vice-Prefeito: Eliane Terezinha Zucatto Fischer (PDT)

O poder Legislativo municipal dispõe atualmente de 11 edis, integrantes de 5 diferentes siglas partidárias. O atual presidente da Câmara é Flávio Volnei Pagel (PMDB), eleito para superintender o Legislativo no ano de 2018. Os demais vereadores são: Ivo Novotny (PMDB), Lucia Calegaro Marmitt (PT), Orlando Maier (PT), Ernani Weimer (PT), Josias Correa (PRB), Marcos Vinicius Benedetti Corso (PP), Cleiton Felipe dos Santos (PP), Mário Gonchorovski (PP), Vera Lúcia Oliveira Kuhler (PP) e Nelci Ângelo Recalcati (PDT).

Educação[editar | editar código-fonte]

O município de Três de Maio possui a escola Helen Keller, a conhecida: APAE, que tem na cidade, a mais completa instituição do ramo na região noroeste. No município há dezenas de escola onde se destacam duas escolas particulares, que são o Colégio Dom Hermeto e a SETREM e também se destacando como uma referência o Polo Universitário Federal localizado junto a Escola Municipal Germano Dockhorn.

A SETREM é uma instituição de ensino, atuando na educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, cursos técnicos, graduação e pós graduação que oferece cursos nas áreas de agronegócio, design, educação, engenharia, gestão, saúde e tecnologia.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

Três de Maio possui diversas equipes amadoras de futebol, duas delas com história no Futebol Gaúcho: Botafogo e Oriental Futebol Clube. Os dois clubes são rivais históricos e realizam o famoso "Clássico BoTal", considerado em 1986 como o segundo maior clássico do futebol gaúcho, atrás somente do clássico Bra-Pel.

Anualmente é disputado em Três de Maio o Campeonato Citadino de Futebol, chamado de "Varzeano" ou "Amador", onde jogam 8 clubes com equipes nas categorias Aspirante e Principal.

Recentemente dois atletas da cidade destacaram-se em clubes de futebol pelo Brasil. Misael Bueno, ex-atleta do Grêmio, hoje joga no Santos, atuando por diversas ocasiões pela seleção brasileira de futebol Sub 17 e sub 20. Outro destaque é a atleta Jennifer Felten com origem no Botafogo, atua na seleção brasileira de futebol feminino sub 17 e nas categorias de base do Esporte Clube Pelotas.

Voleibol[editar | editar código-fonte]

Três-maiense em evidência no Voleibol é William Reffatti que atua no Benfica, de Portugal. O jogador já atuou pela Seleção Brasileira Infanto Juvenil. Além dele Rafael SodeR foi levantador da seleção brasileira sub-19 no ano de 1995. André Lukianetz é outro jogador de vôlei profissional que tem origem na cidade. Outra referência no vôlei e o técnico Marcel Matz que foi campeão mundial sub-21 em 2009 na Índia e é tricampeão da Superliga nacional.

Religião[editar | editar código-fonte]

No município de Três de Maio, 50% da população denomina-se católica, cerca de 30% luteranos, e o restante divide-se entre Adventistas do Sétimo Dia, Assembleia de Deus, batistas, presbiterianos, Igreja Internacional da Graça de Deus entre outros. Existe na cidade uma congregação das Testemunhas de Jeová.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02) http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=432180  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/tres-de-maio/panorama. Consultado em 04 de dezembro de 2017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.