Urupês (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Urupês
Capa de J. Wasth Rodrigues, 1ª edição (1918).
Autor(es) Monteiro Lobato
Idioma português
País  Brasil
Gênero Contos
Ilustrador Monteiro Lobato
Arte de capa José Wasth Rodrigues
Editor Edições da Revista do Brasil, Tipografia da Seção de Obras do Estado de S. Paulo (1ª ed.)

Companhia Editora Nacional
Editora Brasiliense
Editora Globo

Lançamento 1918

Urupês é uma coletânea de contos e crônicas do escritor brasileiro Monteiro Lobato, considerada sua obra-prima e publicada originalmente em 1918. Inaugura na literatura brasileira um regionalismo crítico e mais realista do que o praticado anteriormente, durante o romantismo.[1] A crônica que dá título ao livro traz uma visão depreciativa do caboclo brasileiro, chamado pelo autor de "fazedor de desertos", estereótipo contrário à visão romântica dos autores modernistas.

Capa[editar | editar código-fonte]

A capa original, de 1918, possui uma ilustração desenhada por José Wasth Rodrigues, representando um mata-pau, parasita de árvores e tema de um dos contos.[2] A terceira edição, também de 1918, conta com um desenho do mesmo artista, porém, representa uma porção de cogumelos, em referência a um tipo de fungo chamado orelha-de-pau ou urupê.[3][4][5]

Capítulos[editar | editar código-fonte]

Parte dos capítulos, que se tratam de contos, um artigo e uma carta de jornal, foi publicada originalmente em periódicos como o O Estado de S. Paulo e a Revista do Brasil.[6]

Inicialmente, a coletânea seria chamada Doze mortes trágicas, no entanto, por sugestão de Artur Neiva, Lobato incluiu o artigo "Urupês", utilizando este nome como título do livro. A primeira edição possuía 13 capítulos, incluindo o artigo-tema, "Urupês", seis contos sobre a figura caipira, três sobre seus patrões, os fazendeiros, e mais três sobre temas alheios ao Brasil rural. A partir da segunda edição, foi incluída a carta "Velha praga", totalizando 14 capítulos, além de um prefácio.[2]

Capítulo Data[7] Publicação original Notas
"Os faroleiros" 1917 Revista do Brasil, n. 20, ago. 1917[8] Título original: "Cavalleria rusticana"[8]
"O engraçado arrependido" 1916 Revista do Brasil, n. 16, abr. 1917[8] Título original: "A gargalhada do colector"[8]
"A colcha de retalhos" 1915 Revista do Brasil n. 12, dez. 1916[9]
"A vingança da peroba" n.c. Revista do Brasil n. 3, mar. 1916[9] Título original: "Chóó... Pan..."[8]
"Um suplício moderno 1916 Paraíba
"Meu conto de Maupassant" 1915 Título original: "O meu conto de Maupassant"[8]
"«Pollice Verso»" 1916 Revista do Brasil, n. 18, jun. 1917[9]
"Bucólica" 1915
"O mata-pau" 1915 Revista do Brasil, n. 24, dez. 1917[9]
"Bocatorta" 1915 Revista do Brasil, n. 8, ago. 1916[9]
"O comprador de fazendas" 1917 Revista do Brasil, n. 27, mar. 1918[9]
"O estigma" 1915 Revista do Brasil, n. 28, abr. 1918[9]
"Velha Praga" 1914 O Estado de S. Paulo, 12 nov. 1914[6] Título original: "Uma velha praga"[6]
"Urupês" 1914 O Estado de S. Paulo, 23 dez. 1914[6] Aparição do personagem Jeca Tatu

Edições[editar | editar código-fonte]

O livro foi editado por diversas editoras: Monteiro Lobato & Cia. (1918), Companhia Editora Nacional (1925), Livraria Martins Editora (1944), Editora Brasiliense (1944) e pela Editora Globo (2007).[10]

Referências

  1. SANCHEZ, Mariana (17 de outubro de 2011). «Urupês – Monteiro Lobato». Vida na Universidade. Gazeta do Povo. Consultado em 28 de julho de 2012 
  2. a b HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. São Paulo: EdUSP, 2005. p. 318. site.
  3. UNICAMP/Fundo Monteiro Lobato. "Bibliografia de Monteiro Lobato. Literatura adulta. Listagem cronológica". In: Projeto Temático Monteiro Lobato (1882-1948) e outros modernismos brasileiros. site. pdf.
  4. UNICAMP/IEL/CEDAE. "Imagens: Capa da primeira edição de Urupês". In: Exposição Lendo, Escrevendo & Vendo Lobato. site.
  5. VERA NUNES LEILÕES. Leilão de 28/01/2016, Item 71. site.
  6. a b c d VALENTE, T.A. Monteiro Lobato nas páginas do jornal: um estudo dos artigos publicados em O Estado de S. Paulo (1913-1923). São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. 254 p. site.
  7. Datação da elaboração dos capítulos de acordo com a 24ª ed., 1980.
  8. a b c d e f LOBATO, M. Urupês. 24. ed. São Paulo: Brasiliense, 1980.
  9. a b c d e f g DEL FIORENTINO, Teresinha Aparecida. Prosa de Ficção em São Paulo: Produção e Consumo, 1900-1922. São Paulo, Hucitec, 1982.
  10. PADOVANI, D. M. "Urupês (Monteiro Lobato, 1918)". Boa leitura para vocês! Junho de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GRANATO, Fernando. "Jeca Tatu sobrevive na terra de Monteiro Lobato". O Estado de S. Paulo, pp. A20-A21, 4 mar. 2018. [Reportagem especial: 'Urupês', 100 anos.] site.
  • LOBATO, Monteiro (1919). Urupês. São Paulo: Editora da Revista do Brasil. 5ª ed. Disponível em: Internet Archive.
  • PADOVANI, Daniel Medeiros. "Urupês (Monteiro Lobato, 1918)". In: Boa leitura para vocês!. 2010. site.
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.