Urupema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura planador com mesmo nome, veja Embraer EMB-400 Urupema.
Município de Urupema
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico urupemense
Prefeito(a) Amarildo Luiz Gaio
(2009–2012)
Localização
Localização de Urupema
Localização de Urupema em Santa Catarina
Urupema está localizado em: Brasil
Urupema
Localização de Urupema no Brasil
28° 17' 38" S 49° 55' 54" O28° 17' 38" S 49° 55' 54" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Serrana IBGE/2008 [1]
Microrregião Campos de Lages IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes São Joaquim, Rio Rufino, Bocaina do Sul, Painel, Lages e Urubici.
Distância até a capital 198 km
Características geográficas
Área 353 km²
População 2,578 hab. est. IBGE/2009 [2]
Densidade 7 3 hab,/km²
Altitude 1.335 m
Clima Temperado Marítimo Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,784 alto PNUD/2000 [3]
PIB R$ 16.422 mil IBGE/2005 [4]
PIB per capita R$ 6,415 00 IBGE/2005 [4]
Página oficial

Urupema é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Localiza-se a uma latitude 28º17'38" sul e a uma longitude 49º55'54" oeste, com altitude de 1.335 metros (junto à Praça Principal), cuja sede se encontra num pequeno vale, circundado por elevações com até 1.726 m (Morro das Torres) e a área urbana da pequena cidade, todavia situa-se entre 1315 m (proximidades do CTG), como atinge valores de 1430 m na rodovia que a une a Rio Rufino ao Norte. Na entrada Sul, as casas estão em patamares de 1350- 1360 m. Já os valores mais baixos de altitude, estão junto a foz do Rio da Divisa (com São Joaquim ao S-SE), quando esse deságua no Rio Lava Tudo, com cotas em torno de 990 m Urupema como município, é uma rampa topográfica (e de águas), com inclinação crescente para o N, divisas principalmente com Rio Rufino e Urubici.

Possui clima temperado marítimo (ou oceânico), com média anual de 13°C. Em janeiro, mês mais quente, a temperatura média é de 18°C, e junho, mês mais frio, a média é de 8°C, com possibilidade de queda de neve. Sua população estimada em 2009 era de 2.578 habitantes e possui uma área de 353 km².


História e geografia[editar | editar código-fonte]

Urupema (com variantes de arupemba, gurupema, jurupema, urupemba) tanto é uma peneira de fibra vegetal, semelhante às taquaras (bambusacea) na língua indígena dos kaingangs, do grupo macro-jê usada nas lides domesticas, para peneirar farinha de milho, de mandioca, etc, e na pesca. Também pode ter outro significado, como é comum nas denominações indígenas quando se tenta buscar a original, de "pássaro ligeiro", que então, justifica o fato que existiu um planador da EMBRAER com esse nome.Essa denominação é de largo uso no Brasil, ate o NE (como peneira)

Seus primeiros habitantes foram atraídos pela fartura que o pinheiro-do-paraná (araucaria angustifolia) propiciava a avifauna e que os alimentava durante meses, quando a rara conífera foi, durante muitos séculos, a base da alimentação indígena na época de maior carência nutricional (outono-inverno) nas serras do Brasil meridional, tendo muitas vezes, salvado também a vida de muitos imigrantes europeus. A abundância da araucária foi a razão pela qual houve ocupação de áreas mais frias dos estados sulinos por um povo desprovido de animais silvestres de grande porte que lhes pudessem fornecer abrigo térmico, como ocorreu na América do Norte com os ameríndios, com relação aos bisões e alces.

O ponto mais alto do município é o Morro das Torres (ou Morro das Antenas, com o nome antigo, de Serra do Campo Novo e consequentemente, de Morro do Campo Novo), com 1.726 metros de altitude. É um dos pontos mais frios do Brasil, juntamente com o Morro da Igreja e o Morro da Bela Vista do Guizoni, ambos próximos da borda da Escarpa da Serra Geral, a poucos quilômetros a leste e nordeste da máxima elevação de Urupema.

À sombra do Morro das Torres, a cerca de 1.600 metros de altitude, situa-se a Cachoeira que Congela, que recebe este nome por permanecer congelada nos dias mais frios do inverno, fenômeno único no país. Em 1975 permaneceu vários dias com grossas camadas de gelo e, mais recentemente, em julho de 2000, com 12 dias completamente congelada.

Um pouco mais ao Norte, (cerca de 6 km) na rodovia pavimentada que liga Urupema à cidade de Rio Rufino, nas proximidades do acesso a Cachoeira que Congela (1.507 m de altitude, sua base junto a estrada) e ao Morro das Torres, encontra-se um dos pontos mais elevados das estradas pavimentadas com asfalto do sul do país (com tráfego normal), com 1.550 m de altitude no topo da “serra”, melhor passo, que dá acesso ao Morro das Torres. Outro passo, mais elevado está na rodovia Cruzeiro-Urubici, na localidade de Mundo Novo, com valores próximos de 1565 m de altitude. Maior cota de rodovia, mas com acesso restrito, 1810 m na entrada do ultimo portão do CINDACTA II no Morro da Igreja. Em estradas sem pavimento asfáltico, de terra, como se costuma dizer, a máxima altitude é aquela que se atinge no Morro das Torres em Urupema (1726 m), de extremamente fácil acesso, sem necessidade de autorizações.

Sua altitude e posição geográfica no planalto sul-catarinense favorecem, no inverno, temperaturas que podem ultrapassar os -10°C, sendo comum a ocorrência de neve em poucos dias no ano, com média de 3 a 5 dias por ano e rápida e pouco no geral. Neve forte, com acumulação (acima dos 5/10 cm), é ocasional e pode passar anos sem ocorrer. As temperaturas podem ir abaixo de zero entre os meses de abril e setembro, sendo muito comum temperaturas mínimas absolutas abaixo dos 5°C ao longo de todos os meses do ano, com geadas aparecendo o ano inteiro, mais comumente entre abril e novembro. Já houve registro de -1°C em janeiro de 1994 (CIDASC).

Juntamente com São Joaquim, Bom Jardim da Serra, no mesmo estado, e São José dos Ausentes, no estado vizinho do Rio Grande do Sul, que são os mais frios do Sul (Urupema tem as menores mínimas absolutas), as temperaturas negativas podem ocorrer de 35 a 45 dias por ano, entre os meses de março a novembro, tendo-se assim, no mínimo, 8 meses do ano com possibilidades de gear ou nevar (abril a outubro) em dias mais frios. A antiga estação meteorológica de Urupema, da CIDASC, atualmente desativada, era uma das mais elevadas de Santa Catarina, com 1.419 m de altitude (cerca de 1 km ao norte da sede do município), ficando apenas abaixo da estação do Morro da Igreja (INMET), com 1810 m e próxima da terceira estação mais elevada do estado, no Distrito são-joaquinense do Cruzeiro (Climaterra, cerca de 1500 m). Em função de estar localizado abaixo do Morro das Torres (face Sul), na direção preferencial do escoamento do ar frio e estando a quase 100 m mais elevado que a sede municipal, a estação meteorológica mostrava com frequência menores máximas que o centro de Urupema. Entretanto, as mais baixas temperaturas do Brasil, em fortes ondas de frio, ocorrem especialmente na cidade, onde está atualmente a estação meteorológica da Epagri, instalada em 2010. A menor temperatura registrada nesta estação, até agora, é de -8,8 °C.

Dados climatológicos para Urupema
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 31,1 30,9 28,5 27,5 25,3 23,5 25,7 26,1 27,7 27,7 28,1 30,5 31,1
Temperatura máxima média (°C) 24,6 24,2 22,1 19,8 16,4 15,0 15,3 17,4 18,2 19,6 22,1 23,6 19,9
Temperatura média (°C) 18,0 18,0 15,6 13,4 10,0 8,2 8,4 10,4 11,4 13,3 14,6 16,8 12,9
Temperatura mínima média (°C) 12,7 13,2 10,5 7,3 4,6 2,2 3,8 4,4 5,2 7,5 8,9 11,4 7,6
Temperatura mínima absoluta (°C) 2,1 1,5 -1,8 -4,0 -6,8 -8,8 -7,9 -8,3 -5,6 -4,7 -1,8 -0,4 -8,8
Fonte: EPAGRI/CIRAM (Os dados são coletados desde 2010 e estão incompletos, portanto as médias são extra-oficiais e não atendem ao período de 30 anos recomendado pela OMM) [5]


No Morro das Torres, local de fácil acesso, todo o rigor do clima de Urupema é observado, pois a sua localização geográfica, posição frente juntamente com a vizinha Serra da Farova, são as últimas elevações com mais de 1.700 da Serra Catarinense (rumo SW e W) e do Sul do Brasil, em todo o extenso planalto da Formação Serra Geral, um dos maiores derrames de lava vulcânica (basaltos em sua maioria e rochas ácidas com riólitos, dacitos em seus topos) do planeta, quando outras elevações com altitudes semelhantes, somente na pré-cordilheira andina.

O Morro das Torres, juntamente com as porções dos Campos dos Padres, onde se localizam os pontos mais elevadas de SC, em áreas dos municípios de Bom Retiro, Urubici e Grão Pará e, mais ao Sul, no belíssimo conjunto de mais de 60 cumes com altitudes superiores a 1.700 m, pertencentes a Urubici e Bom Jardim da Serra, próximos ao Morro da Igreja é palco de um raro fenômeno climático brasileiro, o congelamento de nevoeiros (sincelo), quando com baixíssimas temperaturas, os cristais de neve, resultante da sublimação do vapor de água, acumula-se sobre a vegetação arbustiva e as antenas de alguns morros, lembrando nevascas, sem ser uma precipitação vertical. O Morro das Torres é melhor local brasileiro para se observar o sincelo, sancelo ou rime em ingles.

Urupema é um lugar conhecido pelos brasileiros pelo seu frio recordista. Mas pouco conhecido alem do inverno. Seus campos, matas de araucárias, rios de rara beleza, seus pássaros, suas flores silvestres e assim, um local em que durante o amanhecer e anoitecer, a poucos metros da avenida principal, escutam-se nas primeiras horas do dia e ao anoitecer as curucacas (curicacas), grandes aves do gênero Íbis, empoleiradas nas araucárias e os cantos característicos das gralhas-azuis (corvos brasileiros), aves do gênero Cyaonocoraxe e também os extraordinários voos dos papagaios-charões, que na época do pinhão migram das regiões norte e nordeste do Rio Grande do Sul, para áreas de divisas entre os municípios de Urupema, Painel, Rio Rufino e Bocaina do Sul.

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município de Urupema é servido pelas rodovias estaduais SC-112 e SC-370, sendo que os aeroportos comerciais mais próximos são, respectivamente: o Aeroporto de Lages; o Aeroporto de Criciúma; e o Aeroporto Internacional de Florianópolis.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. «Estimativas da população para 1º de julho de 2009» (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 14 de agosto de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2009. 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 19 de dezembro de 2007. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. «EPAGRI/CIRAM». =. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.