Wesley Batista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wesley Batista
Nome completo Wesley Mendonça Batista
Nascimento 8 de dezembro de 1972 (44 anos)
Nacionalidade brasileiro
Fortuna R$ 3,1 bilhões (2016)[1]
Progenitores Pai: José Batista Sobrinho (Zé Mineiro)
Parentesco José Batista Júnior (irmão)
Joesley Batista (irmão gêmeo)
Ocupação Empresário

Wesley Batista (Formosa, 8 de dezembro de 1972) é um empresário brasileiro, o terceiro dos filhos do patriarca José Batista Sobrinho, fundador do grupo JBS. Wesley é diretor presidente e conselheiro da empresa. Foi o responsável pela implementação das operações nos Estados Unidos, após a compra da Swift, em 2007, e voltou ao Brasil em 2011.[2]

Listado em 2016 entre os 70 maiores bilionários do Brasil pela revista Forbes, onde ocupa a posição 66.[3]

Em maio de 2017, causou um abalo político do qual atingiu grandes líderes do Congresso e do executivo como Aécio Neves e Michel Temer, além dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Roussef, ao delatar. A delação premiada de Wesley e de seu irmão Joesley fez com que o Supremo Tribunal Federal autorizasse a Operação Patmos, da Polícia Federal.[4][5]

Referências

  1. http://www.forbes.com.br/listas/2016/08/70-maiores-bilionarios-do-brasil-em-2016/
  2. «Joesley e Wesley Batista: quem são os irmãos bilionários que podem derrubar Michel Temer». Época. Globo. 17 de maio de 2017. Consultado em 20 de maio de 2017 
  3. «70 maiores bilionários do Brasil em 2016». Consultado em 29 de agosto de 2016 
  4. «PF e MPF cumprem mandados em endereços ligados a Aécio Neves no Rio». G1. Globo.com. 18 de maio de 2017. Consultado em 20 de maio de 2017 
  5. Fausto Macedo, Fabio Fabrini e Julia Affonso (18 de maio de 2017). «Operação Patmos, o apocalipse político». Estadão. Consultado em 20 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]