Vigor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vigor
Razão social Vigor Alimentos S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: VIGR3
Indústria Alimentícia
Gênero Sociedade Anônima
Fundação 1917 (100 anos)
Sede São Paulo,  Brasil
Proprietário(s) Grupo Lala
Presidente Gilberto Xandó
Pessoas-chave Gilberto Xandó (CEO)
Victor Hugo Machado (CFO)
Produtos Leite e laticínios
Subsidiárias Itambé
Dan Vigor
Lucro Aumento R$ 120,0 milhões (2014)[1]
LAJIR Aumento R$ 1,216 bilhões (2014)
Faturamento Aumento R$ 4,394 bilhões (2014)[2]
Renda líquida Aumento R$ 14,9 milhões (2012)
Antecessora(s) BrasilFoods
Website oficial www.vigor.com.br

A Fábrica de Produtos Alimentícios Vigor S.A, ou apenas Vigor, é uma empresa de laticínios brasileira. Tem cem anos de atuação e uma das quatro marcas de laticínios mais importantes do Brasil. Seus produtos mais conhecidos são o queijo parmesão ralado e o requeijão cremoso (produtos onde tem liderança a nível do Brasil). Em agosto de 2017, a companhia então pertencente a holding J&F foi adquirida pelo Grupo Lala. Na negociação também foi adquirida a marca Itambé. A aquisição marca a entrada do grupo mexicano no mercado brasileiro de laticínios.[3][4][5]

Em setembro de 2014 adquiriu 50 por cento da companhia paulista de lacticínios Dan Vigor, uma joint-venture entre a Vigor e a ArlaFoods (empresa europeia). Com a compra, a Vigor passou a deter 100 por cento da empresa.[6]

Em agosto de 2017, o Grupo Lala concluíu a negociação para a aquisição da companhia brasileira de laticínios Vigor, e também a Itambé, por cerca de R$ 5,725 bilhões (US$ 1,84 bilhões), as quais eram geridas pelo Grupo J&B. A aquisição marca a entrada da companhia mexicana no mercado brasileiro de laticínios.[7]

Fábricas[editar | editar código-fonte]

Vigor tem nove fábricas localizadas em cinco estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Rio de Janeiro. Estas unidades estão localizadas em:

Produtos[editar | editar código-fonte]

Submarcas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Renato Oselame e Suzana Inhesta (10 de março de 2015). «Lucro líquido consolidado da Vigor no 4º trimestre tem alta de 69,9%». Yahoo. Consultado em 19 de março de 2017 
  2. «Lucro líquido consolidado da Vigor no 4º trimestre tem alta de 69,9%». Jornal do Comércio. 10 de março de 2015. Consultado em 19 de março de 2017 
  3. «Bertin investe na marca Vigor para alimentos prontos». Portal Exame. 9 de setembro de 2009. Consultado em 23 de janeiro de 2010 
  4. Inhesta, Suzana (21 de fevereiro de 2013). «Vigor compra de 50% da Itambé por R$ 410 milhões». Exame. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  5. «Mexico's Lala could seal Vigor purchase on Thursday». Reuters. 1 de agosto de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  6. «Vigor fecha acordo com Arla para ficar com 100% da Dan Vigor». Exame.com. 18 de setembro de 2014. Consultado em 19 de outubro de 2015 
  7. «Mexico's Lala could seal Vigor purchase on Thursday». Reuters. Reuters. Consultado em 6 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]