Black Friday

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Black Friday ou Sexta-Feira Negra [1] é um termo criado pelo varejo (retalho em português de Portugal) nos Estados Unidos para nomear a ação de vendas anual que acontece na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças [2] , que é a 4°quinta-feira do mês de Novembro. A ideia vem sendo adotada por outros países como Canadá, Austrália, Reino Unido, Portugal, Paraguai e Brasil.

Há vestígios de que a denominação surgiu no início dos anos 90 na Filadélfia [3] , quando a polícia local chamava de Black Friday o dia seguinte ao feriado de Ação de Graças. Havia sempre muitas pessoas e congestionamentos enormes, já que a data abria o período de compras para o natal. O termo já foi associado com a crise financeira que atingiu os Estados Unidos em 1869. Também passou a ser usado em 1966, mas só se tornou popular em 1975 quando o uso do termo passou a ser conhecido por meio de artigos publicados em jornais, que abordavam a loucura da cidade durante o evento.

Já se referiu ao período de conforto financeiro para os varejistas. No início de 1980, foi criada uma teoria que usava a cor vermelha para se referir aos valores negativos de finanças e a cor preta para indicar valores positivos. O período negativo correspondia ao período de janeiro a novembro e o lucro acontecia no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças e permanecia até o final do ano.

Alguns anos depois, Black Friday foi o nome usado pelos varejistas para indicar o período de maior faturamento [4] e desde então é a data mais agitada do varejo no país. No dia do evento muitas lojas abrem bem cedo, algumas com até quatro horas de antecedência, para atrair o maior número de consumidores através de ofertas. Milhares de pessoas aguardam em filas enormes [5] . Embora não seja um feriado, muitas pessoas ganham o dia de folga e se tornam consumidores com grande potencial. O dia também é conhecido por dar início à temporada de compras de natal. A popularidade do evento é grande, sendo que os descontos oferecidos são considerados mais atrativos do que os natalinos por muitos consumidores.

DCUSA.Gallery10.TargetBlackFriday.Wikipedia.jpg

Black Friday no Brasil[editar | editar código-fonte]

O primeiro Black Friday do Brasil aconteceu no dia 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online. A data reuniu mais de 50 lojas do varejo nacional. [6]

Em 2013, a Black Friday no Brasil bateu seu recorde, lucrando R$770 milhões em comércio online. Os produtos mais almejados são televisores, e smartphones. A média de desconto para aparelhos celulares foi de 16%, e para televisores chegou a 19%.

Segundo a consultoria E-Bit, em 2014, a data deve gerar R$1,2 bilhão somente na internet, que corresponde a 3,5% do faturamento anual, consolidando assim, a Black Friday como uma das datas mais importantes para o comercio online.

Para evitar praticas fraudulentas como a maquiagem de preços, e falsos descontos, a câmara brasileira de comércio eletrônico (Câmara e-net), criou o código de ética para a Black Friday, e publicou uma lista com as lojas participantes que foram regulamentadas segundo as normas da cláusula. [7] [8]

Assim como nos Estados Unidos, a Black Friday Brasil[9] acontece anualmente na sexta-feira seguinte à quarta quinta feira de novembro [10] . Há registros de que o evento também aconteça em lojas físicas, pelo menos no Brasil e Estados Unidos [11] . Outro problema sério que ocorre no Brasil são os descontos "maquiados", ou seja, as lojas sobem o preço uma semana antes do Black Friday e baixam no dia do evento alegando "mega descontos".

A segunda edição do Black Friday, em 25 de novembro de 2011, rendeu um faturamento de 100 milhões para o e-commerce brasileiro, representando um incremento de 80% em relação ao ano de estreia país [12] . Após o sucesso de vendas da Black Friday, o Cyber Monday também foi importado para o Brasil [13] .

O terceiro Black Friday ocorreu em 23 de novembro de 2012, em mais de 300 lojas virtuais e foi a primeira vez que lojas de decoração participaram do evento. [14] [15] [16] As empresas Walmart, Extra, Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Saraiva e Fast Shop também foram notificadas pelo Procon por indícios de maquiagem nos descontos.[17] [18] [19] [20]

A quarta Black Friday, que caiu no dia 29 de novembro de 2013, mais uma vez bateu recorde de vendas [21] , contemplando a venda tanto de bens, como produtos diversos, imóveis[22] , carros [23] , artigos infantis[24] ; utilidades domésticas[25] , quanto de serviços, como turismo, festas infantis e comunicação [26] . Segundo pesquisa do Provar – Programa de Administração do Varejo, o preço de 21% dos produtos foram aumentados na Black Friday, o que gerou indignação nos e-consumidores, que resgataram a expressão "Black Fraude" para se referir ao evento. [27] Houve um movimento nas redes sociais de posts de print screen dos preços e seu aumento à medida que o dia da Black Friday Brasil se aproximava. [28] Devido a essas incidências, a empresa Reclame Aqui lançou uma ferramenta de monitoramento, onde os usuários podiam conferir a reputação das empresas das quais desejavam efetuar compras e também reclamar ou denunciar práticas irregulares nas promoções. [29]

O evento não tem regulamentação, nem organização centralizada. Qualquer empresa, tanto virtual, quanto física pode fazer promoções com o nome Black Friday. A procura pelo termo 'Black Friday' em 2013 cresceu mais de 300% em relação a 2012 [30] , o que levou muitas agências de publicidade a se colocarem como centrais oficiais do evento.

Maquiagem de preços[editar | editar código-fonte]

De acordo com um estudo feito pela Opinion Box em parceria com o Mundo Marketing, três em cada quatro internautas brasileiros pretendem aproveitar a data em 2014 para realizar compras online. Apesar de vários outros números positivos apresentados pela pesquisa, foi constatado que 42% dos entrevistados ainda desconfia dos descontos oferecidos no Black Friday.[31]

Uma das maiores reclamações dos consumidores é a maquiagem de preços - tática utilizada pelos e-commerces pra vender mais sem ter que necessariamente diminuir os valores. Funciona da seguinte forma: O lojista sobe arbitrariamente o preço do produto dias ou uma semana antes do Black Friday. Dessa forma, no dia 28 de novembro, ele pode dar um desconto muito grande no produto, e o consumidor acreditará estar levando vantagem.

Várias lojas têm criado suas campanhas baseando-se no fato de que não fazem maquiagem de preços, e que suas ofertas são realmente preparadas para o Black Friday. Para evitar cair na fraude, o consumidor pode contar com alguns agregadores de descontos e cupons, que garantem reunir as ofertas verdadeiras. Um deles, Cuponation, fez sua divulgação do Black Friday 2013 com a campanha 'Black Friday sem pegadinha', que garantia reunir apenas as ofertas reais e honestas, além de distribuir cupons extras para as compras.[32] ...

Outros portais, como Zoom, Buscapé e Busca Descontos, também ajudam o consumidor a descobrir onde o verdadeiro melhor preço está.

Referências

  1. Sexta-feira negra. <http://www.brasil247.com/pt/247/estilo247/122175/Sexta-feira-negra.htm>. Acessado em  02 de Dezembro de 2013.
  2. What is black friday? <http://www.wisegeek.org/what-is-black-friday.htm> (em inglês). Acessado em 24 de Outubro de 2013.
  3. Ben Zimmer. The Origins of "Black Friday". <http://www.visualthesaurus.com/cm/wordroutes/3047/> (em inglês). Acessado em 25 de Novembro de 2011.
  4. Time and Date. Black Friday in United States.<http://www.timeanddate.com/holidays/us/black-friday> (em inglês) .Acessado em 24 de Outubro de 2010.
  5. US Shoppers Queue UP for Black Friday Deals. <http://www.nbcbayarea.com/news/business/US_Shoppers_Queue_Up_for_Black_Friday_Deals-110771244.html> (em inglês). Acessado em 24 de Outubro de 2010.
  6. Brasileiros também terão os descontos da chamada Black Friday. <http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/11/brasileiros-tambem-terao-os-descontos-da-chamada-black-friday.html> . Acessado em 24 de Outubro de 2010.
  7. Câmara E-Net.
  8. Economia - Terra Black Friday 2014.
  9. http://www.tricae.com.br/black-friday/
  10. Cris Simon. 5 características da Black Friday dos Estados Unidos. <http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/5-curiosidades-sobre-a-black-friday-dos-estados-unidos>. Acessado em 19 de Dezembro de 2013
  11. Vivian Pereira. Extra vai promover "Black Friday" pela primeira vez em loja física. <http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/extra-vai-promover-black-friday-pela-1a-vez-em-loja-fisica-2>. Acessado em 19 de Dezembro de 2013.
  12. Cláudio Martins. Black Friday fatura R$100 milhões no Brasil, 88% a mais que em 2010. <http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/black-friday-supera-projecao-e-fatura-r-100-milhoes-no-brasil>. Página visitada em 19 de Dezembro de 2013.
  13. Gabriela Ruic. Depois da Black Friday, marcas importam Cyber Monday para o Brasil. <http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/depois-da-black-friday-marcas-importam-cyber-monday-para-o-brasil>. Acessado em 19 de Dezembro de 2013.
  14. Isa Souza. Black Friday Brasil deve movimentar R$ 135 mi no e-commerce. <http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/black-friday-brasil-deve-movimentar-r-135-mi-no-e-commerce>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  15. Terra. Lojas de decoração aderem à Black Friday Brasil. <http://vidaeestilo.terra.com.br/casa-e-decoracao/lojas-de-decoracao-aderem-a-black-friday,f7bae2ccb182b310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  16. Yahoo" Brasil. 'Black Friday' brasileira dá descontos de até 75%. <http://br.financas.yahoo.com/blogs/guia-do-bolso/black-friday--veja-como-aproveitar-melhor-os-descontos-145008556.html>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  17. Naiara Infante Bertão e Talita Fernandes. Procon notifica empresas que participam do 'Black Friday'. <http://veja.abril.com.br/noticia/economia/procon-notifica-empresas-que-participam-do-black-friday>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  18. Luiza Xavier e Luciana Casemiro. Black Friday brasileira vira 'black fraude' nas redes sociais. <http://oglobo.globo.com/economia/defesa-do-consumidor/black-friday-brasileira-vira-black-fraude-nas-redes-sociais-6812176>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  19. Estadão. Black Friday: Procon-SP notifica 7 varejistas por maquiagem em descontos. <http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,black-friday-procon-sp-notifica-7-varejistas-por-maquiagem-em-descontos,135639,0.htm>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  20. Correio. Black Friday: Procon notifica sete empresas por suspeita de "maquiagem" de ofertas. <http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/black-friday-procon-notifica-sete-empresas-por-suspeita-de-maquiagem-de-ofertas>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  21. Gabriela Bazzo. Black Friday tem aumento nas vendas e também nas reclamações. <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/11/1378872-black-friday-tem-aumento-das-vendas-e-tambem-das-reclamacoes.shtml>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  22. Julia Wiltgen. Black Friday terá imóveis com desconto de até R$ 770 mil<http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/black-friday-tera-imoveis-com-desconto-de-ate-r-770-mil>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  23. Thais Villaça. Black Friday traz carros em promoção. <http://www.estadao.com.br/jornal-do-carro/noticias/mercado,black-friday-traz-carros-em-promocao,15862,0.htm>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  24. http://www.tricae.com.br/black-friday/
  25. Black Friday 2014 (02/11/2014).
  26. Anna Carolina Papp. Setor de serviços adera à Black Friday. <http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,setor-de-servicos-adere-a-black-friday-,1101114,0.htm>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  27. Folha de São Paulo. Varejo aumentou preços de 21% dos produtos na Black Friday, diz pesquisa. <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/12/1385156-varejo-aumentou-precos-de-21-dos-produtos-na-black-friday-mostra-pesquisa.shtml>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  28. Leonardo Pereira. Internautas relatam que a 'Black Fraude' já começou.<http://olhardigital.uol.com.br/noticia/39076/39076>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  29. Teresa Perosa. ReclameAQUI lança ferramenta para monitorar a Black Friday.<http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/felipe-patury/noticia/2013/11/reclameaqui-lanca-ferramenta-para-bmonitorar-black-fridayb.html>. Acessado em 20 de Dezembro de 2013.
  30. A cada queixa que recebe, 'Black Friday' fatura 97 mil. <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/11/1378513-com-quase-2-mil-queixas-black-friday-ja-faturou-r-174-milhoes-nesta-sexta.shtml>. Acessado em 29 de Novembro de 2011.
  31. Luis Bortotti (12/11/2014). Black Friday 2014: Expectativas Web Jump. Visitado em 14/11/2014.
  32. Rayna Ferreira (01/10/2013). Black Friday sem pegadinha Cuponation Brazil. Visitado em 14/11/2014.