Catalino Rivarola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rivarola
Informações pessoais
Nome completo Catalino Rivarola Méndez
Data de nasc. 30 de Abril de 1965 (49 anos)
Local de nasc. Zabalhos, Paraguai
Altura 1,88 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Defensor
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1985-1991
1991-1995
1995-1998
1999
2000
2001
Paraguai Cerro Porteño
Argentina Talleres
Brasil Grêmio
Brasil Palmeiras
Brasil América-RJ
Paraguai Libertad

98 (3)
60 (1)
3 (0)

Seleção nacional
1988-1998 Flag of Paraguay.svg Paraguai 52 (3)

Catalino Rivarola Méndez[1] (Zabalhos, 30 de abril de 1965[2] ) é um ex-futebolista paraguaio que atuava como zagueiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascido nos arredores de Assunção, Rivarola iniciou a sua carreira em 1985, às vésperas de completar vinte anos, defendendo o Cerro Porteño. Atuou no Ciclón até 1991, tendo faturado três títulos nacionais (1987, 1990 e 1991), até ser contratado pelo Talleres, na época um clube expressivo da Argentina. Militou durante quatro anos com a camisa alviazulina, atuando em 98 partidas, marcando três gols, mas não ganhou nada com a equipe de Córdoba. Tal desempenho levou o Grêmio a apostar na contratação do zagueiro, que se tornaria mais tarde um dos homens de confiança de Luiz Felipe Scolari no Tricolor Gaúcho.

Rivarola fez parte do elenco gremista que angariou diversos títulos, sendo os mais relevantes o título da Libertadores de 1995 e o Campeonato Brasileiro de 1996, além do bicampeonato do Campeonato Gaúcho (1997-1998), do título da Copa do Brasil de 1997 e da Recopa Sul-Americana de 1996. Juntamente com Adílson Batista (atualmente treinador), fez um sólido miolo de zaga.

Em 1999, o Palmeiras, na fase áurea da "Era Parmalat", contrataria Felipão e Rivarola (especialmente para a disputa da Libertadores daquele ano), além de outros dois ex-jogadores do Grêmio: Francisco Arce (companheiro de Rivarola na Seleção Paraguaia) e o atacante Paulo Nunes. Aos 34 anos de idade, o zagueiro pouco fez enquanto esteve no Verdão, disputando apenas três partidas.

Fora dos planos do Palmeiras para 2000, Rivarola foi para o Rio de Janeiro, onde assinou com o América, onde também atuou pouco. No ano seguinte, retornou ao Paraguai para defender o Libertad, onde também teria atuações limitadas por conta de sua má forma física. Depois de algumas partidas, Rivarola anunciou o encerramento de sua carreira, aos 36 anos.

Seleção Paraguaia[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção do Paraguai, Rivarola disputou 52 partidas e marcou 3 gols.[3] Esteve na Copa de 1998, mas sequer teve chances na participação dos Guaranis no torneio. Participou também de duas edições da Copa América, em 1989 e 1991.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ano Clube Título
1987 Paraguai Cerro Porteño Campeonato Paraguaio
1995 Brasil Grêmio Copa Libertadores
1996 Brasil Grêmio Campeonato Gaúcho
1996 Brasil Grêmio Campeonato Brasileiro
1996 Brasil Grêmio Recopa Sul-Americana
1997 Brasil Grêmio Copa do Brasil
1999 Brasil Palmeiras Copa Libertadores

Referências

Bandeira de ParaguaiSoccer icon Este artigo sobre um futebolista paraguaio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.