Catarina I da Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antistub.png
Este artigo está em manutenção emergencial a fim de evitar uma futura eliminação. Ajude a corrigir imprecisões no texto e colocar fontes que atestem sua relevância. Se você se dispõe a melhorar este artigo e quer um tempo para fazê-lo clique aqui para inserir um tópico e evitar uma futura eliminação (não se esqueça de pôr título com wiki para o artigo).
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Janeiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Catarina I
Imperatriz e Autocrata de Todas as Rússias
Imperatriz da Rússia
Reinado 8 de fevereiro de 1725
a 17 de maio de 1727
Coroação 7 de maio de 1724
Predecessor Pedro I
Sucessor Pedro II
Imperatriz Consorte da Rússia
Reinado 22 de outubro de 1721
a 8 de fevereiro de 1725
Predecessora Eudoxia Lopukhina
Sucessor Sofia de Anhalt-Zerbst
Marido Pedro I da Rússia
Descendência
Ana da Rússia
Isabel da Rússia
Nome completo
Marta Helena Skavronska
Casa Romanov
Pai Samuel Skowroński
Mãe Isabel Moritz
Nascimento 15 de abril de 1684
Morte 17 de maio de 1727 (43 anos)
São Petesburgo, Império Russo
Enterro Catedral de Pedro e Paulo

Catarina I (em russo: Екатерина I Алексеевна; Yekaterina I Alekseyevna, 15 de abril de 168417 de maio de 1727) foi imperatriz da Rússia entre 1725 e 1727. Nascida Marta Helena Skavronska, era uma serva nascida no território da atual Letônia. Foi amante e posteriormente segunda esposa de Pedro I da Rússia. Depois da morte do marido, foi proclamada governante com o apoio do predileto de seu marido, Menshikov, e dos regimentos de guarda.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A vida de Catarina I foi dita por Voltaire a ser quase tão extraordinária quanto do próprio Pedro, o Grande. Não há documentos que confirmam suas origens. Disse ter nascido em 15 de abril de 1684, ela foi originalmente chamada de Marta Helena Skowrońska. Marta era filha de Samuel Skowroński, posteriormente escrito Samuil Skavronsky, um camponês lituano de origem polonesa, um católico romano, que em 1680 casou-se com Dorothea Hahn em Jakobstadt.[1]

Em 1703, quando Pedro, o Grande fundou São Petersburgo, tornou-se sua amante, casando-se em segredo em 1707, depois de se ter convertido à fé ortodoxa e tomar o nome de Catarina Alekséievna. À data do casamento tinham já sete filhos, nenhum dos quais sobreviveu até à idade adulta. Tiveram no total onze filhos dos quais sobreviveram Ana (1707) e Isabel (1709). Enquanto se construía a cidade, viveram numa cabana onde ela cozinhava e ele cuidava do jardim. Quando se mudaram para um palácio, conservaram-na rodeando-a de uma vala.

A sua correspondência mostra que o casal sempre manteve grande cumplicidade, e ela cuidava do czar pessoalmente durante os seus ataques epilépticos. Diz-se que só discutiram uma vez, devido à execução por corrupção do secretário de Catarina.

Imperatriz[editar | editar código-fonte]

São Petersburgo em 1723

Em 1711 acompanhou o czar na Campanha de Prut, contra a Turquia, e conta-se que salvou a vida de Pedro quando estava rodeado por um exército muito superior, sugerindo-lhe que se rendesse e utilizando as suas jóias e as das suas damas para subornar o Grão-Vizir. Pedro I premiou-a casando-se com ela, desta vez oficialmente, na Catedral de Santo Isaac, apesar de ele estar casado com Eudoxia Lopukhina, a quem havia encerrado num convento e com quem tinha um filho, Alexis Petrovich, que executou (diz-se que com as próprias mãos). Deu a Catarina o título de Imperatriz, sendo a primeira mulher a ter este título: até então as esposas do czares era conhecidas como suas consortes. Em 1724, foi nomeada co-regente.

Durante o reinado de Pedro I foi efectuada uma profunda reforma do Exército, que permitiu a pessoas sem título nobiliárquico a possibilidade de aceder ao corpo de oficiais, acabando assim com o monopólio da nobreza nesses cargos, e nomeando-os também para cargos públicos, baseando-se na competência. Assim, ao morrer o rei em 1725 designado-a sucessora, teve que fazer frente à oposição do clero e dos boiardos, que estavam contra as reformas realizadas, e à do povo que apoiava os direitos do príncipe Pedro, filho do já falecido czarevich Alexei Petrovich. A nobreza nova do círculo de Pedro I, com Menshikov à cabeça, e os seus colaboradores burgueses apoiaram-na, e a guarda proclamou-a Imperatriz. Foi o início de uma época da História da Rússia caracterizada por contínuos golpes de Estado e pelo governo de favoritos.

Menshikov tornou-se o efetivo chefe do governo, trabalhando através do recém-estabelecido Conselho Privado, mas caiu do poder com a morte de Catarina. Sua filha Isabel tornou-se imperatriz (1741-1762), dando início à época de despotismo esclarecido do Império Russo.

Referências

  1. Catherine I (em inglês) Encyclopædia Britannica, Inc.. Visitado em 13 de novembro de 2013.
Precedido por
Pedro, o Grande
Imperatriz da Rússia
1725 — 1727
Sucedido por
Pedro II


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina I da Rússia