Corredor da morte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Corredor da morte é um termo que se refere à seção de um presídio que abriga os condenados a morte que esperam pela execução.

Após o réu ser condenado e sentenciado à execução, ele permanece no corredor da morte durante o processo de apelação — isso se o condenado quiser apelar — ou até o dia e hora convenientes para sua execução. Nos Estados Unidos, devido às apelações demoradas e caras que precisam ocorrer antes da execução, cerca de um quarto das mortes no corredor da morte são de fato de causas naturais. [1]

Na Grã-Bretanha, antes da abolição da pena de morte, prisioneiros condenados obtinham clemência caso não fossem executados em 90 dias, a contar do dia de sua sentença. Em alguns países caribenhos onde ainda existe a pena de morte, há um comitê judicial especializado em ajudar nas apelações daqueles condenados há muitos anos, com o propósito de evitar uma propagação de tal condição.

Oponentes da pena de morte afirmam que o isolamento do prisioneiro e a incerteza de seu destino constituem uma forma de crueldade mental, e que encarcerados por um longo tempo no corredor da morte estão propensos a desenvolver transtornos mentais, se já não o tiverem. A isto refere-se como o fenômeno do corredor da morte.

Em 1 de janeiro de 2007, havia 3.350 prisioneiros esperando pela execução nos Estados Unidos. Desses, sete estiveram oficialmente no corredor da morte em mais de um estado do país. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]