Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escola de Engenharia de São Carlos
Universidade de São Paulo
EESC

Prédio E1 da EESC
Universidade Universidade de São Paulo
Fundação 1948
Tipo de Instituição Unidade de ensino, pesquisa e extensão
Professores 218[1]
Graduação 1040
Pós-graduação 482
Localização São Carlos, SP Brasil
Campus Campus 1 São Carlos
Site [1]

A Escola de Engenharia de São Carlos é a unidade da Universidade de São Paulo responsável por ministrar cursos de engenharia no campus de São Carlos. A EESC, como é chamada, situa-se entre as melhores e mais qualificadas instituições de engenharia do Brasil e executa um dos maiores orçamentos destinados a unidades de ensino na USP.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Criada pela Lei Estadual nº 161, de 1948, pouco após o final da Segunda Guerra Mundial e implantada em dezembro de 1952, a Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, EESC-USP, instalou-se no prédio cedido em caráter provisório pela Sociedade "Casa d'Itália", atualmente em processo de tombamento pelo CONDEPHAAT.

O primeiro concurso vestibular realizou-se em 1953, com a oferta de cinqüenta vagas para ingresso no Curso de Engenharia, com vistas às Habilitações em Engenharia Civil e Engenharia Mecânica. Inscreveram-se duzentos interessados, dentre os quais foram selecionados trinta e nove.

A partir do segundo semestre de 1955, passou a Escola a oferecer os denominados Cursos de Doutoramento e, em 1956, estabeleceu os cursos de especialização e aperfeiçoamento. Os programas dos cursos de pós-graduação foram organizados em 1969 e, no ano seguinte, as atividades pertinentes foram regulamentadas.

A Escola instalou-se por etapas, entre 1956 e 1957, no Bloco E-1, edifício construído para sediá-la na área doada pela Prefeitura Municipal de São Carlos. Posteriormente, novos prédios foram construídos e laboratórios implantados, permitindo, assim, a expansão da Unidade no campo das atividades didático-científicas, bem como o desenvolvimento de sua organização administrativa.

Em 1970, somaram-se às Habilitações em Engenharia Civil e Engenharia Mecânica, outras duas opções de formação: Engenharia de Produção e Engenharia Eletrotécnica, depois denominada Engenharia Elétrica. Em 1985, foi implantado o Curso de Arquitetura, atual Curso de Arquitetura e Urbanismo e, no ano de 2002, teve início o Curso de Engenharia Aeronáutica, até então a prestigiada Ênfase em Aeronáutica, oferecida exclusivamente aos alunos de Engenharia Mecânica. Em 2003 a Reitoria da USP aprovou a criação dos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia Mecatrônica, Engenharia de Computação e Engenharia Elétrica/Sistemas de Energia e Automação.

Os cursos e habilitações que compõem as atividades de graduação da Escola caracterizam-se por uma forte interligação com as pesquisas desenvolvidas pelos docentes, em programas de pós-graduação, projetos individuais ou integrados e prestação de serviços.

Os atuais cursos de pós-graduação, stricto sensu, nos níveis de mestrado e doutorado, visam à formação de docentes, pesquisadores e profissionais especializados em todos os ramos do saber abrangidos pela Escola. As atividades de pós-graduação lato sensu desenvolvem-se através do oferecimento de cursos de especialização de longa duração.

O ensino propiciado pela Escola compreende também algumas modalidades de cursos de extensão universitária.

Instituído em 1972, o Campus da USP em São Carlos foi integrado pela Escola de Engenharia de São Carlos e duas outras Unidades Universitárias que dela se originaram em 1971: o Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos, atualmente denominado Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), e o Instituto de Física e Química de São Carlos, posteriormente desmembrado em Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e Instituto de Química de São Carlos (IQSC). No final de 2010 foi criado o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU), a partir do desmembramento do antigo Departamento de Arquitetura e Urbanismo da EESC, também como fruto da consolidação das atividades desenvolvidas na área.[3]

A EESC figura-se como uma ilha de excelência no ensino e pesquisa das ciências exatas no interior do Estado de São Paulo, envolta de dezenas de pequenas empresas de tecnologia de ponta ligadas ao ParqTec, fundadas - em grande parte - por ex-alunos da EESC. A Escola de Engenharia desponta, há vários anos, com notas máximas nos rankings nacionais governamentais (CAPES, antigo "Provão") e de iniciativa privada, como o Prêmio Guia do Estudante e Banco Real - Melhores Universidades, do qual tem recebido por seguidos anos a condecoração 5 estrelas - nota máxima - em todos os cursos avaliados.

A Escola de Engenharia da USP em São Carlos tem ainda, em conjunto com as demais unidades da USP, contribuindo significativamente com os resultados da universidade em rankings das melhores universidades no mundo, realizada pela mídia ou instituições internacionalmente reconhecidas:

A Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo possui, segundo os Anuários Estatísticos da USP, os maiores índices de produção científica nacional e internacional por docente dentre as demais unidades da USP que lecionam cursos de engenharia e tecnologia da informação.

Lema[editar | editar código-fonte]

O lema adotado pelo seu primeiro Diretor, Prof. Theodoreto de Arruda Souto, em 1952 foi e continua sendo inspiração para seguidas gerações de estudantes de engenharia da EESC: "Nesta casa se procura a verdade científica e a técnica de adaptação das energias da natureza a serviço da humanidade"[3]

Diretores da EESC[editar | editar código-fonte]

Ao longo de pouco mais de meio século de existência, a Escola de Engenharia de São Carlos teve como diretores, vice-diretores e associados, mentes que conduziram a escola ao seu atual patamar de prestígio. Dentre eles, estão abaixo o primeiro e últimos diretores da EESC:

Órgãos Colegiados da Escola de Engenharia de São Carlos - USP[editar | editar código-fonte]

Congregação, Conselho Técnico Admistrativo, Comissão de Cultura e Extensão, Comissão de Graduação, Comissão de Pesquisa e Comissão de Pós-Graduação são os atuais órgãos colegiados à Diretoria da EESC-USP

A EESC em números em 2007[editar | editar código-fonte]

Departamentos: 9

Salas de apoio/aula/estudo: 84

Laboratórios: 168

Servidores Docentes: 230

Dedicação em tempo integral: 213

Titulação de Doutor ou acima: 212

Colaboradores: 2

Servidores não-docentes: 335 de nível:

Superior: 55

Técnico: 209

Básico: 71

Formandos (1957 a 2007): 7010

Alunos matriculados 2007

Regulares: 856

Especiais: 354

Mestrado: 439

Doutorado: 417

Pós-Doutorado: 48

Títulos outorgados:

Mestrado: 194

Doutorado: 104

Total de Dissertações de Mestrado defendidas (1970 a 2007): 3418

Total de Teses de Doutorado defendidas (1970 a 2007): 1158

Bolsas concedidas por entidades financiadoras: 325

Programa Interunidades Bioengenharia (EESC/FMRP/IQSC)

Total de Dissertações de Mestrado defendidas (1977 a 2007): 200

Ciência e Engenharia de Materiais (EESC/IFSC/IQSC)

Total de Dissertações de Mestrado defendidas (1992 a 2007): 214

Total de Teses de Doutorado Defendidas (1992 a 2007): 129

Convênios celebrados

Convênio de Estágios: 87

Intercâmbio Internacional: 27

Alunos beneficiados: 79

Admissão[editar | editar código-fonte]

Como unidade da Universidade de São Paulo (USP), o ingresso à Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) se dá de duas formas: Através do vestibular, comissionado pela FUVEST, para os ingressantes que desejam iniciar em um dos cursos de engenharia desde o primeiro semestre e não possuem vínculo com outra IES (Instituição de Ensino Superior). A segunda maneira se faz pela Transferência Externa, através da qual alunos de outras instituições de ensino brasileiras ou estrangeiras podem optar pela candidatura a vagas remanescentes em qualquer dos cursos de de engenharia ministrados pela Escola de Engenharia da USP, em São Carlos.

Regime Acadêmico na EESC[editar | editar código-fonte]

A Escola, conhecida por sua exigência acadêmica, permite aos diferentes departamentos que a compõe decidir a melhor grade curricular para cada curso, no entanto, algumas características são comuns entre os cursos por demanda do Regimento Geral da USP e pela Lei de Diretrizes e Bases do Ministério da Educação.

O Ciclo Básico[editar | editar código-fonte]

Ao ingressar na Escola de Engenharia, o aluno primeiro-anista inicia o chamado Ciclo Básico. Neste período, de duração de 2 anos, o aluno se dedicará integralmente ao estudo da Física (Física I, II, III e IV), Matemáticas (Cálculo I, II, III, Função de Variáveis Complexas, Geometria Analítica, Álgebra Linear, Métodos Numéricos I e II, Equações Diferenciais Ordinárias, etc.), Química (Química Geral I, Laboratório de Química Geral I, etc.), Computação e algumas disciplinas de História da Ciência. Neste período algumas disciplinas introdutórias do segmento do curso de engenharia escolhido serão ministradas. Ademais, é neste momento em que grande parte dos alunos se prepara para processos seletivos para realização de parte dos estudos em universidades estrangeiras, principalmente na Europa.

A Carga Horária[editar | editar código-fonte]

Qualquer dos cursos de Engenharia oferecidos pela EESC/USP perfaz um período diário integral. No período matutino os cursos se iniciam às 8h10 e finalizam às 12h00. No período vespertino as aulas têm início às 13h20 ou 14h10 e se encerram às 17h50. Não há cursos ministrados no período noturno pela EESC, no entanto, os alunos têm a opção de se matricular em disciplinas de Computação e Informática, ministradas no ICMC (Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação). A deferência destas, no entanto, depende de pré-requisitos que vão de mérito acadêmico (média ponderada das notas) à disponibilidade de vagas.

Mobilidade Internacional[editar | editar código-fonte]

A EESC tem firmado, ao longo dos anos, parcerias acadêmicas internacionais com universidades de renome, localizadas principalmente na Europa. Atualmente existem 27 convênios ativos com instituições estrangeiras de ensino de engenharia e ciências, sendo algumas delas provedoras de bolsas de estudos e programas de dupla-formação (duplo-diploma), como os convênios com as Écoles Centrales e a École Polytechnique de Paris, ou a Eberhard-Karls-Universität Tübingen (ver University of Tübingen), Alemanha. O processo seletivo varia de acordo com a instituição de destino, mas o domínio do idioma do país no qual se deseja estudar e destacado rendimento acadêmico são condições sine qua non para aprovação em qualquer dos programas. A EESC possui no Bloco Administrativo da Engenharia (chamado E-1) um posto de Comissão de Cooperação Internacional, destinado a instruir alunos interessados realizar parte de seus estudos no exterior. Acesse o Site da CCInt da USP.

Duração do Curso[editar | editar código-fonte]

O curso de Engenharia da EESC-USP tem duração de 10 semestres em período integral. A atual regra de jubilamento da USP prevê que o aluno estudante de Engenharia deve concluir o curso em até 18 semestres. Assim, o estudante que tiver concluído a grade obrigatória de seu curso (em média 4.100 horas), fica autorizado pela unidade a colar grau. A titulação de Engenheiro se dá em cerimônia e juramento dos formandos, dentro das dependências da Escola de Engenharia, diante do Ilmo. Diretor da Escola de Engenharia, Congregados e Professores vinculados à Comissão de Coordenação de Curso, além dos convidados, os pais do formando, amigos e colegas.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Aos alunos com excepcional rendimento acadêmico, reconhecido pela Alta Coordenação da Unidade, são oferecidos os seguintes prêmios durante a Cerimônia de Formatura:

Prêmio "INSTITUTO DE ENGENHARIA" Conferido ao formando classificado em 1o lugar na Escola de Engenharia de São Carlos. Consiste em um diploma e inscrição no Quadro Social da Entidade, como membro titular, com a primeira anuidade quitada, além de constar no histórico do Instituto.

Prêmio "CREA-SP DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL" Conferido anualmente aos formandos que se destacaram nos cursos de graduação. Consiste de um Diploma de Honra ao Mérito.

Atividades de Extensão[editar | editar código-fonte]

Com o objetivo de aproximar o estudante de engenharia de atividades extra-curriculares, os alunos da Escola de Engenharia da USP em São Carlos fundaram e gerenciam através de patrocínios da indústria brasileira e de suporte da EESC, diversos grupos de desenvolvimento prático da engenharia, dentre os quais, somam-se:

GEAR - Grupo de Estudos Avançados em Robótica[editar | editar código-fonte]

Fundado e atualmente coordenado por alunos e professores das Engenharias Elétrica e Computação da EESC, com participação de estudantes das engenharias mecatrônica e mecânica, o grupo GEAR tem como missão o estudo e aprimoramento das técnicas de engenharia robótica. Hoje o grupo GEAR é considerado uma divisão discente do SEL/EESC/USP. Dentre seus programas e projetos, destaca-se a Equipe de Futebol de Robôs do Departamento de Engenharia Elétrica, vice-campeã[4] do V Latin American Robotics Competition (Categoria RoboCup Small Soccer // F-180). A Competição, realizada entre 26 a 29 de Outubro de 2008, promovida pelo IEEE Latin American Robotics Council e pela RoboCup Federation - RoboCup. Todos os robôs e softwares desenvolvidos foram totalmente projetados pelos alunos do GEAR/SEL, o que explicita elevados níveis de criatividade, competência e iniciativa, pois abrangem a resolução de problemas complexos envolvendo visão computacional, inteligência artificial, controle adaptativo, processamento de imagens, mecatrônica, sistemas de comunicação, processos em tempo-real, entre outros.Dentre os alunos mais brilhantes da USP São Carlos, podemos citar: Fernando Meirelles ,Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor de Mello, Jorge Asturia Astigarraga Dalla Vechia, Prudente de Moraes, Flávio Rodrigues Pires, Antonio Carlos Viana Santos Luiz Carlos Bresser Gonçalves Pereira, Jânio Quadros,Prudente de Morais. Dentre outros.

Equipe EESC-USP de Aerodesign[editar | editar código-fonte]

Troféus e mensões honrosas da Equipe de Aerodesign.

É atualmente: Bicampeã Brasileira na Classe Regular (1999 e 2002), Campeã da East Competition na Classe Regular (2002), Tetracampeã Brasileira na Classe Aberta (2005, 2006, 2008 e 2009), Tricampeã da East Competition na Classe Aberta (2006, 2007 e 2009), Bicampeã Brasileira na Classe Micro (2009 e 2010) e Campeã da East Competition na Classe Micro (2010). Conheça mais sobre toda a equipe, veja fotos e vídeos de todos os aviões já construídos.

A equipe EESC-USP de Aerodesign foi fundada em 1998 por alunos do curso de engenharia mecânica com ênfase em aeronaves da Escola de Engenharia de São Carlos. Inicialmente, o objetivo era divulgar a competição no Brasil, buscando atrair, desta forma, o interesse de outras escolas, tentando viabilizar uma competição similar à norte-americana em nível nacional. Para tanto em outubro de 1998 os trabalhos da equipe foram divulgados na Fealtec (Feira de Alta Tecnologia), evento que reúne anualmente em São Carlos-SP empresas da área de tecnologia e onde a primeira aeronave da equipe ficou em exposição e fez demonstrações de vôo. Outro compromisso importante da equipe foi a participação no Congresso Internacional da SAE em São Paulo no mês de novembro de 1998, onde foi feita uma apresentação técnica do projeto na "Noite dos Estudantes", evento tradicional no congresso que reúne trabalhos de destaque realizados por estudantes de engenharia na área da mobilidade, divulgando assim a competição para os profissionais da área e atraindo potenciais patrocinadores para o futuro evento. Após esta apresentação a equipe teve a confirmação extra-oficial, que viria mais tarde a se confirmar, da realização de um campeonato nacional de AeroDesign.[5] A partir deste momento, a equipe se empenhou no projeto e construção de um novo protótipo para participar da 1º competição nacional a se realizar em agosto de 1999 em São José dos Campos - SP. A equipe encontra-se estabelecida em um espaço próprio dentro da Universidade onde situa-se o laboratório e a sala de microcomputadores. Atualmente a equipe conta com o apoio da EESC, particularmente do LAE (Laboratório de Aeronaves) que garante todo o suporte técnico necessário para o desenvolvimento dos projetos, já que conta com um corpo docente de altíssimo nível, vasta literatura especializada, convênio com as principais bibliotecas do país, softwares de CAD, análises estruturais, dinâmicas e aerodinâmicas, além de contar com um túnel de vento para ensaios experimentais. A equipe conta ainda com o patrocínio da Opto-eletronica S.A., empresa nacional de alta tecnologia fundada em São Carlos, da NSK rolamentos e apoio das empresas ALLTEC Materiais Compostos, Politecnonaço, Ferrametal e VivaAero.

Saiba mais detalhes sobre a competição de engenharia conhecida como SAE Aerodesign.

Equipe EESC USP Baja SAE[editar | editar código-fonte]

Ao longo de 18 anos em competições nacionais e internacionais, a Equipe EESC USP Baja SAE se fez duas vezes vice-campeã e é Hexacampeã da competição nacional de Baja SAE - que está na sua 18ª edição.A equipe tem um histórico vencedor nas etapas regionais sudeste. [6] Além disso, já disputou a SAE Midwest (competição internacional de Baja) sete vezes, sendo que segundo lugar, entre 140 equipes de oito países.

Formada por uma equipe heterogênea com 31 alunos, composta por estudantes de diversas áreas da Engenharia, como Aeronáutica, Elétrica, Eletrônica, Mecatrônica, Produção e Mecânica, ela é uma das principais equipes de Mini Baja do Brasil e goza de reconhecimento internacional devido ao vasto curriculum de vitórias.

Equipe EESC-USP Formula SAE[editar | editar código-fonte]

A Equipe EESC-USP Formula SAE é um grupo formado por aproximadamente 40 estudantes de diversas engenharias, de graduação e pós-graduação, que tem como objetivo o desenvolvimento do projeto e da manufatura de um veículo de alto desempenho do tipo Formula, para disputar as competições organizadas pela Sociedade dos Engenheiros da Mobilidade (SAE) no Brasil e no exterior.

Fundada em 2003, é uma das mais tradicionais da competição, tendo obtido o primeiro lugar geral por duas vezes (2004 e 2005) e conquistado diversos prêmios ao longo das sete competições realizadas no Brasil, como o Prêmio de Inovação Tecnológica por duas vezes (2007 e 2009) e o Prêmio de Melhor Projeto por cinco vezes (2004, 2005, 2006, 2007 e 2011). O escritório de projetos e a oficina estão situados no Campus I da Escola de Engenharia de São Carlos. A Equipe usufrui de grande parte da estrutura da Universidade, como por exemplo o dinamômetro do Laboratório de Motores para calibração do motor, o Laboratório de Metrologia para medição de peças e do próprio motor na máquina de medição a três coordenadas e o Laboratório de Materiais para testes mecânicos de dureza em componentes estruturais. São utilizadas também as vias dos Campi I e II para testes do protótipo. Além disso, conta-se também com o apoio de técnicos e professores, que agregam conhecimento e contribuem para o aperfeiçoamento e para o sucesso dos projetos. Promove-se também uma aproximação entre a Universidade e o mercado de trabalho através das empresas parceiras, as quais permitem a utilização de seus produtos no desenvolvimento do carro, além de realizarem treinamentos e outros eventos dos quais os estudantes participam.

Ao longo de sua história, a Equipe tem se destacado por aliar tecnologia, eficiência e baixo custo, obtendo assim reconhecimento nacional e internacional.

Saiba mais sobre a Equipe EESC-USP Formula SAE no site: www.eesc.usp.br/formula

EESC jr. - A Empresa Júnior dos Alunos da Escola de Engenharia de São Carlos[editar | editar código-fonte]

Com a missão de proporcionar soluções de qualidade em engenharia e arquitetura, a EESC jr. tem preparado seus membros - os alunos da EESC/USP - para o competitivo mercado de trabalho brasileiro. Tendo a empresa OPTO como atual patrocinadora institucional, a EESC jr. vem se consolidando, desde 1992, como provedora de soluções em engenharia para pequenas e médias empresas da região. O corpo participativo da EESC jr. é composto apenas por Alunos da EESC-USP, escolhidos através de um acirrado processo seletivo anual coordenado pela empresa júnior. Visite o site da EESC Jr.

Infraestrutura USP - São Carlos[editar | editar código-fonte]

Entrada co Campus 1 da USP de São Carlos.

O aluno que opta por estudar na EESC, bem como em qualquer um dos cursos sediados na USP campus São Carlos, pode ter acesso a uma vasta gama de serviços prestado pelo Prefeitura do Campus ou pela sua Unidade de Ensino.

Alojamento e Moradia - Vivendo no Campus[editar | editar código-fonte]

O Campus dispõe de dois blocos de alojamento, totalizando 192 vagas. A moradia estudantil é parte pertinente da Universidade de São Paulo e está situada dentro do campus 1, permitindo ao aluno fácil acesso às bibliotecas, salas de estudo 24 horas, laboratórios 24 horas, ao Centro de Esportes da USP São Carlos e restaurantes. Preenchidas as vagas do alojamento, o aluno poderá ser beneficiado com ajuda financeira, a fim de suprir parte dos gastos com moradia na cidade.

Centro Cultural[editar | editar código-fonte]

Criado pela Prefeitura do Campus (PCASC) em 1989, o Centro Cultural oferece, ao campus e à comunidade externa, uma série de atividades atístico-culturais. Entre elas, estão: exposições mensais de artes plásticas, apresentações musicais, cursos de idiomas para alunos, funcionários e Terceira Idade e workshops.

Aos alunos da USP São Carlos, são oferecidos gratuitamente cursos de Inglês, Francês e Espanhol, como parte do incentivo de diferentes unidades a um programa preparatório de intercâmbio internacional.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

Mais de 111.000 livros; 41.300 periódicos e 9.500 teses, além de inúmeros materiais especiais de audiovisual e multimídia. Este é acervo das bibliotecas instaladas no Campus da USP de São Carlos, e disponíveis ao estudantes de Engenharias, Arquitetura (unidade pertinente à EESC-USP), Ciência da Computação, Física, Química e Matemática. Ligadas diretamente às unidades de ensino, as quatro grandes bibliotecas dispõem de profissionais qualificados, serviços específicos - como reprografia, comutação bibliográfica e laboratório de idiomas - e infra-estrutura física adequada, que vai desde salas de estudo e vídeo a microcomputadores com acesso à Internet. Todas fazem parte do o Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi), através do qual o usuário pode ter acesso às informações das demais bibliotecas da USP.[7]

A USP disponibiliza em sua Biblioteca Digital teses e dissertações apresentadas em todos os campi da Universidade. Assim, por meio da internet, alunos, pesquisadores e demais interessados do mundo inteiro podem consultar e até fazer donwnload do conteúdo gerado na pós-graduação.

Editora[editar | editar código-fonte]

Quem deseja adquirir um livro, tem como opção a Livraria da Edusp (Editora da USP), instalada no Campus, próximo à Biblioteca da EESC.

Observatório Astronômico[editar | editar código-fonte]

Os Alunos de Engenharia da EESC têm à disposição um Observatório Astronômico interno ao Campus e coordenado pelo Centro de Divulgação Científica e Cultural. O observatório conta com um banco de dados de dados astronômicos, lunetas, telescópio, físicos monitores e equipamentos correlatos.

Segurança[editar | editar código-fonte]

A USP-São Carlos conta com o serviço de segurança 24 horas por dia, realizado pelo Seção de Fiscalização, da Prefeitura do Campus, e por empresas especializadas. Um sistema integrado de câmeras auxilia o monitoramento de quem entra e circula no campus, que também conta com uma Base Comunitária da PM, inibindo possíveis infrações e garantindo o poder de prisão, caso necessário.

O acesso ao campus a pedestres é restrito aos estudantes da USP a partir das 21 horas e acesso de veículos somente é permitido com prévia identificação.

USP-Net[editar | editar código-fonte]

A USP oferece a seus alunos uma rede WLAN que compreende toda a extensão do campus, o que permite o acesso à internet através de um laptop ou qualquer computador dotado de dispositivo WiFi, a partir de qualquer parte do campus, inclusive nos alojamentos, salas de estudos e praças.

Centro de Educação Física e Recreação[editar | editar código-fonte]

O Aluno da EESC tem à sua disposição um Centro Poliesportivo completo, com piscina semi-olímpica, academia de musculação e ginástica com acompanhamento de educadores físicos, quadras de tenis, futebol de salão, basquete, e vôlei, além de oferecer gratuitamente uma vasta gama de modalidades esportivas, como Pólo Aquático, Artes Marciais, etc.[8]

O CAASO - Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira[editar | editar código-fonte]

Fundado no dia 22 de abril de 1953 pela primeira turma de alunos da Escola de Engenharia de São Carlos, o centro recebeu este nome em homenagem ao governador do Estado de São Paulo que criou a Universidade de São Paulo. O centro acadêmico possui uma escola onde são ministradas aulas do ensino médio e cursinho pré-vestibular voltada para a sociedade de baixa-renda. O CAASO é um dos maiores centros acadêmicos da América Latina e é reconhecido como órgão representativo máximo de todos os alunos de graduação da USP de São Carlos.

O amarelo e o preto são considerados as cores oficiais do CAASO.

Dados Estatísticos da EESC[editar | editar código-fonte]

Considerada uma das melhores Escolas de Engenharia da América Latina, uma vasta base documental é disponibilizada a qualquer interessado, a partir da qual pode-se obter maiores detalhes sobre o destaque da Escola. ver Anuário Estatístico da Universidade de São Paulo

  • 100% dos cursos de Pós-Graduação da EESC obtiveram conceito de 4 a 7 pela CAPES até 2007.[9]
  • Orçamento executado de R$ 65.391.455,00 em 2007 e R$ 75.038.762,59 em 2008, sendo um dos maiores orçamentos destinados a unidades de ensino na USP.[10]
  • Execução de R$ 85.721,62 na aquisição de 636 novos livros em 2008 (apenas biblioteca central) [11]
  • Produção Científica da EESC e local de publicação entre 2003 e 2007: 5.178 (nacionais e internacionais).
  • Escola de Engenharia da USP em São Carlos tem a maior taxa de publicação por docente dentre as escolas de engenharia da USP.[12]
  • Número de Prêmios e distinções em 2007: 36.[13]
  • Produção Científica média por docente em 2007: 4,1, a maior dentre as escolas de engenharia da USP.[14]
  • Produção Científica em Periódicos e Livros em 2007: Total nacionais: 234 / Total estrangeiras: 213.[15]
  • Número de livros publicados em 2007: 28.[15]
  • Número de Disciplinas de Engenharia ministradas em 2007: 549.[16]
  • Área Edificada da Engenharia (EESC Campus I): 68.654,03 m2. Campus USP São Carlos: 149.104,69 m2[17]

Cursos oferecidos pela Escola de Engenharia da USP em São Carlos[editar | editar código-fonte]

Prédios da Engenharia Aeronáutica no Campus 2.

Cursos de Graduação[editar | editar código-fonte]

(*)CEE - Certificação de Estudos Especiais.

Programas de Pós Graduação[editar | editar código-fonte]

  • Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo
  • Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas
  • Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção
  • Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Computação
  • Programa de Pos-Graduacao em Engenharia Mecânica
  • Programa de Pós-Graduação em Geotecnia
  • Programa de Pós-Graduação em Engenharia Hidráulica e Saneamento
  • Programa de Pós-Graduação em Ciências da Engenharia Ambiental
  • Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Transportes
  • Programa de Pós-Graduação Interunidades Bioengenharia
  • Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ciência e Engenharia de Materiais

Estrutura administrativa[editar | editar código-fonte]

Departamentos[editar | editar código-fonte]

A Escola Escola de Engenharia de São Carlos se divide em 9 Departamentos, as menores divisões administrativas admitidas na Universidade de São Paulo:

  • SHS: Departamento de Hidráulica e Saneamento
    • CEA: Interunidades em Engenharia Ambiental
  • SEM: Departamento de Engenharia Mecânica
  • SMM: Departamento de Engenharia de Materias
    • CEM: Interunidades em Ciência e Engenharia de Materiais
  • SEL: Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação
    • CEC: Interunidades em Engenharia da Computação
  • SGS: Departamento de Geotecnia
  • STT: Departamento de Transportes (*)
  • SET: Departamento de Engenharia de Estruturas
    • CBE: Interunidades Bioengenharia
  • SEP: Departamento de Engenharia de Produção
  • SAA - Departamento de Engenharia Aeronáutica

Centros e Núcleos[editar | editar código-fonte]

  • Centro de Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada - CRHEA
  • Centro de Tecnologia Educacional para Engenharia - CETEPE
  • Núcleo de Manufatura Avançada - Numa
  • Núcleo de Pesquisa em Aeronáutica - NPA

Os Campi[editar | editar código-fonte]

Campus I[editar | editar código-fonte]

O Campus I, fundado em 1970, está localizado em uma área central da cidade de São Carlos, e portanto é um campus densamente edificado. Em seus diversos edifícios, abriga, além da EESC, o Instituto de Física de São Carlos - IFSC, o Instituto de Química de São Carlos - IQSC, o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação de São Carlos - ICMC e o Instituto de Arquitetura e Urbanismo - IAU.

São ligados à EESC os seguintes departamentos, com seus laboratórios e grupos de pesquisa:

O Campus I abriga ainda os demais centros:

Mapa do Campus 1[editar | editar código-fonte]

Campus II[editar | editar código-fonte]

O Campus II, fundado em 2002, apresentou-se como uma solução para o entrave que limitava o crescimento da Escola de Engenharia da USP em São Carlos: A natural expansão das dependências da Escola esbarrava na indisponibilidade de espaço físico no Campus I. O Campus II localiza-se na região noroeste da cidade, com fácil acesso pela SP 310 - Rodovia Washington Luís no km 235,8 e no km 240, e teve suas atividades acadêmicas iniciadas em 2005. Ao contrário do central, o novo campus é bastante extenso (97 hectares) e possui grandes áreas de reserva legal, tornando-o um laboratório a céu aberto para o curso de Engenharia Ambiental que, junto com os cursos de Engenharia da Computação e Engenharia Aeronáutica, já iniciaram a ocupação deste novo espaço. Esta área já se encontram 15 novos laboratórios de pesquisa e ensino da EESC, bem como os hangares da Engenharia Aeronáutica, Laboratórios de Computação, salas de aula e restaurante, além de uma estação meteorológica fixa controlada pela Engenharia Ambiental.

Campus 2 )de dentro do ônibus circular campus 1-campus2).

Uma rede de ônibus da USP São Carlos interliga gratuitamente os campi e garante acesso entre ambos durante todo o dia. Veja os horários dos ônibus

Mapa do campus 2.

Saiba mais sobre a EESC[editar | editar código-fonte]

Uma vasta opções de livros e publicações tem descrito, em diferentes olhares, a criação, instalação e desenvolvimento da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, que podem ser utilizados como fonte de informações históricas sobre o nascimento da Escola. Dentre estas obras, exemplifica-se uma que trata dos primórdios do Ensino da Engenharia na EESC, que pode ser encontrada nas principais bibliotecas municipais do Estado, em bibliotecas universitárias e livrarias.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]