Iturama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Iturama
"Pérola do Pontal do Triângulo"
Praça Dona Francisca Justiniana de Andrade

Praça Dona Francisca Justiniana de Andrade
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 23 de agosto
Fundação 27 de dezembro de 1948
Gentílico ituramense
Prefeito(a) Claudio Tomaz de Freitas (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Iturama
Localização de Iturama em Minas Gerais
Iturama está localizado em: Brasil
Iturama
Localização de Iturama no Brasil
19° 43' 40" S 50° 11' 45" O19° 43' 40" S 50° 11' 45" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba IBGE/2008[1]
Microrregião Frutal IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes União de Minas, Campina Verde, São Francisco de Sales, Populina, Ouroeste, Indiaporã, Mira Estrela, Carneirinho, e Limeira do Oeste
Distância até a capital 750 km
Características geográficas
Área 1 401,236 km² [2]
População 34 890 hab. Censo IBGE/2011
Densidade 24,9 hab./km²
Altitude 453 m
Clima Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,747 alto PNUD/2010 [3]
PIB R$ 561 481 mil IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 16 896,29 IBGE/2009[4]
Página oficial

Iturama é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na Microrregião de Frutal. Tem uma população de 34.890 habitantes (IBGE/2011) e área de 1.404,7 km².[5] Localiza-se às margens do Rio Grande, 750 km de Belo Horizonte.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Há, hoje, várias traduções para o nome da cidade, todas elas derivadas da língua tupi:

  • Segundo as interpretações de Joaquim Ribeiro Costa, José Carvalho e Cônego Osório, iturama (yty-terama) significa "região das quedas d’água". Provavelmente, em referência às grandes cachoeiras que existiam onde é atualmente a Usina Hidrelétrica de Água Vermelha e que está de acordo com as auto-denominações do povo mebêngôkre, que significa, "homens do poço/lugar d'água" que vivia na região de Iturama.
  • Alguns acham que o nome significa "Cidade das Cachoeiras".
  • Outros garantem que é "Região das Cachoeiras".
  • Segundo o relato do historiador Marcelo Aguiar, do qual grande parte deste texto foi extraída e que se encontra no arquivo público do município de Uberaba, um homem chamado José Carvalho, que é descendente de índios e que se intitula criador do nome dado, explica o significado da palavra: "I", diz ele, é "água", "tu" é "tombo, queda" e "rama" é "latada, muitas, várias". Ou seja, existiam muitas cachoeiras na região e o nome se adaptou imediatamente a esta realidade.
  • Há relatos oficiais de que cachoeira pronunciava-se "tókót" e água era "incó" na língua dos Caiapós, sobre os quais escreveu José Joaquim Machado de Oliveira (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro do Rio de Janeiro).
  • É possível o significado de "cachoeira promissora", através da junção dos termos ytu ("cachoeira")[6] e ram ("promissor")[7] .

História[editar | editar código-fonte]

Iturama surgiu da vontade da proprietária da Fazenda Santa Rosa, dona Francisca Justiniana de Andrade. Disposta a criar um povoado, a fazendeira doou em 24 de março de 1897, 189 alqueires de terra à Diocese de Uberaba. O que fez a diocese após a doação e os documentos comprobatórios da tais transações ainda não são de domínio público.

Na área, próximo ao Rio Grande, cresceu o Povoado de Santa Rosa, numa região habitada por índios Mebêmgôkre (denominados Caiapós pelos invasores europeus) e de belas matas e cachoeiras. Há documentos e fotos de tais cachoeiras, que foram publicadas em revistas editadas pela prefeitura de Iturama e pela revista Postura. No entanto a história de Iturama, sua arquitetura e a política de conservação da memória ainda é muito incipiente. Aparentemente, valoriza-se pouco a história a conservação e a memória da cidade.

Em 17 de dezembro de 1938, tornou-se distrito de Campina Verde (Decreto No. 148). Cinco anos mais tarde (31 de dezembro de 1943), passa a se chamar Camélia. No ato emancipatório (Lei 336 de 27 de dezembro de 1948) ficou definido o nome atual. No entanto, a principal festa comemorativa da cidade é realizada em agosto (já foi no dia 31 e agora é no dia 23), o dia da padroeira da cidade Santa Rosa de Lima.[8]

Origens[editar | editar código-fonte]

Desde a antiguidade até os fins do século XIX vivia na região muitos Índios Mebêmgôkre (Kayapós). Em algum momento da extensão da invasão portuguesa para o interior do Brasil, muitos Negros em busca de liberdade, escravizados ou em processo de libertação e uma rica fazendeira Dona Francisca Justiniana de Andrade, viúva de Antonio Paula Diniz passaram a compartilhar o domínio dessa região. A Família Diniz, originária de Portugal e fundadores da Ordem dos Cavaleiros Templários, deve ter recebido estas terras por atribuição do reino de Portugal (conforme descrito em tese de Doutorado de Francisco Eduardo Pinto, na UFF/Niterói). Dona Francisca, herdou assim enorme latifúndio, cuja sede denominava-se Fazenda Santa Rosa, sendo uma mulher de grande visão de futuro, planejou formar um povoado, conferindo para isso uma escritura de doação de um lote com 189 alqueires da terra, à Diocese de Uberaba, em honra ao Sagrado Coração de Jesus. Essa escritura lavrada foi em São Francisco de Sales, em 24 de março de 1897.

Primeiros Habitantes[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes na região onde está situado o Município do Iturama foram os índios Caiapós, nas proximidades da Cachoeira dos Índios, a 20 km da Sede do Município, onde atualmente funciona a Usina Hidroelétrica de Água Vermelha. O local onde os indígenas fizeram seu aldeamento, no passado era denominado "Aldeia dos Índios", foi submersa e desapareceu com a criação de uma barragem feita pela CESP para a construção da usina na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. Não se tem notícia oficial ou independente da história dessas pessoas. O que ocorreu com elas, se fugiram ou foram incorporadas à cultura do novo povoado que Dona Francisca intentou de fundar e prosperou. O povoamento foi desenvolvido paulatinamente, com pessoas de origem desconhecida, muitos permaneceram anônimos, outros foram esquecidos como sendo os primeiros desbravadores. A arte do esquecimento e do anonimato é muito comum no crescimento da humanidade no mundo inteiro. Poucos povos contam suas verdadeiras histórias.

A Emancipação[editar | editar código-fonte]

Criado em 1938 com a denominação de Santa Rosa, pelo decreto estadual nº 148, de 17-12-1938, com terras desmembradas do distrito de São Francisco de Sales, subordinado ao município de Campina Verde.

Em 1948 iniciou-se uma campanha com uma comissão objetivando a emancipação do Distrito de Camélia, para elevá-lo a município de Iturama. Membros dessa comissão foram diversas vezes a Belo Horizonte, a fim de acompanhar de perto o processo de emancipação levando em mãos aos membros da comissão Estadual os documentos complementares. Acompanhou o processo o causídico Dr. Tomáz Neves.

No dia 1º de janeiro de 1949, em Sessão Solene, presidida pelo primeiro Juiz de Paz do município, Sr. Palmério Urzedo de Queiroz, instalou-se o município de Iturama. Foi nomeado pelo Governo do Estado para intendente o Sr. Heliodoro Gonçalves da Maia, que instalou a prefeitura em 22 de março de 1949.

Religiões[editar | editar código-fonte]

A população de Iturama apresenta diferentes religiões como cultura popular de adoração a Deus e outras simbologias. Encontra-se em Iturama preponderantemente pessoas monoteístas (católicos, protestantes e neopentecostais). Além de Espíritas, encontra-se ainda manifestações de crenças de origem africana como Saravá, Candomblé, Macumba dentre outras.

A religião Católica teve presença marcante no processo de dominação e criação do Brasil. Em 1905 foi construída em Iturama (que na época ainda não tinha tal denominação) uma Capela por iniciativa do Senhor Laudemiro da Silva Rosa. Após a venda da área a terceiros foram surgindo se primeiras casas, resultando em um povoado que, por influência da Igreja Católica, recebeu o nome de Santa Rosa, em homenagem à Dona Francisca, cuja Fazenda-Sede de sua propriedade já levava este nome em homenagem à Igreja e à Santa, que ficou estabelecida e reconhecida como padroeira da cidade.

A Igreja Católica diz que sua matriz atual é a Igreja de Santa Rosa, que foi construída por José Machado (que ainda vive com 105 anos de idade em São José do Rio Preto) e outros companheiros servidores a mando de Dona Maria Petronília de Freitas e seu marido senhor Odilon Antonio de Freitas, no ano de 1931. Tradicionalmente a Matriz da Igreja foi a Igreja Nossa Senhora de Fátima.

Também o primeiro cemitério de tijolos foi construído em 1931, por Arthur Peaguda da Loma. O povoado pertencia ao Município de Frutal àquela época.

Fonte: IBGE[9]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se na região do Triângulo Mineiro, à uma latitude 19°43'40" sul e longitude 50°11'45" oeste, estando a uma altitude média de 453 metros. O aspecto geral de seu território é de planícies, levemente onduladas.[10] Seus municípios limítrofes são: Carneirinho a oeste, Limeira do Oeste a noroeste, União de Minas ao norte, Campina Verde e São Francisco de Sales a leste. No estado de São Paulo: Populina, Ouroeste, Indiaporã e Mira Estrela.

A cidade é conhecida como a Pérola do Pontal devido a sua localização no Triângulo Mineiro. Em pesquisa recente foi declarada a 11ª cidade em qualidade de vida no estado em que se situa.[carece de fontes?]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A região do pontal do Triângulo está localizada sobre parte do Aquífero Guarani, que é um grande reservatório de água doce subterrânea, um dos maiores do mundo. Iturama está localizada a aproximadamente 6 Km da margem direita do Rio Grande, que divide Minas Gerais de parte do noroeste do estado de São Paulo e encontra com o Rio Paranaíba formando o Rio Paraná. O Córrego Tronqueira abastece de água potável da cidade de Iturama. O Aquífero Guarani em toda suas extensão sob os estados do Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e parte do Paraná, assim como o Rio Grande.

O Córrego Tronqueira, por ser é a principal fonte de água potável que abastece a cidade requer especial atenção, uma vez que já recebe o esgoto do Frigorífico. O Tronqueira, o Santa Rosa e o Quati que cortam a cidade sofrem contaminações constantes e comuns a cursos d'água de ambiente urbano (Lixo, animais mortos, falta de fiscalização e regras). O uso responsável do solo, com regulação do uso de venenos e adubos em grande quantidade poderiam reverter este processo e preservar as águas da cidade.

Às margens dos córregos Tronqueira e Santa Rosa crescem belas palmeiras de Buriti (uma espécie protegida) que faz destes dois córregos serem classificadas como sendo Veredas. A presença de taboas, jambolão, araçás e outras espécies de plantas nas Veredas serve de atrativos para pássaros, peixes (trairas, piaus, lambaris, piaparas e vários outros), capivaras, jacarés, sucuris. A grande variedade de espécies que sobrevivem nas veredas requer atenção de toda população das margens do Tronqueira e Santa Rosa para que no futuro tenhamos água em abundância e qualidade. A construção de bairros do outro lado do Santa Rosa na direção do Tronqueira já alcançando o divisor de águas após o Corredor (Vila Cruzeiro) traz grandes riscos de contaminação com lixos e esgotos, alagamentos, desmoronamentos e degradação das margens dos córregos em especial o Santa Rosa.

É um sonho possível viver numa cidade que não canaliza seus rios, riachos e córregos e ainda os mantêm limpos! É tempo de começar a realizar este sonho.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[5]

População total: 34.456

Urbana: 32.598

Densidade demográfica (hab./km²): 24,53

Dados - 2007

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,17

Expectativa de vida (anos): 74,88

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,96

Taxa de alfabetização: 91,22%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,869, o que corresponde a padrões do Canadá, França e outros países (IDH entre 0,850–0,899, o segundo lugar na escala de melhores do mundo, cujo índice máximo chga a 1,000) com alto padrão de vida. No entanto, durante muito tempo pessoas em estado de miséria viveram na periferia de Iturama, em regiões ocupadas e insistentemente não reconhecida pela prefeitura.

IDH-M Renda: 0.841 IDH-M Longevidade: 0,756 IDH-M Educação: 0,855

(Fonte: IPEADATA)

Transporte[editar | editar código-fonte]

Pode-se chegar à Iturama pela MG-255 partindo de Frutal, pela BR-497 partindo de Uberlândia e pela MG-426, partindo da divisa de SP/MG (Usina Hidrelétrica de Água Vermelha, no Rio Grande), onde se encontra com a Rodovia Percy Waldir Semeguini, que parte de Fernandópolis.

A cidade dispõe de um aeroporto próprio para aeronaves de pequeno-médio porte. O terminal rodoviário mantém linhas diárias de ônibus direto para Uberlândia, Uberaba, Campina Verde, Frutal, Fernandópolis, São José do Rio Preto e São Paulo. Também é possível chegar a Iturama partindo de São Paulo, Belo Horizonte ou Rio de Janeiro por via aérea até Rio Preto, Uberaba ou Uberlândia e seguir de ônibus ou carro até Iturama.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Iturama se destaca como centro regional do Pontal do Triângulo Mineiro, sendo na área da saúde, educação, comércio, hotelaria e de serviços.

A economia é baseada na agricultura e pastoreiro, na plantação de cana-de-açúcar, a produção do álcool e na prestação de serviços.

Sua estrutura física e a organização da arquitetura urbana fazem dela uma referência nos diversos setores da economia, ainda somando a chegada da UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), da Usina de Biodíesel Triângulo, que está em fase de implantação e da realização do esperado sonho da concretização do Porto Intermodal de Cargas, que une os estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e que gera desenvolvimento para Iturama, as cidades da Região e alavanca o sistema de transporte hidroviário brasileiro. Em questões de Hotéis e Pousadas, Iturama conta com muitas opções para o bem estar do visitante e do turista, com preços adequados à concepção do hóspede.

Iturama - Minas Gerais.

Por isso e demais fatores, Iturama se destaca no Triângulo como uma cidade ótima para se investir e principalmente para se viver. Na área Industrial, encontramos indústrias de diferentes ramos, e hoje se destaca na área por ser composta por mais de 190 indústrias que alavancam a economia municipal como, por exemplo: A Usina Coruripe, sendo a maior empregadora da cidade; o Frigorífico Friboi e a Usina de Biodíesel Triângulo. A cidade também propicia aos investidores uma localização privilegiada, mão de obra abundante, um Porto Intermodal de Cargas, que vai escoar a produção de tudo oque for produzido na região diretamente a demais portos direcionados na rota ao Porto de Santos, e apoio público. A cidade está de braços abertos para investimentos e negócios.

Iturama é muito bem servida na área comercial, de transportes e energética, composta por uma ampla rede de supermercados, farmácias, clínicas médicas, bancos, hospitais, lojas de conveniência e um comércio diversificado, onde encontramos várias redes, como: Rede Eletrosom: loja de eletrodomésticos, móveis e eletrõnicos. Lojas Pernambucanas: loja de roupas e eletrodomésticos. Eletrozema: loja de eletrodomésticos, móveis e eletrõnicos.

e mais lojas providas de Iturama, que oferece a população uma ampla variedade de compras. Iturama também conta com 3 hospitais, 1 particular e 1 público, e 1 em construção, que será particular. E também várias clínicas de todas as especialidades e ramos. Na cidade, estão presentes 2 planos e saúde: UNIMED e BEM SAÚDE.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com várias instituições públicas, estaduais e particulares e escolas de idiomas, dança, teatro, balett e diversos tipos de lutas e a escola técnica, totalizando: 6 Escolas Estaduais, 4 Escolas Municipais, sendo uma agrícola, 2 Escolas Particulares e 2 Escolas de Idiomas.

A cidade ainda conta com uma instituição de ensino superior, a FAMA, que mantêm os cursos: Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Direito, Pedagogia e Engenharia Civil

Iturama poderia criar a sua própria Universidade Federal, com a ajuda do governo e do poder público: a UFIT, entretanto, com o esforço de políticos da região, é esperada chegada de um campus da UFTM que deverá trazer os cursos de Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Nutrição e Psicologia.

Com a chegada do campus, a cidade tende a sofrer transformações notáveis em sua estrutura, que compõe a construção civil como também o crescimento urbano, na economia e na diversidade das culturas, proporcionando ainda a migração de vários estudantes de outras regiões do Brasil em busca de um curso superior de qualidade, pessoas de diversos intuitos, modos, sotaques e concepções, que utilizarão Iturama como ponto de partida para as suas realizações profissionais, a cidade deverá acompanhar este crescimento oferecendo estrutura e condições para esta finalidade, isso é o que espera o tão ansioso, humilde e receptivo povo ituramense.

Em torno da região de Iturama, encontramos outras instituições de ensino superior, como a FEF e a UNICASTELO em Fernandópolis, a UNIJALES em Jales, a UNIFEV, em Votuporanga e a UNIRP, UNORP, UNESP e FAMERP (ambas públicas), UNILAGO, UNICERES, D.PEDRO e UNIP, localizadas em São José do Rio Preto, o maior e mais importante centro comercial e de prestação de serviços próximo à Iturama.

Essa grande concentração de Universidades, Faculdades e Centros Universitários gera uma concorrência notória e quem sai ganhando são os estudantes, pois a concorrência acarreta a uma procura sempre pela superioridade da qualidade dos cursos e por descontos e menores preços nas mensalidades.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Iturama conta também com uma rica diversidade de culturas e projetos culturais, sendo que, no dia 1º de Maio (Dia do Trabalho) de todo ano é realizada uma feira cultural na principal praça da cidade, onde são apresentandas muitas manifestações de suas culturas, incluindo: artesanatos, peças de teatro, danças, apresentações e shows musicais, gastronomia, pinturas, exposições de tecidos, roupas e calçados feitos por pessoas da cidade. Há um grande potencial cultural que Iturama adquiriu ao longo dos séculos de ocupação indígena e acrescidos de alguns costumes africanos, europeus e norte americano nos últimos 100 anos. A cada feira, novas e exuberantes culturas são expostas, dando aos expositores crédito para continuarem em frente, sempre adquirindo novos conhecimentos e cada vez mais excelência e orgulho em dizerem que são responsáveis pela cultura Ituramense. Também são conhecidos expressões culturais como bailes, macumbas, festas de santos reis entre outras.

Iturama - Minas Gerais.

Na área social, temos órgãos responsáveis pela doação e campanhas de ajuda, como: o Rotary Club, Lions Club e Maçonaria, os mirins: Interact, Rotaract, LEO Clube e Demolay, que sempre fazem campanhas e concedem à população, ajudas com alimentos, roupas, calçados, utensílios e brinquedos. Encontramos também diversos asilos e casas de apoio emocional, como, por exemplo, a APAE Iturama.

Sendo assim, Iturama também se destaca como pólo cultural do pontal do Triângulo Mineiro.

Festividades[editar | editar código-fonte]

A principal festa da cidade é a comemoração do aniversário, que ocorre em dat diferente da sua fundação em 27 de dezembro de 1948. Festas Juninas sempre foram muito comuns na cidade, ocorrendo nos arredores das igrejas e praças, principalmente na Praça Santa Rosa e Padre Valim.

A Praça Dona Francisca também já foi palco de muitas festividades, incluindo shows musicaisde cantores famosos e um grande festival de música onde se destacou muitos artistas locais (Ricardo Moisés, Benedito e Beatriz entre muitos outros).

Além disso muitas festas ocorrem na cidade, e há até uma frase própria: "Iturama! Aqui tem festa o ano todo!". E realmente é verdade, pois o calendário festivo da cidade é bastante amplo e recheado. Como principal festa, a EXPORAMA é a festa agropecuária de Iturama, que reúne um público gigantesco, que presencia shows, exposições de animais, de máquinas e implementos agrícolas, parque de diversões e montaria em touros e cavalos, com os melhores peões do ramo presentes participando, levando o público ao delírio. É realizada sempre no mês de Julho, e o sucesso da festa é total.

O Carnaval fora historicamente realizado nas quadras de esporte e no Clube Sori. Atualmente a Itufantasy, a maior festa a fantasia da região, que é realizada desde 2006, no mês de outubro, e vem aumentando seu público a cada edição. Também é recente a festa de carnaval realizado em via pública na AV: Prefeito Juca Pádua.

Outras festividades são a Festa das Igrejas Matriz e de Santa Rosa de Lima, a Feira Artesanal, que é realizada sempre no dia 1º de Maio de todos os anos em homenagem ao dia do Trabalho, as festas de Peão e os shows tradicionais realizados em locais próprios. A crença gera também comemorações, como as festas de Santos Reis, santo que concentra muitos devotos na Região do Triângulo. Muitas outras festas, tanto particulares como públicas, se incrementam no grande currículo anual de festas encontradas na cidade.

Na época da ditadura militar havia uma grande comemoração no dia 07 de setembro em que os estudantes eram obrigados a marchar pelas vias públicas sob o som das fanfarras das escolas e da Banda Municipal, à época sob o comando de Sebastião Pandolfi.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Iturama conta com um time de futebol ituramense, o "IEC", que já conquistou vários títulos de campeonatos regionais. O clube mantém um próprio estádio, pequeno. A área desportiva ainda é composta de várias organizações de treinamento de futebol, as famosas "escolinhas de futebol". Vários torneios, campeonatos e partidas são realizadas na cidade, que conta com um Ginásio Municipal, de boa estrutura, mas carente de reformas e ampliações.

Na cidade existem praticantes de várias artes marciais, como o Jiu-Jitsu, Capoeira e Karatê-Do. Iturama já foi representada em vários campeonatos estaduais e nacionais por karatecas locais, conquistando desde um vice-campeonato mineiro até um título nacional, não disputando a etapa sul-americana por falta de recursos e incentivo público.

Possui também várias quadras de esportes, clubes com grandes campos de futebol, vôlei, handbaal e baskett.

Destaques

No âmbito esportivo destacam-se no futebol os filhos do ex-jogador profissional Cutula que mantém a "Escolinha de Futebol Cutula" na cidade. Thales Lima, o mais velho, já teve passagem pelo Grêmio Barueri e pelo futebol japonês. Já Mateus Lima com passagem pelo Sport Recife em 2013, disputa a Série B do Campeonato Brasileiro de 2014 pela equipe do Luverdense de Mato Grosso.

No vôlei, o meia central Maurício Souza também é motivo de orgulho para a cidade. Convocado algumas vezes para a seleção de Bernardinho, o atleta participou da campanha brasileira na medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2011 em Guadalajara, no México. Em 2014 o atleta atua no voleibol turco.

Administração Pública[editar | editar código-fonte]

Pleito (2013/2016)

Prefeito: Cláudio Tomas de Freitas (PSC)

Vice-prefeito: Olegário Ferreira de Lima (PR)

Presidente da Câmara: Vagner José Ferreira (PSD) [(Vice-presidente)]: Sandro Alves Costa (PHS)

Vereadores:

  • Ademilton Alves Leal (PHS)
  • Alex Sandro Gonçalves Santos (PSC)
  • Alonso Rodrigues de Oliveira (PT do B)
  • Ana Lúcia Menezes Santos (PSC)
  • Francisco Freitas Filho (PSDB)
  • Gil Wagner Martins de Oliveira (PSDB)
  • Iron Tomaz de Almeida (PTB)
  • José Francisco da Rocha (PSC)
  • José Pichioni Filho (PSC)
  • Nilson Conceição de Oliveira (PMN)
  • Ricardo Oliveira Freitas (PR)
  • Sandro Alves Costa (PHS)
  • Vagner José Ferreira (PSD)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 31 de julho de 2013.
  4. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 16 jan. 2012.
  5. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGEPop
  6. http://falabonito.wordpress.com/2007/07/05/cidades-brasileiras-cujos-nomes-tem-origem-no-tupi-guarani/
  7. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  8. História de Iturama Prefeitura de Iturama. Visitado em 20 de maio de 2012.
  9. Histórico Oficial Registrado no IBGE Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, volume XXV Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1959).
  10. Prefeitura de Iturama. Visitado em 9 de agosto de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]