João Ramos do Nascimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dondinho
Dondinho
Dondinho por volta de 1944.
Informações pessoais
Nome completo João Ramos do Nascimento
Data de nasc. 2 de outubro de 1917
Local de nasc. Campos Gerais (MG),  Brasil
Falecido em 16 de novembro de 1996 (79 anos)
Local da morte Santos ou São Paulo (SP),  Brasil
Altura 1,83 m
Apelido Dondinho, Maleável[1]
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes de juventude
1933–1935 Brasil Atlético Mineiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)


1940
1942–1946
1944

1946–1952
Brasil Yuracan-MG
Brasil Atlético de Três Corações-MG
Brasil Atlético Mineiro
Brasil Fluminense
Brasil EC São Lourenço-MG
Brasil Vasco de São Lourenço-MG
Brasil Bauru
Seleção nacional
1933–1936
1936–1940
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil
20 (42)
6 (19)

João Ramos do Nascimento (Campos Gerais[2] , 2 de outubro de 1917Santos ou São Paulo, 16 de novembro de 1996[3] ), mais conhecido como Dondinho, o pai de Pelé (Edson Arantes do Nascimento), foi um jogador de futebol brasileiro.[4] Era conhecido como "Maleável", devido à sua facilidade para subir para o cabeceio[1] .

Cquote1.svg "Era um craque. Centroavante que não ficava apenas preso dentro da área. Sabia jogar pelo chão, além de ser um grande cabeceador. Uma vez, quando o Atlético conquistou um título, Dondinho foi carregado pela cidade."[5] Cquote2.svg
Victor Cunha, ex-presidente do Atlético de Três Corações e historiador da cidade.

Atuou apenas em um jogo entre Atlético Mineiro e São Cristóvão e marcou um gol em 7 de abril de 1940.[6] Uma lesão no joelho logo neste jogo impediu seu sucesso pelo Galo[7] . Ele se lesionou após uma entrada do zagueiro Augusto, mais tarde jogador do Vasco e da Seleção Brasileira[8] .

Morreu de insuficiência cardíaca aos 79 anos, em 16 de novembro de 1996.[9]

Pelo BAC (Bauru Atlético Clube), Dondinho atuou em 199 jogos, e marcou 137 gols. Ajudou o clube a conquistar sua maior glória: o de campeão do interior, em 1946[10] . Foi no próprio BAC, em 1952, que Dondinho parou de jogar, aos 36 anos de idade[1] .

Sobre o Seu Dondinho, o jornalista Alexandre Garcia escreveu ao Jornal Bom dia Brasil:

"Vou contar uma história que aconteceu com o pai de Pelé, Seu Dondinho. Entregador de leite, alto e forte, ele era a estrela do time de Campos Gerais. Driblava todo time adversário e, depois, fazia gol de cabeça. Os torcedores da época garantem que Dondinho era melhor que Pelé. Até que um dia, em um jogo contra o time de Alfenas, Dondinho e a bola estavam incompatíveis. Dondinho deveria estar doente. O time local perdeu e a torcida ficou furiosa com o jogador. O presidente do clube, o padeiro Alcides, demitiu Dondinho e ele teve que deixar Campos Gerais, por causa da fúria da torcida. Foi para Três Corações, onde entrou no time do Exército e abriu seu coração. Casou e, em outubro de 1940, nasceu Édson, o Pelé. Este é o único caso em que a fúria da torcida gerou um rei!"[11]
Alexandre Garcia

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • No dia 15 de Setembro de 2012, foi inaugurado o "Monumento ao Dondinho" (uma estátua), que foi erguido no Parque Municipal João Ramos do Nascimento[12] . A estátua de aproximadamente 5 metros retrata Dondinho e Pelé ainda criança. O artista usou cimento, gesso e ferro e criou a obra em menos de 2 meses[13] .

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Pelé, o "Rei do Futebol", conta que certa vez, seu pai, seu Dondinho, lhe mostrou um recorte de jornal que falava de um jogo em que ele fizera cinco gols, todos de cabeça. Esse recorde de seu pai nem o "Rei" foi capaz de superar[14] .
Cquote1.svg "Quando o pessoal perguntava do Dondinho, eu dizia que ele era o melhor jogador, e que depois era eu. Eu não imaginava que aconteceria tudo o que aconteceu. Mas não consegui quebrar o recorde do meu pai de cinco gols de cabeça num jogo só."[14] Cquote2.svg
Pelé, em entrevista no Programa do Jô

Títulos[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c seuplaneta.com.br/ Gravação sobre Dondinho reúne craques do passado
  2. Dondinho (em português). Que Fim Levou?. Página visitada em 29 de junho de 2010.
  3. Dondinho Nascimento (em inglês). IMDB. Página visitada em 29 de junho de 2010.
  4. Pelé (em inglês). Expert Football. Página visitada em 29 de junho de 2010.
  5. globoesporte.globo.com/ Antes de Pelé, Dondinho é que era o ídolo em Três Corações (MG)
  6. Campeonato Mineiro 1941 (em português). WebGalo. Página visitada em 5 de julho de 2010.
  7. globoesporte.globo.com/ O Rei em casa: Pelé volta no tempo e até canta para ‘rever’ seu pai
  8. terceirotempo.bol.uol.com.br/ Que Fim Levou? Seu Dondinho
  9. Novembro (em português). Conselho Estadual dos Direitos do Negro (CEDINE). Página visitada em 29 de junho de 2010.
  10. a b viomundo.com.br/ O centenário do Santos FC e o saudoso BAC
  11. estrelabrasileira3.com.br/ Histórias do Povo
  12. gazetaesportiva.net/ Cidade onde nasceu Pelé reproduz casa do Rei do Futebol
  13. brasilmetropole.com.br/ Três Corações inaugura estátua em homenagem ao pai do Rei Pelé
  14. a b c m.globoesporte.globo.com/ Histórias Incríveis: Dondinho, pai de Pelé, fez 5 gols de cabeça... num jogo
  15. a b imdb.com/
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.