Lugo (Galiza)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Espanha Lugo
Lugo
 
—  Município  —
Muralha romana de Lugo
Muralha romana de Lugo
Bandeira de Lugo
Bandeira
Brasão de armas de Lugo
Brasão de armas
Lugo está localizado em: Espanha
Lugo
Localização de Lugo na Espanha
43° 01' N 7° 33' O
Comunidade autónoma Galiza
Província Lugo
Fundação Século I a.C.
 - Alcaide Xosé Clemente López Orozco (PSdG)
Área
 - Total 332 km²
Altitude 465 m (1 526 pés)
População (2011)
 - Total 98 007
    • Densidade 295,2/km2 
Gentílico: Lucense
Luguês, sa
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 27001 - 27004
Sítio www.lugo.es

Lugo é uma cidade galega, capital da província de Lugo e da comarca homónima. É uma cidade de origen celta e romana, no primeiro caso como um povoado em honra do deus Lug ou Lugh e logo fundada já como campamento militar do Império em 25 a.C. [1] por Paulo Fábio Máximo, é a mais antiga da Galiza. Construída nas proximidades dum castro, na época romana recebeu o nome de Luco Augusto (em latim: Lucus Augusti). São testemunha dos seus primeiros anos de história os numerosos restos romanos, muitos deles conservados no Museu Provincial, e sobretudo a muralha romana, única no mundo que conserva todo o seu perímetro e declarada Património da Humanidade em 2000.

Ao longo da sua história passou por períodos de abandono, bem como por importantes momentos na história do país em que esteve integrada. Desde a mobilização em 842 dum grande exército galego para conquistar Oviedo e entronizar Ramiro I das Astúrias como primeiro rei da dinastia galega, até o pronunciamento do Coronel Miguel Solís, que daria começo à revolução galega de 1846.

Geograficamente, a cidade fica num outeiro, nas terras do Alto Minho, e circundada pelo próprio rio Minho, além de outros mais pequenos, como o Mera. O concelho, incluído na Reserva da Biosfera "Terras do Minho", é o segundo mais extenso da Galiza, sendo actualmente habitado por 98 007 pessoas, correspondendo ao quarto mais populoso depois de Vigo, Corunha e Ourense.

Actualmente, Lugo é uma cidade comercial e de serviços, com um campus universitário especializado em ciências agrárias. Destacam-se também as populares festas realizadas na cidade como o Arde Lucus, que relembra o passado romano e castrejo da cidade, e as Festas do São Froilão de Lugo, que cada ano atraem à cidade mais de um milhão de visitantes entre 4 e 12 de Outubro.[2] [3]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Em 26 a.C. um corpo expedicionário romano no comando de Caio Antisto Veto chegou ao noroeste da península Ibérica, que viria a ser a Galécia, para o controlar. Estabeleceu um acampamento no território da actual Lugo em 25 a.C., ao qual deu o nome de Luco Augusto, originado possivelmente pela divindade céltica Lug[4] [5] (que também originaria o nome de cidades como Lugano ou Lyon) e que se converteu na capital da Galécia lucense. Luco Augusto significaria "o bosque sagrado de Augusto" (genitivo de fundador).

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se num outeiro rodeado pelos rios Minho, Rato e Chanca. A diferença de altitude entre o centro da cidade e as margens fluviais é considerável, enquanto no centro da cidade a altitude é de 465 metros acima do nível médio do mar, no Minho o nível do Passeio Fluvial, popularmente chamado o paseo da fábrica da luz [6] , a altitude é de 364 metros. O concelho de Lugo é o segundo mais extenso de Espanha, com 332 km² e 59 paróquias civis.

Os arredores da cidade foram declarados Reserva da Biosfera pela UNESCO a 7 de Novembro de 2002,[7] sendo este o reconhecimento mais importante a nível internacional quanto à conservação de paisagens e habitats desta região atlântica europeia. É de destacar a abundante fauna ao redor do curso do rio Minho pelo concelho, sobretudo no tocante às espécies de aves.

Os outros dois rios que atravessam a cidade são o Fervedoira e o Mera, havendo ao redor de ambos dois outros parques com diversas espécies de árvores.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população da cidade em 2010 era de 97 635 habitantes.[8] Em 1842 a cidade contava com 13 986 habitantes, e meio século depois, em 1897, a cidade duplicava a sua população, chegando aos 26 252 habitantes, número que se manteve constante até a década de 1940, quando alcançou os 41 000. A população tornou a duplicar em 1991, atingindo 83 000 habitantes, que foram aumentando até aos quase 100 000 actuais. Em 2009 a cidade contava com 96 678 habitantes, 53,28% da população (51 513) eram mulheres, e os restantes 46,72% (45 165) homens. A maioria 82 147 (85%) eram naturais da Galiza, 7265 (7,5%) procedendo de outros países da União Europeia. De outros continentes destaca-se a população da América, com 3105 (3,1%).

Variação demográfica do município entre 1991 e 2004
1991 1996 2001 2004
83 242 85 174 88 414 91 426

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima em Lugo é oceânico com invernos frios e verões suaves. A temperatura média anual é de 12,0 ºC e as precipitações abundantes, com mais de 1000 litros por ano.

Patrimônio arquitetônico[editar | editar código-fonte]

Porta da muralha romana de Lugo, na praça de Ferrol
Termas romanas


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Municípios da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Commons
O Commons possui multimídias sobre Lugo (Galiza)