Martinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Martinha
Informação geral
Nome completo Martha Vieira Figueiredo Cunha
Também conhecido(a) como Queijinho de Minas
Nascimento 30 de julho de 1949 (64 anos)
Origem Belo Horizonte, Minas Gerais
País Brasil Brasil
Gênero(s) Jovem Guarda
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade cantora, compositora
Afiliação(ões) Jovem Guarda

Martha Vieira Figueiredo Cunha, a Martinha (Belo Horizonte, 30 de julho de 1949) é uma cantora e compositora brasileira.

Foi apelidada de "Queijinho de Minas" pelo rei Roberto Carlos. Destacou-se na Jovem Guarda participando de programas musicais e de entrevistas nas mais importantes emissoras de televisão.

Seu grande sucesso foi Eu daria a minha vida, gravada em 1968, depois também gravada por Roberto Carlos, exemplo seguido por outros cantores.

Ao longo de sua carreira, iniciada em 1966 e feita no Brasil e no exterior, gravou 23 LP, que somaram três milhões de cópias vendidas. Alcançou grande êxito na América Latina com canções como "Hoy daria yo la vida", "Llueve" e "Aquí".

Ganhou todos os prêmios possíveis no país, e muitos outros no exterior. Como compositora, conseguiu grande êxito, tanto com cantores da Jovem Guarda como com os sertanejos.

Atualmente reside na cidade de São Paulo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha única, desde pequena cantarolava músicas que compunha. Aprendeu a tocar piano aos cinco anos de idade. Era filha de Dª Ruth, a famosa Candinha, que assinava a coluna "Mexericos da Candinha", na fase áurea da Revista do Rádio, editada pelo jornalista Anselmo Domingos desde 1948 até o final da década de 1960.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira em 1966, participando do movimento da Jovem Guarda, sendo anunciada carinhosamente por Roberto Carlos, nas apresentações do programa, como "Queijinho de Minas". Seu primeiro sucesso foi a composição, de sua própria autoria, "Eu te amo mesmo assim", gravada no mesmo ano, num compacto simples, que trazia, ainda, a música "Quem disse adeus agora fui eu". Em 1967 teve a composição "Só sonho quando penso que você sente o que eu sinto", gravada por Erasmo Carlos na RGE. No mesmo ano, lançou seu segundo compacto com as músicas "Barra limpa" e "Não brinque assim", pela Rozenblit. Em 1968, obteve seu maior sucesso com a canção "Eu daria a minha vida", de sua autoria, gravada por ela, inicialmente, e, depois, por outros artistas. Teve também composições gravadas por Roberto Carlos. Como cantora conheceu grande êxito com a interpretação de "Última canção", de Roberto Carlos. Com o declínio da Jovem Guarda, assim como Roberto Carlos, passou a utilizar em seu repertório músicas românticas. Ao longo da década de 1970 participou de festivais internacionais em vários países da América Latina. Dessa nova fase de sua carreira destacam-se as canções "Vai ser assim", de sua autoria e lançada em 1970, e "Pouco a pouco", em parceria com César Augusto, sucesso de 1983. Em 1985 teve a composição "Vem provar de mim", em parceria com Cesar Augusto, gravada por Chitãozinho e Xororó. No ano seguinte, a mesma dupla gravou "Queixas", outra de suas parcerias com César Augusto. Como compositora teve músicas gravadas por intérpretes como Angela Maria, Moacyr Franco, Wanderley Cardoso, Perla, Leno, Paulo Sérgio e Ronnie Von. Ao longo da década de 1990, passou a compor para duplas sertanejas como Leandro e Leonardo e Chitãozinho e Xororó. Em 1992, Chitãozinho e Xororó gravaram "Nossa história". Em 1995, regravou as músicas "Nossa canção", "Eu daria minha vida" e "Última canção" para a coletânea lançada pela Polygram em comemoração aos 30 anos da Jovem Guarda. No início dos anos 2000, passou a viver numa granja, na região da grande São Paulo, tendo dois filhos já maiores de idade.

Em 2005, participou de diversos eventos e shows comemorativos dos 40 anos da Jovem Guarda, o projeto "Festa de arromba- 40 anos da Jovem Guarda", apresentado durante todo o mês de agosto, noTeatro II do CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil), no Rio de Janeiro, passando também por Brasília e São Paulo, no qual fez dupla com Wanderley Cardoso, em temporada de 3 dias, alternada com outros expoentes da Jovem Guarda, que também se apresentaram em duplas, como Jerry Adriani e Waldirene, Golden Boys e Vanusa, Wanderléa e Erasmo Carlos. Com agenda lotada, a cantora participou de gravações, shows e programas comemorativos por todo o Brasil.

Em 2010, apresentou-se ao lado de Roberto Carlos no show do cantor "Emoções Sertanejas", projeto que será convertido em DVD, cantando a música Alô, de autoria dele. O espetáculo foi exibido como Especial da TV Globo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

LP[editar | editar código-fonte]

Gosto de você (Martinha);
Meu vestidinho (Nilton; Alemão);
Não gosto mais de você (Martinha);
Seja o que Deus quiser (Martinha);
Não é tristeza (Edson Ribeiro; Mauri Câmara);
Barra limpa (Martinha);
Historinha de amor (Martinha);
Quero ficar sozinha (Renato Corrêa; Donaldson Gonçalves);
Arranje outra namorada (Marcos Roberto; Dóri Edson);
Pra que amar você (Martinha);
Volta depressa (Marcos Roberto; Dóri Edson);
Eu te amo mesmo assim (martinha).
Por quem estou apaixonada (Martinha);
Se você não explicar (Martinha);
Choro só por chorar (Luiz Fabiano);
Eu daria minha vida (Martinha);
Eu queria (Martinha);
Pior pra você, bem pior pra mim (Martinha);
Você não voltou (Martinha);
A minha melhor amiga (Elizabeth);
A tão sonhada paz (Perret);
Não sei se você sabe (Martinha);
Eu só queria namorar você (Dóri Edson);
Nem mesmo em sonho (Renato Barros).
  • Martinha é o sucesso (1968)
  • Martinha (1969), Copacabana
À procura de mim (Martinha);
Eu vou (Martinha);
Eu escutei o seu adeus (Martinha);
Cansei de conversa (Martinha);
Escuta (Antônio Marcos);
Tarde, muito tarde (Martinha);
Estou arrependida (Luiz Fabiano);
Deixei (Martinha);
Minha canção e eu (Arnaud Rodrigues);
Sou feliz só por te ver (Tom Gomes; Luiz Wagner).
  • Martinha (1970), Copacabana
Vestido Branco (Martinha);
Se eu te amasse mais do que te amo agora (Martinha):
Um novo céu (Ted Moreno; Fernando César);
Batuque na minha janela (Martinha);
Dia melhor (Arnaud Rodrigues);
Vai ser assim (Martinha);
Morrer pos seu amor (Martinha);
Quero ver (Martinha);
Rema, remador (Dom);
Luz de amor (Johnny Alf);
Poema de Maria (Martinha);
Eu sou de você (Martinha).

Compactos[editar | editar código-fonte]

  • Eu te amo mesmo assim (1966), Rozenblit
Eu te amo mesmo assim (Martinha);
Quem disse adeus agora fui eu (Martinha).
  • Martinha (1967), Rozenblit
Barra limpa (Martinha);
Não brinque assim (Martinha).
  • Martinha (1968), Rozenblit
Se não fosse a lua (Martinha);
Seja o que Deus quiser (Martinha).
  • Martinha e o sucesso (1969), Copacabana
Aqui (Martinha);
Meu namorado (Martinha).
  • Martinha (1970), Copacabana
Vai ser assim (Martinha):
Eu sou de você (Martinha)

CD[editar | editar código-fonte]

  • Martinha - Série BIS (2 CD)
  • Martinha revive o sucesso (Copacabana)
  • Seleção de ouro - 20 sucessos de Martinha (EMI)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.