Paulo Vanzolini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Vanzolini
Zoologia
Paulo Vanzolini (2011)
Nome de nascimento Paulo Emílio Vanzolini
Nacionalidade  brasileira
Nascimento 25 de abril de 1924
Local São Paulo, SP
Morte 28 de abril de 2013 (89 anos)
Local São Paulo, SP
Causa Pneumonia
Atividade
Campo(s) Zoologia

Paulo Emílio Vanzolini (São Paulo, 25 de abril de 1924 — São Paulo, 28 de abril de 2013) foi um zoólogo e compositor brasileiro, autor de famosas canções como "Ronda", "Volta por Cima" e "Na Boca da Noite".

Foi um dos idealizadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e ativo colaborador do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo que, com seu trabalho, aumentou a coleção de répteis de cerca de 1,2 mil para 230 mil exemplares.[1]

Adaptou a Teoria dos Refúgios a partir de estudos conjuntos com o geomorfologista Aziz Ab'Saber e com o norte-americano Ernest Williams. Refúgio foi o nome dado ao fenômeno detectado nas expedições de Vanzolini pela Amazônia, quando o clima chega ao extremo de liquidar com uma formação vegetal, reduzindo-a a pequenas porções. Assim formam-se espaços vazios no meio da mata fechada.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Descendente de italianos,[2] seu pai, o engenheiro Carlos Alberto Vanzolini, foi com a família para o Rio de Janeiro quando Paulo tinha quatro anos. A família voltou para São Paulo dois anos depois, em 1930. Paulo cursou o primário no Colégio Rio Branco e o ginásio em escola pública. onde se formou em 1938. Em 1942 ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Junto com um grupo de estudantes, passou a frequentar as rodas boêmias e a compor seus primeiros sambas.[3]

Em 1944, deixou a casa dos pais e começou a trabalhar com um primo, Henrique Lobo, na Rádio América, no programa Consultório Sentimental, de Cacilda Becker. Em seguida, foi convocado para o Exército, interrompendo os estudos. Dois anos depois retomou o curso de Medicina, passou a lecionar no Colégio Bandeirantes e começou a trabalhar no Museu de Zoologia, da Universidade de São Paulo.

Formou-se em 1947 e casou-se em 1948, com Ilse. No ano seguinte, foi para os Estados Unidos, onde obteve o doutorado em Zoologia pela Universidade Harvard.

Em 1951, por insistência do amigo Geraldo Vidigal, publicou pelo Clube de Poesia o livro Lira de Paulo Vanzolini. No mesmo ano, compôs o samba "Ronda".

Em 1953, foi convidado por Raul Duarte para trabalhar na TV Record, produzindo os programas de Araci de Almeida. Nesse ano, o cantor Bola Sete fez a primeira gravação de "Ronda", acompanhado por Garoto e Meneses, nas cordas, Mestre Chiquinho no acordeão e Abel na clarineta.

Em 1959, o violonista José Henrique, dono da boate Zelão, mostrou o samba "Volta por Cima" ao cantor Noite Ilustrada, que o lançou em 1963, pela Philips, com estrondoso sucesso. Nesse mesmo ano, Paulo Vanzolini foi nomeado diretor do Museu de Zoologia, cargo que exerceu durante trinta anos. Mesmo depois de se aposentar em 1993, continuou trabalhando na instituição. "É a única coisa de que gosto, a única coisa que sei fazer", declarou à revista Scientific American Brasil em 2002.[3]

Em novembro de 1967, Luís Carlos Paraná, da boate Jogral, e Marcus Pereira, dono de uma agencia de publicidade, resolveram produzir um LP com as composições inéditas de Paulo Vanzolini, conhecidas apenas por seus amigos frequentadores das mesmas rodas de samba.[4]

Morte[editar | editar código-fonte]

Paulo Vanzolini morreu no dia 28 de abril de 2013, em São Paulo, aos 89 anos.[5] Ele estava internado desde o dia 25, dia em que completou 89 anos,[6] na UTI do Hospital Albert Einstein, com uma pneumonia extensa.[7]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Vanzolini foi homenageado pela escola de samba carioca Mocidade Independente de Padre Miguel em 1985, com o tema "Ziriguidum 2001, um carnaval nas estrelas", sobre o século do samba.Também foi homenageado pela escola de samba paulistana Vai-Vai no ano de 2005 com o enredo "Eu também sou imortal", tema sobre o samba e a boemia de São Paulo. E logo após o seu falecimento, em 29 de abril de 2013, a escola de samba paulistana Mocidade Alegre anunciou seu enredo de 2014, tendo como tema os 90 anos do boêmio paulista.[8]

Após sua morte, a Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo anunciou uma homenagem na Virada Cultural da cidade.[9] O senador Eduardo Suplicy também manifestou pesar pela morte de Vanzolini em discurso no Senado Federal, encaminhando, em seguida, requerimento de inserção em ata de voto de pesar pelo falecimento do biólogo e compositor.[10]

Prêmios e condecorações[editar | editar código-fonte]

  • Em agosto de 2008, o cientista e compositor foi também premiado pela Fundação Guggenheim, em Nova Iorque, em virtude de suas contribuições para o progresso da ciência. O mesmo prêmio foi dado a três outros cientistas brasileiros, em outras áreas além da biologia.
  • Em março de 2013, recebeu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pelo conjunto da obra.[3]

Táxons nomeados em sua homenagem[editar | editar código-fonte]

Documentários[editar | editar código-fonte]

Paulo Vanzolini foi tema de três documentários do diretor Ricardo Dias, de cujo pai era amigo. Os dois primeiros sobre o seu trabalho como zoólogo e o terceiro, Um homem de moral, sobre sua obra musical.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1967: Onze Sambas e uma Capoeira (vários intérpretes)
  • 1974: A Música de Paulo Vanzolini
  • 1981: Por Ele Mesmo
  • 2003: Acerto de Contas

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Lira de Paulo Vanzolini
  • Tempos de Cabo - - Ilustrações de Aldemir Martins - 1981 (reeditado em 2009)
  • An annotated bibliography of the land and fresh-water reptiles of South America (1758-1975) - v. I

- MZUSP, 1977 - 186 páginas

  • An annotated bibliography of the land and fresh-water reptiles of South America (1758-1975) - v. II

MZUSP, 1978 - 316 páginas

Referências

  1. Paulo Emílio Vanzolini Canal Ciência. Página visitada em 30 de abril de 2013.
  2. Paulo Moreira Leite (28 de abril de 2011). Um gênio fiel à boemia. Página visitada em 5 de setembro de 2013.
  3. a b c Compositor Paulo Vanzolini morre aos 89 anos em São Paulo Folha de São Paulo (29/4/2013). Página visitada em 25/12/2013.
  4. Enciclopédia da Música Brasileira. Paulo Vanzolini MPB Net. Página visitada em 30 de abril de 2013.
  5. Morre Paulo Vanzolini, autor de 'Ronda' e 'Volta por Cima' Veja.com. Página visitada em 29 de abril de 2013.
  6. Paulo Vanzolini morre aos 89 anos em São Paulo Contigo! (29 de abril de 2013). Página visitada em 29 de abril de 2013.
  7. Morre o compositor Paulo Vanzolini Portal G1. Página visitada em 29 de abril de 2013.
  8. Paulo Vanzolini: Compositor e Zoólogo Cultura Mix. Página visitada em 25/12/2013.
  9. Virada Cultural terá investimento de R$ 10 mi e homenagens a Chorão e Paulo Vanzolini. Página visitada em 08/05/2013.
  10. Eduardo Suplicy homenageia Paulo Vanzolini. Página visitada em 08/05/2013.
  11. Levi, H. W. (1988) The neotropical orb-weaving spiders of the genus Alpaida (Araneae: Araneidae). Bulletin of the Museum of Comparative Zoology, Harvard 151, 365-487.
  12. Donoso-Barros, 1974.
  13. Gans, C. (1963). Notes on amphisbaenids (Amphisbaenia, Reptilia). 8. A redescription of Amphisbaena stejnegeri and the description of a new species of Amphisbaena from British Guiana. American Museum Novitates 2128: 1-18.
  14. Williams, E.E., Orces V,G., Matheus,J.A. & Bleiweiss, R. (1996). A new giant phenacosaur from Ecuador. Breviora 505: 1-32.
  15. Taylor & Cochran 1953
  16. Myers, 1982
  17. Hoffman 1988
  18. Cassimiro, J. & Rodrigues, M.T. (2009) A new species of lizard genus Gymnodactylus Spix, 1825 (Squamata: Gekkota: Phyllodactylidae) from Serra do Sincorá, northeastern Brazil, and the status of G. carvalhoi Vanzolini, 2005. Zootaxa, 2008, 38-52.
  19. Heyer, W.R. (1982) Two new species of the frog genus Hylodes from Caparaó, Minas Gerais, Brasil (Amphibia: Leptodactylidae). Proceedings of the Biological Society of Washington, 95, 377-385.
  20. Dixon, J.R. (1985) A review of Liophis anomalus and Liophis elegantissimus, and the description of a new species (Serpentes: Colubridae). Copeia 1985: 565-573.
  21. Andretta & Carrera 1952.
  22. Cruz, C.A.G. (1991) Descrição de duas espécies novas de Phyllomedusinae do sudeste brasileiro (Amphibia, Anura, Hylidae). Revista Brasileira de Biologia, 51, 271-275.
  23. Guimarães 1974.
  24. Ayres, J.M. (1985) On a new species of squirrel monkey, genus Saimiri, from Brazilian Amazonia (Primates, Cebidae). Papéis Avulsos de Zoologia, São Paulo, 36, 147-164.
  25. Rodrigues, M.T. (1991) Herpetofauna das dunas interiores do Rio São Francisco, Bahia, Brasil. III. Procellosaurinus: um novo gênero de microteiídeos sem pálpebra, com a redefinição do gênero Gymnophthalmus (Sauria, Teiidae). Papéis Avulsos de Zoologia, São Paulo, 37, 329-342.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]