Religião e anarquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Os adeptos do anarquismo tradicionalmente têm sido contra as religiões organizadas e institucionalizadas, que os anarquistas vêem como, em sua maioria, hierárquicas e estreitamente alinhadas com estruturas contemporâneas de poder como o Estado e o domínio do capital. No entanto, isto não significa que sejam opostos à sistemas de crenças pessoais ou coletivos, que nem sempre estão relacionados ao autoritarismo das religiões mais institucionalizadas. O antiautoritarismo é um tema central entre alguns grupos religiosos.

Alguns anarquistas notáveis foram religiosos, como Leo Tolstoi e Ammon Hennacy, ambos crentes fiéis dos princípios da não-violência e do anarquismo cristão.

Durante a Revolução Espanhola muitos anarquistas espanhóis eram também espíritas conseguindo estabelecer paralelos entre o anarquismo e o espiritismo. Outros anarquistas se como Gary Snyder e Diane di Prima encontraram fortes ligações entre o pensamento e ação anarquista nos preceitos do budismo. Muitos no entanto, se consideram deístas, agnósticos ou mesmo ateus.Tambem a lista de anarquistas judeus é vasta.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Anarquismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.